um site cristão por Cristo e pelo Evangelho

A regeneração necessariamente precede a conversão?

A resposta a essa pergunta é “sim”, mas antes de explicar o porquê de ser assim, os termos “regeneração” e “conversão” precisam ser brevemente explanados.

Regeneração significa que alguém nasceu de novo ou nasceu do alto (João 3.3, 5, 7, 8). O novo nascimento é a obra de Deus, de tal modo que todo aquele que é nascido de novo é “nascido do Espírito” (João 3.8). Ou, como diz 1 Pedro 1.3, é Deus quem “segundo a sua muita misericórdia, nos regenerou para uma viva esperança”. O meio que Deus usa para conceder essa nova vida é o evangelho, pois os crentes foram “regenerados não de semente corruptível, mas de incorruptível, mediante a palavra de Deus, a qual vive e é permanente” (1 Pedro 1.23; cf. Tiago 1.18). A regeneração ou o nascer de novo é um nascimento sobrenatural. Assim como não podemos fazer nada para nascermos fisicamente – isso simplesmente acontece conosco! – assim também não podemos fazer nada para causar o nosso renascimento espiritual.

A conversão ocorre quando pecadores voltam-se para Deus em arrependimento e fé para salvação. Paulo descreve a conversão dos tessalonicenses em 1 Tessalonicenses 1.9: “pois eles mesmos, no tocante a nós, proclamam que repercussão teve o nosso ingresso no vosso meio, e como, deixando os ídolos, vos convertestes a Deus, para servirdes o Deus vivo e verdadeiro”.  Os pecadores são convertidos quando se arrependem de seus pecados e voltam-se, em fé, para Jesus Cristo, confiando nele para o perdão de seus pecados no Dia do Juízo.

Paulo argumenta que os descrentes estão mortos em “delitos e pecados” (Efésios 2.1; cf. 2.5). Eles estão sob o domínio do mundo, da carne e do diabo (Efésios 2.2-3). Todos nascem nesse mundo como filhos ou filhas de Adão (Romanos 5.12-19). Portanto, todas as pessoas entram nesse mundo como escravas do pecado (Romanos 6.6, 17, 20). A vontade delas está em escravidão ao pecado e, portanto, elas não têm inclinação alguma ou desejo algum de fazer o que é certo ou de se converter a Jesus Cristo. Deus, contudo, por conta de sua maravilhosa graça, “nos deu vida juntamente com Cristo” (Efésios 2.5). Essa é a forma de Paulo dizer que Deus regenerou seu povo (cf. Tito 3.5). Ele soprou vida em nós onde não havia nenhuma antes, e o resultado dessa nova vida é a fé, pois a fé também é “dom de Deus” (Efésios 2.8).

Muitos textos de 1 João demonstram que a regeneração precede a fé. Os textos são os que seguem: “Se sabeis que ele é justo, reconhecei também que todo aquele que pratica a justiça é nascido dele” (1 João 2.29). “Todo aquele que é nascido de Deus não vive na prática de pecado; pois o que permanece nele é a divina semente; ora, esse não pode viver pecando, porque é nascido de Deus” (1 João 3.9). “Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor procede de Deus; e todo aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus” (1 João 4.7). “Todo aquele que crê que Jesus é o Cristo é nascido de Deus; e todo aquele que ama ao que o gerou também ama ao que dele é nascido” (1 João 5.1).

Nós podemos fazer duas observações a partir desses textos. Primeiro, cada ocorrência do verbo “nascer” (gennaô) está no tempo verbal perfeito, que denota uma ação que precede as ações humanas de praticar a justiça, evitar o pecado, amar a Deus ou crer nele.

Segundo, nenhum evangélico diria que antes de termos nascido de novo teríamos que ter praticado a justiça, pois tal visão ensinaria a justificação por obras. Nem diríamos que primeiro nós evitamos o pecado e, então, nós nascemos de Deus, pois tal visão sugeriria que as obras humanas nos fazem nascer de Deus. Nem diríamos que primeiro nós mostramos um grande amor a Deus e, então, ele nos faz nascer de novo. Certamente que não. Está claro que praticar a justiça, evitar o pecado e amar a Deus são consequências ou resultados do novo nascimento. Mas, se esse é o caso, então temos que interpretar 1 João 5.1 da mesma forma, pois a estrutura do versículo é a mesma que encontramos nos textos sobre praticar a justiça (1 João 2.29), evitar o pecado (1 João 3.9) e amar a Deus (1 João 4.7). Segue-se, então, que 1 João 5.1 ensina que primeiro Deus nos concede uma nova vida e, então, nós cremos que Jesus é o Cristo.

Nós vemos essa mesma verdade em Atos 16.14. Primeiro Deus abre o coração de Lídia e a consequência é que ela passa a prestar atenção e crê na mensagem proclamada por Paulo. Semelhantemente, ninguém pode ir a Jesus em fé a não ser que Deus trabalhe em seu coração e o atraia à fé em Cristo (João 6.44). Mas todos esses que o Pai atraiu e deu ao Filho irão certamente colocar sua fé em Jesus (João 6.37).

Deus nos regenera e, então, nós cremos. Portanto, a regeneração precede a nossa conversão. Assim, nós damos toda glória a Deus pela nossa conversão, pois o nosso voltar-se para ele é inteiramente obra da sua graça.

Por: Thomas Schreiner. © 9Marks. Website: 9marks.org. Traduzido com permissão. Fonte: Does regeneration necessarily precede conversion?

Original: A regeneração necessariamente precede a conversão? © Ministério Fiel. Website: MinisterioFiel.com.br. Todos os direitos reservados. Tradução: Felipe Prestes. Revisão: André Aloísio Oliveira da Silva.

4 Comentários
  1. Jades Rogério Silva Diz

    Muito bom o artigo, mas aqui pra mim seria necessário esclarecer uma coisa, qual a diferença de regeneração para conversão!? Pois para mim ainda parecem ser a mesma coisa, mas de ângulos diferentes. Por exemplo onde se encaixaria o texto “…quem crer será salvo…”, ou seja, primeiro se crê e então é salvo. São alguns pontos que deixo para abrir o debate. Abraços.

    1. Eduardo Diz

      quem crer e for batizado sera salvo. Jesus esta afirmando, de fato aqueles que crer são os salvos.

    2. Eduardo Diz

      Nos não cremos para ser salvo, somos salvos por isso cremos.

  2. Pr. Eudson Tesch Diz

    A fé é condição sine qua non para ser salvo. Se a regeneração antecede a conversão (arrentendimento e fé), Deus salva incrédulos para depois estas pessoas crerem nele. Se eu creio na predestinação é assim que devo crer, e a salvação torna-se incondicional. Mas caso contrário ela (a salvação) será condicional, dependendo da fé do homem. O que será difícil, pois um homem morto em delitos e pecados nunca irá fazê-lo sem Deus o tornar pronto para isso. Não concordo com os textos usados pelo pastor para afirmar a questão, muito embora como Batista creio em uma salvação incondicional e exclusivamente pela graça de Deus. Creio que as duas coisas (conversão e regeneração) acontecem simultaneamente, até porque é obra de Deus. Não sou eu que me converto ou regenerou, é Deus que me converte/regenera. Tudo em um mesmo ato perfeito.

Comentários estão fechados.