um site cristão por Cristo e pelo Evangelho

Como discipular um transexual (Parte 1/5)

Meu amigo Ryan é transexual. Antigamente, ele odiava Deus, mas agora tem sido um pouco mais receptivo à ideia de confiar em Jesus. Nesse artigo, quero compartilhar alguns pensamentos que tive sobre como discipulei Ryan. Assim, se você um dia discipular um transexual, você terá algumas idéias para começar.

O problema mais óbvio você provavelmente já imaginou, Ryan ainda não é um cristão. Como eu poderia estar “discipulando” então? Bem, evangelismo e discipulado são fundamentalmente a mesma coisa: levar pessoas a verem Jesus com seu tesouro supremamente satisfatório. Então não se preocupe, pensando que esse artigo não se aplica a você. Ele se aplica. Mesmo que você esteja discipulando cristãos ao invés de transexuais não crentes.

A razão pela qual conheci Ryan é porque não faço muitas perguntas. Se eu fosse um pouco mais cuidadoso de início, eu poderia ter evitado toda essa situação e me mantido na minha bolha evangélica conservadora. Em nosso ministério de universitários havia uma garota chamada Amy. Ela era a pessoa mais apaixonada por Jesus, extrovertida e alegre que eu já conheci. E você não podia dizer não para ela, porque ela sempre respondia com coisas como “Jesus me falou para conversar com essa pessoa!”. Coisas como essas te fazem pensar se Jesus não devia ter ido com ela no carro naquele dia. Amy me procurou um dia, antes de nossa reunião de oração às quartas, e me perguntou se eu poderia me encontrar com um amigo da escola dela, um homossexual que ainda não era crente em Jesus, mas vinha fazendo algumas perguntas sobre fé. Ela estava tão entusiasmada, tão alegre em Jesus, tão convincente com seu tom de “você é um pastor e esse é o seu trabalho” que eu não puder dizer não.

Após eu concordar, ela me contou o resto da história: Ryan era um dos excluídos na faculdade, porque ele se vestia como mulher, uma vez por semana. Ele havia marcado uma cirurgia de mudança de sexo para a primavera que vem. Ele era “casado” com uma jovem lésbica, por pura formalidade, para que pudessem manter seu estilo de vida homossexual discretamente. Seus pais haviam expulsado Ryan de casa, e ele não pisava em uma igreja desde a infância. Eu fiz o que pude para honrar a confiança de Amy e afirmei que adoraria me encontrar com Ryan. Então fui pra casa e me desesperei um pouco.

Na manhã seguinte, me ajoelhei e comecei a orar em meio a minha incapacidade. Nunca havia tido muito sucesso em alcançar homossexuais. Minha forte personalidade eventualmente é dura e intimidante – até para alguns cristãos. Assim, para aqueles que foram machucados pela igreja, eu deveria parecer com Genghis Khan. Minhas orações naquela manhã foram brutalmente honestas e não muito criativas. Eram algo como “Querido Jesus” seguido de algumas exclamações e alguns grunhidos.

Naquela noite, me encontrei com Amy e Ryan em um café. E naqueles primeiros minutos, Deus realizou uma obra profunda em minha vida. Eu acho que eu estava esperando encontrar com o Dennis Rodman usando um vestido de casamento ou algo do tipo. O que eu encontrei foi um ser humano chamado Ryan, criado à imagem de Deus, com as mesmas feridas, cicatrizes e questionamentos que eu e você e todo mundo tem. Não me entenda mal: havia muito desconforto, nos dois lados da mesa. Era muito pior que um daqueles primeiros encontros. Ryan estava incomodado. Era claro pra mim que ele estava me testando, pra saber se podia confiar em mim. E eu também estava incomodado, com medo que ele poderia descobrir a qualquer momento que eu era Genghis Khan, se levantasse e começasse a gritar obscenidades para mim e fazer uma grande cena. Parte do meu medo era egoísta, mas uma parte desse medo era sincera, a respeito do reino de Deus. Eu estava sentado à mesa com alguém que havia sido profundamente machucado por cristãos. Ele havia finalmente encontrado uma garota-de-Jesus alegre, em quem ele podia confiar. E agora ele arriscava uma interação com um pastor de verdade. Eu senti que muito estava em risco naquele encontro.

