Carta ao meu filho sobre jugo desigual

Esta carta foi por mim escrita e dirigida ao meu filho Samuel, que anos atrás se envolveu emocionalmente com uma jovem descrente. Na época minha esposa e eu ficamos muito preocupados e iniciamos uma batalha pela salvação de sua alma. Graças ao Senhor ele considerou a Palavra de Deus, e, por Sua misericórdia, libertou o meu amado filho de cair na “linsonja da mulher estranha”. Hoje ele está casado com Helen, uma serva de Deus, com quem tem uma mimosa filhinha da aliança, Sara.

O propósito de publicar esta carta é advertir aos jovens que estão no mesmo envolvimento emocional, sendo seduzidos por Belial até que a “flecha lhe atravesse o coração; como a ave que se apressa para o laço, sem saber que isto poderá lhe custar a vida”. Meu desejo também é de encorajá-los a ouvirem a voz da Sabedoria ― o Senhor Jesus.

Meu querido filho Samuel, meu primogênito, consagrado ao Senhor. Sua mãe e eu o amamos muito e nutrimos grande esperança de vê-lo feliz e abençoado, principalmente sendo útil na causa do Mestre. Temos orado incessantemente por você, principalmente agora que você está passando por essa provação. Como seu pai e também como seu pastor, quero, com muito amor, mas também firmeza, lhe trazer, em nome do Senhor, uma exortação bíblica, que espero possa lhe ajudar a tomar a decisão certa neste caso.

Meu filho, Deus propôs, desde a eternidade, escolher um povo para si, resgatá-lo e separá-lo dos demais povos, para que fosse exclusivamente seu. Estabeleceu com ele uma aliança para se relacionar e lhe pôs um selo específico (uma marca) para distingui-lo e proibiu terminantemente o relacionamento mais íntimo de qualquer dos seus filhos com os demais pecadores. Desejo lhe mostrar na Escritura, desde o Éden, este propósito da parte do Senhor. Deus prometeu um salvador a Adão e a Eva, bem como a toda sua descendência (Gn. 3:15). Caim matou Abel, e não foi contado como pertencente à Aliança. Por isso a descendência chamada santa, ou dos filhos de Deus, começou no capitulo 5 com Sete: “Viveu Adão cento e trinta anos e gerou um filho à sua semelhança e conforme a sua imagem e chamou-lhe Sete” (Gn. 5:3). Caim não foi considerado e Abel já estava com Senhor.

No capitulo 6, encontramos a primeira ameaça, que trouxe desgraça e destruição: “Como se foram multiplicando os homens na terra, e lhes nasceram filhas, vendo os filhos de Deus, que as filhas dos homens eram formosas, tomaram para si, mulheres…” (Gn. 6:1-2). Essa contaminação provocou a ira de Deus que chegou a se arrepender de ter feito o homem e destruiu a maioria deles no dilúvio. O casamento misto, reduziu o número dos participantes da aliança a 8 pessoas! De Noé, Deus escolheu Sem e assim retomou a linhagem santa até o Abraão, quando, de um modo mais claro, revelou sua vontade de manter um povo distinto na terra, para o louvor de sua glória, chamando Abraão e estabelecendo uma aliança com ele. Quando Isaque, seu filho, alcançou a idade adulta, Abraão mandou seu servo buscar, junto aos seus parentes, linhagem de Sem, mulher para ser esposa do seu filho. Abraão foi tão enfático em insistir que só poderia ser uma jovem de sua parentela que fez o servo jurar solenemente colocando a mão debaixo de sua coxa (Gn. 24:1-9). Por quê? Porque Abraão conhecia os propósitos do Senhor e os terríveis prejuízos que viriam caso a linhagem santa fosse contaminada.

O mesmo sucedeu quando Jacó e Esaú estavam na idade de se casarem. Rebeca e certamente seu pai Isaque, estavam tristes e preocupados com a possibilidade de seus filhos contaminarem a aliança com o casamento misto, veja: (Gn. 27:46 e 28:1-9). Jacó obedeceu, mas Esaú não, e foi deixado de fora. Outra ameaça surge no cap.34, do mesmo livro, com o estupro de Diná. Foi proposta uma ”conversão” forjada, que seria de grave conseqüência para o povo todo, e Deus usou o ódio dos irmãos de Diná, para destruir aqueles homens de Siquém “circuncidados”.

