Leonardo Gonçalves – igreja Emergente: o que é isso?

Segundo o portal Igreja Emergente [www.igrejaemergente.com.br], uma igreja emergente é basicamente “um movimento cristão onde as pessoas buscam viver sua fé em um contexto social pós-moderno”. Cunhada no final da década de 90, a terminologia se aplica aquelas comunidades que tem como principal marca a propagação do evangelho dentro das diferentes culturas urbanas.
O movimento já vinha ganhando projeção no Brasil, propagado principalmente através de blogs e sites na internet, mas obteve maior impulso após a publicação do livro “Ortodoxia Generosa”, de autoria de Brian Mclaren.
Sinceros, mas equivocados
Os defensores e pregadores da chamada igreja emergente possuem motivações sinceras. Como missionário, reconheço que a igreja em algumas ocasiões hostilizou e violentou culturas ao invés de valorizá-las, e que isto de certo modo tem sido uma barreira para a pregação do evangelho. Para reparar essa situação, a igreja precisa desenvolver uma teologia que faça separação entre evangelho e cultura. Além disso, as mutações que vêm ocorrendo na sociedade pós-moderna demandam dos pastores e líderes uma revisão missiológica, reelaborando estratégias e contextualizando sua mensagem para que esta possa ser plenamente entendida pela geração emergente.
O problema é que, basicamente, as igrejas emergentes estão mais preocupadas com o ouvinte do que com a mensagem em si, e em seu desejo de pregar um evangelho que seja “aceitável” ao homem pós-moderno, acabam por negligenciar os pressupostos básicos do cristianismo, chegando mesmo a negar a literalidade do nascimento virginal de Cristo, seus milagres, a ressurreição de Jesus e a existência do inferno eterno.
Relativismo, boas obras e ódio pela igreja
Segundo Kevin Corcoran, outra marca distintiva das comunidades emergentes é “a preferência pela vivência correta ao invés da doutrina correta” [1]. Para alguns, a doutrina realmente não importa, de modo que cosmovisoes excludentes como catolicismo e protestantismo são colocadas por eles no mesmo pacote. Estes simplesmente ignoram que não pode haver justificação onde não existe arrependimento e conversão à Verdade. Ao demonstrarem excessiva preocupação com a práxis em detrimento da doutrina, eles se aproximam mais do catolicismo e do espiritismo do que da tradição evangélica, uma vez que a ênfase recai sobre as obras e não sobre a fé.
Existe ainda uma corrente pós-igreja dentro da igreja emergente, que afirma que a própria igreja é o problema e tentam despir-se dela. “Eles sequer usam a palavra igreja e dizem: Nada do que eles fizeram, nós faremos”, diz Jason Clark [2], outro líder do movimento. Muitos rejeitam até mesmo o título de cristãos e não consentem, em nenhuma hipótese, que chamem suas comunidades de igrejas.
No Brasil, vemos esta influência emergente hostil em Caio Fábio, ex-pastor presbiteriano e atual mentor da comunidade Caminho da Graça, para quem a própria Reforma Protestante foi apenas “um remendo de pano novo em veste velha”[3], desprezando assim cinco séculos de tradição reformada em nome de sua “nova visão”.
Conservadores x Liberais: Duas correntes no movimento
Considerado por muitos como emergente, Mark Driscoll, pastor da Mars Hill Church em Seatle, crê que a igreja emergente tem um lado positivo, que é o de reconhecer a importância da missão dentro da cultura urbana. No entanto, ele mesmo denuncia a ideologia predominante no movimento, que chama de “a ultima versão do liberalismo” [4]. Tendo sido um dos precursores deste modelo de igreja, o pastor diz ter se afastado assim que percebeu que os líderes emergentes estavam entrando por um caminho estranho, e hoje fala abertamente do seu desacordo com Rob Bell e Brian Mclaren, representantes da ala emergente liberal. Mark é talvez o maior divulgador do que poderíamos chamar de lado bom do movimento emergente.
Dan Kimball[5], autor do livro “A Igreja Emergente”, também reconhece que há vozes dissonantes dentro do movimento, e faz distinção entre igrejas emergentes e igrejas que estão emergindo. Seja como for, sua abordagem corrobora a ideia de que existem pelo menos duas facções dentro do movimento. As igrejas emergentes, neste caso, seriam caracterizadas por uma teologia liberal e liderança descentralizada, enquanto as igrejas que estão emergindo (ou emergentes conservadoras), embora nutridas do mesmo desejo de alcançar a geração pós-moderna, são culturalmente liberais, mas possuem uma doutrina ortodoxa, fazendo clara distinção entre evangelho e cultura.
Revendo conceitos
É verdade que existe certa confusão dentro do movimento emergente, mas não podemos negar que algumas das questões levantadas por seus proponentes são realmente importantes: “Que estratégias devem ser usadas para levar o evangelho à geração pós-moderna? A igreja institucional tem sido boa representante de Cristo? Qual o limite entre a contextualização e o sincretismo religioso? Até que ponto devemos mergulhar nas diferentes culturas urbanas para pregar o evangelho?” Estas são perguntas sinceras que merecem uma resposta franca e honesta.
A igreja emergente nasce da nossa falta de preocupação e reflexão missiológica, e apesar da sua ala liberal dominada pressupostos incompatíveis com o evangelho, o movimento possui pontos positivos e tem muito a ensinar-nos. Contudo, precisamos ter muito cuidado para jamais, em nome da forma, comprometer o conteúdo do evangelho. Não podemos exagerar em nosso desejo de ser relevantes culturalmente, pois o evangelho sempre será loucura e escândalo para os incrédulos e ao tentar torná-lo mais atraente, podemos acabar convertendo-o em algo que ele não é.
Notas
1. Disponível em YouTube Acesso em 26/06/2010
2. Ibid.
3. D´ARAUJO, Caio Fábio. Contantino, Lactâncio e o Cristianismo Irreformável. [Artigo]
4. DRISCOLL, Mark. Confissões de um pastor da Reformissão. Niterói: Ed. Tempo de Colheita, p. 23
5. KIMBALL, Dan. A Igreja Emergente, São Paulo: Ed. Vida, 2008

