5 sinais de que você glorifica a si mesmo

É importante reconhecer o fruto de autoglorificar-se em você e em seu ministério. Que Deus use esta lista para lhe conceder sabedoria diagnóstica. Que ele use esta lista para expor seu coração e redirecionar seu ministério.

Autoglorificar-se fará com que você:

1. Ostente em público o que deveria ser mantido em particular.

Os fariseus são um vívido exemplo primário para nós. Porque eles viam suas vidas como gloriosas, eles eram ligeiros em ostentar essa glória diante dos olhos de quem estivesse vendo. Quanto mais você pensa que você já chegou lá, e quanto menos você vê a si mesmo como necessitando de graça resgatadora, mais você tenderá à autorreferência e à autocongratulação. Por você estar atento à autoglorificação, você vai trabalhar para conseguir maior glória mesmo quando não estiver consciente de que está fazendo isso. Você tenderá a contar histórias pessoais que fazem de você o herói. Você encontrará maneiras, em cenários públicos, de falar de atos privados de fé. Por você se achar digno de aplausos, você buscará os aplausos de outros encontrando maneiras de apresentar a si mesmo como “piedoso”.

Eu sei que a maioria dos pastores lendo esta coluna pensarão que nunca fariam isso. Mas estou convencido de que há mais “desfile de piedade” no ministério pastoral do que tendemos a pensar. Esta é uma das razões pelas quais eu acho conferências pastorais, reuniões de presbitério, assembleias gerais, convenções, e reuniões de plantação de igreja desconfortáveis às vezes. Após uma sessão ao redor da mesa, essas reuniões podem se degenerar a um “concurso de cuspe” de ministério pastoral, onde somos tentados a menos do que honestos sobre o que de fato está acontecendo em nossos corações e em nossos ministérios. Após celebrar a glória da graça do evangelho, há demasiado recebimento de glória autocongratulatória por pessoas que parecem precisar de mais aplausos do que merecem.

2. Seja demasiadamente autorreferente

Todos nós sabemos disso, todos nós já vimos isso, todos nós já ficamos desconfortáveis com isso, e todos nós já fizemos isso. Pessoas orgulhosas tendem a falar muito de si mesmas. Pessoas orgulhosas tendem a gostar mais de suas próprias opiniões do que das opiniões dos outros. Pessoas orgulhosas pensam que suas histórias são mais interessantes e cativantes do que as dos outros. Pessoas orgulhosas pensam que eles sabem e entendem mais do que os outros. Pessoas orgulhosas pensam que conquistaram o direito de serem ouvidas. Pessoas orgulhosas, por basicamente terem orgulho do que sabem e do que fizeram, falam muito sobre ambos. Pessoas orgulhosas não falam a respeito de suas fraquezas. Pessoas orgulhosas não falam a respeito de suas falhas. Pessoas orgulhosas não confessam pecado. Então pessoas orgulhosas são melhores em colocar os holofotes sobre si mesmas do que em refletir a luz de suas histórias e opiniões de volta para a gloriosa e completamente imerecida graça de Deus.

3. Fale quando deveria ficar calado.

Quando você pensa que já chegou lá, você é bem orgulhoso e confiante de suas opiniões. Você confia em suas opiniões, então você não está tão interessado nas opiniões dos outros quanto deveria estar. Você tenderá a querer que seus pensamentos, perspectivas e pontos de vista vençam em qualquer reunião ou conversa. Isso significa que você estará muito mais confortável do que você deveria estar com dominar um grupo com sua conversa. Você falhará em ver que na multidão de conselhos há sabedoria. Você falhará em ver o ministério essencial do corpo de Cristo em sua vida. Você falhará em reconhecer suas tendências e sua cegueira espiritual. Você não irá a reuniões formais ou informais com um senso pessoal de necessidade do que os outros têm a oferecer, e você controlará a conversa mais do que deveria.

4. Fique quieto quando deveria falar.

A autoglorificação pode ir para o outro lado também. Líderes que são muito autoconfiantes, que involuntariamente atribuem a si mesmos o que poderia apenas ser efetuado pela graça, frequentemente veem reuniões como uma perda de tempo. Por serem orgulhosos, eles são muito independentes, então as reuniões tendem a ser vistas como uma interrupção irritante e inútil de uma agenda ministerial já sobrecarregada. Por causa disso, ou eles acabarão com todas as reuniões ou as tolerarão, tentando finalizá-las o mais rápido possível. Então eles não lançam suas ideias para consideração e avaliação porque, francamente, eles não acham que precisam. E quando suas ideias estão na mesa e sendo debatidas, eles não entram na briga, porque eles pensam que o que eles opinaram ou propuseram simplesmente não precisa de defesa. A autoglorificação fará com que você fale demais quando você deveria ouvir, e com que você não sinta necessidade de falar quando você certamente deveria.

