Os três ofícios de Cristo

O tríplice ofício de Cristo (“Munus triplex”), o qual ele exerceu tanto em seu estado de humilhação como no de exaltação, está figurado no Antigo Testamento nos ofícios profético, sacerdotal e real – ofícios que eram consagrados através de unção (sendo “ungido” o significado do termo grego “Cristo” e hebraico “Messias”).

Como Profeta, ele nos revela a vontade e a pessoa de Deus. Como Sacerdote, ele é nosso mediador diante de Deus, oferecendo a si mesmo, uma só vez, em sacrifício para satisfazer a justiça divina e nos reconciliar com o Pai e vivendo sempre para interceder por aqueles que se achegam a Deus. Como Rei, ele governa como o vice-regente do Pai sobre o mundo, protege o seu povo e conquista sobre seus inimigos.

Ressalta-se que, apesar de vermos tais sombras no Antigo Testamento, não devemos supor que Deus se aproveitou “a posteriori” desses ofícios para ilustrar a obra messiânica, mas que foram decretados antes da fundação do mundo para nos revelar o Cristo. Primeiro vem a realidade eterna do Filho, depois os ofícios terrenos. Ele é o Logos, o Cordeiro que foi morto e o braço direito do Pai antes da fundação do mundo.

Ademais, encontramos esse tríplice ofício em todas as Escrituras.

Em Gênesis, Cristo é como

  • Profeta: a Palavra criadora do Pai (1.3; cf. Jo 1.1-4; Cl 1.16) e o Anjo do Senhor que traz a revelação da vontade e da aliança de Deus (16.7; 31.11-13; cf. 2 Co 1.20)
  • Sacerdote: o sacerdote segundo a ordem de Melquisedeque (14.17-20; cf. Hb 7.17, 22, 24-25), o descendente mediador das bênçãos para todas as famílias da terra (12.1-3, 7; 13.15; 24.7; cf. Gl 3.1-16) e o subtituto provido por Deus para ser sacrificado no lugar da descendência de Abraão (Gn 22.13-14; cf. Jo 3.17 e Hb 2.16)
  • Rei: o Descendente de Judá de quem o cetro jamais se apartará (49.10; cf. Ap 5.5 e Hb 1.8) e que pisa sobre a cabeça da serpente (3.15 ; cf. Cl 2.15).

E em Apocalipse, ele é como

  • Profeta: a testemunha fiel (1.5) que traz revelação, a qual Deus lhe deu para mostrar aos seus servos o que em breve há de acontecer (1.1) e que é digna de abrir os sete selos da revelação do juízo de Deus (6.1).
  • Sacerdote: o Cordeiro que foi morto (5.11) e que, por meio de seu sangue, liberta (1.5) e compra para Deus gente de toda tribo, língua, povo e nação (5.9).
  • Rei: o vitorioso Leão da Tribo de Judá, a Raiz de Davi (5.11) e o soberano dos reis da terra (1.5), que possui, reina e governa com cetro de ferro sobre o reino do mundo (2.27; 11.15) e que julga e guerreia com justiça (19.11).

Por fim, por estarmos unidos em Cristo, o tríplice ofício de Cristo tem duas implicações. A primeira é aquilo que ele realiza por nós em cada um deles, conforme descrito acima. A segunda, e muitas vezes negligenciadas, é que somos chamados a sermos à imagem do Filho (com as devidas limitações observadas). Somos chamados como

  • Profetas: a ensinarmos tudo aquilo que Deus falou através do Filho nos últimos tempos (Mt 28.18-20), proclamando a mensagem de juízo e salvação do evangelho (Mc 16.15; Rm 2.16; 2Co 2.14-17) e sendo, como igreja, coluna e firmeza da verdade (1 Tm 3.15).
  • Sacerdotes: a cuidarmos um dos outros (Hb 3.13; 10.25) e intercedermos um pelos outros e pelo mundo (Ef 6.18; 1 Ts 5.17; 1Tm 2.1-4), vivendo como um reino sacerdotal (Ex 19.6; 1 Pe 2.9; Ap 5.10)
  • Reis: a levarmos todo pensamento cativo à Cristo (2Co 2.15) e os povos à obediência ao Rei dos reis (Mt 28.18-20; Rm 18.15) e a vivermos como reino sacerdotal (Ex 19.6; 1 Pe 2.9; Ap 5.10), na certeza de que um dia pisaremos sobre a cabeça de Satanás (Rm 16.20), julgaremos os anjos e o mundo (1Co 6.2-3) e nos assentaremos no trono de Cristo (Ap 3.21).

Louvado seja nosso Salvador todo-suficiente!

Obs.: leia os textos bíblicos para maior edificação.

Por: Vinícius Musselman Pimentel. © 2014 Voltemos ao Evangelho. Original: Os três ofícios de Cristo.

Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

12 Comentários
  1. Ricardo Ferreira Diz

    Sei que o objetivo do blog não é esse, mas você devia postar mais textos de tua autoria. ;-)

    1. Vinícius Musselman Pimentel Diz

      Obrigado pelo encorajamento, Ricardo. Vamos ver hehe

  2. Messias Lopes Diz

    Muito importante essa mensagem, oxalá todos pudessem tomar conhecimento e repassá-la, estou fazendo exatamente isso.

  3. Messias Lopes Diz

    Muito importante essa mensagem, oxalá todos pudessem tomar conhecimento e repassá-la, estou fazendo exatamente isso.

  4. Rafael Filipe Panfil Diz

    Muito bom!

  5. Rafael Filipe Panfil Diz

    Muito bom!

  6. Agnaldo Ramos Souza Leite Diz

    muito bom,vem SENHOR JESUS CRISTO ilumina toda a minha familia

  7. Rafael Filipe Panfil Diz

    Muito bom!

  8. José Costa de Barros Diz

    muito bom ! precisamos firmar a nossa fé com estudos como esse.direto sem rodeios!muito bom!

  9. Carlos Ramos Diz

    .
    Artigo maravilhoso.

  10. Herbert Domingues Ramos Ramos Diz

    estudos muito bom para nosso povo que precisa do evangelho verdadeiro

  11. Guilherme Costa Do Nascimento Diz

    Vou usar esse artigo num estudo de EBD sobre o Tabernáculo do AT e o do NT.

Comentários estão fechados.