Dez Perguntas para Fazer Sobre a Letra de uma Música

Escolher músicas para cantar na adoração pública é um negócio complicado. Todos na igreja parecem ter uma opinião. Então como um pastor ou uma equipe de presbíteros devem selecionar músicas que glorifiquem a Deus e sirvam ao corpo?

O estilo e a qualidade da música são importantes, é claro. Ainda assim, eu sugeriria que a letra é uma preocupação primária — então aqui estão dez perguntas para fazer sobre a letra de qualquer canção que você esteja considerando incluir na adoração pública.

1. A letra é verdadeira?

Cada canção é como um sermão. Um pregador deve estar comprometido em falar apenas aquelas palavras que reflitam precisamente a verdade bíblica. Da mesma maneira, as letras devem ser lidas cuidadosamente antes de serem selecionadas para se ter certeza de que elas também comunicam a verdade bíblica.

2. As letras são verdadeiras, porém, enganosas?

Letras que são tecnicamente verdade, mas podem ainda assim ser enganosas. Então não é o suficiente afirmar a veracidade da letra; sua clareza também é importante. Eu creio que a música de Brian Doerksen “Vinde, Agora é a Hora de Adorar” cai nesse campo. Primeiro, dizer que agora é a hora de adorar está certo, mas ainda assim isso leva as pessoas as pensarem que elas não estão adorando enquanto estão no carro indo para a igreja? Segundo, dizer “Vinde como estás” é tecnicamente correto, mas não corre o risco de ignorar a importante verdade de que devemos nos achegar a Deus com mãos limpas e um coração puro?

3. A letra é rica?

A maioria de nossas canções não deveria ter apenas um aperitivo teológico, mas um banquete. Felizmente, há uma demanda crescente por letras ricas, o que explica o renascimento dos hinos mais antigos, algumas vezes aplicados a novos estilos e até mesmo novas letras com maior profundidade teológica.

4. A letra é teocêntrica ou antropocêntrica?

Essa é uma ideia complicada. Algumas letras antropocêntricas tendem a se concentrar em nossa resposta ao caráter ou a obra de Deus — e elas podem ser muito apropriadas. Mas uma abundância de letras antropocêntricas pode dar à congregação uma pesada dose de moralismo e até mesmo desencorajamento.

Outras letras antropocêntricas tendem a se concentrar em como estamos nos sentindo, como vamos, ou o quão alegres estamos quanto a o que Deus tem feito. Embora isso possa ser apropriado, uma abundância desse tipo de música pode levar à superficialidade (estou cantando que me sinto ótimo quando na realidade, não me sinto) ou ao orgulho (eu sou o centro). Mas se a letra se concentra em Deus e no que ele tem feito, então somos retirados do nosso moralismo e do nosso orgulho e a letra começa a pregar verdade aos nossos corações, nos levando a pensar e sentir as coisas certas.

5. A letra louva a Deus por quem ele é, e não meramente por o que ele tem feito?

Nós deveríamos estar contentes em cantar frequentemente sobre o caráter de Deus e não meramente sobre sua obra. Deus é honrado quando cantamos seus atributos tanto quanto sobre suas ações. Cantar apenas sobre sua obra é dar a entender, mesmo sem a intenção, que Deus é bom porque ele me salvou. E embora isso seja verdade, também é verdade que Deus é bom porque ele é bom — e devemos reconhecer tal verdade na música.

6. A letra aborda explicitamente a obra expiatória de Cristo na cruz?

Embora nem toda canção mencione a cruz, a maior parte de nosso canto deve ser centralizado na cruz uma vez que isso é o que o torna cristão. Embora seja maravilhoso cantar os salmos, e nós devemos cantá-los, devemos estar cientes de que um bom judeu pode cantá-los se nem sempre abraçar seu pleno significado. A letra de nossas canções deveriam especificamente ensinar a congregação a respeito da expiação.

7. A letra é bonita?

Algumas composições são mais bonitas que outras. O que torna uma letra mais bonita que a outra é um tópico para outro dia. Mas vários fatores devem ser considerados: 1) o uso da rima e da assonância; 2) o uso de figuras; 3) o uso de elegantes versos inflados ou linguagem floreada; e 4) o uso de repetição.

8. A letra é compreensível?

Alguns dos antigos hinos são maravilhosos para estudantes de teologia que passam horas lendo os puritanos, mas podem deixar outros coçando a cabeça pensando: “Eu sei que eu deveria gostar disso, mas eu simplesmente não sei o que significa”. É aí que um bom líder de louvor faz toda a diferença. Trechos que são difíceis de entender podem ser explicados de antemão. Ou, simples mudanças podem ser feitas no texto contanto que a integridade do hino seja preservada.

