Entrevista com Bispo Walter McAlister

Filho do Bispo Robert McAlister, o qual é tido por muitos como o pai do neopentecostalismo brasileiro e fundador da igreja da qual saíram alguns dos maiores pregadores neopentecostais da atualidade, Walter McAlister é o atual bispo-primaz da denominação do pai, a Aliança das Igrejas Cristãs Nova Vida.

Nesta entrevista, Yago Martins entrevista McAlister e fala sobre a ingrata fama do seu pai, pentecostalismo histórico e reformado, movimentos neopentecostais, episcopado, abusos de poder, o fim da igreja moderna e muito mais.

Realização: Anno Domini e Vlog do Yago  © Todos os direitos reservados.

Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

23 Comentários
  1. Felipe da Silva Diz

    Gostei muito dessa entrevista

  2. Sara Louise Peixoto Diz

    Gostei bastante dessa entrevista , quebrou a minha visão, pois tinha uma visão generalizada de que todos eram iguais, preciso muito de referências sobre o tema do neopentecostalismo, pois estou prestes a produzir um trabalho(monografia) sobre isso obrigado pela ajuda ! se postarem bibliografia ou mais sobre o assunto agradeço !

  3. Joselia Marinho Diz

    Excelente…

  4. GOSTEI MUITO

  5. Eu sou da igreja nova vida de itaboraí meu pastor é lauremir lopes

  6. Rudiney Patrocinio Aleixo Diz

    Sou membro da assembleia de Deus, mas hoje me considero um "Pentecostal Reformado".

  7. Daniel Bertasso Diz

    Assisti toda a entrevista…Bem esclarecedora, Soli del Glória!

  8. Daniel Bertasso Diz

    Assisti toda a entrevista…Bem esclarecedora, Soli deo Glória!

  9. Leandro Almeida Diz

    Quem não teve a oportunidade de conhecer o Bispo Roberto McAlister, pai do Bispo Walter, com certeza deixou de ver um homem de Deus com grande visão de reino, um abnegado proclamador do evangelho e plantador de igrejas.

    O que não foi mencionado na entrevista é que, depois que o Bispo Roberto deu independência às igrejas, alguns bisbos mais antigos reestabeleceram uma comunhão e a denominação passou a ser, sob o presbitério desses bispos, a IGREJA DE NOVA VIDA do Brasil. Os que ficaram aliados ao Bispo Walter, restauraram o nome Igreja Pentecostal de Nova Vida e, como foi dito, rebatizada de Igreja Cristã de Nova Vida.

    Assim é que, a IGREJA DE NOVA VIDA, na prática é uma grande denominação dividada em dois grandes campos ou linhas ministeriais. A Igreja de Nova Vida do Brasil segue a linha antiga, mais arminiana. Já a Igreja Cristã Nova Vida é da teologia Reformada. A origem de ambas é, portanto, o trabalho do bispo Roberto nos anos 60!

    1. Bispo Walter McAlister Diz

      Leandro,

      Sabemos que a “Nova Vida” é de fato uma constelação de várias denominações que se reportam a meu pai como fundador. Mas, isto é irrelevante. Os tempos são outros. Cada um seguiu a sua linha. Eu respondo por minha casa de fé apenas. Mas, “uma só denominação” é uma falácia, que alguns insistem em perpetuar. Já não é o meu caso.

    2. Gisele Santos Diz

      Bispo, parabéns pelo seu trabalho e ministério! São homens assim que a Igreja precisa! Graças á sua denúncia ao neopentecostalismo de qual eu fizera parte, pude perceber o quanto errada eu estava nesse sistema. Hoje não faço mais parte dessa Igreja, posso lhe dizer que hoje sim conheço a verdadeira palavra! Obrigada! Continue nessa luta!

  10. McAllister Al Diz

    Caro Walter, Gostei da entrevista e seus esclarecimentos, embora sinta que a sua auto definição não seja uma questão “cultural” e sim “conceitual” sobre o “pentecostal”. Concordo plenamente que viver pela Inspiração (a “volta as origens” do que é ser cristão) é pelo Espírito Santo – e transcende este aspecto dos conceitos pois é harmonia com esta dinâmica, e não equilíbrio.

