A Crucificação: Uma Perspectiva Médica

Transcrição do vídeo:

Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido.

Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.

Eu acredito que o sofrimento de Cristo e a demonstração do tipo de aflição fisiológica sob a qual seu corpo humano estava são manifestos no jardim do Getsêmani, onde é descrito que ele estava suando sangue. E lá está bem documentada uma condição médica em que pacientes que estão sob enorme quantidade de estresse emocional e fisiológico podem, de fato, suar sangue por causa do estouro de pequenos vasos sob as glândulas, expelindo o sangue.

O Chicote

O açoite envolveu o uso de um chicote curto, com peças geralmente de metal, às vezes ossos, às vezes peças de porcelana envolvidas nessas tiras de couro, que eram utilizadas para rasgar normalmente as costas, os ombros e as pernas da vítima. E as primeiras chicotadas rasgam uma parte específica do corpo, cortando a pele, a gordura, mas, eventualmente, uma vez que as camadas externas se abram, elas começariam a chegar aos músculos e tendões. E, naturalmente, ao longo do caminho elas cortam todos os vasos sanguíneos de suprimento daqueles tecidos. E você está perdendo sangue o tempo todo.

A Coroa de Espinhos

A planta que foi descrita, na verdade, tinha um espinho muito longo. Não os espinhos pequenos que pegaríamos de uma roseira. Estes eram espinhos de, normalmente, uma polegada e meia ou duas polegadas de comprimento. O couro cabeludo é uma das porções do nosso corpo com maior número de vasos sanguíneos. Há vasto suprimento de sangue lá em cima. Então, ter aqueles espinhos empurrados até a placa bonni e teria passado por todo o couro cabeludo, provocando enorme perda de sangue. Eu vi pessoas que sangraram até a morte por apenas uma lesão do couro cabeludo. Portanto, não é uma lesão pequena ter dezenas dessas coisas empurradas para dentro do seu couro cabeludo, de modo que isso teria causado a perda de mais sangue.

Carregando a Cruz

Normalmente, quando a vítima tinha que carregar a cruz, era descrito na literatura, melhor dizendo, na literatura romana, que ela levava a barra horizontal. E a barra horizontal sozinha era estimada em 50 quilos. E, obviamente, se o seu braço está preso aqui, agarrado em cima da barra transversal, e você cai, você precisa de ajuda para se levantar. Você não pode se levantar sozinho simplesmente, porque não há nenhuma maneira possível, sem os braços para se levantar.Então, Ele teria precisado de ajuda para se levantar. Se ele caiu, existe uma grande chance de ele ter batido o peito. O que, então, poderia contar com a possibilidade de uma lesão cardíaca.

Os Cravos

Anatomicamente, podemos considerar o pulso como parte da mão e, assim, que os pregos foram colocados entre o rádio e a ulna, nessa posição que se encaixa na definição de estar na mão. E é em uma posição em que o prego não vai rasgar para fora, porque você tem que ter um sólido ponto de fixação. Outro ponto interessante sobre a colocação dos pregos é que o nervo médio passa exatamente através daquela parte especial do pulso, de modo que a destruição ou choque do nervo teria provocado enorme dor. Cada vez que você tentasse tomar um fôlego, você estaria agonizando. Você estaria empurrando os pés em dor, o que, naturalmente, dói, e então você estaria pendurando os braços em dor. E assim você alterna de uma dor excruciante para outra dor excruciante. Cada vez que você tomar um fôlego.

A Aliança

Portanto, mesmo se Ele sobrevivesse à presente crucificação, Ele teria que sobreviver ao que me parece ser uma lesão letal da lança. Isto define se Ele está vivo ou não. O que é descrito é uma grande quantidade de água e sangue, e implicaria tanto uma infusão pleural quanto uma infusão de pericárdio, e o sangue teria que vir de uma artéria pulmonar, veia pulmonar, aorta, veia cava ou do próprio coração. Nenhuma dessas lesões poderiam ser resistidas depois de alguns minutos, a menos que fossem tratadas imediatamente por um cirurgião do trauma, como eu, com todos os avançados equipamentos que temos.

Realmente Mataram Ele?

Cristo, como Filho de Deus, poderia ter sobrevivido a qualquer coisa. Ele escolheu manifestar-Se como um ser humano naquele período da história. E Ele permitiu-Se morrer. E como humano, naquele momento, Ele não poderia ter sobrevivido a essa série especial de traumas. Isso não é possível. Cristo é Deus. Ele poderia ter sobrevivido a tudo o que lançassem contra Ele. E Ele escolheu ser Cristo, o homem, naquele período da história, para morrer pelos pecadores. E, pela auto-limitação de permanecer sendo humano, Ele morreu. Ele não sobreviveu ao evento.

Seu Sacrifício, O Que Significa Para Você?