9. A letra é familiar?

Enquanto é importante apresentar novas letras, toda congregação deve ter um cânon de letras bem gastas para as quais possam retornar regularmente. Assim como boa escrita recompensa a releitura, o canto repetido de boas letras podem levar seu significado mais profundamente ao coração.

10. A letra se encaixa no tema do dia?

A maioria das letras de música são apropriadas para qualquer culto. Você consegue encontrar qualquer texto de sermão na Bíblia onde não seria apropriado cantar sobre a santidade, o amor, a misericórdia de Deus ou a esperança no céu? É claro que não!

Ainda assim, cada letra tem uma ou duas claras ênfases. E devemos escolher letras que sublinharão o significado do texto que estamos prestes a ouvir ser pregado. Isso não deve ser feito simplesmente encontrando canções com “amor” no título se o tema do dia é o amor de Deus (embora títulos possam ser uma boa maneira de começar). É melhor fazer mais perguntas. Qual aspecto do amor de Deus estamos considerando naquele dia? Seu amor como Criador? Seu amor como Redentor?

Por: Aaron Menikoff ; Original: Ten Questions to Ask of a Song’s Lyrics.

Aaron Menikoff é pastor titular da Mount Vernon Baptist Church em Atlanta, Georgia.

Tradução: Alan Cristie. © 2014 Voltemos ao Evangelho. Original: Dez Perguntas para Fazer Sobre a Letra de uma Música.

Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

43 Comentários
  1. Nayron Amorim Diz

    Essa reflexão é mto propícia, visto q temos sido assolados por mta “palha” nas músicas q têm sido usadas p/ alimentar a Igreja atualmente. Ao msm tempo temos escassez d adoradores músicos ministrando à Igreja, ou seja, temos pessoas q tocam e cantam mto bem (ou ñ!) ms têm outros objetivos q fogem da essência desse Ministério: conduzir a congregação na adoração ao Senhor. Por fugir dessa essência ñ há a preocupação levantada por esse artigo.

  2. Erlon Reis Diz

    Muito bom.

  3. Wuezel Nascimento de Oliveira Diz

    muito Bom!

  4. Jadson Said Diz

    AS MÚSICAS NAS IGREJAS HODIERNAS, LOUVAM, ADORAM E ENALTECEM O HOMEM. OS APRESENTADORES SÃO ADORADOS NOS ALTAR, EM FLAGRANTE IDOLATRIA SOMENTE COMPARADA AOS AOS ASTROS DA MÚSICA MUNDANA. TRISTE FIM ESPERA PARA ESSE PALCOS E PLATÉIAS.

  5. Jadson Said Diz

    AS MÚSICAS NAS IGREJAS HODIERNAS, LOUVAM, ADORAM E ENALTECEM O HOMEM. OS APRESENTADORES SÃO ADORADOS NOS ALTAR, EM FLAGRANTE IDOLATRIA SOMENTE COMPARADA AOS AOS ASTROS DA MÚSICA MUNDANA. TRISTE FIM ESPERA PARA ESSE PALCOS E PLATÉIAS.

  6. Levi Dos Santos Carvalho Diz

    Ótimo.

  7. Matheus Portela Diz

    parabéns pelo artigo !

  8. Fernando Zdanowicz Diz

    por isso amo música instrumental… rssss

  9. Robson Apolonio Diz

    DEIXA DEUS ATUAR NÃO O HOMEM.

  10. Kezia Medeiros Araujo Medeiros Diz

    muito bom

  11. Avivamento Edu Chaves Diz

    Entendo amados, mas vejamos alguns ítens: "Cantai ao Senhor um cântico novo, porque Ele tem feito maravilhas". Salmos 98.1. Também existe o risco da música conhecida tornar-se vans repetições!! Um cântico novo também não significa música nova ou antiga e sim uma nova interpretação da música, quase uma releitura. E louvando-no por suas obras continuamos centrando Deus como criador. No demais, o mesmo salmo explica que o Deus que faz maravilhas também é poderoso para salvar. Concordo que mesmo os feitos de Deus devem apontar para a salvação que é e sempre será a prioridade do plano perfeito de redenção elaborado por Deus de Gênesis a Apocalipse. Parabéns pela matéria.

