25 de Julho – A estratégia de Satanás e a sua defesa

A estratégia de Satanás e a sua defesa

Versículo do dia: Resisti-lhe firmes na fé. (1 Pedro 5.9)

Os dois grandes inimigos das nossas almas são o pecado e Satanás. E o pecado é o pior inimigo, porque a única maneira pela qual Satanás pode nos destruir é nos levando a pecar.

Deus pode soltar as rédeas de Satanás o suficiente para ele nos prejudicar, como fez a Jó, ou mesmo para nos matar, como ele fez aos santos em Esmirna (Apocalipse 2.10); mas Satanás não pode nos condenar ou roubar de nós a vida eterna. A única forma pela qual ele pode nos causar dano decisivo é nos influenciando para o pecado, que é exatamente o que ele pretende fazer.

Assim, a principal atividade de Satanás é defender, promover, favorecer, estimular e confirmar a nossa inclinação ao pecado.

Vemos isso em Efésios 2.1-2: “Estando vós mortos nos vossos delitos e pecados, nos quais andastes outrora… segundo o príncipe da potestade do ar”. Pecar é “segundo” o poder de Satanás no mundo. Quando ele provoca o mal moral, ele o faz através do pecado. Quando nós pecamos, nos movemos em sua esfera e entramos em acordo com ele. Quando pecamos, damos lugar ao diabo (Efésios 4.27).

A única coisa que nos condenará no dia do juízo é o pecado não perdoado — não a doença, as aflições, as perseguições, as intimidações, as aparições ou os pesadelos. Satanás sabe disso. Logo, o seu foco principal não está principalmente em como assustar cristãos com fenômenos estranhos (embora haja muito disso), mas em como corromper cristãos com condutas indignas e pensamentos malignos.

Satanás quer nos atacar em um momento em que nossa fé não esteja firme, quando ela estiver vulnerável. Faz sentido que a mesma coisa que Satanás deseja destruir também seja o meio de resistir aos seus esforços. É por isso que Pedro diz: “Resisti-lhe firmes na fé”. Também é por isso que Paulo diz que o “escudo da fé” pode “apagar todos os dardos inflamados do maligno” (Efésios 6.16).

A maneira de frustrar o diabo é fortalecer exatamente aquilo que ele está tentando destruir: a sua fé.

Por: John Piper. © Desiring God – Solid Joys

Original: 25 de Julho – A estratégia de Satanás e a sua defesa. © 2017 Ministério Fiel. Todos os direitos reservados. Website: MinisterioFiel.com.br. Tradução: Camila Rebeca Almeida. Revisão: Vinicius Musselman. Narração: Emílio Garofalo Neto.

Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato ou canal, desde que adicione um link para esta postagem, não altere o conteúdo original e não venda o material ou acesso ao material.

Promova a Alegria Inabalável em seu blog/site. Clique aqui e pegue o código.

4 Comentários
  1. Felipe Ferraz Diz

    Acredito que o pecado não perdoado seja o pecado não justificado. Ou seja, o pecador que ainda não foi alcançado pela graça do evangelho. É claro que isso vai depender da linha soteriológica de cada um. Essa afirmação do Piper fica mais claro para aqueles que acreditam na segurança eterna da salvação(perseverança dos santos). Já para os que acreditam no “cair da graça” essa afirmação não fará muito sentindo. Apesar de termos nascido de novo, pelo Espirito, o pecado ainda é uma realidade na nossa peregrinação por essa terra; só que agora,tal pecado fora justificado(perdoado) por meio da fé em Cristo.

    1. Samantha Dias Lucas de Freitas Diz

      Talvez o que John Piper está querendo dizer seja em relação aos pecados não confessados,como está em Provérbios 28.13b

  2. Ester Ferreira Diz

    Bom dia !!! Apreciei a reflexão.Resisti-lhe firmes na fé. (1 Pedro 5.9)

  3. Orlantildes Pereira Diz

    A propósito do texto de hoje, também tenho uma dúvida: o autor começa afirmando “Os dois grandes inimigos das nossas almas são o pecado e Satanás.” , eu pergunto: se Satanás não existisse existiria o pecado?

Comentários estão fechados.