Meu objetivo ao contar a história de Ryan é convencer você que o discipulado deve estar centrado no evangelho. Para ver uma transformação real na vida de alguém, você deve levá-lo a se deleitar em Jesus mais do que no dinheiro, no amor, na ambição ou no egoísmo. A única forma de fazer isso é relembrar constantemente de sua pecaminosidade e de suas falhas – as “más notícias” do evangelho – para que ele desista de seus próprios esforços. Apenas assim você pode encorajá-lo a regozijar-se na poderosa graça de Deus através da cruz – as “boas notícias” do evangelho – para que ele sinta e acredite profundamente no amor radical de Deus por ele. Jack Miller, um missionário e professor de seminário, costumava resumir o evangelho nessas duas frases: “Alegre-se: você é pior do que imagina. Mas alegre-se: a graça de Deus é muito maior do que você jamais sonhou”. O mesmo evangelho que salva pecadores, santifica os crentes. O evangelho não te torna simplesmente justo perante Deus; ele te liberta para se alegar em Deus.

Continue lendo na Parte 2.

O que a Bíblia ensina sobre a homossexualidade?

Este livro do premiado autor Kevin DeYoung chega na hora certa e desafia cada um de nós – céticos ou interessados, seguros ou confusos – a olhar humildemente o que a Palavra de Deus diz sobre o assunto da homossexualidade. DeYoung examina importantes passagens da Bíblia e o seu ensino sobre a sexualidade, e responde às questões e objeções que têm sido levantadas por cristãos e não cristãos sobre este assunto, tornando este livro uma leitura indispensável para se considerar biblicamente uma das questões mais debatidas e controversas de nossos dias.

Recomendamos

Por: Bob Thune. © The Gospel Coalition. Website: thegospelcoalition.org. Traduzido com permissão. Fonte: How to Disciple a Transsexual.

Original: Como discipular um transexual (1). © Reforma21 & Voltemos ao Evangelho. Website: reforma21.org & voltemosaoevangelho.com. Todos os direitos reservados. Tradução: Filipe Schulz. Revisão: Filipe Castelo Branco.

11 Comentários
  1. Airton Cláudio Diz

    Muito bom mesmo!

    Show de bola, ao inves de atravessar a rua quando ver um transexual, iremos de encontro a ele, para falar um pouco da palavra!

    Deus nos abençoe.

  2. Nice Oliveira Diz

    Muito bom, verdade Airton… até mesmo porque eles serão libertos apenas, quando conhecer a verdade…

  3. Lunar Diz

    "O mesmo evangelho que salva pecadores, santifica os crentes. O evangelho não te torna simplesmente justo perante Deus; ele te liberta para se alegar em Deus."
    Obrigado SENHOR! Mil vezes Glória ao Seu Santo Nome.
    Seja grandemente louvado o Espírito Santo De DEUS, que orienta seres humanos à tamanho entendimento.
    Vivamos do Evangelho.
    Jesus, Caminho, Verdade e VIDA.
    Amém!

  4. Eric Oliveira Diz

    Sintamos as dores e marcas de um homessexual e assim começaremos a saber a viver o evangelho puro e simples. Ninguém é homessexaul por opção; ele foi impulsionado a isto, esta amarrado por cadeias que permitem que ele somente veja o sexo como alivio para sua tristezas e decepções; ele é uma vítima, mesmo que ele diga que não, mas é. Nosso papel- Amá-los pois realmente como diz Jack Miller, " Somos piores do que imaginamos" não somos superiores aos homossexuais,somos piores do que imaginamos……

