Reflexão – Você tem certeza que é salvo?

O vídeo anterior (John Piper – Teste a si mesmo: Futebol ou Cristo?) me fez pensar nos membros da igreja brasileira moderna. Muitos não têm certeza da salvação por não conhecerem as doutrinas da justificação pela fé e da salvação pela graça, crendo em uma salvação pelas obras. E, outros muitos têm uma falsa esperança e uma falsa certeza da salvação por desconhecerem as doutrinas da regeneração e da santificação.

Cada uma dessas doutrinas daria um livro bem grande. Mas creio que o próprio Deus deixou bem claro através do profeta Ezequiel:

[Ezequiel 36: 25-27] Nota: para maior entendimento ler contexto

Aspergirei água pura sobre vocês e ficarão puros; eu os purificarei de todas as suas impurezas e de todos os seus ídolos. Darei a vocês um coração novo e porei um espírito novo em vocês; tirarei de vocês o coração de pedra e lhes darei um coração de carne. Porei o meu Espírito em vocês e os levarei a agirem segundo os meus decretos e a obedecerem fielmente às minhas leis.

A questão não é se você se sentiu desafiado, a questão é:

isto é uma realidade em sua vida?


Obs.: Para estudar mais o tema certeza da salvação sugiro a leitura de I João INTEIRO e COM CONTEXTO.
3 Comentários
  1. Wagner Diz

    Pelo menos para mim, essa tem sido uma questão bem delicada. Não faz muito tempo em que a angustia era tal que não dava nem para dormir. Apos 14 anos dentro do cristianismo eu comecei a ter crises de insegurança sobre se realmente eu nasci de novo ou não, se sou eleito ou não e isso me tomava a mente de tal forma, que a única coisa que conseguia ver era a minha futura condenação eterna. A forma como isso é tratado em nossos dias também é lamentável (queria entender na prática aquilo que se falam dos puritanos como “médicos de almas”), queria ler o “Céu na Terra” de Brooks, mas não leio em inglês. O que tem me ajudado também tem sido alguns escritos do Piper que tenho “traduzido” com um tradutor on-line. Claro, existe um fundamento para essa insegurança, que é a pornografia que de tempos em tempos voltava a me afligir e eu comecei a perguntar: “Pode um filho de Deus, habitação do Espírito, desejar e praticar tal coisa? Bom, mas nesta luta procuro olhar para Cristo, pedir que meus olhos sejam abertos para vê-LO, que meu coração O deseje e eu viva para Ele, satisfeito com Ele, para a Glória dEle. Eu já destruir a minha vida para sempre mesmo com todos os meus pecados, então vamos nos lançar em Deus para viver ou morrer..

    1. Wagner Diz

      Olá Vini, eu acabei de ver os vídeos, já tinha visto, mas não me lembrava deles, foram muito bons. Entendo o que o Paul quer dizer, as vezes penso que ter certeza de salvação é ser avivado como os puritanos eram – e diga-se os pregadores – os irmãos Wesley e Edwards e outros, já que a forma como alguns tratam dessa questão – tipo o Goodwin, vai dizer sobre um raio de luz que invade a alma e que isso é o mais próximo do céu que podemos obter na terra (li sobre a certeza de fé dele diante da morte, é algo chocante) – é algo bem impactante. Aí olho para a vida deles, coisas “absurdas” em relação a vida de oração deles – horas e horas – e a ação deles no mundo pela glória de Deus, e ai eu olho para mim, correndo de manhã para preparar aula de EBD para mais a tarde e meus poucos minutos de oração, e me vem o pensamento, “cara é só isso que você tem a oferecer?”, e isso me põe em dúvida – me parece que a certeza da salvação, também é algo crescente na vida cristã, já que o Piper disse em algum lugar que a luta pela certeza é algo que só termina com a morte. Mas ouvindo o Paul agora falando de arrependimento, vejo que compreendo muito mais a malignidade do meu pecado hoje, do que a há 14 anos atrás, talvez isso seja um crescimento em meu arrependimento. Além disso, o “calvinismo” dificultou um pouco a minha vida, já que conhecendo essas questões sobre Vontade secreta e revelada, me ocorre de pensar sobre Deus não querer salvar-me. Nestes momentos eu me esforço para voltar meus olhos para as Escrituras – que é o que me pertence (Dt 29:29) – e olhar para as promessas e chamadas para a salvação, e também me lançar nessa Vontade, já que eu me atormentar sobre isso não irá mudá-la! Procuro seguir o conselho de Lutero – mas confesso a fraqueza da minha fé em vários momentos – que dizia que os eleitos se conformam a vontade de Deus, mesmo que essa seja condená-los. Ele tem um segundo conselho, que é o de se perguntar onde nas Escrituras esta o mandamento para ficarmos prescrutando os Conselhos de Deus, e que ao não se lembrar de nenhum, reconhecer que na verdade é o diabo que esta investindo contra nós. E aqui eu também tenho problemas, visto que devido essa onda de “batalha espiritual” em nossos dias, como uma forma de prostestar contra isso, eu simplesmente não sei o que fazer sobre esses ataques – eu vou falar com o diabo, algo como “suma daqui”?, eu vou simplesmente tentar mudar meus pensamentos?

      Bom, vou parar aqui, para não ficar mais longo ainda e confuso. Espero ter sido claro, e obrigado por me “ouvir” Vini, e procurar me ajudar…

Comentários estão fechados.