Por Leonardo Gonçalves. Website: pulpitoCristao.com

18 Comentários
  1. Anonymous Diz

    Esquecemos que o plano eterno de Deus é formar uma nova sociedade conforme a epístola de Paulo aos Efésios, e certamente está nova sociedade terá a sua própria cultura.A Igreja do Senhor Jesus não leva em conta os Judeus os Gregos e nem os Romanos,a formação desta nova sociedade é realizada pela pregação da Palavra e a Soberana ação do Espírito Santo. Certamente que os eleitos serão salvo independente de sua cultura, raça ou cor…..

  2. misty Diz

    Estes erros que estes caras estão comentendo é o mesmo que ocorreu com o povo que saiu do Egito mas não tirou o Egito de dentro deles. Eu creio na igreja emergente mas é necessário tirar a religião evangelica da alma senão acabam por cometer os mesmos erros

  3. Fred Diz

    Acredito (acima de tudo) nos mandamentos e na teologia de Jesus (o maior de todos).

    Carismatico / Corporativa / Comunidade / Emergentes, etc… tentativas de SER, ESTAR E FAZER Igreja…

    O evangelho é real… (vertical e horizontal)…

  4. Rodrigo Diz

    Gostaria de saber o autor deste artigo é o cantor Leonardo Gonçalves, da igreja adventista. Aguardo resposta, obrigado.

    1. Vini Diz

      provavelmente não. É este: http://www.pulpitocristao.com/o-blogueiro/

    2. Rodrigo Diz

      Obrigado, Vini. Faz mais sentido e deixa meu coração mais tranquilo. Por mais que o cantor possa ter músicas interessantes, o nome que ele carrega é de uma seita – e estranhei porque não é o perfil do Voltemos fazer isso. Agora as coisas fazem mais sentido. Enfim, não vou desviar o tópico aqui. rs. Abraço.

    3. Thiago Mattos Diz

      Mas que hilário isso!

      Como esse povo é puxa saco!
      O cidadão desenvolve uma relação quase, senão de fato, idólatra com o site. Ai sente a conciência agredida porque cogita a possibilidade do administrador do site ter postado um artigo que, supõe sua alma temerosa, seja de um cantor adventista, ou seja, alguém pertencente à uma seita, longe de se enquadrar no perfil da Santa Doutrina do site, que proclama o único e verdadeiro Evangelho.