  5. Daniel Moreira Yokoyama Diz

    Eric,
    De fato nos meus dois últimos anos de evangelho eu tenho aprendido muito a respeito disto. Minha atitude em relação a homossexualidade não era menos intolerante do que a demonstrada aqui.
    De fato eu vi coisas aqui que acho lamentáveis, como no post da Misty Irons, onde um comentário diz que a nossa natureza pecaminosa afeta a nossa natureza biológica, exemplificado pela cegueira de nascença. Tamanho absurdo me faz lembrar dos amigos de Jó que, o vendo em tal estado, logo lhe imputaram o pecado.
    O mais incrível é que eu tenho certeza que nem preciso mencionar o que Cristo disse quando os discípulos o perguntaram a respeito do homem que nasceu cego: Rabi, quem pecou? Ele ou seus pais, PARA QUE NASCESSE CEGO?
    Tentar entender o por que das coisas, como o porque de alguém nascer cego ou o porque de um homem sentir desejo por outro, faz parte da nossa natureza carnal que se entrete em tentar desvendar questões tôlas, quase como discutir se Adão tinha umbigo ou não.
    Deus não nos oferece respostas para coisas que estão além da nossa compreensão. Aqui vejo uns falarem como se fôssem especialistas na causa e no efeito da homossexualidade, enquanto o pobre gay precisa cuidar de amparar a si mesmo num mundo onde até mesmo aqueles dos quais poderia esperar amparo só encontra intolerância e até ódio (sob o pretexto de dizer a verdade por 'amor').
    O Vini pediu para que eu definisse "intolerância". Seria mais produtivo se ele fizesse o mesmo pedido a um homossexual.
    O que não me conformo é que não parece se tratar de ignorância, mas pura teimosia mesmo. Pois se todos são de acordo que:
    "Salvação não é manifesta pelas obras" – então já sabemos que a homossexualidade não é um critério para determinar condenação. Se eu pensar diferente disto, estou tão condenado quanto o homossexual.
    "É o Espírito Santo quem nos convence do pecado" – e este esclarecimento é, definitivamente, algo que só acontece em seu íntimo, quando se encontra com Deus.
    "Ninguém escolhe a Cristo por sua própria vontade" – ou seja, Por que que eu vou dizer a um homossexual que para encontrar a Cristo ele precisa se arrepender de seu vício (que, para mim, é um arrependimento medíocre e ineficaz, perto do arrependimento que o Espírito Santo manifesta no ser, que é o arrependimento, não do vício, mas da natureza pecaminosa que reside em todos nós) se é somente pela vontade do próprio Cristo que o homossexual irá finalmente enxergar a si mesmo (e não só a sua homossexualidade, mas a totalidade do seu ser) como imundo?
    Aqui se ensina todas estas coisas, e ao mesmo tempo o contrário.
    Quando tratamos a coisa de forma tão humanamente simples, como uma questão de dizer "Não se relacione com uma pessoa do mesmo sexo" caímos justamente onde Paulo se esforçou em explicar em Romanos 7. O pecado, agindo como jugo, nos domina, e a lei, no controle deste jugo, nos serve de aio para não pecarmos. Mas a liberdade para a qual Cristo nos chama é a liberdade do aio e do jugo. E ainda assim, queremos colocar o jugo e o aio dos quais nos livramos sobre os outros, em especial, os homossexuais, já que não se fala de mais nada.
    Parabéns pelo comentário. Publiquei um post em meu blog a um tempo atrás sobre a questão polêmica da Lei contra a homofobia. Caso se interesse em lê-lo:
    http://eisocristo.wordpress.com/2010/09/25/lei-contra-a-homofobia-so-ensina-o-cristao-a-agir-como-tal/
    Paz.

  6. Meninas Gileaditas Diz

    Muito bom!

    temos que levar o amor de Cristo a todos,sem "medo",vergonha ou discriminação!
    é necessario que o amor de Cristo resplandeça sobre nossa face,assim as pessoas poderão vê que existe uma Salvação!

    O nosso coração tem que bater por almas da mesma maneira que o coração de DEUS bate!

