[PVE] Precisamos guardar a Lei?

PERGUNTA

Graça e paz a vocês,

Visitando alguns sites há um tempo atrás, procurava algo sobre os crentes messiânicos (judeus crentes no evangelho), e vi algumas coisas interessantes. Em um dos pontos em que não concordei com a doutrina deles estava esse:

“Os gentios que se convertem ao Senhor Jesus não necessitam guardar a Lei, mas nós que somos judeus justificados pelo sangue de Jesus temos que guardá-la”.

Eles apresentaram vários textos do novo testamento “comprovando isso”. Eles, pelo que lembro, dizem que são justificados somente pela fé, mas que como agora o Espírito Santo está neles, eles podem guardar a Lei que antes, pela carne, não poderiam.

Os judeus que se convertem ao Senhor precisam guardar a Lei?

____________________________________

RESPOSTA

Darei uma resposta simples, mas espero que seja suficiente.

Antes de responder sua pergunta, precisamos entender o que eles (ou você) entendem por Lei. Teologicamente falando, dividi-se a Lei em três partes: a lei civil, a lei cerimonial e a Lei Moral. (Veja este artigo de Solano Portela para um estudo mais profundo)

A lei civil e cerimonial são questões como: forma de governo, circuncisão, “carne de porco”, sacrifícios, quem pode ser sacerdote, etc. Estas vertentes da lei foram abolidas. Vejamos:

  • Lei cerimonial:

Porque, mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também mudança da lei. (Hebreus 7:12)

Lendo o contexto, percebe-se que a lei ao qual o autor de Hebreus se refere é a lei que constitui sacerdotes (Hebreus 7:28), ou seja, a lei cerimonial.

  • Lei civil:

Disse-lhes então: Dai, pois, a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus. (Lucas 20:25)

Mostrando a separação entre o governo humano e o divino, nesta nova era, que é diferente da de Israel (para um entendimento mais profundo desta diferença de eras leia este artigo de John Piper).

Sendo assim, bem sabemos que Jesus disse:

Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim ab-rogar, mas cumprir. (Mateus 5:17)

Então, quando Jesus veio, Ele cumpriu toda a Lei Divina, tanto a sombra da lei cerimonial (sacrifício único e perfeito, sacerdote eterno, etc.) e da lei civil (assumindo o reinado messiânico, etc.), como a Lei Moral.

Contudo, a Lei Moral não foi abolida, porque nem o pode ser, pois é um reflexo do caráter Santo de Deus e é o caráter divino que define algo como pecado. Esta Lei Moral está resumida nos 10 mandamentos e ainda mais resumida nos dois grandes mandamento.

Cabe ressaltar que Jesus não veio trazer uma nova lei. No sermão do monte, Cristo não estava abolindo a Lei Divina, mas o entendimento errado e os mandamentos humanos que colocaram sobre ela; e Ele fez isso mostrando o sentido mais profundo da Lei. Aliás, os dois grandes mandamentos, que são um, também não são uma nova lei, mas Jesus estava respondendo ao fariseu que perguntou qual “o grande mandamento na lei” (Mateus 22:36).

Portanto, a Lei Moral ainda vigora e todo crente (judeu ou gentio) deve cumpri-la. Se o judeu messiânico referia-se a esta Lei, então estou de acordo; e realmente só conseguimos cumpri-la através do poder regenerador e santificador do Espírito Santo.

Contudo, acho que a lei que os judeus messiânicos estavam se referindo é a cerimonial. Assim sendo, é importante dizer que, apesar de alguns crentes judeus continuarem a guardar algumas cerimônias no NT, isso não foi feito porque eles eram obrigados a isso, mas por costume e temporariamente. No NT não existe mais diferença entre judeu e gentio, todos estão debaixo da mesma condenação, todos tem acesso a Deus em um Espírito e todos têm que cumprir a mesma Lei, a Lei de Cristo, que é a Divina Lei Moral.

Para um maior entendimento do perigo de se guardar a lei cerimonial buscando ser aceito por Deus sugiro a leitura de Gálatas, Colossenses e Hebreus.

Por Vinícius M. Pimentel. © Voltemos Ao Evangelho. Website: VoltemosAoEvangelho.com
Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que adicione as informações supracitadas, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

____________________________________

O iPródigo está fazendo um série de “prodcast” sobre os 10 mandamentos. Confira!

76 Comentários
  1. Roberto Marques Diz

    Prezado Vinícios, se a Lei Moral (os Dez mandamentos) não foi abolida, então os Adventistas do Sétimo Dia estão certos em guardar o SÁBADO do 4º mandamento e todos os cristãos deveriam fazer o mesmo? Por favor, me explique. Obrigado.

  2. Anonymous Diz

    Olá vinicius, primeiramente que Deus te Abençoe!
    Acho muito interessante este assunto,mas com todo o respeito,não se encontra na bíblia a divisão da lei, em lei moral e lei cerimonial, concordo que existem mandamentos de natureza moral e cerimonial, mas dizer que a bíblia faz essa divisão,não existe nenhum versiculo.Por isso baseando na biblia a lei no serviu de aio, e quando chegamos até cristo não precisamos mais do aio, e como não existe divisão, os 10 mandamentos estão incluido, não quero dizer com isso que posso fazer o que eu quero, pois a lei de cristo,onde estou, também me diz para amar a Deus e ao próximo,mas não posso ser de 2 maridos( "2 leis" Rm 7) então estou na lei de cristo, a lei do antigo testamento ainda vale, para quem está vivo, mas eu estou morto em cristo, em que está morto está desobrigado de cumprir a lei,mas volto a afirmar não estou sei lei, estou na lei de cristo, com paulo estava.(1 Co 9:21) Deus o abençoe, e concordo que é um assunto polêmico e muito complexo, procuro aprender sobre isso,e se estiver errado, com certeza mudarei o meu posicionamento. mais uma vez Deus o abençoe!! meu nome é Igor

  3. Pedrinho Medeiros Diz

    eu creio que existe um equilibrio. Realmente a bíblia nao faz esta dinstinçao, mas eh evidente que existe a diferenciaçao. Obvio tambem, que a lei moral foi aperfoiçoada por Cristo. Eh a mesma lei, porem, em Cristo recebemos uma revelaçao mais profunda.

    Resumindo, da Lei de Moisés, esta em vigor a lei moral aperfeiçoada por Cristo: creio desta forma.

  4. Anonymous Diz

    Pois bem, Deus abençoe o Vini pelo maravilhoso trabalho realizado no VOLTEMOS AO EVANGELHO.Creio eu, em meu pequeno curso pela caminha cristã,que a questao Lei x Graça , nao seja um monstro de sete cabeças. Primeiramente que esse estudo do Vini eu concordo em alguns ''pequenos'' pontos, e concordo tambem com os comentarios do Irmao Roberto e Igor,que tambem visualizaram alguns erros. Em virtude de sua morte, um dos principais motivos de Jesus ter morrido na cruz era ''Para que morramos para a lei e frutifiquemos para Deus – "… meus irmãos, também vós morrestes relativamente à lei, por meio do corpo de Cristo,para pertencerdes a outro, a saber, aquele que ressuscitou dentre os mortos, , a fim de que frutifiquemos para Deus." (Romanos 7.4). Outro ponto bastante evidente é que Jesus se fez maldito, para resgatar os malditos que cumpriam a ''maldiçao'' da lei.
    "Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se ele próprio maldição em nosso lugar"(Gl 3.13). Porque maldito todo aquele que nao cumprir a rigor cada ponto da "Lei". (Gl 3:10). Outro texto que acho bastante interessante é este "Separados estais de cristo ,vós os que justificais pela lei;da graça tendes caido" (Gl 5:4).Paulo afirma claramente o que acontece com aqueles que dizem que a Justiça provem da lei – "Não menosprezo a graça de Deus; mas, em verdade, se a justiça se obtém pela lei, Cristo morreu em vão." (Gl 2:21).
    Sejamos imitadores do Ap.Paulo que nao aniquilou a graça de Deus na pessoa de Jesus cristo, tetanto se Justificar pela lei.Vivemos agora segundo os mandamentos de Jesus – "Ora,o fim do mandamento é o amor de um coraçao puro, e de uma boa consciencia, é de uma fé nao fingida" (1Tm 1:5).

    Mestre,qual é o grande mandamento da lei?
    E Jesus disse-lhes : "Amarás o Senhor,teu Deus, de todo o teu coraçao, e de toda sua alma, ede todo o teu pensamento".
    e o Segundo : Amarás o teu próximo como a ti mesmo. (Mt 22.37-39).

    Meu nome é José Felipe,resido na cidade de Imperatriz no Estado do Maranhao, Queria dizer que Amo o Vini,pelo trabalho no VE, e amo todos os que acompanham o VE, pessoas que se revoltam ao verem o estado de Nossas denominaçoes, e lutam para que ''Jesus seja o foco de toda pregaçao''.

    ''Porque nada me propus saber entre vós, senão a Jesus Cristo e este crucificado'' 1Cor 2:2).

  5. Anonymous Diz

    Pois bem, Deus abençoe o Vini pelo maravilhoso trabalho realizado no VOLTEMOS AO EVANGELHO.Creio eu, em meu pequeno curso pela caminha cristã,que a questao Lei x Graça , nao seja um monstro de sete cabeças. Primeiramente que esse estudo do Vini eu concordo em alguns ''pequenos'' pontos, e concordo tambem com os comentarios do Irmao Roberto e Igor,que tambem visualizaram alguns erros. Em virtude de sua morte, um dos principais motivos de Jesus ter morrido na cruz era ''Para que morramos para a lei e frutifiquemos para Deus – "… meus irmãos, também vós morrestes relativamente à lei, por meio do corpo de Cristo,para pertencerdes a outro, a saber, aquele que ressuscitou dentre os mortos, , a fim de que frutifiquemos para Deus." (Romanos 7.4). Outro ponto bastante evidente é que Jesus se fez maldito, para resgatar os malditos que cumpriam a ''maldiçao'' da lei.
    "Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se ele próprio maldição em nosso lugar"(Gl 3.13). Porque maldito todo aquele que nao cumprir a rigor cada ponto da "Lei". (Gl 3:10). Outro texto que acho bastante interessante é este "Separados estais de cristo ,vós os que justificais pela lei;da graça tendes caido" (Gl 5:4).Paulo afirma claramente o que acontece com aqueles que dizem que a Justiça provem da lei – "Não menosprezo a graça de Deus; mas, em verdade, se a justiça se obtém pela lei, Cristo morreu em vão." (Gl 2:21).
    Sejamos imitadores do Ap.Paulo que nao aniquilou a graça de Deus na pessoa de Jesus cristo, tetanto se Justificar pela lei.Vivemos agora segundo os mandamentos de Jesus – "Ora,o fim do mandamento é o amor de um coraçao puro, e de uma boa consciencia, é de uma fé nao fingida" (1Tm 1:5).

    Meu nome é José Felipe,resido na cidade de Imperatriz no Estado do Maranhao, Queria dizer que Amo o Vini,pelo trabalho no VE, e amo todos os que acompanham o VE, pessoas que se revoltam ao verem o estado de Nossas denominaçoes, e lutam para que ''Jesus seja o foco de toda pregaçao''.

  6. (-V-) Diz

    Roberto Marques,

    Eles estão certos que devemos guardar um dia ao Senhor. Esse foi o entendimento por muito tempo no cristianismo. Assim cria, por exemplo, Spurgeon. Só nos tempos modernos que é dito que não é mais necessário.

    Confesso que ainda estou estudando sobre este assunto. Mas a história do Cristianismo me leva a considerar isso. Apesar de não ser decisivo, pois cremos no Sola Scriptura, certamente devemos levar em pauta.

    Em Cristo,
    Vini

    PS: talvez postemos algo mais profundo a respeito.

