um site cristão por Cristo e pelo Evangelho

#ConferênciaFiel 2011 – Augustus Nicodemus: Soberania de Deus e a responsabilidade humana na evangelização

 

Resumo

Texto base: Romanos 9:1-29

1-5: Paulo era visto por muitos como um falso pregador, pois era perseguido pela grande maioria do povo judeu, os quais rejeitavam sua mensagem. E Paulo sentia profunda dor e angústia por seus parentes segundo a carne ao ponto de como Moisés, desejar, se fosse possível, perder a salvação pelo bem deles. Pode-se notar aqui que embora Paulo cresse na Soberania de Deus, isso não o impedia de sentir compaixão pelo perdido que rejeitava a Cristo. Para Paulo não há nenhuma contradição entre a Soberania de Deus e a compaixão pelo perdido.

6: Toda essa rejeição pelos judeus colocava a mensagem de Paulo em descrédito, e, por isso, Paulo então escreve os capítulos 9, 10 e 11 para mostrar que a Palavra de Deus não falhou e qual era o plano escatológico de Deus para nação israelita.

7-13: O primeiro argumento de Paulo mostrando que a Palavra de Deus não falhou é sobre a filiação espiritual. Paulo mostra que os verdadeiros israelitas não são os filhos da carne (Ismael e Esaú), mas os filhos da promessa (Isaque e Jacó). Logo, a promessa de Deus não falhou, mas se cumpriu nos filhos da promessa, que foram eleitos por Deus. Paulo exemplifica essa eleição nos irmãos gêmeos Esaú e Jacó, afirmando que Deus escolheu Jacó, mas rejeitou Esaú, mesmo antes deles terem nascido ou praticado bem ou mal; e isso para que a eleição estivesse firmada não nas obras, mas em Deus, que chama.

14-18: Paulo a seguir começa a responder possíveis argumentos que ele já prevê que serão feitos. O primeiro argumento é que se Deus escolheu Jacó e rejeitou Esaú sem levar em conta a vida deles isso seria injusto. E a resposta de Paulo é que a misericórdia de Deus é livre e Deus escolhe com quem terá ou não misericórdia. Provando isso Paulo cita o Velho Testamento (lembre-se que a discussão é em relação a judeus) onde Deus diz a Moisés que teria misericórdia de quem quisesse e onde diz que levantou o Faraó para glorificar Seu nome. Quanto ao Faraó há no relato bíblico tanto afirmações de Deus dizendo que o endureceu, quanto do Faraó endurecendo seu próprio coração.

19-24: Paulo prevê um novo contra-argumento: Se Deus endurece quem quer, porque Ele ainda afirma que o homem é responsável? Ou em outras palavras: como Deus pode ser Soberano e o homem responsável? A resposta de Paulo é um “basta”, onde Paulo delimita o perguntar por buscar conhecer a Deus e o perguntar por se rebelar a Deus. A resposta de Paulo é que de uma mesma massa (caída) Deus pode fazer vasos para honra (crentes) e outros para desonra (descrentes). Cabe ressaltar que quando ele fala os vasos preparados para perdição, Paulo não deixa claro quem preparou – de forma oposta, está explícito que os vasos preparados para glória foram preparados por Deus. Pode-se entender disto que tanto o pecador se prepara para perdição, como Deus o prepara e atura para tal fim (em semelhança a Faraó endurecendo seu coração e Deus endurecendo o coração dele).

24-29: Paulo aqui mostra que esta eleição para glória, os vasos de misericórdia, não é restrita aos judeus, mas também inclui os gentios, corroborando isso com versículos do Velho Testamento. Mostra também que a preservação de judeus crentes é baseada na misericórdia divina – o remanescente, aqueles que Deus deixou descendência.

Logo, devemos lembrar que Paulo mesmo crendo na Soberania divina na eleição:

1) Não via nenhuma incoerência em sentir compaixão pelo perdido rejeitado;

2) Não via nenhuma incoerência na necessidade de pregar o Evangelho (pois o mesmo Deus que elege pessoas elegeu que o método pela qual elas seriam salvas fosse a pregação)

Se a sua crença na Soberania de Deus impede você de sentir compaixão pelo perdido e de evangelizar, você deve rever sua crença, pois certamente não impedia Paulo.

Por: Augustus Nicodemus | tempora-mores.blogspot.com

Resumo por: voltemosaoevangelho.com

8 Comentários
  1. Sérgio Filho Diz

    Vejo aqui que certas pessoas ao se depararem com a doutrina da eleição sentem um ranço, um “desaproveitamento” da atitude evangelística, do movimento do Espírito Santo. Só que o salvo em Cristo Jesus não pensa assim, tudo que faz é para a glória do nome de Deus, e quando queremos que o reino de Deus se propague nós estamos a glorificar. Ou como Paulo fala, “haveremos de pecar por estarmos na graça?” Para as pessoas que pensam dessa forma, realmente, deveriam rever sua fé, crença, somos vozes no deserto clamando, profetizando, para a honra e glória de Deus, não esperamos resultados, fazemos tudo para sermos galardeados por Deus.

    1. roni Diz

      vini, gostaria de saber onde se aplica o versículo de joão 13:16 no papel reformado da Eleição.
      tenho estudado alguns livros sobre o mesmo, mas acaba vindo alguns questionamentos e daí não consigp progredir nesta doutrina.
      fica na paz!!!

    2. roni Diz

      só corrigindo joão 3:16…..

    3. Vini Diz

      Roni, já vi duas posições.

      Alguns defendem que mundo se refere aos cristãos. Para os vários usos do termo “mundo” leia este artigo: http://www.monergismo.com/textos/comentarios/joao3_16_pink.htm

      Outros entendem que Deus ama a todo ser humano fazendo a oferta de salvação a todos. Mas ama especialmente os eleitos não só chamando, mas regenerando para que eles aceitem o chamado.

  2. Dani Lima Diz

    Depois que encontrei a fé reformada eu me calei!
    Tem sido respondidas, dia-dia TODAS as minhas duvidas e até no mistério agora, há, “resolução”!
    Nicodemos, tem sido um professor inesquecível !
    Grata, pelo Voltemos ao Evangelho e a todos os servos do Senhor que tem disponibilizado tão rico material de graça.
    Dani Lima

  3. Eliezer Diz

    Parece até fazer sentidom mas e o texto de timoteo 2:4 que diz que Deus deseja que todos os homens sejam salvos? Como pode Deus desejar salvar todos e ao mesmo tempo dizerem que ele escolhe quem quer salvar soberanamente? Eu acredito mais na mensagem céu e inferno do silas malafaia explicando isso

  4. Eliezer Diz

    O primeiro a apresentar a sua causa parece ter razão, até que outro venha à frente e o questione.

    Provérbios 18:17

    Acho muito mais logico e muito mais coerente com timoteo 2:4 a pregação de silas malafaia ( Deus deseja salvar todos e que todos tenham o conhecimento da verdade.

    Para terror dos reformados assistam : watch?v=oU3Zjzm-GJQ

  5. Mauricio Chagas Silva Chagas Diz

    Glorifica em primeiro a Deus – Nosso Senhor Jesus Cristo, este chamado que é o dom de ensinar.
    A Palavra de Deus é sabedoria e conhecimento para nosso crescimento espiritual.
    Que Deus abençõe este ministério, até a vinda do nosso Senhor Jesus!

Comentários estão fechados.