  7. pastorjoaovictor Diz

    Daniel disse: "De fato eu vi coisas aqui que acho lamentáveis, como no post da Misty Irons, onde um comentário diz que a nossa natureza pecaminosa afeta a nossa natureza biológica, exemplificado pela cegueira de nascença. Tamanho absurdo me faz lembrar dos amigos de Jó que, o vendo em tal estado, logo lhe imputaram o pecado."

    Então a nossa natureza pecaminosa, não afeta a nossa natureza biologica? Quando Adão pecou ele não somente morreu espiritualmente, mas começou a morrer fisicamente. O pecado afetou o homem no seu todo, não somente na parte espiritual. Se for assim, porque haveremos de ter corpos glorificados, se a materia biologica não tem pecado, ou porque Jesus nasceu de uma virgem concebido miraculosamente pelo Espirito Santo se o corpo humano na está afetado pelo pecado? Deus criou o corpo humano em total perfeição, mas com o seu argumento você está dizendo que o homem apenas caiu espiritualmente mas que isso não afetou em nada a parte biológica, Isso na verdade é o mesmo argumento Gnpostica que existia principalmente na igreja de Corinto, que o que eu faço na "materia" não atinge em nada a parte "imaterial".

    Se o homem não for de todo corrupto, incluindo fisicamente, então porque Deus tomou uma medida tão drastica contra o pecado enviando O PERFEITO para substituir o imperfeito? Se a matéria bilogica não está atingida e corrompida pelo pecado, segue-se então que há algum tipo de perfeição no homem.

    Por fim, se ainda somos perfeito como na sua visão quanto à biologia, segue-se neste raciocinio que no céu vamos ter as mesmas complicações.

    A nossa carne está sim enferma pelo pecado.

    Segue apenas um estudo sobre assunto e a fonte:

    9-) Após o pecado, a morte alcança o homem. (v 19):

    A palavra “morte” ocorre na Bíblia, com 3 sentidos diferentes, embora o conceito de separação seja comum aos três:

    a) Morte Física: Ecl 12:7

    b) Morte Espiritual: Rm 6:23; 5:12

    c) Morte Eterna: Mt 25:46

    http://www.monergismo.com/textos/pecado_original/pecado_gildasio.htm

    Se possivel deêm uma lida neste artigo.

  8. pastorjoaovictor Diz

    Romanos 6

    1 Que diremos, pois? Permaneceremos no pecado, para que seja a graça mais abundante?
    2 De modo nenhum! Como viveremos ainda no pecado, nós os que para ele morremos?
    3 Ou, porventura, ignorais que todos nós que fomos batizados em Cristo Jesus fomos batizados na sua morte?
    4 Fomos, pois, sepultados com ele na morte pelo batismo; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai, assim também andemos nós em novidade de vida.
    5 Porque, se fomos unidos com ele na semelhança da sua morte, certamente, o seremos também na semelhança da sua ressurreição,
    6 sabendo isto: que foi crucificado com ele o nosso velho homem, para que o corpo do pecado seja destruído, e não sirvamos o pecado como escravos;
    7 porquanto quem morreu está justificado do pecado.
    8 Ora, se já morremos com Cristo, cremos que também com ele viveremos,
    9 sabedores de que, havendo Cristo ressuscitado dentre os mortos, já não morre; a morte já não tem domínio sobre ele.
    10 Pois, quanto a ter morrido, de uma vez para sempre morreu para o pecado; mas, quanto a viver, vive para Deus.
    11 Assim também vós considerai-vos mortos para o pecado, mas vivos para Deus, em Cristo Jesus.
    12 Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, de maneira que obedeçais às suas paixões;
    13 nem ofereçais cada um os membros do seu corpo ao pecado, como instrumentos de iniqüidade; mas oferecei-vos a Deus, como ressurretos dentre os mortos, e os vossos membros, a Deus, como instrumentos de justiça.
    14 Porque o pecado não terá domínio sobre vós; pois não estais debaixo da lei, e sim da graça.
    15 E daí? Havemos de pecar porque não estamos debaixo da lei, e sim da graça? De modo nenhum!
    16 Não sabeis que daquele a quem vos ofereceis como servos para obediência, desse mesmo a quem obedeceis sois servos, seja do pecado para a morte ou da obediência para a justiça?
    17 Mas graças a Deus porque, outrora, escravos do pecado, contudo, viestes a obedecer de coração à forma de doutrina a que fostes entregues;
    18 e, uma vez libertados do pecado, fostes feitos servos da justiça.
    19 Falo como homem, por causa da fraqueza da vossa carne. Assim como oferecestes os vossos membros para a escravidão da impureza e da maldade para a maldade, assim oferecei, agora, os vossos membros para servirem à justiça para a santificação.
    20 Porque, quando éreis escravos do pecado, estáveis isentos em relação à justiça.
    21 Naquele tempo, que resultados colhestes? Somente as coisas de que, agora, vos envergonhais; porque o fim delas é morte.
    22 Agora, porém, libertados do pecado, transformados em servos de Deus, tendes o vosso fruto para a santificação e, por fim, a vida eterna;
    23 porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor.