Eu estou profundamente impactado por isso. Como eu percebo que o preço que Ele pagou foi algo que eu não… Eu nunca teria estado disposto a fazer, provavelmente por ninguém. É muito difícil para mim cantar músicas sobre a cruz, mesmo em adoração, pois eu realmente entendo o que Ele pagou. O preço que Ele pagou.

Por: Dr. David Acuna. © Central Christian Church. Website: cccmedia.org. Traduzido com permissão. Fonte: The Crucifixion | A Medical Perspective.

Original: A Crucificação: Uma Perspectiva Médica. © Voltemos ao Evangelho. Website: voltemosaoevangelho.com. Todos os direitos reservados. Tradução, Legenda e Edição de Vídeo: Equipe VE.

11 Comentários
  1. araci Diz

    Paz Vini,
    mano, esse médico falou tdo, dificilmente alguém faria isso por outra pessoa,

    Não temos que entender esse "louco" amor de DeusPai, precisamos só recebe-lo e ser infinitamente gratos a Ele…

    Feliz Pàscoa.

    Glórias a Deus por Jesus!

  2. Eric Diz

    Ninguém tem amor maior do que este de dar a sua vida para o resgate da humanidade, sim mas porque Jesus teve uma morte tão sofrida e marcante? O cálice da ira de Deus foi derramado sobre ele, e de forma alguma teria ele morrido como um passarinho e sim como o maior pecador deveria morrer, agonizando até o fim. Ele não merecia, era justo,santo,puro,rei,Deus mas em nosso lugar ele morreu pois nós é merecemos morte, e morte de cruz é pouco para nossos pecados. Amo este Deus, pelo amor imcomparável que tem por mim, amo este Deus por não ter poupado o seu filho. Não tenho mais palavras………….

  3. (-V-) Diz

    Daniel

    (1) Todos comentários são automaticamente aprovados
    (2) After Effects

    Paz

  4. Igreja em 4 Barras Diz

    Como seres humanos limitados a nossa carne, tentamos imaginar depois de um relato médico como esse, entender o que foi a Crucificação. Porém, precisamos lembrar que além desse sofrimento físico, Jesus ainda fez algo que nenhum de nós poderia realizar! Levou sobre si TODA CULPA DO PECADO, TODA CONDENAÇÃO DA HUMANIDADE. E isso fez com que Seu Pai o deixasse só, por causa do Pecado de nós todos. Maior dor, creio que não houve: Eli,Eli, lamá sabactâni? Meu Deus, meu Deus, por que me desamparaste? Obrigado Jesus, somos eternos devedores por esse resgate.

  5. Ermeson Diz

    Eu só posso dizer muito obrigado Pai Celestial pelo Senhor ter enviado seu único filho por amor a nós pecadores.
    Pai eu não mereço eu não mereço eu não mereço.

  6. Anonymous Diz

    Pois é,

    Mas na verdade, como bem lembrou P. Washer, quando Jesus diz: "Se for possível passe de mim este cálice…" O cálice na verdade não era a crucificação em si. Em suma, Jesus não estava com medo da cruz. O cálice era, na verdade, a própria Ira de Deus que haveria de vir sobre os homens.

    Isso faz sentido, afinal, dezenas de milhares de pessoas foram crucificados após Jesus, e foram cruficicados até de forma pior, uns de cabeça para baixo. E por que Jesus, o próprio filho de Deus estaria com medo de um morte de cruz?

    O fato é que Jesus bebeu do cáliçe, e bebeu todo o cáliçe da violenta ira de Deus.

    Julinho.

  7. Roberto Vargas Jr. Diz

    Vini,
    Eu já li relatos da crucificação por médicos semelhantes a este. Na realidade, esta é a terceira versão, de um terceiro médico. O problema, para mim, não é a descrição médica, pois não sou médico e não tenho como argumentar pela precisão ou pelo erro. O que pega para mim é que os termos utilizados nos três relatos são muito similares. Isto me sugere haver uma fonte inicial que deve ser comum a todos. Tem alguma idéia de qual poderia ser?
    NEle,
    Roberto
    PS: Os textos que li certamente são mais antigos que este vídeo. Um deles falava de um médico francês (havia, inclusive um email spam com o texto), o outro, que foi o primeiro que li, fazia parte dos extras do CD-Rom Bíblia Online.

    1. Handerson Xavier Diz

       A fonte que tornam iguais as palavras é a própria anatomia e medicina. Simples assim. Coração é coração em qualquer lugar. Couro cabeludo é couro cabeludo em qualquer lugar. Simples assim!

    2. Vinícius Musselman Pimentel Diz

      Roberto, não faço =/

  8. (-V-) Diz

    Roberto, paz

    Desconheço =/

    Abraço

  9. Fábio Paz Diz

    Sem palavras

Comentários estão fechados.