Muitos anos se passaram até que Satanás voltasse a ameaçar a pureza da Aliança e o povo de Deus com o pecado do relacionamento misto. Agora o povo de Deus estava atravessando o deserto. Balaque, rei dos moabitas, temendo a Israel, contratou Balaão para maldiçoar o povo, mas Balaão embora no íntimo quisesse, não conseguiu. Foi então que, inspirado por Satanás, ensinou a Balaque uma fórmula maligna e infalível: o relacionamento misto (Nm 31:15-16). Isso resultou num grande juízo da parte de Deus contra o povo e morreram 24.000 pessoas vitimadas por uma terrível praga, que só cessou quando Finéias transpassou com sua lança um israelita que chorava agarrado à sua namorada estrangeira (Nm 24 — leia todo). Temos mais tarde o caso de Sansão. Deus se utilizou das loucuras de Sansão para livrar Israel, mas isto não o isenta da culpa de ter se casado e depois se relacionado com mulheres que não eram da aliança.

Quando quis se casar com uma filistéia, seus pais o recriminaram, (Juízes 14:1-3) porque sabiam que esta desobediência cheirava ruína e morte. Agora a Escritura expõem a triste experiência de Salomão, um jovem rei, que contou com o apoio de seu pai que o aconselhou (I Reis 2 :1-4) e o instruiu (Prov. 4). Tinha a melhor das intenções, pediu sabedoria e recebeu, mas arruinou-se por causa do pecado do casamento misto. O capitulo 11 de I Reis diz: “Ora, além da filha de Faraó, amou Salomão muitas mulheres estrangeiras: moabitas, amonitas, edomitas, sidônita e hetéias, mulheres das nações de que havia o Senhor dito a Israel: não caseis com elas, nem casem elas convosco, pois vos perverteriam o coração, para seguirdes os seus deuses. A estas se apegou Salomão pelo amor”.

Após o exílio, depois de grande sofrimento, em fim o povo retorna para sua terra, por mercê de Deus. Mas Esdras descobre que algo estava errado e a ameaça estava de novo rondando o povo, era o pecado do casamento misto. Sob a liderança de Esdras o sacerdote, o povo foi exortado fortemente e uma grande consternação e arrependimento tomou conta dos que haviam voltado a Sião por terem se envolvido em casamento misto. No capitulo 10 de Esdras, vemos a descrição desse fato e do drama que se instalou na difícil tarefa de ter que despedir as mulheres estrangeiras e seus filhos.

Neemias, servo do Senhor, na mesma ocasião, como governador, usando de sua autoridade, tratou com severidade os envolvidos. “Contendi com eles e os amaldiçoei e espanquei alguns deles e lhes arranquei os cabelos…” e os admoestou relembrando-lhes o que acontecera com Salomão, cujas mulheres estrangeiras o fizeram cair em pecado. (Ne. 13:21-27) No Novo Testamento, nada mudou a este respeito, a aliança é a mesma e os seus termos também. Em Cristo fomos chamados para debaixo da aliança, para dentro da comunidade de Israel (Ef 2:12-13). Somos agora o povo santo de Deus (I Pe. 2:9-10), seus filhos e, o mesmo que Ele requereu deles no Velho Testamento, requer agora de nós: “Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulo…que harmonia, entre Cristo e o Maligno? Ou que união do crente com o incrédulo?” (II Co. 6:14-18). Casamento, somente “no Senhor” (I Co. 7:39). Por isso, meu filho, não podemos sequer admitir um envolvimento, ainda que seja apenas sentimental, de um filho da aliança, com uma moça ímpia, filha de Belial. Lembre-se que para o Senhor Jesus, não é pecado somente aquilo que é externo, mas o que já existe no coração (Mt. 5: 27-28).

