[DEVOCIONAL] John Piper – O Corpo, o Café da Manhã e o Leito Conjugal

O Corpo, o Café da Manhã e o Leito Conjugal

Meditação sobre a adoração diária

Adoração é um termo que usamos para nos referirmos a todos os atos do coração, da mente e do corpo que expressam intencionalmente a infinita dignidade de Deus. Fomos criados para isso, como Deus o afirma: “A todos os que são chamados pelo meu nome, e os que criei para minha glória,e que formei, e fiz” (Isaías 43.7). Isso significa que todos fomos criados para expressar a infinita dignidade da glória de Deus. Fomos criados para adorar.

Mas, quando você pensa em adoração, não pense apenas nos cultos nas igrejas. Essa é uma grave limitação que não se encontra na Bíblia. Toda a vida deve ser adoração, como Paulo o disse: “Apresenteis o vosso corpo por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional” (Romanos 12.1). Toda a nossa vida se realiza por meio do corpo. Este deve ser apresentado a Deus como nosso “culto racional”. Isso inclui todas as ações. Pense em alguns exemplos.

Considere, por exemplo, tomar o café da manhã ou comer uma pizza ou um lanche no meio da manhã. 1 Coríntios 10.31 diz: “Quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus”. Ora, comer e beber são atitudes bem elementares. O que poderia ser mais humano do que essas atitudes? Comemos e bebemos todos os dias. Nós o fazemos em casa, no trabalho, no carro e onde quer que haja uma fonte de água. Paulo disse que essas atitudes estão relacionadas a Deus. Devemos comer e beber de um modo que expressa a infinita dignidade de Deus. Podemos fazer isso por preferir a Deus à comida, quando jejuamos. Podemos fazê-lo por comer menos e compartilhar mais. Também podemos fazê-lo por preferir a Deus sem rejeitar o alimento, quando nos banqueteamos, se o fazemos com “ações de graças”, como pessoas que crêem e “conhecem plenamente a verdade” (1 Timóteo 4.3).

Ou considere, por exemplo, o sexo. Paulo disse que o alternativo da fornicação é adoração. “Fugi da impureza [fornicação]. Qualquer outro pecado que uma pessoa cometer é fora do corpo; mas aquele que pratica a imoralidade peca contra o próprio corpo. Acaso, não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que está em vós, o qual tendes da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por preço. Agora, pois, glorificai a Deus no vosso corpo” (1 Coríntios 6.18-20).

Não pratique a fornicação com o seu corpo. Adore com o seu corpo. Ele diz que o corpo é um templo, ou seja, um lugar de adoração. O corpo é um lugar para nos encontrarmos com Deus, e não com prostitutas. Isso não significa que o sexo é pecaminoso. Significa que o sexo é precioso. O sexo é muito precioso e não deve ser barateado. Deus tenciona que o coloquemos em um lugar bastante seguro e sagrado — o casamento. Neste lugar, o sexo se torna a expressão do amor entre Cristo e a igreja. Revela a glória da intensidade do amor de Deus por seu povo. Torna-se adoração. “Glorificai a Deus no vosso corpo.”

E não fazer sexo fora do casamento demonstra a preciosidade daquilo que ele representa. Portanto, a castidade é adoração. A continência magnifica a Cristo acima do sexo. E praticar a sexualidade amorosa no casamento exalta a Cristo como o grande amado de sua noiva, a igreja (Efésios 5.25-30).

Ou considere a morte, como nosso último exemplo. Faremos isso em nosso corpo. De fato, será o último ato de nosso corpo nesta vida. Nosso corpo se despede. Como adoraremos nesse último ato de nosso corpo? Sabemos que o podemos, visto que Jesus disse a Pedro como ele morreria, e João explicou: “Disse isto para significar com que gênero de morte Pedro havia de glorificar a Deus” (João 21.19). O último ato do corpo é dizer adeus à alma. E devemos ter um intenso desejo de que nosso corpo se despeça da alma de um modo que expresse a infinita dignidade de Cristo. O último ato deve ser adoração.

Como? A resposta é dada com clareza em Filipenses 1.20-21. Paulo disse que sua esperança era a de que Cristo fosse exaltado em seu corpo, por meio da morte. E acrescentou: “Para mim… o morrer é lucro”. Expressamos a infinita dignidade de Cristo por considerarmos a morte como lucro. Por que lucro? O versículo 23 afirma que a morte significa “partir e estar com Cristo, o que é incomparavelmente melhor”.

Você tem um corpo. Mas esse corpo não é seu. “Fostes comprados por preço. Agora, pois, glorificai a Deus no vosso corpo” (1 Coríntios 6.20). Você está sempre em um templo. Adore sempre.


Devocional extraído do livro Provai e Vede, de John Piper.