  7. (-V-) Diz

    Paz Igor,

    Realmente não há nenhum versículo claro fazendo tal divisão da Lei, assim como não há nenhum "versículo claro" sobre a Trindade. Para se distinguir esta divisão deve-se levar em consideração o contexto de cada versículo que diz "a lei caiu" ou "a lei dura para sempre".
    Baseado nas suas afirmações quero lhe fazer algumas perguntas e afirmações.

    1) Você afirma que há uma Lei de Cristo que é amar a Deus e o próximo. O que concordo. Contudo isso nunca foi colocado como uma nova lei. Como coloquei no texto, Cristo estava respondendo qual "o grande mandamento na lei" (Mateus 22:36). Ele se referia portanto a Lei do Velho Testamento. Sendo assim, quero saber qual versículo você usa como respaldo para uma "nova lei de Cristo" que é diferente da Lei Moral e onde se encontra essa "nova lei de Cristo"?

    2) Quanto a função de aio da lei, vendo o contexto conseguimos observar que Paulo se refere a lei cerimonial (circuncisão, festas). E concordo que não estamos debaixo da lei cerimonial, mas isso não significa que não devemos cumprir a Lei Moral.

    3) Gostaria de saber como você interpreta versículos como:

    Não penseis que vim revogar a Lei ou os Profetas; não vim para revogar, vim para cumprir. Porque em verdade vos digo: até que o céu e a terra passem, nem um i ou um til jamais passará da Lei, até que tudo se cumpra. Aquele, pois, que violar um destes mandamentos, posto que dos menores, e assim ensinar aos homens, será considerado mínimo no reino dos céus; aquele, porém, que os observar e ensinar, esse será considerado grande no reino dos céus. Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder em muito a dos escribas e fariseus, jamais entrareis no reino dos céus. (Mt 5.17-20)

    Respondeu-lhe Jesus: Por que me perguntas acerca do que é bom? Bom só existe um. Se queres, porém, entrar na vida, guarda os mandamentos. E ele lhe perguntou: Quais? Respondeu Jesus: Não matarás, não adulterarás, não furtarás, não dirás falso testemunho; honra a teu pai e a tua mãe e amarás o teu próximo como a ti mesmo. (Mt 19.17-19)

    A ninguém fiqueis devendo coisa alguma, exceto o amor com que vos ameis uns aos outros; pois quem ama o próximo tem cumprido a lei. Pois isto: Não adulterarás, não matarás, não furtarás, não cobiçarás, e, se há qualquer outro mandamento, tudo nesta palavra se resume: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. O amor não pratica o mal contra o próximo; de sorte que o cumprimento da lei é o amor. (Rm 13-8-10)

    4) Por fim, o que você acha de Paulo afirmar "que a lei é boa, se alguém dela usa legitimamente" (1 Timóteo 1:8) e usá-la para defender o sustento pastoral [Porque diz a Escritura: Não ligarás a boca ao boi que debulha. E: Digno é o obreiro do seu salário. (1 Timóteo 5:18) | Porque na lei de Moisés está escrito: Não atarás a boca ao boi que trilha o grão. Porventura tem Deus cuidado dos bois? (1 Coríntios 9:9)], fazendo uma aplicação espiritual da lei.

    Por fim, sugiro a leitura Capítulo XIX (Da Lei de Deus) da Confissão de Fé de Westminster. http://www.monergismo.com/textos/credos/cfw.htm

    Em Cristo,
    Vini

  8. (-V-) Diz

    José Felipe, paz. Em Cristo também o amo =)

    Primeiramente, quero deixar bem claro que jamais afirmei (e nem concordo) que creio em justificação pela lei (quer moral ou cerimonial).

    E ao dizer que como cristãos somos pelo Espírito capacitados para guardar a Lei Moral e nos tornar como Cristo, pois a Lei Moral é reflexo do caráter dEle, não estou aniquilando a Graça. Aliás estou exaltando a graça santificadora que vem pelo poder do Espírito Santo e não pela carne.

    Dito isto, faço a mesma pergunta que fiz ao Igor

    1) Você afirma que há uma Lei de Cristo que é amar a Deus e o próximo. O que concordo. Contudo isso nunca foi colocado como uma nova lei. Como coloquei no texto, Cristo estava respondendo qual "o grande mandamento na lei" (Mateus 22:36). Ele se referia portanto a Lei do Velho Testamento. Sendo assim, quero saber qual versículo você usa como respaldo para uma "nova lei de Cristo" que é diferente da Lei Moral e onde se encontra essa "nova lei de Cristo"?

    Em Cristo,
    Vini

    1. Anonimo Diz

      Mateus 26-28 Nova Aliança
      Lei moral Deut. 31-24 a 26

  9. Anonymous Diz

    Paz Vini.Verdade, desculpas. Entendi mau a pergunta !
    Mas eu creio que o que Jesus fez foi "aperfeiçoar" a lei.É verdade tambem que nao possui um versiculo explícito, creio eu, que afirme diretamente "nova lei de cristo".Creio que se aplique na Lei moral tambem.Por favor me corrijam caso eu esteja errado!
    Exemplo:
    LEI MORAL DIZ:Não matarás.
    JESUS DIZ:Eu, porém, vos digo que todo aquele que se encolerizar contra seu irmão, será réu de juízo.

    José Felipe.
    LEI MORAL DIZ :Não adulterarás.
    JESUS DIZ:Eu, porém, vos digo que todo aquele que olhar para uma mulher para a cobiçar, já em seu coraçao cometeu adultério com ela.
    LEI MORAL DIZ:Quem repudiar sua mulher, dê-lhe carta de divórcio.
    JESUS DIZ:Eu, porém, vos digo que todo aquele que repudia sua mulher, a não ser por causa de infidelidade,a faz adúltera; e quem casar com a repudiada, comete adultério.
    LEI MORAL DIZ :Olho por olho e dente por dente.
    JESUZ DIZ:Eu, porém, vos digo que não resistais ao homem mau; mas a qualquer que te bater na face direita,oferece-lhe tambem a outra.
    LEI MORAL DIZ:Amarás ao teu próximo, e odiarás ao teu inimigo
    JESUS DIZ:Eu, porém, vos digo: Amai aos vossos inimigos, e orai pelos que vos perseguem.
    (Mt 5:21,22,27,28,31,32,38,39,43,44)

  10. (-V-) Diz

    José Felipe,

    Não creio que Jesus "aperfeiçoou" a Lei Moral, pois ela é perfeita. rsrs
    O que Cristo fez como o Grande Expositor da Verdade e da Vontade do Pai foi revelar o que realmente a Lei Moral demandava.

    Jesus não falou "vocês ouviram o que a Lei Moral falava", mas disse "o que seus antepassados". Por exemplo, não é dito para odiar seu inimigo. Isto foi uma adição da tradição humana.

    Ou seja, no sermão do Monte Jesus estava ao mesmo tempo mostrando o padrão elevado da Lei Moral, quando destruindo os mandamentos humanos colocados nela.

    Em Cristo,
    Vini

  11. Anonymous Diz

    Vini,
    Sim é verdade,nao achei ainda nos escritos de Moisés onde estivesse escrito para "Amar o proximo e odiar o inimigo". Mas as demais nao achei nenhum tipo de tradição adicionada a elas.
    Exemplo:Nao matarás ( Ex 20:13).
    Nao adulterarás (Ex 20:14).E Jesus se refere a elas como "Ouvistes o que foi dito aos antigos: Nao matarás" (Mt 5:21).Quando ele se refere aos ''antigos''
    creio eu, que Jesus estava se referindo a Moisés e a naçao israleita.
    Entao eu acho que nao era exatamente perfeita. Porque Jesus entao citou naomataras,e nao adulterarás? Ja que elas nao tinham tradiçoes humanas?
    Fora as outras Leis morais que nao estou lembrado, citadas em Leviticos,Deuteronômio e etc.
    A PAZ!
    José Felipe.

  12. (-V-) Diz

    José Felipe, paz.

    Como eu disse, Cristo expôs a profundidade verdadeira da Lei. Ele quis mostrar que "não matarás" não é só não matar alguém, mas até não odiá-lo.

    Era esse entendimento que os puritanos por exemplo tiveram. E eles derivavam os outros mandamentos dos 10, mostrando as implicações do 10 mandamentos.
    Você pode ver um pouco disso a partir da pergunta 41 do CATECISMO BATISTA COM PROVAS BÍBLICAS, por Spurgeon:
    http://www.baptistlink.com/creationists/catecismobatista.pdf

    Lembremos também que quando indagado pelo jovem rico, Cristo expõe os 5 últimos dos 10 mandamentos.

    Em Cristo,
    Vini

  13. Douglas Gonçalves Martins Diz

    Olá vivi, a paz

    Interessante o tópico! Para os que desejam aprofundar e conhecer mais sobre o pensamento dos judeus messianicos com relaçao a lei, costumes, escatologia e varios outros temas, quero recomendar a leitura do "Comentário Judaico do Novo Testamento" escrito por David Stern, um judeus messianico e erudito em estudos do Novo Testamento. o link está abaixo, nao tenho nenhum vinculo com a editora, é apenas para os que desejam conhecer mais.

    http://www.chamada.com.br/livraria/detalhes/?cod=CJNT

    A Paz de Cristo.
    Douglas G. Martins

  14. Anonymous Diz

    antes de procurarmos entender a lei devemos entender qual a linguagem que DEUS usa para se comunicar com os homens;em mateus 13:10-17 os dicipulos questionam a jesus do porquê que ele fala por parabolas,e jesus explica dizendo que á alguns não é concedido o entendimento mas só aqueles que tem o coração humilde e não aqueles que se consideram sabios.mateus 11:25-26/devemos entender também que para tudo existe um tempo determinado,DEUS escolheu um tempo especifico para revelar ao homem seus segredos e dar ao homem o verdadeiro entendimento das escrituras;ELE chama isso de A PLENITUDE DOS TEMPOS!Ao meu ver não existe realmente uma divisão na lei (cerimonial e moral)pois tudo que DEUS faz tem como principios a moralidade,os sacrificios e ofertas eram praticados com o objetivo de “purificar´´ os homens da sua imoralidade e ensinar ao homem sobre o caracter de DEUS!acredito que a confusão não está na pratica da lei mas na interpretação, que é feita por muitos através da mesma compreensão(visão pelo véu) dos antigos;jesus disse:“eles vem mas não enxergam, ouvem mas não entendem´´.está escrito: a lei é a sombra das coisas que hão de vir mas o corpo é de cristo. a sombra não é a realidade mas o corpo sim! jesus é a realidade da lei, ele é a lei;no monte ELE se transfigurou-se diante dos dicipulos e eles ouviram uma voz que dizia: A ELE OUVI! não mais a Moises e não mais a Elias;ELE É CUMPRIMENTO,A REVELAÇÃO E O MESTRE! Outro detalhe que devemos observar é que DEUS,nunca contraria suas proprias leis;tudo que DEUS faz tem proposito e utilidade e sempre segue uma logica coerente,muitas vezes é a nossa incompreensão que torna as coisas de DEUS loucura! a palavra diz: que as coisas espirituais se discernem espiritualmente,concernindo as coisas espirituais com as espirituais e as coisas carnais com as carnais! Mas tudo NA VIDA é espiritual e o que torna algo carnal é a forma humana de entender(mandamentos de homem) a vontade de DEUS na sua revelação! devemos entender que o mundo foi criado pelo Espirito de DEUS, e a palavra diz: QUE DEVEMOS ADORAR A DEUS EM ESPIRITO,PORQUE DEUS É ESPIRITO! uma visão carnal sobre algo espiritual só cria uma coisa: CONFUSÃO! ai está!quem está sendo espiritual quando prega e quem não está? como saber discernir isso? jesus dá uma dica: que devemos avaliar o homem pelos frutos e não pela aparência e assim tambem com a lei! que o homem deve dirigir-se pelo amor e não pela vaidade!que não devemos levar conosco o fermento dos fariseus e a sua doutrina! a palavra diz que por causa das coisas que jesus fazia no sabado e por se dizer filho de DEUS, ele foi CRUCIFICADO! joão 7:20-24 foi o sabado abolido? não! ele foi mal compreendido!
    em mateus 11:28-30 diz que deveriamos ir a jesus para encontrarmos descanço e alivio! e em isaias 28:11-12 diz: por labios gaguejantes e por lingua estranha falarei a este povo,ao qual diz: Este é o descanço,DAI DESCANSO AO CANSADO;E ESTE É O REFRIGERIO;MAS NÃO QUISERAM OUVIR! jesus é o descanço,é ELE que dá descanso ao cansado! ELE É O REFRIGERIO!SALMO23!poderia ficar aqui por horas para explicar sobre a lei,mas vou deixar uma questão para refletir: nos 10 mandamentos diz: que niguem deve trabalhar no sabado e nem os servos tambem! quando uma pessoa em dia de sabado se dirigi a igreja atraves do transporte puplico, ela não está usufruindo do serviço alheio? se eu não posso trabalhar no sabado,o meu servo tambem não! se lembra da logica e coerencia? DEUS QUANDO INSTITIU A LEI PARA QUE ELA FOSSE CUMPRIDA DAQUELA FORMA,ELE A INSTITUIU NO DESERTO,UM LUGAR AONDE TODOS DEPENDIAM SOMENTE DE DEUS PARA SOBREVIVER! PENSEMOS ! JULIANA