Meu filho, por quem tenho derramado lágrimas, intercedendo e suplicando todos os dias diante do trono da graça. Sei que esse sentimento é involuntário, e você não é responsável por ele, mas o ter facilitado para que ele surgisse, e visse a nutri-lo e protegido. Isso é pecado e entristecesse a Deus. É preciso ser mais duro contra o pecado, não acaricie aquilo que corre como câncer no seu coração e que no fim lhe leva à morte. Rogue a Deus e implore para que Ele extirpe do seu coração este sentimento. Tome providências severas contra ele. Corte todos os meios para que ele seja nutrido. Faça exatamente o que diz o texto: “retirai-vos do meio deles, separai-vos, diz o Senhor” (II Co. 6:17,18). Eu sei que dói, mas o Senhor sofreu muito mais por você. Sei que você tem tentado resistir, mas… “Ora na vossa luta contra o pecado ainda não resististe até o sangue” (Hb 12:4). Estamos orando por você, sua mãe e eu, “na expectativa que Deus lhe conceda, não só o arrependimento… mas também o retorno à sensatez, livrando-o dos laços do diabo…” (II Tim. 2:26).

Deus o abençoe!

Por: Josafá Vasconcelos. © Projeto Os Puritanos. Fonte: Carta ao Meu Filho sobre Jugo Desigual.

31 Comentários
  1. Victor Renan Diz

    Deus seja louvado!

  2. vic Diz

    Apesar de ter entendido e achado totalmente válido o posicionamento dessa carta, creio que ela desconsidera as outras possibilidades. Ora, o apóstolo Paulo nos advertiu da comunhão entre o crente e o descrente, porém há casos e casos, não vamos exagerar. Meu tio ERA um desses crentes “frios” que só vão à igreja por ir e que não estão em comunhão alguma com o corpo. Isso tudo mudou pelo fato de ele ter conhecido minha tia, uma DESCRENTE, que, ao se converter, fez com que ele tivesse maior interesse na palavra do Senhor.

    1. Rafael Diz

      Se Deus vai transformar, pela misericórdia, o mal em bem e superabundar graça onde abundou pecado, nisso confiamos. Contudo não nos deixa brecha para tentá-lo e pecar contra ele, na desculpa de depois se tornar em bem.
      Que o Senhor nos auxilie para EM TUDO glorificá-lo, com firmeza de coração, permanecendo em Cristo.

    2. Lidia Diz

      VIC, não podemos usar um caso que deu certo como exemplo para todos. Conheço mais casos que deram errados, do que certos. Ter um relacionamento com alguém que não tem a mesma fé que a sua é dar um tiro no escuro sem saber se vão conseguir caminhar juntos ou não.
      Se a pessoa não crente se converter ao evangelho de Cristo, é Deus usando sua misericórdia infinita na vida da pessoa crente, visto que Deus não precisa que alguém peque para converter uma vida; segunda coisa a ser a pessoa crente da relação precisa assumir que, enquanto seu parceiro(a) não se converter, ela está em pecado.
      Pecado é pecado independente da situação, se Deus muda a história não cabe a nós explicar o motivo, mas com certeza foi pra glória Deus, superbundando a graça em meio ao erro.
      A PAZ DE CRISTO!

    3. Carlos Augusto da Costa Vega Diz

      Mesmo no caso de seu tio, embora desse certo, houve o pecado do jugo desigual. Temos que fazer a vontade de Deus independente se vai dar certo ou não. O fim não justifica os meios.

    4. Seth Diz

      Não existe desigualdade perante Deus, não existe povo escolhido(digo uma linhagem diferente) todos são iguais. Mas vale um pecador arrependido, do que alguém que apenas sabe julgar.

      Se vc é japones Deus não pede que vc tem que se casar com outro japones…

    5. Isabel Diz

      Neste caso não se trata de diferenças culturais!
      Creio que o autor da carta nos vem falar honestamente sobre PECADO. E isso temos de tratar “os bois pelos nomes” e chamar o pecado de “pecado”.
      A Bíblia é clara quando nos fala sobre esse assunto, e nesse ponto, concordo inteiramente com o autor carta.
      Perante Deus, os seus filhos, os que fazem parte da família de Deus são todos iguais, mas há diferenças (sim!) entre os seu FILHOS e as suas CRIATURAS!

