um site cristão por Cristo e pelo Evangelho

Aconselhamento bíblico e transformação pelo evangelho (Parte 2)

Recomendações de livros sobre aconselhamento bíblico…

Na parte 1, consideramos há um problema com boa parte do aconselhamento cristão, que coloca o EU no centro. Então, como destronamos a nós mesmos e colocamos Cristo no centro?

Quem são as melhores pessoas para ajudar?

Existem muitos problemas complicados e variados no mundo atual. Na Niddrie Community Church tenho pessoas que querem mudar de gênero, questões sexuais, abuso, fofoca, amargura e inveja. Jesus é o suficiente para lidar com esses problemas que enfrentamos ou precisamos passar o bastão para “especialistas”?

Ouça Paulo em Romanos 15.14:

E certo estou, meus irmãos, sim, eu mesmo, a vosso respeito, de que estais possuídos de bondade, cheios de todo o conhecimento, aptos para vos admoestardes uns aos outros.

Desmistificando o “aconselhamento”, o livro de Hebreus diz:

Tende cuidado, irmãos, jamais aconteça haver em qualquer de vós perverso coração de incredulidade que vos afaste do Deus vivo; pelo contrário, exortai-vos mutuamente cada dia, durante o tempo que se chama Hoje, a fim de que nenhum de vós seja endurecido pelo engano do pecado (3.12-13).

Exortai-vos mutuamente cada dia”. Como fazemos isso? O livro de Hebreus é um modelo para esse tipo de ministério encorajador dentro da igreja. Parakaleo significa encorajamento/exortação. Essa palavra tem um amplo alcance de significado.

Como o ministério de encorajamento é na prática? O que é vital para esse tipo de ministério? O escritor encoraja os seus leitores:

(a) Ele lhes mostra Cristo.

(b) Hebreus 1.1-4: o retrato de Cristo entronizado.

(c) Hebreus 2.11,17: Jesus como nosso irmão, compartilhando a nossa humanidade.

(d) Hebreus 5.8: Cristo como o nosso redentor sofredor.

(e) Hebreus 2.1-4, 3.7-19, 5.11-14, 6.7-8: modelo para usar advertências solenes no Parakaleo.

(f) Hebreus 6.13-20, 8.1-10.18: lembranças da certeza e fidelidade das promessas e graça de Deus, mesmo diante de um longo período de espera.

(g) Hebreus 11.1-12.1: um chamado à fé e paciência, dando exemplos daqueles que perseveram.

(h) Hebreus 12.1-12: lembrete de que o sofrimento é uma realidade e uma parte dos propósitos de Deus.

(1) Fim de 1 Pedro 1; Filipenses 1.29; Deuteronômio 8

Quem é chamado para isso encorajando e exortando?

Hebreus 3.12 e 10.23-24: Quem é chamado para fazê-lo? “Irmãos” se referem a todos, não apenas a profissionais treinados.

Quando isso deve acontecer?

(a) “Diariamente”

(b) “Hoje”

(1) Vivemos nos “últimos dias” e essa é uma época de oportunidades.

Por que esse ministério é tão necessário?

Somos facilmente enganados pelo pecado, “levados cativos”.

Como Paulo aborda a lacuna do evangelho em Colossenses 3.12-17?

  1. Versículo 12: O revestimento é uma série de virtudes evangélicas que devem ser praticadas em sua vida.
  2. Observe o versículo 16: Paulo está se dirigindo à lacuna do evangelho: “Que a palavra de Cristo habite ricamente em vós…”.

A palavra de Cristo é a mensagem redentora do evangelho.

Paulo também está se dirigindo à lacuna do ministério: “…instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda a sabedoria…”.

  1. a) “Sabedoria” é habilidade.

Pense em uma pessoa que foi significativamente influente em sua vida cristã. O que neles foi uma ajuda para você?

Respostas dos alunos:

Resumo

  1. a) Alguns de vocês mencionaram pessoas que estão em competências de liderança profissional. A maioria de vocês mencionou pessoas como sua esposa, filhos e amigo.
  2. b) Coisas que moldaram e influenciaram você: Alguns disseram que houve um componente de ensino, mas a maioria de vocês falou sobre virtudes evangélicas simples como paciência, humildade, serviço sacrificial.
  3. c) Em nossos relacionamentos diários, são pessoas comuns exibindo qualidades de caráter extraordinárias que são produzidas em nós por meio do evangelho, de modo que, quando falamos, nossas vidas se sincronizam com as nossas palavras.