  15. Victor Leonardo Barbosa Diz

    Grande Vini, assim como você, estou me aprofundando no estudos dos judeus messiânicos, mas pela frase em si proferida, cheguei a duas conclusões:

    1. Pode ser algo simplesmente cultural, pois os judeus messiânicos tem uma forte característica de, como judeus, preservarem seu legado cultural(no caso em questão, essa afirmação estaria se referindo à Lei Cerimonial).

    2. Ou então poderia ser uma forte ênfase do dispensacionalismo mais rígido que faz uma forte divisão entre Lei e Graça e que afirma que os crentes não precisam guardar alei.Sendo que é importante afirmar que a maioria dos cristãos dispensacionalistas apóiam o cristianismo messiânico.

    Não sei se você já acessou,mas dois sites importantes são estes:

    http://www.cafetorah.com/

    http://www.beth-shalom.com.br/ (este é associado ao Chamada da meia-noite).

    Forte abraço e Deus te abençoe!

  16. Anonymous Diz

    Paz Vini

    Gostaria de deixar algumas coisas mais claras,para não haver confusão.

    Primeiro gostaria de dizer que sempre existiu uma lei Moral, as pessoas foram consideradas pecadores(sodoma e gomorra), antes da lei ser dada por moisés.é o que paulo trata em (Rm 5:12 a seguir)

    Respondendo as pegurguntas:

    1 e 2 Gostaria de deixar claro que não falei que a lei de cristo é amar a Deus e ao Próximo( concordo com você, que ele estava respondendo ao judeus citando 2 mandamentos) Quando falo a respeito da "lei de Cristo" estou fazendo referência a Lei do espirto e não dá letra ( quando o crente tem o Espirito Santo morando dentro dele) que dá poder para ele obedecer aos mandamentos de Deus. E como o Espirito Santo está morando dentro de mim, eu não preciso de ter uma cópia dos 10 mandamentos na parede, para que eu precise olhar todas as vezes e lembrar-me que não posso adulterar,matar,etc.

    Tambem ressaltar alguns pontos:

    Na versão ACF e ARA o texto de 2 Co 3:14 deixa bem claro que a lei( e nesse contexto está falando dos 10 mandamentos,pois fala das tabuas de pedra) foi abolida. e chama os 10 mandamentos de ministério de morte(v:7)e transitório (V:11;13)ora, o que é uma coisa transitória? é algo que não vai permanecer!

    Paulo tambem em Rm 7 diz que "mas,agora, estamos livres da lei" (V:6) e o contexto deixa claro que ele estava falando dos 10 mandamentos,pois depois ele cita uma deles "não Cobiçarás ( V:7)

    Quando falo livres da lei, ou que a lei foi abolida, estou dizendo que para quem está em cristo(mas não estou sem lei,não posso fazer o que quiser)a lei já cumpriu a sua função,e eu estou morto, e a lei não tem dominio sobre mortos, Spurgeon disse e eu concordo plenamente, que a lei é o instrumento mais poderoso para levar o pecador a cristo, e é exatamente o que afirmo, a lei cumpri a sua função em levar o pecador a cristo, mas depois que ele chegou a cristo, o pecador se casa com cristo, e ai passa a estar sujeito a lei do novo marido(Cristo, lei do espirito)e não mais do velho(o antigo concerto) pois se eu ficar com os 2 eu serei adúltero.(Rm 7)

    Também quero dizer que a lei não são só 10 mandamentos,( os judeus vão dizer que existem 613) e nem só dentro dos 10 mandamentos é que se encontram leis de natureza moral, amar o próximo,por exemplo, não faz parte dos 10 mandamentos, bem como DT 6:4, então dizer que só os 10 mandamentos é que são a lei moral de Deus,biblicamente falando não está correto,pois fora dele,como já disse,se encontra leis morais.

    Continua….

  17. Anonymous Diz

    Respondendo a pergunta 3

    Jesus não veio ab-rogar é verdade,ele veio fazer o que nenhum homem jamais fez e fará na vida que é cumprir a lei,( pois a lei não são só 10 mandamentos, e ela exige além de uma obediência em cada ponto,e se alguém tropeçar em algum é culpado de todos,exige uma obediência continua, o que é impossivel para o homem, pois não há um só justo que sempre faça o bem e nunca peque) e ele veio cumprir a lei,e ao cumprir ele se torna o fim da lei(Rm:10:4) e a justiça de Deus,sendo assim Deus passa a ser Justo e Justificador daquele que tem fé em crito (Rm:3:26)

    A Respeito do texto do jovem rico, creio que jesus ali estava querendo mostrar para aquele jovem, ao mandar ele guardar os mandementos,que na verdade ele pensava que guardava, mas ele não passava nem no primeiro pois já tinha feito do dinheio o seu senhor. Tambem seria uma contradição, biblicamente falando, se jesus mandasse ele guardar os mandamentos para ir para os céu. pois ninguém vai para o céu apenas por que guarda os mandamentos, pois somos justificados pela fé , sem as obras da lei (Ef 2).

    A respeito do texto de 1 timóteo:

    Os falsos mestres estavam usando mal a lei, e não legitimamente, é como se eu quisesse usar a lei para fundamentar o homosexualismo, e não fazendo o uso correto da lei, onde a sua principal função é levar o pecador a cristo.

    Você também citou o texto de ( 1 Tm 5:18), mas sou eu que gostaria de pergunta-lo, esse mandamento é de cunho moral ou cerimonial, porque se for cerimonial( o que me parece) então a lei cerimonial tambem continua!

    Irmão vini, gostaria de deixar bem claro que, independente de sua posição a respeito da lei( e da minha também), queria dizer que o amo em cristo, você me abençou muito, mas muito mesmo, com este blog, e todo o conteúdo que ele traz, obrigado pelo esforço que é feito para que isso possa estar à disposição dos internautas,vejo que você procura o verdadeiro evangelho, e que sua doutrina é ortodoxa,também dizer que sou falho, e posso estar falando varias bobagens, por isso é que gosto de conversar, para que, se estiver errado, possa corrigir-me a tempo, e não ensinar doutrinas que não tem nada a ver com a bíblia, tambem à respeito deste assunto,não posso ignorar o que o cristianismo historico diz a respeito disso, por isso vou rever algumas coisas, sempre lembrando que qualquer dialogo entre nós será sempre no campo das idéias e nunca para o pessoal, pois a final somos IRMÃOS EM CRISTO.

    QUE O NOSSO DEUS NOS ABENÇOE,
    EM CRISTO, IGOR

  18. (-V-) Diz

    Igor, paz.

    Realmente nossa conversa tem sido proveitosa para mim também, principalmente por manter o ambiente fraternal e de amor que convém a família de Deus. Tenho considerado todos seus argumentos.

    Irmão, você afirmou que crê em uma Lei Moral eterna que precede a Lei Mosaica. Concordo com você. Então fica minha pergunta: qual é essa Lei? E onde podemos encontrá-la?

    Então por Lei de Cristo você entende a novidade de vida do Espírito Santo, tendo não mais "os mandamentos" ou "a lei" (como dizem os profetas) em tábuas de pedra, mas no coração. Concordo com isso. Mas minha questão é: quais são esses mandamentos? Qual é a Lei do Novo Marido?
    Se lermos 1 João, veremos que os mandamentos são amar a Deus e o próximo, que é basicamente a Lei Moral à qual me refiro.

    Quanto à 2Co 3:14, primeiramente concordo que a lei lá refere-se aos 10 mandamentos. Contudo, se analisarmos o que Paulo diz é que a glória do ministério da condenação/morte e o próprio ministério são transitórios. E concordo que a condenação que veio pela Lei Moral é transitória, mas também concordo com "assim observarei de continuo a tua lei para sempre e eternamente. (Sl 119:14).
    Não nego que a Lei Mosaica (moral e cerimonial) teve seu papel de aio e nos condenou debaixo do pecado para nos levar para Cristo que nos livra da maldição e do julgo da Lei, pois ele é o fim (no sentido de cumprimento) da Lei. Nenhum cristão buscará amar a Deus e o próximo para cumprir a Lei no sentido de tentar se justificar, mas sim num sentido de buscar ser como Cristo. E creio que é disso que Romanos 7 se refere.

    Quanto a Lei Moral não ser só os 10 mandamentos, eu concordo. Eu disse que a Lei Moral está resumida nos 10 mandamentos e mais resumida ainda nos 2 grandes mandamentos.

    Quanto ao jovem rico, não estou negando que ninguém será justificados pelas obras (na verdade, se alguém não tivesse a natureza adâmica e cumprisse todos os mandamentos ele seria declarado justo, mas não há outro além de Cristo). A questão é o fato de Cristo usar os 10 mandamentos.

    Quanto a 1 Tm 5:18, creio que Paulo faz uma analogia moral, do fato de cada um merecer o que trabalha por. Então, por mim, sem problemas. Mas como você responde ao fato dele ter a usado? Não seria isso, em seu entendimento, casar com 2 esposos?

    Basicamente, nossa discussão entra na diferença entre a visão da Lei da Teologia do Pacto (minha argumentação) e da Teologia da Nova Aliança (sua argumentação).

    Usarei uma analogia da Teologia da Nova Aliança que achei interessante. Eles afirmam que assassinato é crime tanto nos EUA como na Inglaterra, mas se você cometer este crime na Inglaterra você está sob a jurisdição da Inglaterra e não dos EUA.

    Portanto, creio que:
    – a Lei Moral de Deus é eterna e imutável e é a Lei de Cristo.
    – a Lei Moral está contida na Lei Mosaica, junto com outras leis cerimoniais e civis para servirem de aio e condenação.
    – embora estejamos livres e separados da Lei Mosaica e de sua condenação, ainda devemos cumprir os mandamentos da Lei Moral não como escravos, mas em novidade de vida.
    – podemos observar esta Lei Moral dentro da Lei Mosaica, resumida nos 10 mandamentos e nos 2 mandamentos.
    – nenhuma nova Lei Moral foi dada, senão a que já estava contida dentro da Lei Mosaica.

    O que você pensa, irmão?