    6. PAULO SANTOS Diz

      Então na verdade não houve jugo desigual porque se o seu tio era “frio” não era crente. OU o crente ferve pelo Espírito Santo ou então não é crente. Deus é um fogo consumidor.

    7. Mara Aline Diz

      Brilhante! Você falou tudo, irmão. Mara Aline

  3. Edward Diz

    O texto produzido é impressionantemente bíblico.

  4. João E Dayse Almeida Diz

    No que tange à pratica na vida cristã, nunca a experiencia está acima da revelação e direção bíblica. Portanto o que quer que tenha acontecido com você ou com conhecidos seus, não é norma, pode ser um testemunho de como Deus foi gracioso, mas ainda sim, não podemos transformar a graça em libertinagem. Sola e Tota Scrpitura.

  5. Lucas Matheus Diz

    Extremamente válido
    nos dias atuais, mas, infelizmente, sempre haverá certo numero de
    “crentes” que se envolverão com os incrédulos, glórias a Deus, que nos capacita para nos afastar desses sentimentos
    (até mesmo aqueles que já estão contaminados com os tais).

    Em relação aos que se envolveram com incrédulos e acabou no fim dando
    “certo”, ressalto a afirmação do irmão “O fim não justifica
    os meios.” Se por um acaso alguém se firmou ainda mais em
    Cristo, foi pura e simplesmente a misericórdia de Deus para com sua
    vida, a Palavra de Deus diz que Ele é tardio em irar-se, mas, não significa que
    não chegará a este ponto.

    A presença de Deus e Sua Palavra nesses momentos são tudo o que
    precisamos.

    A paz do Senhor Jesus seja com todos.

  6. Sonia Arantes Diz

    Sal 139-16, Deus escreveu nossa história de vida. Converter é mudar de direção, convergir para O CAMINHO, JESUS, viver A VERDADE, pela VIDA que Deus nos deu. Mas, somente DEUS em sua ONISCIÊNCIA, ONIPOTÊNCIA e ONIPRESENÇA, pelo poder do Espírito Santo, pode estabelecer Sua perfeita vontade em nossas vidas. Acredito que não somente os pais em relação aos filhos, mas todo ser humano, em tudo, pode não estar convicto de seu viver diário. seja em questões pessoais, familiares, profissionais, de relacionamentos, ministeriais…. em suas escolhas. Deus é quem chama e escolhe para uma vida com Ele e nos ensina. João 6-45 O JUGO DESIGUAL, na verdade, na amplitude do mundo, é o que está fora do grandioso propósito de Deus em tudo e em todos, é o não andar conjugado um ao outro, nos tempos préviamente estabelecidos e nos limites de nossa habitação (Atos 17-26), fora dO CAMINHO, em direção contrária da IGREJA, do CORPO DE CRISTO. Casamento, assim como tudo que vivemos, requer AMOR, e amor de Deus. E se o Pai nos pedir o mesmo para OSÉIAS, que casou-se com uma prostituta?, Nem por isso deixou de ser propósito de Deus. Sansão da mesma forma. O que importa é viver a vida que Ele escreveu para honrar e glorificar o nome Dele. O amor te capacita a discernir e não julgar os planos de Deus. Tenhamos sempre, intimidade com Deus. Abçs fraternos. Sonia Arantes

  7. Cássia Lingoist Diz

    Glória a Deus pela sua vida e também pela sua esposa, pois também tenho isto no coração.
    Eu e meu marido também temos batalhado por esta palavra em nossa casa e na nossa igreja.

  8. marcello Diz

    Me preocupa ver esse texto por aqui. Apesar de compreender a preocupação dos pais (eu também sou pai de um menino e uma menina), usar a experiência pessoal para sugerir doutrina ou regra de conduta é extremamente contraditório ao propósito desse blog que tanto admiro e recomendo e, vemos que essa conduta tem contaminado centenas de cristãos em todo lugar.

    1. Wagner Diz

      creio que não foi sugerido uma doutrina, mas apenas testemunho pessoal, pq muitas pessoas podem estar passando pela msm situação e ao ver que deu certo com outras pessoas recobrarem a confiança acreditando que vai dar com elas tb, Deus nos concede a fé mais a forma(meio) como ela se manifesta são muitas, e através deste texto muitas pessoas podem alcançar a fé ou recuperar a esperança de que a situação que passam não poderia mais ter solução.