Copyright: © Editora FIEL

Permissões: a postagem de trechos deste livro foi realizada com permissão da Editora Fiel. Se você deseja mais informações sobre permissões contate-os.

Adquira o livro |

10 Comentários
  1. Jorgmsp Diz

    Amem, Adonai Eloim, Ajudame a glorificar-Te e a adorar-Te com tudo o que há em mim.
    GLÓRIA A DEUS!!!

  2. Jonathan Arthur Morandi Diz


    Você está sempre em um templo. Adore sempre. ” sábias palavras.

  3. José Galvão Diz

    Louvo a Deus pela vida do Pastor Johjn Piper. Somente servos do Altíssimo são usados pelo Espírito Santo para a produção de textos assim.

    1. Aparecosta Diz

       Verdade!

  4. Guustavo-s Diz

    noossa. uma otima palavra! até a morte eh um ato de adoração ao Senhor, isso é forte!
    a paz

  5. Ericka_38 Diz

    O que mais quero é buscar honrar ao Senhor com a minha vida .

  6. Hugo Hoffmann Diz

    John Piper é realmente um pregador extremamente iluminado pelo Espírito Santo de Deus. Me preocupou um pouco sua afirmação, falando sobre a morte, que “O último ato do corpo é dizer adeus à alma”, como se alma fosse uma entidade que sai do corpo, como ensinado na filosofia grega, quando as Esrituras afirmam, na criação do primeiro homem: “formou o SENHOR Deus ao homem do pó da terra e lhe soprou nas narinas o fôlego de vida, e o homem passou a ser alma vivente” (Gn 2:7), dando claramente a entender que ALMA é o ser humano vivo (com o fôlego de vida e o pó da terra atuando simultaneamente).

    1. Lucas Coelho Diz

      Perdoe-me amado irmão. Acredito que a distinção entre alma e espírito, por mais complexa que seja, é de suma importância nesse caso. A alma é sim o ser humano vivo, mas responda a si mesmo; o que é o ser humano vivo? São todas as suas ações, isto é, pensamentos, sentimentos, sensações e outras do gênero. Isto é que dá forma ao ser humano, isto é viver. Mas existe algo ainda mais abstrato que condiciona o ser humano a ter essas características ou ações. Veja pelo próprio versículo que você citou:  “…e lhe soprou nas narinas o fôlego de vida, e o homem passou a ser alma vivente”, que entende-se, ainda que problematicamente, que a partir do “sopro” a alma passa a ser vivente, ou seja, sendo ou não “alma” antes de ser “vivente”, ainda assim nos leva ao entendimento de que não havia vida até esse sopro. De forma mais clara, se pudéssemos chamar só de “alma” o que havia antes do sopro diríamos que não era vivente, mas ainda era alma. Se não pudermos, diríamos que não havia algo, ou seja, havia nada, simplesmente um perfeito e complexo “boneco” de barro sem ânimo. Mas nem por isto ou aquilo poderíamos afirmar categoricamente que o “sopro” é a própria “alma vivente”, isto é, como se ao soprar essa substância imaterial que vem de Deus pudesse ser chamada de “alma vivente”. Ela é algo que dá a animação ao “boneco de barro”, mas não podemos afirmar que seja propriamente a alma vivente. Outrossim, pode argumentar que minha humilde posição a respeito disso é também uma afirmação categórica, enquanto não.
      Digo que para chegarmos a afirmar qualquer das coisas acima precisamos passar pelos passos que validam as ideias. Neste caso específico o que valida a minha ideia pessoal é o fato de que alma e espírito são componentes intrínsecas e que não podem coexistir separadas nesta dimensão em que vivemos, pelo menos não no ser humano. Ainda é uma ideia a ser moldada e discutida, bem como atacada e argumentada, mas o que me consola pelo dado momento.
      Pode ser que minha afirmação a respeito da alma como características do ser humano parece extremamente freudiana, mas é muito mais bíblica do que filosoficamente secular. Dá pra se entender por contextos bíblicos o que a alma representa para nós.
      Perdoe-me se lhe ofendi em algo, longe disto, minha intenção é simplesmente responder ao comentário por você postado.
      Tenha uma ótima noite e que Deus o abençoe.

  7. Terezinha Afonso Diz

    NUNCA HAVIA OUVIDO FALAR SOBRE ADORAR A DEUS DESSA FOIRMA.
    TOCOU MUITO FUNDO MEU CORAÇÃO E AUMENTOU  MEU DESEJO DE ADORÁ-LO 
    ATÉ O ULTIMO INSTANTE DE MINHA VIDA.
    GLÓRIAS  A DEUS POR TÃO MARAVILHOSA INSPIRÇÃO.

  8. DIONE FELIX Diz

    SOLI DEO GLORIA

Comentários estão fechados.