    Em Cristo,
    Vini

  19. 'As - Gb - anjo Diz

    "Portanto, creio que:
    – a Lei Moral de Deus é eterna e imutável e é a Lei de Cristo.
    – a Lei Moral está contida na Lei Mosaica, junto com outras leis cerimoniais e civis para servirem de aio e condenação.
    – embora estejamos livres e separados da Lei Mosaica e de sua condenação, ainda devemos cumprir os mandamentos da Lei Moral não como escravos, mas em novidade de vida.
    – podemos observar esta Lei Moral dentro da Lei Mosaica, resumida nos 10 mandamentos e nos 2 mandamentos.
    – nenhuma nova Lei Moral foi dada, senão a que já estava contida dentro da Lei Mosaica."

    Bom, entao acho q a resposta aos messianicos seria q nao só os judeus que se convertem, que estao aperfeiçoados pelo Espirito, devem guardar a lei moral, mas nós, antes gentios tambem, nao como forma de justificao, mas como satificacao. Pois acredito que a lei nao está mais enferma pela carne, pois nao andamos segundo a carne, mas pelo Espirito mortificamos as obras da carne.
    Vale lembrar tambem que a teologia deles nao procede, pois aos que se convertem nao sao mais 2 povos, mas 1 só. Nao ha mais judeus ou gregos, mas um só corpo, um só povo.
    Como já foi bem dito, a lei nao precisa (nem pode)ser aperfeicoada, pois ela é espiritual e perfeita.
    Acho que o que nós christaos precisamos é entender "o que guardar da lei" e sua real "intenção", como Christo mesmo nos mostrou.
    Ainda estou lendo sobre o assunto, e quanto mais leio, mais vejo o quanto é importante entendermos o assunto.
    Até …. Gabriel Lucas

  20. Ermeson Diz

    Como está escrito em Salmos 17.15 Eu, porém, na justiça contemplarei a tua face; quando acordar, eu me satisfarei com a tua semelhança.
    Sei que minha justificação está unica e exclusivamente na obra redentora do Senhor Jesus Cristo.
    Porém carrego em meu coração essa dúvida o quarto mandamento que é para guardar o sétimo dia deve ser observado?

  21. estilojovem Diz

    ótima percepção
    só deixo um adendo que é variável de interpretaçoes teológicas

    -os dois grandes mandamentos, que são um-
    seu sentido profundo diferem, tornando dois, porém só possuem validade juntos.

    Deus abençoe.

  22. Angelo Bazzo Diz

    Não "devemos" obedecer a lei,mas certamente iremos guarda-la.

    Pois essa coisa de "tem que fazer" nada tem haver com a revelação de romanos 7.
    Estamos mortos para a lei…até mesmo a lei moral.

    Certamente iremos guardar a lei.
    Se Cristo esta em mim,se Cristo é a palavra(lei),o curso natural da vida de Cristo no interior será pratica do amor por Deus e pelo proximo.

    1. aury silva Diz

      Angelo, qual é lei que não devemos obedecer e temos que guardar.(se Vc guardar Vc obedece!).Rm 7 Estamos mortos para a lei…até mesmo do aspecto moral da lei.

  23. Ray Henrique da Silva Diz

    A Paz do Senhor!

    Concordo com seu texto.

    Falando sobre o sábado:

    Vini,
    Mas o sabádo não era cerimonial?

    Eu não concordo com a guarda do sábado. Mesmo que Spurgeon (um dos maiores pregadores da história) concorde, apesar dos seus grandes sermões e conhecimento teológico, ele era falível, neste ponto não concordo com ele, depois te mostro (no meu blog) o porque não concordo com a guarda do sábado. Os mandamentos que tento seguir: Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo.

    Graça e Paz!

    Abraços fraternos!

    Em Cristo,

    Ray Henrique.

    1. Hugo Diz

      Sabe amigo, vejo aqui um problema: vc não mata, não furta, não adora imagens, não adultera, etc… mas é o sábado? Veja o que diz Tiago:

      Tiago 2:10-11
      “Porque qualquer que guardar toda a lei, e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos. Porque aquele que disse: Não cometerás adultério, também disse: Não matarás. Se tu pois não cometeres adultério, mas matares, estás feito transgressor da lei.”

      O que vc acha? Veja que, claramente, Tiago está a falar dos dez mandamentos.

  24. Ray Henrique da Silva Diz

    Vini,

    Basicamente a minha opinião é esta:

    http://www.gotquestions.org/Portugues/guardar-o-Sabado.html

    Graça e Paz! ;)

  25. (-V-) Diz

    Ray,

    Se cremos que devemos cumprir a Lei Moral e que a Lei Moral está expressa nos 10 mandamentos, então guardar um dia para o Senhor (não necessariamente o sábado de nosso calendário) é um dever moral que está sob "amarás ao Senhor teu Deus".

    O Sabbath não é cerimonial, pois seu argumento teológico é a criação do mundo.

    Eu concordo que o Sabbath é uma sombra do dia em que perfeitamente descansaremos em Cristo na eternidade. Contudo o corpo que é Cristo ainda não se cumpriu neste sentido. Cristo ainda retornará. Logo devemos manter o símbolo.

    Bom, há muito para falar sobre o assunto, mas acho que postaremos um 2 ou 3 PVEs sobre o assunto, porque é bem polêmico.

    Só para ressaltar, eu certamente concordo que não devemos fazer algo porque um grande pregador o fez. Não foi esse meu argumento. Meu argumento foi: se por toda história do cristianismo quase sempre houve a guarda do Sabbath (normalmente no domingo) e só agora ele não é mais guardado, será que não devemos considerar isto?

    É algo para se pensar.

    Em Cristo,
    Vini

    1. Hugo Diz

      Acho interessante notar o seguinte fato: após criar o mundo, deus descansa no sábado. Após salvar o mundo, Jesus descansa no sábado. Vc reparou que Jesus ficou no sepulcro durante todo o período do sábado?

    2. aury silva Diz

      Hugo,Deus descansou no sétimo dia. não temos base para dizer que Jesus descansou no sábado,como disse João Calvino onde a Bíblia calar cali-se toda terra,Eu diria que Jesus desceu a mansão dos mortos e pregou aos espíritos em prisão. Deus nos abençoe!

  26. 'As - Gb - anjo Diz

    Concordo com o Vini … se na nossa época um doutrina que vem permancendo na Igreja "desde sempre" não está mais sendo praticada, devemos sim analizar o caso.
    É interessante lembrar que se na Lei um dia era totalmente do Senhor, imaginemos nós, o que não deveriamos fazer. Eu acredito que todos os nossos dias são totalmente consagrados ao Senhor em santidade e temor, pois esse é o nosso culto, quando apresentamos a nós mesmos como "Sacrificio vivo, santo e agradavel", de modo que o culto a Deus não é o que prestamos apenas nas nossas congregações, mas a todo momento, nos santificando e santificando o nome do Senhor atraves da nossa vida.
    Acredito sim, que um dia deva ser guardado totalmente ao Senhor (apesar de eu ainda nao faze-lo) pois como no sabbath ele é um descanso pra nós. Não necessariamente o sabado.
    Mas confesso que será mais um objeto de estudo.
    Gabriel Lucas

  27. Anonymous Diz

    o sabado não é a sombra de um dia futuro no céu, mais sim a realidade de cristo!
    a palavra diz: a lei é a sombra das coisas futuras mas o corpo é de cristo! sombra fala de coisas não claras ou ainda não definidas mas,o corpo fala de plenitude,clareza,de coisas concretas ! A LEI É A SOMBRA DE CRISTO!ELE DIZ: EU SOU O CAMINHO(DIREÇÃO)A VERDADE (REVELAÇÃO)VIDA(RAZÃO)NINGUEM VEM (CONHECIMENTO)SENÃO POR MIM!

  28. (-V-) Diz

    Anônimo que não sei porque não quis se identificar,

    Concordo que Cristo é a realidade. O Sabbath é um dia de descanso não? Simboliza o descanso que temos em Cristo. Isto entra na mesma categoria do Reino: "já e ainda não".

    Já entramos pela fé no descanso da eternidade em Cristo, mas "ainda não".

    Em Cristo,
    Vini

  29. Anonymous Diz

    Tudo que voçê falou é a mais pura verdade, é díficil ver, que as pessoas não compreende essa verdade: O fim da Lei é CRISTO.

  30. Ray Henrique da Silva Diz

    Olá Vini,

    Olha eu novamente…

    Quando Jesus ensinou o verdadeiro sentido da Lei Moral, eu não vi ele citando o sábado. Alguém me ajuda? Li bem devagar Mateus 5-7 e não achei.

    Portanto, não acho errado em alguém guardar o sábado (ou qualquer dia da semana) para o Senhor, mas que não o faço de maneira religiosa e nem que condene que não o faz.

    Graça e Paz!

    Em Cristo,

    Ray Henrique.

  31. (-V-) Diz

    Ray,

    Eu sou a favor da guarda do Sabbath (não necessariamente sábado). Então não entendi rsrs

    Paz,
    Vini

  32. Welita Diz

    Olá! Amei conhecer este site, pois seu conteudo é mto edificante. Parabens ao idealizador pela iniciativa!

    Por favor, me permitam participar da questão:

    Em se tratando da Lei Moral (os 10 Mandamentos) é comum o argumento de que Jesus a aboliu, que Ele é o fim da Lei, que não se faz necessário guarda-la mais, que era maldicão, que era sombra.

    Mas, analisando cada um dos mandamentos, percebe-se que todas as religiões evangelicas pregam 9 deles, sendo ignorado apenas o 4.

    Desta forma, teria Jesus abolido a Lei ou apenas este mandamento?

    É um prazer participar e aprender sobre as Escrituras. Com certeza, é mto proveitoso.

    Um abraco!

  33. Três pontos-chave encerram toda a questão relacionada à questão da Lei.

    1) O que se chama no Novo Testamento de “Lei”, sempre será, sem qualquer exceção “a Torah”, jamais será esta palavra atribuída aos Dez Mandamentos. Os Dez Mandamentos são chamados de “o Testemunho”. Quando em Isaías 8:20 se declara: “à Lei e ao Testemunho”, estará dizendo literalmente: “à Torah e aos Dez Mandamentos”. Esta definição é crucial para se entender a matéria relacionada à questão da graça e da lei, porque o tema é, na verdade, “a graça e a Torah”.

    2) A Torah não admite qualquer possibilidade de confusão interna. Ela é “a Lei de Deus”, “a Lei do Senhor”, “a Lei de Moisés” e “a Lei”. Não há divisões nela por um simples motivo que qualquer um que lê a Bíblica deveria saber: “uma palavra falada por Deus ou escrita por Deus” não está sujeita a uma escala de valores, como se fosse o escrito de Deus mais importante do que o que ele falou. Nada há na Lei de Moisés inventado pelo homem, mas tudo foi dado por Deus, de sorte que dividir a Torah em leis cerimoniais, civis, de saúde e morais é uma deturpação grosseira ou falta de entendimento dos critérios mínimos de compreensão de como funcionou Israel e toda a origem da Igreja de Cristo. Não existe chance de Paulo de Tarso estar usando a palavra Lei, pensando numa divisão interna da Torah – ele a trata como um todo indivisível. E à respeito desta Torah, na dispensação cristã, a ordem é clara:
    – Romanos 7:6 – “Mas agora temos sido libertados da Lei, tendo morrido para aquilo em que estávamos retidos; para que sirvamos em novidade de espírito, e não na velhice da letra”.
    – Romanos 7:4 – “meus irmãos, também vós morrestes relativamente à Lei, por meio do corpo de Cristo, para pertencerdes a Outro, a saber, Aquele que ressuscitou dentre os mortos, a fim de que frutifiquemos para Deus”.
    – Gálatas 3:10 – “todos aqueles, pois, que são das obras da Lei estão debaixo da maldição; porque está escrito: maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da Lei, para fazê-las”.
    – Gálatas 3:13 – “Cristo nos resgatou da maldição da Lei, fazendo-se maldição por nós; porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro”.
    O que se discute então não é o fato de que a Lei, ou seja, a Torah inteira e sem divisões, com Dez Mandamentos e tudo o mais é absolutamente “santa, justa e boa” (Romanos 7:7). Esta não é a discussão, porque é óbvio, notório e absoluto que ela é algo dado por Deus em sua totalidade, sem divisões. A questão é que, nenhum ser humano, de Adão até o último mortal desta Terra, jamais conseguiu ou conseguirá guardar esta Lei (Romanos 3:23). Sendo o pecado a “trangressão da Lei”, isto é, da Torah e não dos Dez Mandamentos (embora eles estejam inclusos), fica claro que nenhum ser humano poderá viver à sua altura – é por isto que precisamos de Cristo, que é feito “maldição” e “maldito” em meu lugar.

