um site cristão por Cristo e pelo Evangelho

Deus endureceu o coração de pedra de Faraó

Sem a eleição divina, todos estão livres apenas para desafiar a Deus.

O homem não pode deixar de pecar e de continuar em seu caminho desviado, a menos que, e até que seja endireitado pelo Espírito de Deus.

– Martinho Lutero

Como dissemos anteriormente, começamos um novo tipo de postagem no Voltemos ao Evangelho: Voltemos aos Clássicos, onde iremos ler e discutir juntos um livro que seja um clássico da literatura cristã. Para esta discussão era preciso ler o capítulo 3 (até a página 85) do livro Nascido Escravo.

Próxima Semana:

Nascido Escravo, capítulo 4

Leia online  Baixe o ebook  Adquira o livro

Lutero mesmo teve dificuldades com este assunto

Romanos 9! Uma hora ia chegar, não? Não há como debater sobre “livre-arbítrio” sem falarmos de Jacó e Esaú e do famoso “endurecimento de Faraó”. Neste terceiro capítulo, Lutero trata da interpretação de Erasmo de Romanos 9 e dos textos lá citados, Êxodo 9.12 e Malaquias 1.2-3.

Mas antes de começarmos, devemos reconhecer que este certamente não é um assunto fácil. O próprio Lutero confessa, com imagens fortes, o conflito interior que teve, mais de uma vez:

Naturalmente, os homens objetarão ao pensamento que Deus – que é bom – os possa abandonar, endurecer e condenar, como se Ele tivesse prazer com os pecados e tormento eterno deles. Já tropecei, eu mesmo, nesse ponto por mais de uma vez, caindo no mais profundo poço de desespero, desejando nunca ter nascido. (Isso sucedeu antes de eu reconhecer quão saudável é esse desespero, e quão próximo ele está da graça divina.) Essa é a razão pela qual os homens têm tentado encontrar “explicações” e manter seus próprios raciocínios em detrimento do que é plenamente ensinado pela Palavra de Deus.

Conduto, somos chamados a conhecer a Deus e adorá-lo em toda a sua majestade. Não podemos deixar uma parte de lado, porque não gostamos ou porque é muito difícil. “Conheçamos, e prossigamos em conhecer ao Senhor” (Os 6.3), reconhecendo nossas limitações e pedindo o auxílio da graça divina.

Deus endureceu o coração maligno de Faraó

Como dissemos, Lutero irá contestar a interpretação de Erasmo sobre Romanos 9. Primeiramente, Lutero acusa Erasmo de interpretar “as palavras: ‘…eu lhe endurecerei o coração…’ , como se elas significassem: ‘Minha longanimidade, mediante a qual tolero o pecador, e que leva outros ao arrependimento, faz apenas com que Faraó torne-se cada vez mais obstinado em sua impiedade’”, e de inverter o sentido de “endurecerei o coração de Faraó” para “Faraó endurecerá o seu próprio coração” (70).

Lutero afirma que devemos aceitar o sentido mais claro do texto a menos que tal explicação seja absurda (69) e que o sentido claro do texto é:

Quando Deus disse: “Endurecerei o coração de Faraó”, Ele estava dizendo: “Farei com que o coração do Faraó se endureça”. Deus, com a mais absoluta certeza, sabia e, com a mais absoluta certeza, declarou que o coração do Faraó se endureceria. Com idêntica certeza, Deus sabia que o Faraó não poderia impedir as ações divinas contra si. E Deus igualmente sabia que, como resultado disso, o Faraó certamente tornar-se-ia pior. Uma vontade maligna pode querer somente fazer o mal. Mesmo quando Deus traz algum bem para exercer uma influência benéfica — como no caso do evangelho — a vontade maligna só pode tornar-se pior. Ela torna-se mais endurecida. (75)

Agora, é importante fazer uma observação. Alguns de vocês possivelmente estão pensando, “como Deus poderia fazer isso com um coração puro? Deus tornou o coração de Faraó mau?” Não é isso que Lutero está afirmando, pois não há “coração puro” no homem caído! O fato de Deus endurecer o Faraó não significa que Deus está endurecendo um coração neutro. Lutero afirma repetidamente que Deus estava endurecendo um coração perverso! Eis a resposta de Lutero:

“A minha resposta é que, à parte da graça da eleição, Deus trata com os homens em consonância com a natureza deles. Visto que a natureza deles é maligna e pervertida, quando Deus os impulsiona para que entrem em ação, seus atos são malignos e pervertidos.” (73)

“Deus não cria uma nova maldade no coração dos homens. Antes, Ele se utiliza do mal que já se encontra no coração deles, visando aos seus próprios bons e sábios desígnios.” (74)

Resumindo, Deus endurece, sim, o coração de Faraó, mas isso não se opõe à natureza de Faraó. Deus endurece um coração de pedra.