  9. Daniel Moreira Yokoyama Diz

    João Victor,

    João 9:2-3;

    Minha natureza pecaminosa é o que me separa de Deus. E esta separação para mim é o suficiente para que eu esteja morto, e esta morte já estava em mim a partir do momento em que nasci de Adão.

    Se afeta minha biologia é, como eu disse, tão insensato discutir quanto discutir se Adão tinha umbigo, até por que, o próprio Cristo, autoridade indiscutível neste assunto, disse "Nem ele pecou, nem seus pais."

    Justo Ele que poderia ter dito "De fato, ele nasceu assim por causa do pecado." disse exatamente o contrário e de forma clara. Tanto é que, bem sabemos, o arrependimento não restaura a visão ao cego que nasceu assim. O problema é que o homem precisa acreditar que todo efeito tem uma causa, seguindo a lógica de Aristóteles, que infelizmente, influenciou na forma como a Igreja tenta arrumar uma explicação lógica para tudo.

    Quem nasce cego é por causa do pecado? E quem fica cego depois de nascer? Jó perdeu tudo por causa do pecado? Pior do que o gnosticismo, é ignorar o quão ignorantes somos e incapazes de esclarecer as coisas das quais o esclarecimento pertence somente a Deus. Daí Cristo dizer: "Em tudo dai graças" até mesmo para as coisas que não entendemos.

    Então, por que nasceu cego? Por que assim Deus o quis. Assim como é Deus que, por algum motivo, decidiu que nós seríamos eleitos para o arrependimento.

  10. pastorjoaovictor Diz

    Primeiro, não se pode formar uma doutrina com base em apenas 1 versiculo, ainda que no caso de João 9 o contexto seja Jesus ensinando-os que Deus usa TUDO para a sua glória.

    Segundo: Nós fomos eleitos para a Salvação não para arrependimento 2 Ts 2:13-14

    Terceiro: A biblia toda apoia este pensamento de que a nossa carne não está enferma pelo pecado?

    O problema é que se não nos vermos RADICALMENTE E IRREMEDIAVELMENTE PECADORES, incluindo a nossa biologia, tão pouco veremos e valorizaremos radicalmente a Santidade de Deus juntamente com a necessidade de Santificação.

    Quanto à logica, é sensato menciona-la porque se não pensarmos corretamente a respeito das Escrituras, certamente haveremos de entendê-la erroneamente. Usamo-na para provar que as Escrituras não se contradizem em ponto algum.

    http://www.monergismo.com/wp-content/uploads/Porque_Estudar_Logica_Robbins.pdf

  11. Daniel Moreira Yokoyama Diz

    Se partir do fim, a lógica, já nem adianta prosseguir.
    Paz.

Comentários estão fechados.