5. Se importe demais com o que os outros pensam de você.

Quando você caiu no pensamento de que você é alguma coisa, você quer que as pessoas reconheçam esse “alguma coisa”. Novamente, você vê isso nos fariseus: avaliações pessoais de autoglorificação sempre levam a um comportamento de busca por glória. Pessoas que pensam que chegaram a algum lugar podem se tornar hipersensíveis a como outras pessoas reagem a elas. Por você ser hipervigilante, observando a maneira pela qual as pessoas em seu ministério respondem, você provavelmente nem sequer percebe como você faz as coisas por autoaclamação.

É triste, mas frequentemente ministramos o evangelho de Jesus Cristo por causa de nossa própria glória, não pela glória de Cristo ou a redenção das pessoas sob nossos cuidados. Eu já fiz isso. Eu já pensei durante a preparação de um sermão que um certo ponto, colocado de certa maneira, poderia ganhar um detrator e eu já fiquei observando à procura da reação das pessoas enquanto eu pregava. Nesses momentos, na pregação e na preparação de um sermão, eu abandonei meu chamado como embaixador da eterna glória de outro pelo propósito de conseguir para mim o louvor temporário dos homens.

Por: Paul Tripp. © The Gospel Coalition. Website: thegospelcoalition.org. Traduzido com permissão. Fonte: 5 Signs You Glorify Self.

Original: 5 Sinais de que Você Glorifica a Si Mesmo. © Voltemos ao Evangelho. Website: voltemosaoevangelho.com. Todos os direitos reservados. Tradução: Alan Cristie.

30 Comentários
  1. Rego Antunes Moraes Duarte Diz

    Acredito que este ´~e um pecado que nos persegue sempre. Obrigado pelo alerta, que deve ser relembrado todos os dias diante de nossa natureza pecaminosa, que não descansa. Não descansemos também.

    1. Marco Antonio Afonso Diz

      Flaaaala Reverendo!!!! Saldações Calvinistas! Shalon, Adonai Shalon! Gde abç!

  2. Victor Hugo Diz

    Nossa…realmente preciso me examinar, porque, por vezes, sou mais orgulhoso do que penso. É um negócio que, quando menos se espera, já se está sendo orgulhoso. Algo para ser constantemente vigiado, digo de si mesmo!

    1. Wagner Diz

      Realmente irmão victor hugo isto é uma verdade, precisamos tomar muito cuidado com isso.

  3. Para refletir:

  4. Clarisa Marquez Rivero Diz

    O maior perigro não é o diabo, senao nós mesmos.O caminho é tão estreito que um só olhear à dereita ou ao ezquerda nos tira do caminho. Nosso olhear deve estar sempre Nele. Ele é a nossa medida.

  5. Liliane Srs Diz

    Desculpe-me, mas o tempo que gastamos dissecando pessoas orgulhosas poderíamos gastar ajudando nossa esposa com a louça, nossos filhos com a lição, a moça na rua com as sacolas… Maquinarmos sobre o bem e pelo bem. Se " somos cartas do apóstolo geradas em seu coração pelo evangelho" devemos cuidar do que andamos gerando.

    1. Nahum Pereira Diz

      Prezada Liliane Srs, os dez mandamentos, na sua maioria, nos mostram o que não fazer. No Sermão da Montanha, Jesus faz o mesmo repetidas vezes. O apóstolo Paulo, em suas cartas aponta erros interminavelmente. O Espírito Santo de Deus se terá equivocado em Sua revelação? Creio que devemos apontar o bem e ajudar a lavar as louças etc., sem por isso nos descuidar em apontar didaticamente o que deve ser evitado.

    2. Joao Paulo Barbosa Diz

      Olá Liliane, o que Paul Tripp explanou vemos na Bíblia. Particularmente como pastor tenho que ter o cuida de ensinar a Escritura, dissecando-a para expor Aquele de quem a Bíblia fala mostrando e estabelecendo sua Vontade. Isto começa em meu lar, e assim se segue por todo lugar. Em tudo que fizer, que possamos recordar, não somo nada.