Por que Deus não altera então a vontade perversa de pessoas como Faraó?

Eis o que Lutero diz:

Por que Deus não altera a vontade perversa de pessoas como Faraó? Essa questão toca na vontade secreta de Deus, cujos caminhos são inescrutáveis (Rm 11.33). Se alguém que é orientado por sua razão humana, fica ofendido por causa disso, que assim seja. As queixas nada mudarão, e os eleitos de Deus permanecerão inabaláveis. Poderíamos também perguntar por que Deus deixou que Adão caísse! Não devemos tentar estabelecer regras para Deus. Aquilo que Deus faz, não é correto porque o aprovamos, mas porque Deus assim o desejou.

Se Deus previu algo, esse evento pode ser alterado?

Lembra que eu sugeri separarmos as esferas de discussão sobre livre-arbítrio: salvação e providência? Aqui, o debate migra para providência. A pergunta que nos devemos fazer é: se Deus previu algo, esse evento pode ser alterado?

Para Lutero, a presciência divina elimina o “livre-arbítrio” (76-77) e se este existe, então Deus “seria uma divindade muito débil e patética se a sua presciência fosse indigna de confiança, e se pudesse ser contrariada pelos acontecimentos” (78).

Porém, quando Deus prevê alguma coisa, ela acontece porque Ele assim previra. Se você não aceita isso, mina todas as ameaças e promessas de Deus. Você nega o próprio Deus. (77)

A razão natural precisa admitir que Deus seria uma divindade muito débil e patética se a sua presciência fosse indigna de confiança, e se pudesse ser contrariada pelos acontecimentos. (78)

Erasmo afirma que “na inquebrantável presciência de Deus, Judas foi fatalmente destinado a tornar-se um traidor; mesmo assim, Judas era capaz de mudar a sua vontade”. Lutero acha isso contraditório, pois se Judas pudesse mudar sua vontade, então Deus teria previsto errado. Ou seja, se Deus previu A, poderia B acontecer? Se a resposta é não, para Lutero, o homem não pode ter “livre-arbítrio”.

Amei a Jacó e aborreci a Esaú

Vamos para o próximo texto polêmico: “amei a Jacó e odiei (ou aborreci) a Esaú”. Uma das respostas de Erasmo continua muito comum hoje: “o ódio de Deus não é igual ao do homem” (hoje as pessoas afirmariam que “odiar significa amar menos”). Mas, como Lutero aponta, essa não é a questão! Ele diz: “Ora, todos sabem que o amor e a ira de Deus não se assemelham às paixões humanas; porém, a questão com que ora nos defrontamos não requer que perguntemos como Deus ama ou odeia, mas por que Deus ama ou odeia” (81).

Ou seja, você está fazendo a pergunta errada. Mesmo que aborrecer signifique “amar menos”, a grande questão não é essa, mas, sim, por que Deus aborreceu, odiou, amou menos (como queria).

Então, por que Deus aborreceu Esaú? A resposta usual é que Esaú era perverso. Sim, isso é um fato, mas não é isso o que o texto de Romanos 9 diz! Eis o que Lutero responde:

“O amor e a ira de Deus não estão sujeitos a alterações, conforme ocorre conosco. Em Deus, ambos são eternos e imutáveis. Foram fixados muito antes que o “livre-arbítrio” fosse possível. Vemos nisso, que nem o amor nem a ira de Deus esperam pela reação humana, mas antecedem à mesma. […] O que poderia ter feito Deus amar a Jacó ou odiar a Esaú? Certamente, não por qualquer coisa que eles tivessem feito, pois a atitude de Deus para com eles foi estabelecida e declarada antes mesmo de terem nascido, e não havia muita atuação do “livre-arbítrio” naquela ocasião! (81)

Cada vaso em seu lugar

Por fim, temos o texto do vaso para honra e para desonra. Erasmo puxa 2 Timóteo 2.20-21 (“Se alguém se purificar dessas coisas, será vaso para honra”) para mostrar que o vaso de Romanos 9 tinha livre-arbítrio, pois purifica a si mesmo. Ou seja, texto fora de contexto. Lutero mostra como os textos estão falando de coisas totalmente distintas, apontando que 2 Timóteo fala sobre “a piedade pessoal do crente” (83).

Mas isso é injusto!

Muitos respondem que essa interpretação tornaria Deus injusto. E é justamente o que Paulo antecede na discussão de Romanos 9. Lutero diz:

Agora você apela para o raciocínio humano. Não pode aceitar o direito que Deus tem de lançar os ímpios no fogo eterno. Pois, conforme você sugere, isso não é razoável, porque Deus criou os ímpios conforme eles são. E assim a verdade vem à tona! Você assume a mesma postura dos queixosos, que Paulo cita, em Romanos 9.19: “De que se queixa ele [Deus] ainda? Pois quem jamais resistiu à sua vontade?” Isto posto, a razão humana demanda que Deus aja de acordo com as ideias humanas acerca do que é certo e do que é errado; e o Soberano que criou todas as coisas deve submeter-se à sua própria criação!