    3) Por último, sempre que se discute este assunto com os adventistas do sétimo dia, eles dão um bocado de voltas e terminam sempre no mesmo lugar, a saber: sábado, sábado e sábado! É com estranheza que vemos eles defendendo que o sábado é o mais importante dos Dez Mandamentos, que a Lei de Deus é, no final, uma defesa estruturada para nos fazer guardar o sábado. Este fanatismo pelo sábado não vemos acontecer, por exemplo, em relação a 1ª Coríntios 2:2, ou 2ª Coríntios 5:18-21, muito menos uma campanha nacional pesada, com milhões de dólares investidos por eles na questão de Efésios 2:8-10 ou ainda quem sabe em 1ª Coríntios 3.

    Conclusão a que chego:
    – Onde está a ordem bíblica para se pregar as doutrinas adventistas?
    – Acaso a ordem não é a de se pregar o evangelho, educar as pessoas nas coisas do Reino de Deus e curar as enfermidades das pessoas? (Mateus 4:23 e 9:35)?
    – Esta fobia por sábado é tão incômoda que naturalmente as demais denominações e estruturas se chateiam sempre com os adventistas. E fique bem claro que eu afirmei que a Lei (Torah) é “santa, justa e boa” – porque o meu argumento sempre é visto assim: “ele está dizendo que os Dez Mandamentos foram abolidos e que nós não devemos guardá-lo” – eu estou dizendo e defendo que (1) ninguém tem capacidade de nível algum para guardar esta santa, justa e boa Lei e, (2) que Cristo tem feito isto antes, durante e depois de minha rendição ao seu Senhorio.

    Menos da Lei em nós e mais de Cristo – no final, os princípios da Lei estarão sendo implantados em nós por Aquele que é Autor e Consumador de nossa fé (Hebreus 12:1-6).

    Cordialmente,
    Pr. Prof. Dr. Jean Alves Cabral Macedo

    1. Alfredo Soares Diz

      Perfeito, Dr. Jean!!!

      É absolutamente artificial a divisão da lei em cerimonial, civil e moral!
      Podemos até utilizar estas divisões com fins apenas de estudos, mas, a lei é uma só!!

      Se restringirmos a lei moral de Deus aos 10 mandamentos, iremos abolir inúmeros outros preceitos morais que não estão no decálogo!

      Interessante também que os dois maiores mandamentos, ensinados por Jesus, fazem parte da lei, mas não estão no decálogo!

      A lei do velho testamento, incluindo o decálogo, foi abolida por Cristo. A porção moral da lei de Deus foi ratificada no novo testamento, e em parte nenhuma vemos o sábado sendo ratificado!!

    2. Vini Diz

      Nem sexo com animais explicitamente. Não é tão simples assim.

    3. Hugo Diz

      Concordo contigo, Vini.

      Apocalipse 14:7 nos chama a adorar o Criador da mesma maneira que o 4º mandamento nos lembra de observarmos o sábado conforme desígnio do Criador!

      “Temei a Deus, e dai-Lhe glória; porque é vinda a hora do Seu juízo. E adorai aquEle que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas.” Apocalipse 14:7

      “Porque em seis dias fez o SENHOR os céus e a terra, o mar e tudo que neles há, e ao sétimo dia descansou; portanto abençoou o SENHOR o dia do sábado, e o santificou.” Êxodo 20:11

      Mais um fato que chama atenção: toda Escritura é inspirada por Deus só os dez mandamentos que não! Os dez mandamentos foram escritos pelo próprio Deus! Por que será que Deus teve tal cuidado ao transmitir esta lei?

    4. Hugo Diz

      O sábado foi abençoado e santificado antes da queda. Tornou-se um memorial da obra criativa de Deus.
      Posteriormente, tornou-se também como um memorial da obra redentiva pois Cristo “descansou” no sepulcro durante todo o sábado.

      Vejamos dois textos de Ezequiel 20:

      “E também lhes dei os Meus sábados, para que servissem de sinal entre Mim e eles; para que soubessem que Eu sou o SENHOR que os santifica.” v. 12

      “E santificai os Meus sábados, e servirão de sinal entre Mim e vós, para que saibais que Eu sou o SENHOR vosso Deus.” v. 20

      Aqui o sábado é apresentado como um sinal entre Deus e Seu povo.

    5. Hugo Diz

      Mais um fato interessante é a clara distinção dos dez mandamentos em relação aos demais estatutos ao serem colocadas as tábuas dentro da arca, separando-os e dando a eles um destaque notório.

      Fazendo uma rápida comparação entre as leis:

      Lei moral (dez mandamentos):
      – Quem escreveu? Ex 31:18
      – Quem proclamou? Dt 5
      – Onde guardou? Dt 10:1-5

      Lei cerimonial
      – Quem escreveu? Dt 31:9, 24-26
      – Quem proclamou? Lv 1
      – Onde guardou? Dt 31:24-26

    6. Jean Alves Cabral Macedo Diz

      É fundamental sempre lembrarmos que todo esforço do ser humano para guardar a Lei (Torah) é sempre um esforço que vai se deparar com o óbvio: “pecado é transgressão da Lei” (1ª João 3:4). O pensamento imediato de qualquer um é: “como faço para deixar de ser um transgressor da Lei?” A resposta que é absoluta declara: “Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos e não há verdade em nós” (1ª “Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós.

    7. aury silva Diz

      Alfredo, onde é que a Bíblia diz que a porção moral da lei foi ratificada no novo testamento?Cristo aboliu a lei cumprindo ela toda, Col 2:14. a lei de Cristo O Evangelho embora também veja moral não é a lei mosaica, Jr 31:31,33. o Dr Jean diz que a lei de Deus é uma unidade mas nesse sentido ele a divide. lembre-se que a lei é toda moral e o Dr Jean confirma essa verdade bíblica com muita propriedade. sendo assim pra ser coerente a lei moral ficou na Cruz!

    8. Fabricio Diz

      Concordo com o que foi dito sobre as argumentações dos adventistas e tudo mais. Porém nós protestantes que divergimos dos adventistas “sentamos no próprio rabo” (como diz o ditado). Somos veementes em condenar a guarda do sábado, porém, não temos o menor pudor de chamar o não-dizimista de ladrão e condená-lo ao inferno.
      Como você mesmo disse: “Onde está a ordem bíblica para se pregar as doutrinas adventistas?”. Também não vejo base para se pregar a doutrina protestante do dízimo, no entanto, quando questionei um Pr. sobre isso fui chamado de desviado e herege…

  34. darlan Diz

    Bom sou cristão conservador.
    Trabalho num hiper mercado que funciona aos domingos.
    Naturalmente trabalho aos domingos.
    num regime 02×01 ou 01×01.
    Estou em pecado por esta situação?

    1. Hugo Diz

      Não.
      Darlan, o dia do Senhor é o sábado, não o domingo.

      Marcos 2:28
      “Assim o Filho do homem até do sábado é Senhor.”

    2. Vini Diz

      Hugo,

      O tema é complexo. Confesso que ainda estou estudando. E já ouvi alguns argumentos dos dois lados (dois nada, são uns 4 rs)

      Mas, não acho que esse texto de Marcos prove que o dia do Senhor é o sábado no Novo Testamento. Jesus está afirmando sua soberania sobre o sábado e não dando um nome para ele.

      Meu objetivo não é discutir sobre o assunto, mas ajudá-lo a aprimorar seu argumento e convicção.

      Paz

    3. Wesley Leal Diz

      Acho que o Livro aos Galatás responde estas questões satisfatoriamente!

    4. Hugo Diz

      OK! Só quis mostrar ao Darlan que talvez o caminho seja outro.

      Gostaria de te passar um material para vc agregar àquilo que vem estudando. Me mande um email que eu te passo mais detalhes, OK?

      Abraço!

    5. Fabricio Diz

      “Portanto, ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa dos dias de festa, ou da lua nova, ou dos SÁBADOS,
      Que são sombras das coisas futuras, mas o corpo é de Cristo.
      Ninguém vos domine a seu bel-prazer com pretexto de humildade e culto dos anjos, envolvendo-se em coisas que não viu; estando debalde inchado na sua carnal compreensão,
      E não ligado à cabeça, da qual todo o corpo, provido e organizado pelas juntas e ligaduras, vai crescendo em aumento de Deus.”
      Colossenses 2:16-19
      Este trabalho aos domingos tem distanciado vc de Deus meu irmão? Ou dizem que vc está distante de Deus porque trabalha aos domingos?
      Deixar de ir ao templo (pois igreja é o corpo de Cristo, espiritual) no domingo não é pecado. Falta de comunhão com Deus e os irmãos qualquer dia da semana é pecado. E por comunhão falo de um relacionamento fraternal e íntimo em qualquer lugar e não só no templo…

  35. Vinicius Diz

    Vini, a paz.

    Esse sempre foi um tema polêmico.
    Acredito eu que o “guardar o sabado é óbvio” mas quando é o sabado?
    A biblia diz que no inicio criou Deus os céus e a terra e tudo que há nela em seis dias,e no sétimo descansou.
    Nos calendarios não só nos dias de hoje quanto nos do passado a semana se inicia no domingo e finaliza no sabado “sétimo dia”. Aqui acredito que a duvida do séimo dia acaba.
    Mas e antes quando não existia o calendario ainda?
    Eu acredito que naquela época, eles tinham a sua maneira de saber quando era qual dia. Perdoe-me por não saber informar como;
    Eu crêio que Deus é perfeito e ele não muda. Ele deixou os mandamentos no passado porque sabia que seria necessario tanto naquele tempo quanto hoje. Claro que o mandamentos não salvam, mas eles nos ajudam a andar nos caminhos de Deus.

    Acho que o importante é isso mesmo. Muitos buscando a biblia como fonte para discutir e refletir. O mais importante não é ficar aqui. é levar a todo povo, tribo, lingua, e nação. Parabéns pelo blog que acredito e oro para que esteja alcaçando muitas pessoas.

    Estou sempre a aprender. A paz a todos.

    1. Hugo Diz

      Interessante notar que o ciclo semanal (semana de sete dias) foi instituído por Deus na semana da criação.
      Temos vários períodos de tempo que estão relacionados ao movimento dos astros. Mas a semana, a origem dela está em Gênesis no relato da criação.

      Detalhe: o ciclo semanal jamais se perdeu. Existem várias mudanças de calendário mas o ciclo semanal jamais se perdeu. Os judeus que o digam pois observam o sábado já há milhares de anos.

    2. joão batista junior Diz

      Este assunto do sábado gera muita polêmica mesmo, porém a algum tempo tenho descansado nesta palavra,no livro de atos 15 . 28-29, onde, ao final do concílio de Jerusalém, os apóstolos escrevem aos gentios que criam em Jesus:
      :”Pareceu bem ao Espirito Santo e a nós não impor a vocês nada além das seguintes exigências necessárias……
      Não vemos nada referente ao sábado nestas exigências necessárias.