Precisamos lembrar as pessoas que Jesus é suficiente quando se trata de vivermos nossos cotidianos:

Visto como, pelo seu divino poder, nos têm sido doadas todas as coisas que conduzem à vida e à piedade, pelo conhecimento completo daquele que nos chamou para a sua própria glória e virtude, pelas quais nos têm sido doadas as suas preciosas e mui grandes promessas, para que por elas vos torneis co-participantes da natureza divina, livrando-vos da corrupção das paixões que há no mundo, por isso mesmo, vós, reunindo toda a vossa diligência, associai com a vossa fé a virtude; com a virtude, o conhecimento; com o conhecimento, o domínio próprio; com o domínio próprio, a perseverança; com a perseverança, a piedade; com a piedade, a fraternidade; com a fraternidade, o amor. Porque estas coisas, existindo em vós e em vós aumentando, fazem com que não sejais nem inativos, nem infrutuosos no pleno conhecimento de nosso Senhor Jesus Cristo. Pois aquele a quem estas coisas não estão presentes é cego, vendo só o que está perto, esquecido da purificação dos seus pecados de outrora. (2Pe 1.3-9)

O versículo 3 nos diz que temos tudo de que precisamos para a vida e a piedade. Pedro está nos lembrando disso, certificando-nos de já o temos (v.1); não apenas para o futuro, mas para hoje também — ele usa as duas palavras, vida e piedade… se ele tivesse dito apenas vida talvez pudéssemos pensar na vida eterna, mas a palavra piedade evoca o presente — Cristo nos dá tudo o que precisamos para viver de modo que honre a Deus até a glória. Portanto, em tudo o que nos ocorre hoje, Deus já nos deu tudo o que precisamos para lidar com isso. Versículos 8-9, há pessoas escritas (que não compreendendo toda a graça) se esqueceram dela de modo básico, de modo que não estão permitindo que a graça as transforme diariamente.

Portanto, o trabalho do ministro do evangelho é desafiar:

  1. A gravidade do pecado
  2. A centralidade do coração
  3. O atual ministério de Cristo
  4. O chamado de Deus para constante mudança e crescimento
  5. O arrependimento e fé diários

Por: Mez McConnell. © 20schemes. Website: 20schemes.com. Traduzido com permissão. Fonte: Gospel Transformation & Biblical Counselling 2/2.

Original: Aconselhamento bíblico e transformação pelo evangelho (Parte 2). © Voltemos ao Evangelho. Website: voltemosaoevangelho.com. Todos os direitos reservados. Tradução: Camila Rebeca Teixeira. Revisão: William Teixeira.

1 comentário
  1. mariza regina de souza Diz

    Boa tarde.
    Vi que a tradução desta mensagem do Rev. Mez McConnell foi feita pela Camila Rebecca, com revisão de William Teixeira. Sou formada em tradução (inglês/português) e, particularmente, gosto muito das traduções feitas por essa irmã. No entanto, uma palavra desta tradução me chamou muito a atenção: “lacuna”, que seria a tradução natural de “gap”. No entanto, a mensagem fica completamente sem sentido quando fala em “lacuna do evangelho” ou “lacuna do ministério”.

    Por isso, fui pesquisar outros sentidos de “gap”:

    No dicionário online Michaelis, podemos encontrar no item 3: “diferença grande de opinião ou de caráter, disparidade.” (https://michaelis.uol.com.br/moderno-ingles/busca/ingles-portugues-moderno/gap/)

    e no Dicionário de inglês online Macmillan, encontramos: “a large difference between things or groups
    gap between: The gap between farm incomes and land values is wider than ever.
    close/narrow/reduce/bridge the gap: The book clearly bridges the gap between theory and practice.
    widen the gap: The Prime Minister was accused of widening the gap between rich and poor”. (https://www.macmillandictionary.com/dictionary/british/gap).

    A palavra “lacuna”, em português, diferentemente do inglês, refere-se estritamente a “espaço, omissão, vazio, buraco, abertura, espaço, falta de alguma coisa”, conforme o Dicionário online Caldas Aulete (http://www.aulete.com.br/lacuna) e o Dicionário online Michaelis (https://michaelis.uol.com.br/moderno-portugues/busca/portugues-brasileiro/lacuna/)

    Portanto, a melhor tradução para “gap” neste artigo seria “diferença”:

    na frase: “How does Paul address the gospel gap in Colossians 3:12-17?”, a tradução poderia ser “Como Paulo aborda as diferenças na vida cristã (ou na igreja), em Colossenses 3.12-17?

    e, na frase: “Paul is also addressing the Ministry Gap”, a tradução poderia ser “Paulo também aborda o Ministério de como lidar com as diferenças: instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda a sabedoria…”

    Longe de querer criticar a tradução feita, meu intuito é apenas contribuir para uma melhor compreensão da mensagem do Autor.

    Em Cristo,

    Mariza

Comentários estão fechados.