[…]

Quando Deus salva aqueles que merecem a condenação, ninguém reclama. Mas, quando Deus os condena, ouve-se um grande protesto. (84)

Sua vez!

1) Quem endureceu o coração primeiro? Faraó ou Deus?

2) Por que Deus amou a Jacó e aborreceu a Esaú?

3) O que mais chamou a sua atenção neste capítulo?

4) Algo que você discordou?

37 Comentários
  1. Rafael Cavalcante Diz

    Não são adventista, mas tenho que concordar com o texto abaixo:

    "Deus predestinou crianças para serem sacrificadas aos ídolos pagãos?

    O calvinismo apresenta um deus mais cruel que qualquer pai humano pecador.

    No momento estou lendo o livro do profeta Jeremias. Uma das coisas que têm me impressionado é a quantidade de textos que destroem por completo qualquer tentativa de apresentar a Deus como o “Soberano” responsável pelo mal.

    O teólogo e ex-calvinista Clark Pinnock certa vez escreveu que a doutrina da predestinação coloca a pessoa “em dificuldades agonizantes de primeira grandeza” . Afinal, por crer nesse ensino, o indivíduo se vê obrigado a explicar como Deus predetermina que as pessoas façam as coisas erradas que Ele tanto odeia! Pinnock tem razão, nesse ponto.

    Quero separar tempo para sistematizar todos esses textos para você, porém, agora, gostaria de transcrever apenas dois versículos que lhe servirão de auxílio no estudo com amigos calvinistas (que creem na dupla predestinação: para a vida eterna ou para a perdição). Vamos lá:

    “Porque eles me abandonaram e profanaram este lugar, oferecendo sacrifícios a deuses estranhos, que nem eles nem seus ante­passados nem os reis de Judá conheceram; e encheram este lugar com o sangue de inocentes. Construíram nos montes os altares dedicados a Baal, para queimarem os seus filhos como holocaustos oferecidos a Baal, coisa que não ordenei, da qual nunca falei nem jamais me veio à mente.” (Jr 19:4, 5, Nova Versão Internacional).

    Se uma pessoa não rasgou de sua Bíblia tais textos, ela não pode continuar sendo calvinista. Os versículos dizem que o povo abandonou a Deus e não que Deus fez com que eles O abandonassem. A Bíblia diz que eles encheram Jerusalém de sangue de inocentes e não Deus. Jeremias não deixa de dúvidas de que eles adoraram deuses pagãos por vontade própria e não por que Deus os tornou idólatras ao “predestiná-los”!

    Continuemos em nosso raciocínio. Você consegue, caro leitor, imaginar que um Deus de amor (1Jo 4:8, 16), que tem sonhos eternos para as criancinhas (Mt 19:13-15), em algum momento, “predestinou” que várias delas fossem sacrificadas a ídolos pagãos pelo próprios pais (Jr 19:5)? Se você crê que tais criancinhas foram sacrificadas por causa da dureza do coração dois pais delas, e por que eles assim escolheram (e não Deus), você não pode ser um calvinista, assim como eu.

    Uma pergunta importante que você pode fazer a um irmão calvinista sincero, com base em Jr 19:5, é: “como Deus teria predestinado aquelas crianças para serem sacrificadas se Ele mesmo disse que aquilo nunca passou por Sua ‘mente’?” Peça, carinhosamente, uma resposta bíblica e lógica, sem a desculpa do “paradoxo”.

    "Deixem vir a mim as crianças e não as impeçam…" (Jesus, em Mateus 19:13).

    A Bíblia ensina que o responsável pelo mal é um anjo caído (Ez 28:13-15) chamado (entre outros nomes) de “Diabo” e “Satanás” (Ap 12:9). A Palavra de Deus nos ensina que esse ser, que havia sido criado perfeito (Ez 28:15) rebelou-se contra Deus e contra o céu (Ap 12:7-12) tendo, desse modo, de ser expulso do Paraíso celestial, juntamente com os anjos que o seguiram naquela terrível rebelião (2Pe 2:4).

    Quando Satanás veio para a Terra com seus anjos e enganou Adão e Eva (Gn 3; 2Co 11:3), a humanidade passou a fazer parte de um conflito cósmico entre o bem e o mal. E a saída para sermos vitoriosos é nos apegarmos a Jesus e O aceitarmos como nosso Salvador (At 4:12) e Senhor (Mt 7:21-23), vivendo pela fé nEle todos os dias até o momento em que Ele voltará pela segunda vez (Hb 9:28), para acabar definitivamente com o mal e seu autor (Rm 16:26), e restabelecer a alegria e a paz universal (Ap 21:1-4; Ap 22).