    2. Vinícius Musselman Pimentel Diz

      Marcello,

      Nada foi baseado em experiência pessoal. O embasamento doutrinário é elaborado na bíblia e aplicado a experiência pessoal do filho do autor do texto.

      Não concorda?

      Paz

    3. Fernando Diz

      Muito bom testemunho ..
      Sem contar o embasamento bíblico contido nas palavras.

  9. Vinícius Musselman Pimentel Diz

    José,

    Não posso dar permissão pelo autor. Mas creio que se você indicar o autor e não utilizar para fins comerciais não há problema.

    Paz

  10. Seth Diz

    Eu já li a biblia inteirinha mas reconheço que lembro de poucas coisas com detalhes, mas queria que alguem explicasse exatamente, o que quiseram dizer com isso ‘ relacionamento misto’…se for em relação entre pessoas que acreditam em Deus e pessoas que não acreditam, ai sim esse texto tem valor, caso contrario não tem o menor fundamento.

    Existe inumeras religiões, mas um só Deus, então não há problema algum por exemplo ,uma pessoa catolica se envolver com uma evangelica, desde que ambos acreditem em Deus. E mesmo que por ventura alguem não acreditasse, ele não iria punir, pelo contrario, iri agir na pessoas que acredita nele, pra mostrar pra quem não acredita que ele existe.

    Isso de povo escolhido é uma metafora, não existe pessoas diferentes pra Deus, Deus ama a todos de maneira igual, até mesmo aquelas pessoas que pecam, que matam, que roubam..etc.Deus ama da mesma forma, ele esperará até o ultimo momento possivel tentando salvar esta pessoa.

    Quem escreveu este texto só esta vendo um lado da moeda, só esta se baseando em passagens do antigo testamento, quando em certos textos se mostra um Deus com ira, que faz alianças, que ajuda exercitos vencer exercitos, etc.

    Não sigam essas passagens ao pé da letra, pois é facilmente interpretado de forma conturbada por pessoas que se dizem cristãos, mas na verdade são fanáticos.

    Se vcs lerem a biblia a partir do momento que Jesus vem aqui pro mundo, vcs vão ver que não existe nada disso de povo escolhido, de relacionamento misto…etc,Ele é amor, bondade, ele cura, perdoa, ele salva basta que se tenha fé, que acredite nele. Posso citar que ele perdoou uma prostituta, que ele pediu agua para uma mulher que era de outro povo, que ele foi almoçar na casa de um cobrador de impostos, e pq ele fez isso, pq mesmo essas pessoas sendo consideradas do outro povo(dos que eram pecadores), ele enxergava que essas pessoas eram boas, só precisavam de uma nova vida.

    1. Vinícius Musselman Pimentel Diz

      Seth,

      O texto quer dizer: não case com um não-cristão.

      Quanto a “escolhidos”, acredito que você está errado. Veja porquê: até Jesus afirmou que Deus tem seus escolhidos:

      E Deus não fará justiça aos seus escolhidos, que clamam a ele de dia e de noite, ainda que tardio para com eles? (Lucas 18:7)
      E, se aqueles dias não fossem abreviados, nenhuma carne se salvaria; mas por causa dos escolhidos serão abreviados aqueles dias. (Mateus 24:22)

      Certamente, os escolhidos de Deus não são agora por nacionalidade (judeus ou não-judeus), mas ainda assim Deus tem seu povo escolhido, composto de pessoas de todas as nacionalidades.

      Abração =]

    2. rondinelle Diz

      Quanta Ignorância Bíblica
      Seth. Existe um livro na bíblia chamado romanos leia primeiro para tentar afirmar tais coisas .

  11. Seth Diz

    se um homem bom tem um filho, não quer dizer que esse filho sera bom só pq seu pai é bom

    se um homem mal tem uma filha, não quer dizer que essa filha será má só pq seu pai é mal.

    o que quero dizer é que não se herda nada ao nascer…

    pessoas são simplesmente pessoas, o que elas fazem é o que define se são boas ou más, não interessa se vc é branco, preto, amarelo, catolico, evangelico, protestante, espirita, budista, muçulmano etc,

    Não pode haver preconceito, só usando um exemplo, se eu acreditar que Deus é loiro, e outra pessoas acreditar que Deus é moreno, são opiniões diferentes não são?