    3. Roberto Motta Diz

      No texto citado (Atos 15 . 28-29), também não vemos nenhuma referência aos dízimos e ofertas, batismo por imersão, santa ceia… Cristianismo prático então resume-se a não comer certos tipos de alimento e abster-se de relações sexuais ilícitas?
      Uma coisa me inquieta: o argumento usado por alguns irmãos que, tomando como base Mat. 5:17, insistindo que Jesus “cumpriu” a Lei e consequentemente nós estamos dispensados de fazê-lo. Em relação ao batismo de Jesus, enquanto João Batista tentava dissuadi-lo, Ele insistiu dizendo que deveria “cumprir toda a justiça” (Mat. 3:15), e então foi batizado. Se Ele “cumpriu” a Lei em meu lugar e eu então estou livre, pq não usar o mesmo argumento em relação ao batismo?

    4. Lecco Diz

      Amado, não era necessário impor porque eles já guardavam.

      Graça e Paz.

    5. Lecco Diz

      Amado, não era necessário impor porque eles já guardavam.Graça e Paz.

  36. Lecco Diz

    Resgatados da Maldição

    Os oponentes de Paulo ficaram, sem dúvida, espantados por suas ousadas palavras em Gálatas 3:10. Eles certamente não pensavam que se achavam sob maldição. Se houvesse alguma coisa para eles, esperavam que fosse uma bênção por sua obediência. No entanto, Paulo foi claro: “Todos quantos, pois, são das obras da lei estão debaixo de maldição; porque está escrito: Maldito todo aquele que não permanece em todas as coisas escritas no Livro da lei, para praticá-las” (Gl 3:10).

    Paulo contrastou duas alternativas completamente diferentes: salvação pela fé e salvação pelas obras. As bênçãos e maldições da aliança descritas em Deuteronômio 27 e 28 foram diretas. Aqueles que obedecessem seriam abençoados, e os que desobedecessem seriam amaldiçoados. Isso significa que, se uma pessoa quisesse confiar na obediência à lei para ser aceito por Deus, então toda a lei devia ser guardada. Não temos a liberdade de escolher aquilo que queremos seguir, nem deveríamos supor que Deus esteja disposto a deixar passar alguns erros aqui e ali. É tudo ou nada.

    Essa é, naturalmente, a má notícia, não apenas para os gentios, mas também para os adversários legalistas de Paulo, porque “todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus” (Rm 3:23, RC). Não importa o ardor com que tentemos ser bons, a lei só pode nos condenar como transgressores.

    Como Cristo nos libertou da maldição da lei? Gl 3:13; 2Co 5:21

    Paulo introduziu outra metáfora para explicar o que Deus fez por nós em Cristo. A palavra redimir significa “comprar de volta”. Ela representa o preço do resgate pago para libertar reféns ou o preço pago para libertar um escravo. Porque o salário do pecado é a morte, a maldição por falhar em guardar a lei é a constante sentença de morte. O resgate pago por nossa salvação não foi insignificante: custou a Deus a vida de Seu próprio Filho (Jo 3:16). Jesus nos resgatou da maldição, tornando-Se nosso portador de pecados (1Co 6:20; 7:23). Ele voluntariamente tomou sobre Si a nossa maldição e sofreu em nosso favor toda a penalidade do pecado (2Co 5:21).

    Paulo citou Deuteronômio 21:23 como prova bíblica. Segundo o costume judaico, uma pessoa estava sob a maldição de Deus se, após a execução, o corpo fosse pendurado num madeiro. A morte de Jesus na cruz foi vista como um exemplo dessa maldição (At 5:30; 1Pe 2:24).

    Não é de admirar, então, que a cruz tenha sido uma pedra de tropeço para alguns judeus que não podiam conceber a ideia de que o Messias fosse amaldiçoado por Deus. Mas esse foi exatamente o plano de Deus. Sim, o Messias sofreu a maldição; mas ela não era dEle, era nossa!

    1. Lecco Diz

      Graça e Paz a todos!

    2. Lecco Diz

      Fonte: Lição da Escola Sabatina / O Evangelho em Gálatas
      (Out / Nov / Dez 2011)

  37. Hugo Diz

    ANTINOMISMO

    Antinomismo significa “oposição à lei”. Conceitos antinomianos são os que negam que a lei de Deus, nas Escrituras, deve controlar diretamente a vida dos cristãos. O antinomismo dualístico surgiu muito cedo nas heresias gnósticas, como aquelas repudiadas por Pedro e Judas (II Pedro 2; Judas 4-19). Os gnósticos ensinavam que a salvação era só para a alma, tornando irrelevante o comportamento do corpo, tanto para o interesse de Deus quanto para a saúde da alma. A conclusão era que uma pessoa podia comportar-se desenfreadamente, sem que isso tivesse a menor importância.
    O antinomismo “espiritual” atribui uma confiança tal à atuação interior do Espírito Santo, que nega a necessidade da pessoa ser ensinada pela lei em seu modo de viver. A liberdade em relação à lei como meio de salvação traz consigo, segundo eles, a negação da necessidade da lei como guia para a conduta. Nos primeiros 150 anos da era da reforma, essa espécie de antinomismo era comum. A igreja de corinto pode ter estado presa nesse erro, uma vez que Paulo adverte os crentes de Corinto que uma pessoa verdadeiramente espiritual reconhece a autoridade da Palavra de Deus (I Coríntios 14.37).
    Outro tipo de antinomismo tem seu ponto de partida na ideia de que Deus não vê pecado nos crentes, porque os crentes estão em Cristo, que cumpriu a lei por eles. Disso tiram a falsa conclusão de que o comportamento dos crentes não faz diferença, desde que eles continuem crendo. Porém I João 1.8 – 2.1 e 3.4-10 indicam uma conclusão diferente. Não é possível estar em Cristo e, ao mesmo tempo, adotar o pecado como meio de vida. Alguns dispensacionalistas têm sustentado a ideia de que os cristãos, desde que vivem sob a dispensação da graça – e não da lei – não têm a necessidade de observar a lei moral em nenhuma etapa da vida. Romanos 3.31 e I João 6.9-11 mostram claramente, contudo, que observar a lei é uma obrigação contínua dos cristãos.
    Às vezes que se diz que o motivo e a intenção do “amor” são a única lei que Deus exige dos cristãos. Os mandamentos do decálogo e outras partes éticas das Escrituras – ainda que sejam diretamente atribuídas a Deus – são considerados não mais do que meras pautas que o amor pode, em qualquer tempo, deixar de levar em conta. Porém Romanos 3.8-10 ensina que ordens específicas revelam o que o verdadeiro amor é. A lei de Deus desmascara a falsidade do amor que não aceita suas responsabilidades para com Deus e o próximo. A lei moral revelada no decálogo e exposta em outras partes das Escrituras é uma expressão da integridade de Deus, outorgada para ser o código de prática para o povo de Deus, em todas as eras. A lei não se opõe ao amor e à bondade de Deus, porém, demonstra o que esse amor e bondade são na prática. O Espírito concede aos cristãos o poder para cumprir a lei, tornando-nos cada vez mais semelhantes a Cristo, o cumpridor arquetípico da lei (Mateus 5.17).

    (Nota teológica extraída da Bíblia de Estudo de Genebra, pg. 1512)

  38. Hugo Diz

    ESTÁ CONSUMADO

    E, havendo Deus terminado no dia sétimo a Sua obra, que fizera, descansou nesse dia de toda a Sua obra que tinha feito. E abençoou Deus o dia sétimo e o santificou; porque nele descansou de toda a obra que, como Criador, fizera.

    E, havendo Jesus terminado no dia sétimo a Sua obra, que fizera, descansou nesse dia de toda a Sua obra que tinha feito. E abençoou Jesus o dia sétimo e o santificou; porque nele descansou de toda a obra que, como Redentor, fizera.

    (Gn 2:1-3; Mt 27:57-28:1; Mc 15:42-16:1; Lc 53:52-24:1; Jo 19:31-20:1)

  39. Welder De Aquino Silva Diz

    CONCORDO PLENAMENTE.
    Pr. Welder

  40. Oculto Diz

    Então temos de guardar o sábado?????

  41. Anônimo Diz

    Lembrar que a lei é uma unidade portanto ela é toda moral,não existe separação e sim aspectos.segundo o livro de colossenses paulo diz que a lei foi toda cravada na cruz,ou seja o aspecto moral também.O texto de mateus 5:17 não pode ser compreendido no seu contexto sem o v:18,pois jesus está dizendo que estava debaixo da lei e que ela teria vigor até que ele a cumprisse, por isso é que Escritura diz que a lei e os profetas vigoraram até João Batista, se foi até João então não passou dele! Paulo o Apóstolo diz: qual é a razão de sermos da lei, ela foi acrescentada por causa da transgressão até que viesse O descendente,recebestes O Espirito Santo por obras da lei ou pela pregação da Fé. leia também 1 cor 9:20,21 e veja Paulo dizendo que não está debaixo da lei judaica que é a mesma lei de Deus, e sim da de Cristo, que inquestionavelmente nem uma é a outra. a lei de Cristo é O Evangelho e não a lei mosaica que é a mesma lei de Deus! não sou antinomiano.

  42. aury silva Diz

    Lembrar que a lei é uma unidade portanto ela é toda moral,não existe separação e sim aspectos.segundo o livro de colossenses paulo diz que a lei foi toda cravada na cruz,ou seja o aspecto moral também.O texto de mateus 5:17 não pode ser compreendido no seu contexto sem o v:18,pois jesus está dizendo que estava debaixo da lei e que ela teria vigor até que ele a cumprisse, por isso é que Escritura diz que a lei e os profetas vigoraram até João Batista, se foi até João então não passou dele! Paulo o Apóstolo diz: qual é a razão de sermos da lei, ela foi acrescentada por causa da transgressão até que viesse O descendente,o fim da lei é Cristo,recebestes O Espirito Santo por obras da lei ou pela pregação da Fé. leia também 1 cor 9:20,21 e veja Paulo dizendo que não está debaixo da lei judaica que é a mesma lei de Deus, e sim da de Cristo, que inquestionavelmente nem uma é a outra. a lei de Cristo é O Evangelho e não a lei mosaica que é a mesma lei de Deus! não sou antinomiano.
    Responder · C

  43. aury silva Diz

    Lembrar que a lei é uma unidade portanto ela é toda moral,não existe separação e sim aspectos.segundo o livro de colossenses paulo diz que a lei foi toda cravada na cruz,ou seja o aspecto moral também.O texto de mateus 5:17 não pode ser compreendido no seu contexto sem o v:18,pois jesus está dizendo que estava debaixo da lei e que ela teria vigor até que ele a cumprisse, por isso é que Escritura diz que a lei e os profetas vigoraram até João Batista, se foi até João então não passou dele! Paulo o Apóstolo diz: qual é a razão de sermos da lei, ela foi acrescentada por causa da transgressão até que viesse O descendente,o fim da lei é Cristo,recebestes O Espirito Santo por obras da lei ou pela pregação da Fé. leia também 1 cor 9:20,21 e veja Paulo dizendo que não está debaixo da lei judaica que é a mesma lei de Deus, e sim da de Cristo, que inquestionavelmente nem uma é a outra. a lei de Cristo é O Evangelho e não a lei mosaica que é a mesma lei de Deus! não sou antinomiano.