  12. Rodrigo Falsetti Diz

    Muito bom

  13. Rodrigo Falsetti Diz

    Muito bom

  14. Marcelo Braga Diz

    otimo artigo
    vou repassa-lo para a igreja em que sou menmbro!!!
    claro com as devidas referencias…

  15. Jonas Rosas Diz

    O texto é muito bom levando-se em consideração que ele fala da música na comunidade, coletivamente, naquele momento em que as igrejas hoje chamam de “momento de louvor”. Considero que essa é só uma parte do que a música representa para uma comunidade cristã. É um assunto que pode ser bastante explorado e que tem outras ramificações.

    1. Adriana Paula Moura Diz

      Concordo. É o tipo de assunto que deve ser levado em consideração e explorado ao máximo tendo em vista a carência de conhecimento tanto doutrinário como técnico da maioria dos líderes de louvor das igrejas de hoje principalmente as neo pentecostais. O que se tem visto e vivido nas igrejas de um modo geral são formulas prontas e imitações de cantores e bandas que estão em evidência.

  16. Lucas Moreira Diz

    Isso é muito bonito quando se fala de igreja imensas, com grandes grupos musicais e muita gente trabalhando.
    Agora, numa igrejinha, de fundo de vila, com 50 membros, onde os músicos trabalharam a semana inteira nas mais diversas áreas, e o líder de música tb é líder de jovens, líder de teatro e técnico de som e etc, etc, etc, a realidade é bem diferente meus irmãos.
    Toda essa preparação é simplesmente inexistente. E digo a vocês, essas igrejinhas são abençoadas, pois vivem em comunhão, todos se conhecem, compartilham falhas e se ajudam. E quando essa congregação se reúne, a presença de Deus é uma constante.

    Querem ajudar? Façam uma lista com músicas, de preferência já cifradas e coloquem aqui no blog.

  17. Adriano Batista Diz

    essas são algumas das indagações que fiz e espero continuar a fazer enquanto compositor. que o Senhor nos ajude e nos ilumine! http://www.youtube.com/watch?v=YPC_HibEfqg

  18. Levi Nogueira Diz

    É disso que eu to falando e vou falar sempre!

  19. Dudu Alves Diz

    sabias palavras.

  20. Marcos Dirceu Diz

    Muito legal o texto Levi! Um livro interessante dentro dessa temática é o " A arte e a bíblia" do Francis Schaeffer da editora Ultimato, recomendo a leitura, caso vc não tenha lido. Abraço!

  21. Eduardo Medeiros Diz

    Eu colocaria mais um ponto:
    11) A letra é de uma fonte genuinamente cristã ??

    Vejo um número crescente de crentes que estão "louvando" a Deus com músicas feitas por seitas. Isso me assusta um pouco.

  22. Jair E Carmen Guimarães Diz

    Para mim o que não serve na igreja ,também não serve para fora dela.Mas o texto é bom.

  23. Levi Nogueira Diz

    Valeu a sugestão Marcos Dirceu! Acho que já li alguma coisa a respeito…tenho lido tanto que nem sei mais o que eu li! hahahahah…Valeu mano!

  24. Pedro Henrique Camacho Diz

    A maioria das letras tocadas hoje na igreja principalmente por jovens são um bosta!

  25. Jefferson Santana Diz

    Mais um texto brilhante publicado neste blog! Parabéns a equipe!

    1. Jonathas Carvalho Diz

      Muito bom, mesmo!

  26. Julio Camacho Diz

    Hummm!!!! filhote e este vocabulário????? mamy

  27. Pedro Henrique Camacho Diz

    A maioria das letras tocadas hoje na igreja principalmente por jovens são objetos roliços e pontiagudos que saem das entranhas do orifício. Melhorou?

  28. Refletindo a Graça Diz

    Ótimo artigo. Apesar de entender que em certos casos, como Lucas Moreira, falou ser de difícil operação certos pontos, contudo, uma programação bem definida no decorrer da semana e a adoção de hinários podem, ao meu ver, suprir algumas faltas. No fim das contas, devemos ter os ouvidos abertos para um direcionamento do Espírito e respeitar o princípio fundamental de um louvor que é adoração.

  29. Daniel Adriana Souto Diz

    Não importam quantos músicos tenham. Importante é se as canções são bíblicas. Tamanho não é documento. Nem para os pequenos.

