Yago Martins – A Arte na Adoração

Como um cristão se relaciona com a arte em sua vida privada de adoração? Ele pode ouvir música secular? Como fazer tudo para a glória de Deus? E a igreja local, como ela se relaciona com a arte em sua vida de adoração pública? Quais ritmos são permitidos? Veja sobre isto e outras questões na segunda palestra da conferência regional do Cante as Escrituras no Rio de Janeiro.

Segunda Palestra da Conferência Regional no Rio de Janeiro

© Cante as Escrituras | canteasescrituras.com

Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

11 Comentários
  1. Sérgio Murilo Diz

    Muito bom.

  2. Marcio Diz

    Muito legal gostei muito

  3. Claudino Sales Diz

    Adoração verdadeira e sincera ao Senhor Jesus!

  4. Diegorella Diz

    Hey men.. Eu só acho que um cara pregar em frente a um notbook não tem nem um firmamento. Ele está inspirado pelo Espírito ou pelo HD RAm?

    Cito um homem de Deus: o que diria Ravenhill sobre isso?

    Paulo não iria arrepiar os cabelos pois era careca….

    1. Yago Martins Diz

      Qual o problema do notebook? Eu só não tinha um impressora.

      Ser inspirado pelo Espírito não é ignorar uma preparação anterior ou não levar um esboço. Isso se chama irresponsabilidade.

    2. Misa Diz

      você está certo. Qual o problema da tecnologia? qualquer um gostaria de usufruir dos beneficios destes aparelhos e qualquer outro. A palavra é uma só e não muda, graças a Deus por pessoas que se preocupam e nos trazem com clareza informações vindas da palavra de Deus e gozam dos benefícios da tecnologia, ajuda o ministro e a congregação. Quer dizer que podemos usar mais datashow? temos que usar hinarios?
      Deus lhe abeçõe.

    3. Wilter Diz

      Concordo com você Yago. As pessoas pensam que Deus é o ser mais desatualizado, pensam que Deus só sabia escrever em pedras para Moisés e na parede para Belsazar. Se considerarmos como válido o comentário do Diego, vamos ter que começar a boicotar qualquer site para proclamação do evangelho, a começar por este. Parabéns pelo trabalho em mostrar o evangelho de forma pura a simples, independente das ferramentas que Deus permite.

    4. Deusemdebate Diz

      Oi Diego. Permita-me fazer dois cometários. 
      Primeiro, quando Paulo escreveu a Timóteo, ele pediu que este lhe trouxesse “os livros, principalmente os pergaminhos.” (2 Timóteo 4:13) Isso mostra que literatura de apoio é bem vinda para o pregador. Este deve ler e estar bem informado antes de pregar. Até mesmo Paulo que era guiado pelo Espírito Santo como ninguém outro. Isso até mesmo aponta que o Espírito Santo guia o pregador a ser bem embasado em seus textos, e não um seguidor do que lhe passe pela cabeça no momento.
      Segundo, Paulo não só usava o apoio de literaturas inspiradas por Deus como também de autores pagãos. Quando estava no Areópago pregando a filósofos gregos ele citou o poeta Epimênides: “Porque em Deus vivemos, e nos movemos, e existimos; como também alguns dos vossos poetas disseram: Pois somos também sua geração.” (Atos 17.28). Isso reforça ainda mais a forte ligação entre a pregação e a leitura. 
      É um grande erro esperar que o pregaor seja limitado a somente ler sem receber revelação do alto, mas também é uma grande imprudência pedir a um homem que lê pouco e que reflete pouco que fale por longos períodos de tempo o que lhe vem á mente. 
      Poucos têm a memória privilegiada de um judeu do primeiro século que, como Paulo, ficaria pregando por 6 horas sobre a Bíblia. Muitos precisam de esboços. Para preservar a naturez, é melhor não imprimir os esboços, mas mantê-los no notebook. Isso preserva a sobriedade da pregação e mostra que o pregador pensou antes de falar, o que é sábio e digno de respeito.
      Um abraço Diego. Um abraço Yago.

    5. Deusemdebate Diz

      Oi Diego. Permita-me fazer dois cometários. 
      Primeiro, quando Paulo escreveu a Timóteo, ele pediu que este lhe trouxesse “os livros, principalmente os pergaminhos.” (2 Timóteo 4:13) Isso mostra que literatura de apoio é bem vinda para o pregador. Este deve ler e estar bem informado antes de pregar. Até mesmo Paulo que era guiado pelo Espírito Santo como ninguém outro. Isso até mesmo aponta que o Espírito Santo guia o pregador a ser bem embasado em seus textos, e não um seguidor do que lhe passe pela cabeça no momento.
      Segundo, Paulo não só usava o apoio de literaturas inspiradas por Deus como também de autores pagãos. Quando estava no Areópago pregando a filósofos gregos ele citou o poeta Epimênides: “Porque em Deus vivemos, e nos movemos, e existimos; como também alguns dos vossos poetas disseram: Pois somos também sua geração.” (Atos 17.28). Isso reforça ainda mais a forte ligação entre a pregação e a leitura. 
      É um grande erro esperar que o pregaor seja limitado a somente ler sem receber revelação do alto, mas também é uma grande imprudência pedir a um homem que lê pouco e que reflete pouco que fale por longos períodos de tempo o que lhe vem á mente. 
      Poucos têm a memória privilegiada de um judeu do primeiro século que, como Paulo, ficaria pregando por 6 horas sobre a Bíblia. Muitos precisam de esboços. Para preservar a naturez, é melhor não imprimir os esboços, mas mantê-los no notebook. Isso preserva a sobriedade da pregação e mostra que o pregador pensou antes de falar, o que é sábio e digno de respeito.
      Um abraço Diego. Um abraço Yago.

    6. scumbag Diz

      nenhum animal foi ferido nesse comentário, especialmente os burros

    7. scumbag Diz

      nenhum animal foi ferido nesse comentário, especialmente os burros

Comentários estão fechados.