um site cristão por Cristo e pelo Evangelho

O Senhor é poderoso para livrar o seu povo

Ao redor do mundo, via de regra, os cristãos usam um cumprimento, básico, dizendo uns aos outros: graça e paz. Não se trata apenas de uma etiqueta ou convenção social, mas de uma oração. A saudação cristã dá relevo ao desejo de ver nossos irmãos crescendo.

O Salmo 129 é o décimo degrau dos cânticos de romagem. Trata-se de um Salmo repleto de gratidão por livramentos e de imprecações. Orações imprecatórios são preces onde se entrega a Deus os inimigos. Os peregrinos sabiam saudar uns aos outros e sabiam orar por aqueles que não aceitavam o aperto de mão.

Neste Salmo aprendemos como lidar com a raiva. Também aprendemos a buscar no Senhor o livramento quando os inimigos nos cercam. Vejamos, pois como os peregrinas cantavam esse rico salmo:

Os feitos do Senhor

Apelando para a história de Israel os peregrinos recordaram os grandes livramentos do Senhor (1-4). Provavelmente eles diziam uns aos outros: O Senhor, com mão poderosa, nos livrou do Egito! O Senhor, com misericórdias que se renovam a cada manhã, nos livrou do cativeiro da Babilônia! Não sabemos ao certo qual o momento se refere o salmista, mas podemos presumir que ele faz referência aos grandes livramentos do Senhor na história do seu povo. Desde cedo Israel sofreu, mas seus inimigos não prevaleceram. Recorrendo a uma imagem do campo, os peregrinos se comparavam a uma terra onde os aradores rasgavam não a terra, mas o corpo e alma do povo de Deus. O sofrimento só não foi maior porque o justo Deus cortou a corda dos ímpios, ou seja, Deus deu alívio e livramento ao seu povo.

Sejam envergonhados e repelidos

Não podemos pular esse Salmo como se ele não tivesse nada para nos ensinar. As orações imprecatórias não são incitação ao ódio, mas a entrega da ira e da vingança nas mãos do Senhor. Nesse sentido, os peregrinos fizeram os seguintes pedidos:

  1. O fracasso dos inimigos de Sião (5). Ele pede para que os intentos daqueles que hostilizam Sião sofram a vergonha do fracasso e, ao mesmo tempo, pede para tais intentos sejam repelidos, ou seja, afastados de Sião.
  2. A derrota dos ímpios (6-7): assim como as ervas daninhas possuíam uma vida curta e infrutífera, os peregrinos clamavam ao Senhor pela derrota dos projetos ímpios. Eles pediam para que bênção da prosperidade não fosse derramada sobre os ímpios para que suas maldades não frutificassem.

“Não desejamos boa sorte aos perversos”

O verso 8, ainda precisa ser lido no contexto da imprecação, contudo esse verso merece um olhar mais atento. Em termos simples, era como se os peregrinos estivessem dizendo uns aos outros: não profiram a bênção de Sião sobre os ímpios! Não abençoem os projetos deles! No dizer de Spurgeon, essa parte do Salmo quer nos ensinar o seguinte: “Nós não ousamos usar expressões piedosas como meros cumprimentos, e por isso não ousamos desejar boa sorte aos perversos.”

O Salmo 129 hoje

Assim como Israel, desde cedo, a Igreja do Senhor, espalhada pelo mundo sabe o que é sofrer. Perseguidos, hostilizados e até diante de perigos de morte os cristãos prosseguem sua marcha militante e triunfante. Resistimos não porque somos fortes, antes, temos forças contra os inimigos porque o Senhor é poderoso para livrar o seu povo. Em Cristo, o Senhor já nos livrou do pior cativeiro, a saber, as cordas do pecado e da condenação. Em Cristo somos libertos! Se Cristo for seu, o Salmo 129 será a canção da sua vida.

Por outro lado, não temos sangue de barata correndo nas veias. Sentimos raiva, mas não somos consumidos por ela, antes entregamos a ira e a vingança nas mãos do Senhor. Os cristãos não podem tratar a impiedade como algo normal. No dizer de Eugene Peterson, devemos temer a pessoa “que perde o sentimento de oposição ao pecado.” Nesse sentido, as imprecações nos avisam sobre o perigo de racionalizar a impiedade para justifica-la como normal. O cristão não tem o direito de abençoar o pecado e não pode amar as coisas que Deus odeia. Nossa oração deve ser seguinte: não deixe Senhor que os projetos ímpios prosperem no mundo!

Quando oramos a Deus não podemos ser politicamente corretos. Deus não abençoa pecados. Devemos tratar todos com honra, mas quando falamos com o Senhor, em nossas orações, precisamos pedir pelo total fracasso da impiedade no mundo. Você tem feito essa oração? Lembre-se: Jesus já nos livrou do pecado. Ele também nos livrará de nós mesmos e dos nossos inimigos. Que o Senhor nos livre dos nossos inimigos e que a impiedade fracasse no mundo!

Por: Francisco Macena. © Voltemos ao Evangelho. Website: voltemosaoevangelho.com. Todos os direitos reservados. Original: O Senhor é poderoso para livrar o seu povo.

Comentários estão fechados.