    1. Bispo Walter McAlister Diz

      É, pode ter razão. Quero honrar as minhas origens. Como vê, ao mesmo tempo que tiramos o termo do nome da denominação, ainda procuro me identificar como Pentecostal. Mas requer uma constante redefinição do termo, que não deixa de ser um pouco presunçoso, da minha parte, embora quisera não ter que fazê-lo. Alguém disse que o que somos é melhor definido como Reformados Continuistas. Mas, creio que os historiadores do futuro terão uma visão mais clara disto. Agora estamos no meio de mudanças difíceis de entender completamente.

    2. McAllister Al Diz

      Caro Bispo Walter, muito legal o quanto és transparente. Sinto que você honra suas origens sendo fiel ao seu testemunho como Cristão – que percebo na sinceridade e clareza de seu discurso – não está preso ao que escrevi acima como “conceitualização”. Toda conceitualização depende de validação para ser alguma coisa perante a sociedade e ela sempre fica engessada no tempo – junto com seus adeptos, por isso tantas denominações… e vaidades. E a partir do ponto de vista dela não tem como se enxergar engessado. Por isso aprecio tua visão, mais livre e enxuta, ciente das necessidades da organização, a entidade igreja, mas ao mesmo tempo querendo prover uma experiência de verdadeira espiritualidade para quem tem o coração aberto para tal. Você tem discernimento de causa, fala a verdade. Definitivamente não é entretenimento e faz de conta. Desejo-lhe Paz. Grato por me responder.

  11. Ricardo Luís Diz

    Essa entrevista foi muita esclarecedora em vários pontos a respeito da origem do movimento neopentecostal. Acho que vou ter que reler meu exemplar do livro Super Crentes. rsrs =)

  12. Joversi Xavier Ferreira Junior Diz

    Querido bispo McAlister, convivi com a Igreja de Nova Vida no Zumbi, Ilha do Governador. Os integrantes da banda na qual eu tocava eram de lá em sua maioria. Como Batista reformado, também continuista, ouço com muita alegria a mudança de foco em sua igreja. Parabéns, e conte com outro reformado aqui em Boa Vista, Roraima.
    P.S.: conversava ontem mesmo com Franklin Ferreira sobre este retorno às doutrinas da Graça por parte da sua igreja.

  13. Renato Dueti Diz

    Identifiquei-me muito com a visão do bispo. Tb sou membro da assembleia de Deus, mas há alguns anos abracei as doutrinas da graça. Parte da influência para tanto veio dos vídeos do Paul Whasher e do John Piper, que foram divulgados pelo VE. Que o Senhor continue agraciando esse belo trabalho.

  14. Atos Henrique Diz

    Gostei muito e aprecio suas convicções, compartilho da maioria delas, precisamos nos voltar ao estudo correto da bíblia, estudo da história protestante, e estudo das idéias dos teologos reformadores la no início do protestantismo, para abandornarmos de vez os grotescos erros doutinários da igreja na atualidade.

  15. Atos Henrique Diz

    Créio que as pessoas estão terceirizando o estudo e entendimento biblico para pastores de muita “lábia” e isso que origina essa multidão de desesperados e superficiais nos templos neopetencostais

  16. pr. Edmar Ornelas de Azevedo Diz

    Enfim, um pentecostal com a cabeça no lugar.

  17. jhonattas Diz

    Pensei que era reformado por causa da barbinha. kkk

  18. alexandre Diz

    Sou batista reformado não continuista, entretanto quero destacar a boa visão do bispo McAlister no que tange a identidade da igreja hoje, nisto concordamos. Parabéns aos irmãos Anno Domini, e obrigado ao Bispo Walter MacAlister.

  19. Pr.Samuel Santos Diz

    Sinceramente, o bispo teve muita paciência em ser entrevistado por um menino! Será que o entrevistador entendeu o teor da própria entrevista? De qualquer forma, que Deus abençoe a ambos e a igreja brasileira como um todo. Agora, vamos acabar com esta besteirada toda de pentecostal, reformado, etc. Como disse o bispo, nossa identificação maior e suficiente é somente derivada de Cristo. Somos cristãos ou não e ponto final. Ou seguimos a Cristo ou a outro homem qualquer. Solus Christus!

Comentários estão fechados.