  30. Lucas Moreira Diz

    Com certeza não é meu amigo. No entanto, a questão é tempo. Igrejas estruturadas tem pessoas trabalhando especificamente área, sendo remuneradas por isso. Enquanto em igrejas menores nem tempo de ensaio se tem, tampouco um tempo hábil para busca de avaliação de repertório.
    Estou levando em conta as exigências acima citadas e vendo quase que 100% das músicas atuais não se encaixando nos padrões.
    O que eu sugeri é que este canal que tem nos ensinado tanto, nos fornecesse uma lista de músicas pra facilitar aos que tem menos condições de garimpar por aí atras delas.

  31. Cleidiane Silva Diz

    Muito bom para podermos escolher melhor o nosso repertório

  32. Andreia Queiroz Diz

    Segue uma pequena lista que pode ajudar:
    1. Charles Wesley (algumas estão traduzidas no Cantor Cristão e outras no hinário Adventista)
    2. Coloque no Youtube: Cante as Escrituras – Defesa do Evangelho (Pr. Paulo Junior)
    3. Vencedores por Cristo
    4. Josemar Bessa – ReformedSound
    5. Daniel Ludke (Adventista) fez algumas composições musicais do livro dos Salmos.
    6. Hinário: Cantor Cristão.
    7. Hinário: Novo cântico.
    8. Harpa
    9. Leia o hinário CCB – Inúmeras músicas tem conteúdo doutrinário muito bom, o louvor é "parado" e você pode dar uma nova roupagem pra eles.

    "Examinai tudo e retenha o que é bom…"

    Imprima as letras, leia elas no ônibus, no intervalo do trabalho, não desperdice 10min da sua vida, com 10min é o suficiente pra você ler 2 hinos por dia, 10 hinos na semana, em 1 mês você tem um repertório fantástico que engrandecerá o SENHOR DEUS.

    Em Cristo,

  33. Lucas Moreira Diz

    Andreia Queiroz Ótimo. Obrigado Andreia. Os hinos do Cantor Cristão são sempre cantados aqui, são um celeiro de músicas boas. Temos outras canções muito boas do Ademar de Campos e do Asaph Borba também.

  34. Bruna Fernandes Diz

    Artigo maravilhoso, realmente está cada dia mais dificil escolher músicas para adorar com a Igreja pois grande parte das musicas gospel que produzem nos dias de hoje falam de nossa vida, nossa vitoria, nossos inimigos, mas nao dao enfase a exaltacao das qualidades do nosso Senhor, de seu sacrificio na cruz.

  35. Kezia Medeiros Araujo Medeiros Diz

    muito bom

  36. Kezia Medeiros Araujo Medeiros Diz

    muito bom

  37. Samuel Milanez Diz

    Lucas Moreira Quem não tem tempo para Deus vive perdendo tempo, uma Igreja que não possua uma pessoa capaz de dedicar tempo no preparo do louvor nem de longe é uma igreja abençoada. O irmão pode até pedir uma lista, mas se a pessoa que a fizer tropeçar em alguma canção? quem responderá diante de Deus pela sua congregação não é ele, mas sim você (ou o líder do louvor que acatar a lista). Cada cristão precisa ter tempo e compromisso para Deus ou não está demonstrando merecer o título de Cristão.

  38. Lucas Moreira Diz

    Samuel Milanez Tempo pra Deus é algo muito relativo. Estar na igreja não significa estar dando seu tempo pra Deus. Entendo que o que Deus quer são pessoas que estejam com Ele o tempo todo.

    Mas relacionado ao trabalho na Igreja, nem todas as igrejas tem a estrutura que temos e podem ter um líder ou uma pessoa responsável. Em muitos casos, mesmo com um responsábel pela música, este não tem o conhecimento e fontes de busca de músicas, tudo que ouvem é o que vem das rádios, ou então, o clamor da igreja por música A ou B.

    Não isento essas igrejas da sua responsabilidade. Mas essa discussão sobre música na igreja é relativamente nova. Nem todo mundo entende o mau que uma música de má qualidade pode fazer na igreja.

    Abraço. Deus abençoe.

  39. Kezia Medeiros Araujo Medeiros Diz

    muito bom

  40. Emerson Cristiano Ribeiro Diz

    Gostei da sua colocação Lucas Moreira. Faço parte de uma igreja de tamanho médio. Trabalho, tenho filhos pequenos e estou estudando música por que gosto. Mas tenho observado uma exigência exagerada quanto a aspectos técnicos na igreja quando o mais importante é o caráter cristão do ministro. E isso independe de tamanho de igreja ou de tempo para ensaios.

Comentários estão fechados.