  44. aury silva Diz

    O escritor do artigo acima faz divisão entre três leis,moral,civil e cerimonial o que não pode acontecer,joão calvino deu apenas aspectos a lei mosaica que tem 613 mandamentos incluindo o decálogo dos 10 mandamentos que é uma unidade “singular”.a lei de Cristo é outra, jeremias 31:31,33 vai dizer que a Aliança mosaica sairia para a entrada de uma Aliança futura que Deus colocaria no coração e mente dos crentes,ele se referia ao Evangelho transformador do Espirito.paulo o apostolo diz a mesma coisa Em 1 cor 9:20,21 quando ele diz que não estar debaixo da lei mosaica,Rom 2 :14 paulo diz duas vezes que os gentios não estão debaixo da lei,Rom 7:4,6 ele diz que estamos livres da lei,gálatas 2:19 ele diz que morreu pra lei, v21 diz que se a justiça é mediante a lei CRISTO morreu em vão, gálatas 5:4,5 ele diz que se estamos na lei da graça decaímos, por que esperamos a justiça que provem de Fé.por isso o autor do artigo acima faz uma mistura entre a antiga e a nova Aliança,coisa que nem o profeta nem o apostolo faz!

  45. Gabriel Diz

    a grande questão é… se eu tenho que guardar um dia inteiro de por do sol a por do sol… o esquimo vai guardar o ano inteiro? visto que demora 6 meses para o sol se por na antartica… ?

  46. Sergio Jesus Augusto Diz

    engraçado que o homem que cristo nem os apostolos dividiram a lei e o homem de hoje quer dividir,, Querendo ser mestres da lei, e não entendendo nem o que dizem nem o que afirmam 1 Timóteo 1:7.,,.A LEI FOI POR CRISTO ABOLIDA TODA,,
    2 Coríntios 3:7,,E, se o ministério da morte, gravado com letras em pedras, veio em glória, de maneira que os filhos de Israel não podiam fitar os olhos na face de Moisés, por causa da glória do seu rosto, a qual era transitória, , A LEI NUNCA FOI PARA A IGREJA,,,

    ..VEJA ISSO amados ; O EVANGELHO ,,ou nova aliança que cristo pediu para pregar,, também contém mandamentos e leis que temos de obedecer.,, aqueles que imaturamente dizem ,, ááá aboliu a lei, inclusivel o sabado,,,, então posso matar ? esse é o pensamento de menino e não O conheceu amigo se voce não obedeceu nem a lei de moises tão pouco pode conhecer o amor de cristo,, se você é nova criatura e tem a mente de cristo ,, você vive na lei do amor,, nessa lei aquele que perde é o que ganha , o que apanha é o que sai vitorioso,,,, pensa bem, , e tira as escamas e veja o cristo ressurreto,,amigo você tá trocando a lei dada para os judeus para ter intimidade com o DEUS DO UNIVERSO dentro de si..,,
    Mateus 28:18-20 – Jesus possui toda a autoridade, então devemos obedecer a todos os seus mandamentos.
    1 Coríntios 14:3 – 7 – Os mandamentos escritos no Novo Testamento são os mandamentos do Senhor.
    1 Coríntios 9:20,21 – Paulo não estava debaixo da lei dos judeus, 613 ;;,,, mas sob a lei de Cristo.
    Tiago 1:18,25 O evangelho é a lei perfeita da liberdade, pela qual seremos julgados ,,,…
    Deus não removeu a velha lei para que pudéssemos ficar sem lei, mas para que pudéssemos servi-lo nas condições do Novo Testamento. Há mandamentos para obedecermos, mas estes são os mandamentos do Novo Testamento e não aqueles do Velho Testamento.,,muitos acham que é mandamentos da velha aliança,, em hebreus 7.12 diz que mudando -se o sacerdócio necessariamente há mudança de leis,,,tudo aquilo que era bom e necessário Ele tirou e colocou no novo e selou o testamento do SEU SOBERANO FILHO..,,,,
    O Novo Testamento jamais será substituído por qualquer outra lei na terra.
    Aprendemos que, durante todo o tempo em que o Velho Testamento esteve em vigor, Deus tinha planos para substituí-lo, finalmente. Será o Novo Testamento, do mesmo modo, substituído por outro sistema de mandamentos para os homens, na terra?
    2 Coríntios 3:6-11 – A primeira aliança desapareceu para que pudesse ser trocada por aquela que permanece (não desvanece).
    Hebreus 12:27,28 (veja v. 18-29) – A lei dada no Sinai foi abalada (removida) para que ela pudesse ser substituída por outra (o Novo Testamento) que jamais será abalada, mas permanecerá ,,,,,A razão pela qual o Velho Testamento teve que ser substituído foi que ele tinha sacrifícios que não podiam retirar a culpa permanentemente. Estes sacrifícios foram oferecidos por sacerdotes que, eles próprios, eram pecadores. O Novo Testamento tem o sacrifício de Jesus, que pode tirar todos os pecados, de modo que não sejam mais lembrados. Este sacrifício foi oferecido pelo Sumo Sacerdote, eterno e sem pecado, o próprio Jesus Cristo (Hebreus 10:1-18; 7:11-28;; Romanos 1:16; Marcos 16:15,16),,,, 2 corintios 3.3 e4 diz e se o nosso evangelho está encoberto é para os que se perdem,, 4 por que o deus deste seculo cegou os entendimentos dos incredulos para que não resplandeça a luz do evangelho da gloria de cristo,, tudo colocamos há luz na luz do evangelho

    llllll,graça e paz,////////

  47. Waldecy Antonio Simões Diz

    A maioria dos pastores evangélicos interpreta errado a Carta aos Gálatas. (Parte 1)

    Fiz-me acaso vosso inimigo, dizendo a verdade? Gálatas 4:16.

    Cansado, triste, chateado e desconsolado por causa do despreparo, da ignorância espiritual, ou até do farisaísmo da maioria dos pastores evangélicos, até dos mais famosos por todo o mundo, resolvi apontar seus crassos erros bíblicos, tais como “Jesus nos resgatou das maldições das leis”, onde por esse e por outros preceitos isolados ou não, por ignorância ou por pura conveniência doutrinária, atribuem as leis malditas citadas pelo apóstolo Paulo às leis do Decálogo do Senhor Deus, como se tal coisa fosse minimamente possível.

    Para quem se aplica a estudar a Carta aos Gálatas, dividida pelo homem em seis capítulos, vai notar que Está Escrito bem claramente que havia um grupo de Gálatas rebeldes à simplicidade do Evangelho, o da Graça e da Liberdade, da liberdade não das santas leis do Decálogo, pois isso está fora de questão porque está Escrito abaixo que Deus nunca muda em sua promulgações, mas das antigas leis escravas e retrógradas que, por isso mesmo, só duraram, só vigoraram até João (Batista).

    “…há alguns que vos inquietam…”. Gálatas 1:7

    “Eu quereria que fossem cortados aqueles que vos andam inquietando”. Gálatas 5:12).

    Esse grupo rebelde dos gálatas não se conformavam que as leis antigas, as de seus pais, das suas tradições, muitas vezes seculares, a partir de Jesus deixaram de existir na implantação da Nova Mensagem de Deus à Humanidade. Curiosamente, mesmo que não notado, isso caracterizou-se em mais um milagre grandioso de Jesus: Fez os judeus, em boa parte deles, abandonarem as ordenanças antigas, suas tradições antigas, suas leis antigas, enraigadas em suas almas, mesmo que algumas delas se caracterizassem como cargas pesadas – segundo o próprio Jesus, abaixo colocado – a favor da Religião da Graça, pois realmente foi difícil. Mas Está Escrito que tais leis, retrógradas, que escravizavam, que amaldiçoavam e que podiam matar dentro da lei, só vigoraram até João (Batista) Lucas 16:16.

    “Pois atam fardos pesados e difíceis de suportar, e os põem aos ombros dos homens; eles, porém, nem com seu dedo querem movê-los…”. Jesus, em Mateus 23:4, se opondo contra os fariseus e suas leis retrógradas, as mesmas condenadas pelo apóstolo Paulo.

    A Verdade, como provaremos abaixo, é que as leis do Decálogo formaram os fundamentos do Evangelho, como também foram promulgadas por Deus para a humanidade, pois Está Escrito que o Senhor não faz distinção entre pessoas ou raças. Mesmo que resumidas, as 10 leis regulam perfeitamente todas as relações entre os homens e Deus e entre eles próprios, pois se todos obedecessem a essas leis de Deus o mundo seria um paraíso na Terra. Não haveria roubos, assassinatos e outros crimes; não necessitaríamos de muros, de fechaduras, de polícia, de exércitos, de armas, etc. etc. Por isso, mostraremos, sob as Escrituras, que quando o apóstolo Paulo repudiava as leis, essas nada tinham a ver com as leis do Decálogo. Para os que teimam em não aceitar isso, para esses provaremos, aqui a agora, que as Leis do Monte Sinai são perpétuas e absolutamente “imexíveis”.

    Vamos, então, colocar aqui os preceitos da Carta aos Gálatas mais usados pela maioria dos pastores citados na tentativa de burlar as leis de Deus, por pura conveniência doutrinária ou pelo menos na tentativa inútil de anular uma só delas, pois essa se consolida como uma pedra bem pontiaguda no sapato deles todos. Vejamos a VERDADE DE DEUS, impossível de refutar dentro da honestidade. Vem bem ao caso uma declaração de Paulo a um grupo de gálatas que tentava que certas leis antigas e retrógradas que escravizavam continuassem a validade também no Evangelho:

    Fiz-me acaso vosso inimigo, dizendo a verdade? Gálatas 4:16.

    Para quem se aplica a estudar a Carta aos Gálatas, dividida pelo homem em seis capítulos – vai notar que Está Escrito bem claramente que havia um grupo de Gálatas Continue

  48. Waldecy Antonio Simões Diz

    A Maioria dos pastores evangélicos interpretam errado a Carta aos Gálatas (Parte 2)

    (há alguns que vos inquietam… Gálatas 1:7) cujos membros não se conformavam que as leis antigas, as de seus pais, das suas tradições, muitas vezes seculares, a partir de Jesus deixaram de existir na implantação da Nova Mensagem de Deus à Humanidade. Curiosamente isso se caracterizou em mais um milagre grandioso de Jesus não notado: Fez os judeus, em boa parte deles, abandonarem as ordenanças antigas, suas tradições antigas, suas leis antigas, enraigadas em suas almas, mesmo que algumas delas se caracterizassem como cargas pesadas – segundo o próprio Jesus declarou, abaixo colocado – a favor da Nova Religião, da Religião da Graça, e da Liberdade, pois realmente foi difícil, mas Está Escrito que as tais leis e ordenanças retrógradas, que escravizavam, que amaldiçoavam e que podiam matar dentro da lei, só vigoraram até João (Batista) Lucas 16:16. Portanto, principalmente em Gálatas e em Efésios.

    “Eu quereria que fossem cortados aqueles que vos andam inquietando”. Gálatas 5:12. O Paulo, se referindo ao rebelde grupo de gálatas.

    “Pois atam fardos pesados e difíceis de suportar, e os põem aos ombros dos homens; eles, porém, nem com seu dedo querem movê-los…”. Jesus, em Mateus 23:4, se opondo contra os fariseus e suas leis retrógradas, as mesmas condenadas pelo apóstolo Paulo, pois quanto às leis do Decálogo, veremos agora como o apóstolo Paulo se referia a elas:

    A hora da Verdade do apóstolo Paulo: Principalmente na Carta aos Gálatas, ele abominava as leis que só vigoraram até João, mas quanto às leis do Decálogo, se confessa escravo delas:

    “Graças a Deus por Jesus Cristo, nosso Senhor. De maneira que eu, de mim mesmo, com a mente, sou escravo da lei de Deus, mas, segundo a carne, da lei do pecado”. Romanos, 7:25.

    “Porque, no tocante ao homem interior, tenho prazer na lei de Deus”. Romanos, 7:22.