  6. Luis Gustavo Diniz Diz

    Texto mt bom, este é um daqueles que sempre me deixam "incomodado". Devemos tentar melhorar, pois naturalmente já somos pecadores!

  7. Davi D'aguiar Diz

    Muitooo bom! Glória a Deus!

  8. Liliane Srs Diz

    Não é que não devamos fazer um, mas devemos acrescentar o outro. Porque em toda e qualquer área em que atuemos(púlpito, trabalho, família, etc) encontraremos o rigor do orgulho, o rugir da lei da boa conduta, a separação entre os que são e os que pensam que são, etc
    E no exato momento em que começamos a usar nossas medidas para enquadrar o outro em um estereotipo incorremos no mesmo erro.
    O modo que eu aprendi para errar menos neste ponto é lembrar-me de que Se eu que procuro fazer a vontade do Senhor muitas vezes me vejo pregando o que condeno, que dirá meu irmão

  9. Liliane Srs Diz

    De todo o modo valeu pela reflexão, só me preocupei com a parte do " orai para que também vós não entreis em tentação" . Que o Senhor os abençoe e guarde de todas as tentações.

  10. Fabio Cassiano Diz

    :O glup; socorro Jesus !!!

  11. Maique Nunes Diz

    O orgulho é simplesmente o fator principal que gera todos os outros pecados existenciais!

    Que este pecado principal se afaste de nós à medida em que nós nos aproximarmos de Deus!

  12. Enaile Diz

    Orgulhosos “não erram”… apenas têm “perspectivas diferentes”… E não conseguem se entregar à presença da gigantesca graça de Deus. Quem já viu a exumação de um corpo consegue ver o que realmente seremos… pó…. E ter a experiência do perdão de Deus é algo que traz esperança de que nossas vidas não terminarão ali. Perceber a correção de Deus e receber Seu perdão é a melhor coisa dessa vida. Não vale a pena orgulhar-se por nada; já que “nada” é o que somos.

  13. Neto Diz

    Ótimo alerta!! Foi mto valioso p/ mim. Glórias a Deus!

  14. Pastora Miraceny Diz

    Que valorizemos os alertas de Deus e procuremos sempre nos consertar, para que possamos servir cada vez melhor ao Senhor Jesus.

  15. Ana Lúcia Louback Diz

    Essa síndrome de exaltação do ego tem sido uma praga. Muito difícil de debelar, porque a maioria nem quer ouvir ou ler algo assim, como essa mensagem. E a nova teoria da psicóloga da auto-estima se transformou em uma "marca" maldita de quase toda pregação ou ministração. Casais e adolescentes são guiados e encharcados desse veneno.

  16. Elias Filho Diz

    É a tendência de nossa carne buscar a autoglorificação, devemos vigiar e orar para não cair nessa tentação!

  17. Claudio Arantes Diz

    Se tiver tempo e coragem espiritual leia até o fim!

  18. Diego Bispo Diz

    Pobre homem que sou!!!!

    1. Diego Bispo Diz

      Esse é o nosso coração.

  19. Jaime Silveira Diz

    Paulo retrata muito bem isto em I Corintios 13
    amor é paciente, é benigno; o amor não arde em ciúmes, não se ufana, não se ensoberbece, não se conduz inconvenientemente, não procura os seus interesses. O destaque é para. “Não se ufana”.
    Ajuda-nos Senhor!!!

  20. Wesley Ferreira Diz

    Simplesmente dirigido pelo Espirito Santo esse texto me ajudo muito, que Deus continue te usando.

  21. Márcia Fernanda Favacho Diz

    Muito bom!

  22. Marco Antonio Diz

    Glória a Deus por essas palavras ! A autorreferência , autocongratulação e autoglorificação são tão sutis e tão destrutíveis !

  23. Daniel Maximo Diz

    acabo de ler meu RX , miserável homem que sou ,que Deus tenha misericórdia da minha vida

  24. Cristovao Neto Diz

    Eu…nao!

  25. rosamarcia Diz

    Eh sempre bom lembramos de nossas fraquezas! Isso nos mostra o quanto necessitamos da cruz de Cristo operando em nossas vidas! Nao tem jeito e preciso vigiar sempre…

Comentários estão fechados.