      Mas ainda bem que aqui no VE só se prega o evangelho puro, não é mesmo?

    4. Ingred Diz

      Putz… dizer que a igreja adventista é seita é muita ignorância.

    5. Thiago Mattos Diz

      Então vai analisar quais são os fundamentos da fé deles e depois tire uma conclusão. Ou talvez pra você qualquer instituição que carregue o nome “igreja” antes signifique de fato, tratar-se de uma Igreja?

  5. Christianne Diz

    É MUITA IGNORANCIA DIZER Q A IGREJA ADVENTISTA É UMA SEITA.SUA REGRA DE FÉ É A BÍBLIA.SEITA É QUEM USA A BÍBLIA PRA SATISFASER SUAS VONTADES….

    1. Thiago Mattos Diz

      Errado! A regra de fé dos adventistas incluem além da Bíblia os escritos da falsa profeta Ellen G. White.
      Ignorância é não saber do que se está falando…

    2. Lucas Diz

      Não ligo que me considere um sectário, pois prefiro fechar com a Bíblia do que com doutrinas que visem atender aos desejos pessoais e não à vontade de Deus expressa claramente em seus mandamentos.
      Nos tempos do fim não haverá placa de igreja entre os remanescentes que surgirão de várias denominações, pois como se prega na IASD há salvos em todas elas, entretanto, entre aqueles que não aceitarem estar entre o povo de Deus existirão os falsos profetas e caluniadores xingando os fiéis adoradores do Deus verdadeiro de loucos seguidores de uma seita tal qual foi com os apóstolos e seguidores de Cristo no passado.
      Entre mais um blog dentre milhões na net eu prefiro a Bíblia, pois ela sim contém a verdade.

    3. Dee lima Diz

      Comprova que ela é uma falsa ??!

  6. Vicente Neto Diz

    “…No Brasil, vemos esta influência emergente hostil em Caio Fábio, ex-pastor presbiteriano e atual mentor da comunidade Caminho da Graça, para quem a própria Reforma Protestante foi apenas “um remendo de pano novo em veste velha”[3], desprezando assim cinco séculos de tradição reformada em nome de sua “nova visão”.

    Meu amigo, eu vejo um pouco de tendências aqui, sim o texto é um pouco tendencioso, primeiro vejo um ataque – enfoque em Caio Fábio, se você tem alguma coisa contra a este pastor…. se dirija a ele diretamente…, e aliais …. seja mais sábio… O Caminho Da Graça não é uma Igreja Emergente nem muito menos fundamentalista ou ainda hegere…
    o caminho da graça é simplesmente Irmãos reunidos para vivenciar e ser Em Cristo, assim como aconteceu na Igreja Primitiva, assim como Jesus quer que a Igreja dele seja… CRISTO SENDO O FOCO…. CRISTO SENDO O CENTRO……

    …… conheça as coisas melhor antes de fazer coisas como essas

    1. Yuri Diz

      Concordo contigo, Vicente, acho que o autor foi infeliz no comentário.

  7. Daniel Diz

    Cristianismo Reformado=Catolicismo Renovado….

  8. SFA1988 Diz

    Nem tampouco podem provar as coisas de que agora me acusam.
    Atos 24:13
    Nem tampouco podem provar as coisas de que agora me acusam.
    Atos 24:13″Nem tampouco podem provar as coisas de que agora me acusam.
    Mas confesso-te isto que, CONFORME AQUELE CAMINHO QUE CHAMAM SEITA, assim sirvo ao Deus de nossos pais, crendo tudo quanto está escrito na lei e nos profetas.
    Tendo esperança em Deus, como estes mesmos também esperam, de que há de haver ressurreição de mortos, assim dos justos como dos injustos.
    E por isso procuro sempre ter uma consciência sem ofensa, tanto para com Deus como para com os homens.”
    Atos 24:13-16
    Chamava os apóstolos de integrantes de seita. E hoje aos adventistas, que creem no princípio da “sola scriptura” são também assim chamados. Acho uma honra.

  9. sou de jesus Diz

    desprezando assim cinco séculos de tradição reformada em nome de sua “nova visão”.
    COMO ASSIM? ->> Esta é uma visão do catolicismo romano!!!!

Comentários estão fechados.