    Mas ambos não acreditam em Deus? então pq não poderiam se relacionar?

  12. Felipe Barros Diz

    Que tremenda leitura! Fui tocado com o carinho que o pai teve com seu filho e o cuidado do mesmo pai de ter firmeza e misericórdia ao admoestar o filho.

    Também gostaria de repassar para alguns jovens da minha igreja.

  13. Eduardo Barros Diz

    Que carta maravilhosa.

  14. Leonardo Diz

    Ótimo texto, biblicamente muito fundamento! Entretanto, creio também que toda pessoa que é salva por Deus através do seu Evangelho ocorre no dia e na ocasião determinada por Ele. Assim, creio que, misericordiosamente, Ele pode utilizar um filho Seu para alcançar aquele a quem quer salvar. NÃO QUERO GENERALIZAR, é claro que existem aqueles “filhos” que se envolvem em relacionamentos que só levam à destruição. Mas, creio ser da vontade de Deus, em algumas ocasiões, de utilizar um filho Seu para que não apenas o futuro cônjuge, mas também a sua família sejam alcançados.
    Esse filho utilizado por Deus para alcançar outro, em um relacionamento dessa natureza, ele (filho) permanecerá forte, em constante comunhão com Deus, firmado na Palavra, para ensinar e servir de testemunha para a sua companheira a ser salva por Cristo. Não creio que um relacionamento nesses termos seja pecado, haja vista que o cristão está sendo sal e luz para a sua companheira.
    Ainda, faço a ressalva que o cristão em um relacionamento desses deve orar pela salvação da companheira antes de casar-se. Caso o coração da companheira não se quebrar, se o Espírito Santo não a convencê-la do pecado e do juízo, é porque não é com essa mulher que o cristão deverá casar-se.
    Enfim, se um cristão iniciar um namoro com uma católica, por exemplo, e permanecer firmado na rocha, incentivando-a, expondo a Palavra, sendo testemunha verdadeira de Cristo, ele deverá perseverar em oração pela salvação dela até receber a resposta de Deus, se é para continuar e casar-se ou não. Agora, se esse cristão, logo que começar a namorar passa a se distanciar da comunhão com Cristo e sua Igreja, com certeza esse relacionamento deverá terminar o quanto antes.

    1. Geovane Diz

      Não….Não devemos iniciar um relacionamento em julgo desigual, esperando ser usados por Deus para “converter” a outra pessoa em uma situação que contraria ao que ele nos ordena sobre isso!!!

  15. Rafael Diz

    Vinicius Musselman,
    E no meu caso que, conheci minha namorada e me tornei uma só carne com ela, devo deixa-la ? Alguma indicação, livro, texto, artigo, passagem etc… ? Esta situação se enquadra em “2Sm 13.16” ?

    1. Vinícius Musselman Pimentel Diz

      Rafael, o casamento envolve a união carnal, mas não é só isso. Assim, se a pessoa não é cristã, você estará cometendo dois erros se casar com ela. 2Samuel apresenta um caso no qual naquela cultura uma mulher solteira que não fosse mais virgem teria uma dificuldade absurda de se casar e seria taxada na sociedade.

      Recomendo este livro para a questão sexual: http://www.nutrapublicacoes.com.br/purificando-o-coracao-da-idolatria-sexual.html

      E estes para seu relacionamento:
      http://www.hagnos.com.br/produtos.asp?codigo=566
      http://www.hagnos.com.br/produtos.asp?codigo=644

      Você também deveria procurar conversar com seu pastor sobre o assunto.

      Por Cristo e pelo Evangelho (Mc 8.35), Vinícius.

    2. Rafael Diz

      Vinicius, entra em contato no meu e-mail por favor.

  16. Jurandir Gois Diz

    Qual o livro a respeito dos puritanos e Josafá Vasconcelos cita em certo vídeo, que ainda não ta em portugues , mas um dia que for traduzido vai causar um choque na gente ?

Comentários estão fechados.