    “Para Deus não há diferença de pessoas. Assim, pois, todos os que sem a lei pecaram, também sem lei perecerão; e todos os que com a lei pecaram, mediante a lei serão julgados, porque os simples ouvidores da lei não são justos diante de Deus, mas todos os que praticam a lei hão de ser justificados”. Romanos, 2:12. Aqui, Paulo, novamente, ressalta o valor dos Mandamentos, e lembrando que são Dez!

    “… se tornou manifesto e foi dado a conhecer por meio das Escrituras proféticas, segundo o mandamento do Deus eterno, para a obediência por fé, entre todas as nações”. Paulo, em Romanos, 16:25.

    Paulo, o santo em vida, revela que não haveria pecado sem que houvesse antes a Lei instituída, promulgada e propagada e ainda cita uma das leis do Decálogo provando que se referia, de fato, às Dez Leis:

    “Que diremos, pois? É a lei pecado? De modo nenhum! Mas eu não teria conhecido o pecado, senão por intermédio da lei; pois não teria eu conhecido a cobiça se a lei não dissera: Não cobiçarás”. Romanos, 7:7.

    “Por conseguinte, a lei é santa; e o mandamento é santo, justo e bom”. Romanos, 7:12.

    Então, o Evangelho nos prova que Paulo jamais abominou uma só das 10 leis do Decálogo, ao contrário, imitando Jesus no Sermão do Monte, legitimou-as como os fundamentos do Evangelho de Cristo. Continue

  49. Waldecy Antonio Simões Diz

    A Maioria dos pastores evangélicos interpretam errado a Carta aos Gálatas (Parte 4)

    mas todos os que praticam a lei hão de ser justificados”. Romanos, 2:12. Aqui, Paulo, novamente, ressalta o valor dos Mandamentos, e lembrando que são Dez!

    “… se tornou manifesto e foi dado a conhecer por meio das Escrituras proféticas, segundo o mandamento do Deus eterno, para a obediência por fé, entre todas as nações”. Paulo, em Romanos, 16:25.

    Paulo, o santo em vida, revela que não haveria pecado sem que houvesse antes a Lei instituída, promulgada e propagada e ainda cita uma das leis do Decálogo provando que se referia, de fato, às Dez Leis:

    “Que diremos, pois? É a lei pecado? De modo nenhum! Mas eu não teria conhecido o pecado, senão por intermédio da lei; pois não teria eu conhecido a cobiça se a lei não dissera: Não cobiçarás”. Romanos, 7:7.

    “Por conseguinte, a lei é santa; e o mandamento é santo, justo e bom”. Romanos, 7:12.

    Então, estando perfeitamente esclarecido fundamentado no Evangelho que o apóstolo Paulo jamais poderia abominar as leis de Deus, as do Decálogo, sobraram para as leis antigas e retrógradas que só vigoraram até João, como Está Escrito, e que eram justamente essas tais leis que o grupo de gálatas pretendia que tivessem a continuação no Evangelho, principalmente a lei da Circuncisão, citada como nociva na Carta aos Gálatas. Continuando:

    “Assim, como já vo-lo dissemos, agora de novo também vo-lo digo. Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema”. Gálatas 1:9.

    Como já colocado e provado acima, que Paulo reconhece as leis do Decálogo como imprescindíveis para a identificação dos pecados na procura do caminho para a salvação, Está Escrito no preceito acima que será amaldiçoado quem ensinar diferente. Portanto, quem ousar sugerir que as leis do Decálogo nos trazem escravidão ou maldição, que seja anátema (que seja amaldiçoado).

    A seguir, Paulo relaciona, perfeitamente, um grupo de gálatas tentando transtornar o Evangelho ao tentar fazer valer a lei da Circuncisão a quem se convertesse ao cristianismo:

    “Mas nem ainda Tito, que estava comigo, sendo grego, foi constrangido a circuncidar-se. E isto por causa dos falsos irmãos que se intrometeram, e secretamente entraram a espiar a nossa liberdade, que temos em Cristo Jesus, para nos porem em servidão, Aos quais nem ainda por uma hora cedemos com sujeição”. Gálatas 2:3,4

    Em Gálatas 2, de 2 a 15, Paulo admoesta o apóstolo Pedro que errou, tentando ser agradável ao grupo de gálatas que pretendia que a lei da segregação racial vigorasse, também, no Evangelho. A lei da separação racial não vem de Deus, pois Está Escrito no Evangelho que todos somos iguais perante ele, tanto raças como pessoas.

    “Não aniquilo a graça de Deus; porque, se a justiça provém da lei, segue-se que Cristo morreu debalde”. Gálatas 2:21. Paulo declara que se as leis que escravizavam, que vigoraram até João, permanecessem no Evangelho, Cristo teria morrido em vão. (Continue)

  50. Waldecy Antonio Simões Diz

    A Maioria dos pastores evangélicos interpretam errado a Carta aos Gálatas (Parte 5)

    Só quisera saber isto de vós: recebestes o Espírito pelas obras da lei ou pela pregação da fé? Sois vós tão insensatos que, tendo começado pelo Espírito, acabeis agora pela carne? Gálatas 3:2,3

    Acima, Paulo abomina, novamente, as leis retrógradas, leis da carne, as leis das obras da carne (tais como as leis da circuncisão, do sacrifício de animais nos templos, a lei da morte e outras mais) que nada tem a ver com a fé cristã. Mas atenção, nada a ver com as obras de caridade por amor ao semelhante, imprescindíveis para a salvação. Isso está bem explícito no exemplo que Jesus nos deixou através do evento Jovem Rico, na Parábola do Samaritano, do Rico e Lázaro, e principalmente em Mateus, 25:31 a 44 onde Jesus nos revela, sinequaon, a salvação pelas obras e a condenação pela falta delas. Em I Coríntios 13.13 Está Escrito que o amor (amor com obras) é maior ainda que a fé. Confira. Mas confira mesmo!

    “Todos aqueles, pois, que são das obras da lei estão debaixo da maldição; porque está escrito: Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da lei, para fazê-las”. Gálatas 3:10.

    Esse preceito acima é o mais usado pelos ignorantes do Evangelho na tentativa da derrocada das leis de Deus, as do Decálogo. Mas as obras da lei citadas são exatamente aqueles que o grupo de gálatas tentou fazer vigorar, também, no Evangelho da Liberdade e da Graça, que naturalmente abomina as leis citadas acima, principalmente a lei da morte a pedradas, a lei dos sacrifícios de animais nos templos, a lei da segregação racial, como também a lei da circuncisão, lei da carne, um tipo de operação de fimose, à faca e sem anestesia. Quanto a isso, imaginem o apóstolo Paulo, frente a um grupo de pagãos convertidos ao cristianismo, dizendo a eles:

    “Meus irmãos, dou graças pela vossa conversão à religião de Jesus, mas para que ela se consolide, é necessário que eu agora, com esta faca, corte o prepúcio de vossos pênis para que se cumpra a lei. Vai doer em todos e em alguns vai infeccionar, mas só assim vocês poderão pertencer à religião da Liberdade e da Graça de Jesus”.

    Acima, se Paulo tivesse permitido que as leis das obras (como as citadas) integrassem o Evangelho, como pretendia o secreto grupo de gálatas, onde estaria a Liberdade e a Graça de Jesus? Por isso mesmo Paulo escreveu acima “que todos os que estão debaixo das leis das obras são malditos.

    “E é evidente que pela lei ninguém será justificado diante de Deus, porque o justo viverá pela fé”. Paulo cita, novamente, as leis retrógradas, que só valeram, num tempo, para regularizar as relações entre os hebreus israelitas nos sofridos 40 anos de deserto.

    “Cristo nos resgatou da maldição da lei, fazendo-se maldição por nós; porque está escrito: Maldito todo aquele que for pendurado no madeiro”. Gálatas 3:13.

    Acima, Cristo nos livrou das trevas e nos conduziu para a Luz. Da maldição para a Graça. Das leis escravas para a Liberdade. Das Obras da carne para a fé.

    “Mas, antes que a fé viesse, estávamos guardados debaixo da lei, e encerrados para aquela fé que se havia de manifestar. De maneira que a lei nos serviu de aio, para nos conduzir a Cristo, para que pela fé fôssemos justificados. Mas, depois que veio a fé, já não estamos debaixo de aio. Porque todos sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus. Porque todos quantos fostes batizados em Cristo já vos revestistes de Cristo”. Gálatas 3:23-27 (Continue)

  51. Waldecy Antonio Simões Diz

    A Maioria dos pastores evangélicos interpretam errado a Carta aos Gálatas (Parte 6)

    Antes de Jesus, valiam as leis existentes, a dos sacerdotes, dos príncipes e fariseus dos templos, que como revela Paulo, serviram a eles como um tipo de aio até que veio Jesus. A palavra grega AIO é o mesmo que tutor. Assim Paulo revela que no Evangelho cessaram as atribuições do tutor a favor da lei da Graça e da Liberdade da religião de Jesus.

    Nos primórdios do primeiro século, principalmente entre os gálatas, aconteceram problemas por conta da exigência da separação das leis antigas, tal qual da lei da circuncisão, pois as leis de Levítico ainda permaneceram fortes pelo menos até o apóstolo Paulo que lutou bastante para que tais leis retrógradas e já sem efeito, fossem esquecidas completamente, mesmo que já estivesse Escrito que tais leis só vigoraram até João. Nada a ver com as leis do Decálogo, os fundamentos do Evangelho, imprescindíveis para a salvação, segundo Jesus nos revelou através do exemplo do Jovem Rico.

    — Mestre, como farei para me salvar?

    — Guarda os mandamentos. Tu sabes os mandamentos (a seguir, Jesus cita alguns mandamentos para mostrar que se referia aos mandamentos do Decálogo, legitimando-o, mas uma vez)

    — Mestre, isso já faço desde a minha infância.

    A seguir, Jesus lhe revela (e por tabela a nós todos) que somente pela guarda das dez leis não haverá salvação sem a integração forte do amor de caridade ao semelhante, que necessariamente tem de ser seguido pela divisão dos bens materiais aos mais necessitados. Jesus nos revela que sem as obras de caridade não haverá salvação.

    — Então te falta uma coisa. Vá e venda as tuas propriedades e reparta-as com os necessitados.

    “Vedes então que o homem é justificado pelas obras, e não somente pela fé”. Tiago 2:24.

    Então, Cristo nos revela, sem condições de refutação alguma, que sem as obras de caridade de 1 Coríntios 13:13 e de Tiago, capítulo 2:14 a 18, e sem a guarda das leis do Decálogo não haverá salvação. Outro dia, recebi uma mensagem de um pastor revidando esse exemplo de Jesus, valendo-se do evento do ladrão crucificado ao lado dele, ao qual foi prometido a salvação, sem que o mesmo tivesse observado as leis de Deus e que não tivesse realizado caridade alguma por amor ao semelhante. Ora, é fácil perceber que, Jesus, que conhecia os pensamentos dele, sabedor de seu sincero arrependimento por seus crimes contra o semelhante, por certo também soube que se ele pudesse viver mais um tempo, convertido, certamente guardaria as leis de Deus e promoveria obras por amor ao semelhante. Mas não teve tempo, por isso Jesus resgatou-o para a salvação, ao contrário do outro criminoso que não aceitou a Jesus nem na hora da morte. Por esse exemplo Jesus nos revelou, também, que se mesmo na agonia da morte nos arrependermos verdadeiramente de nossos pecados, nós nos salvaremos pela Graça de Deus. Mas essa possibilidade é muito perigosa, pois a morte pode nos pegar entre uma passo e outro, sem aviso algum.

    “Mas agora, conhecendo a Deus, ou, antes, sendo conhecidos por Deus, como tornais outra vez a esses rudimentos fracos e pobres, aos quais de novo quereis servir?”. Gálatas 4:9, (Continue)

Comentários estão fechados.