    Portanto, Deus predestinou o PLANO DE SALVAÇÃO e não quais pessoas seriam salvas e quais se perderiam (1Pe 3:9; Ap 22:17).

    Não é mais lógico (biblicamente falando) explicarmos a origem e o final do mal dessa maneira, ao invés de “culparmos” a Deus, dizendo que Ele foi o responsável por todas as desgraças da humanidade? Não é mais coerente com todas as regras do bom senso acreditar quer o sacrifício de crianças foi o fruto da atuação do Diabo e do coração perverso dos pais delas, que, ao invés de se deixarem influenciar pelo Espírito Santo para fazer o bem (Jo 16:8-10), permitiram que Satanás as influenciasse para o mal (Cf. Jo 8:44)?

    Deus tem uma lógica melhor a lhe oferecer do que “lógica” apresentada pela doutrina da dupla predestinação. Através da doutrina do Grande Conflito entre o bem e o mal, Ele ensina a verdadeira origem do pecado, como ele findará e de que modo podemos ser vencedores (leia Ef 6:10-18).

    Além disso, com a correta (e bíblica) compreensão da origem do mal, você não é colocado no terrível dilema agonizante mencionado por Pinnock: explicar como Deus predetermina que as pessoas pequem e façam o mal, sendo que Ele odeia tais coisas.

    Pense nisso com carinho e aceite a Bíblia como ela é apresentada por Deus." – http://migre.me/hWJq5

    Outro ponto contra o Calvinismo:

    http://www.youtube.com/watch?v=Dt17RTNDzFw

    Vejo o vídeo acima entre 3:45 e 9:50.

    Caso haja algum errado no texto e no vídeo acima me falem por favor!

  2. Victor Badaró Diz

    Não entendo muito sobre a presciência de Deus…
    O que eu entendo por presciência é que Ele sabe inicialmente, antes mesmo de acontecer, o que vai acontecer! Mas para mim isso não quer dizer em nada que o que vai acontecer, vai acontecer somente porque Deus previu assim, mas também porque escolhemos assim. Isso não faz Deus dependente das minhas escolhas, Ele sabe o que vai acontecer porque Ele tem a presciência que somente Ele tem.
    Não é uma objeção minha (embora seja em minha mente rs). Só estou tentando entender a questão.
    Lutero disse para Erasmo o seguinte:
    Você deseja que o Faraó tenha um arbítrio que é livre para submeter-se ou para rebelar-se, e também insiste que esse texto indica que Faraó endureceu o seu próprio coração, não Deus. Mas veja o que isso significaria. Deus seria dependente do "livre-arbítrio" do Faraó e não poderia ter dito com antecedência, a Moisés e aos israelitas, o que aconteceria. (Pág. 76)
    O que eu não consigo entender é por que Deus não poderia ter dito a Moisés, se o "livre-arbítrio" é verdadeiro, com antecedência sobre a questão.
    Deus não seria dependente do "livre-arbítrio" do Faraó. Ele simplesmente sabia o que iria acontecer!
    Por favor, sei que parece mais uma afirmação minha, mas na verdade estou tentando compreender. Me corrijam se eu estiver errado.

  3. Vinícius Musselman Pimentel Diz

    Rafael, a pergunta é o que significa "nunca passar pela mente de Deus". Significa que Deus não é onisciente? Ele não sabe todas as coisas? Ao citar Pinnock parece que o autor quer negar a onisciência de Deus.

    Ou significa que tal prática não faz parte da vontade prescritiva de Deus? Veja este vídeo: http://voltemosaoevangelho.com/blog/2014/02/a-vontade-de-deus-pode-ou-nao-ser-frustrada/

  4. Vinícius Musselman Pimentel Diz

    Victor, a questão filosófica é: algo acontece porque Deus previu ou Deus prevê porque algo acontece?

    Esse debate vai entrar em determinismo, compatibilismo, libertarismo. Não tem como abordar um assunto dessa complexidade filosófica aqui. Minha sugestão é você procurar sistemáticas e livros específicos neste assunto e ler.

  5. Rafael Cavalcante Diz

    Vinícius Musselman Pimentel "nunca passar pela mente de Deus" parece ilógico pois Deus é onisciente. Na Bíblia diz o seguinte: "Jeová está longe dos iníquos"(Provérbio 15:29) e isto também parece ilógico pois Deus é onipresente. Portanto, "nunca passar pela mente de Deus" é uma maneira de dizer.

    Outra coisa:

    No livro de Jonas Deus fala: "Vá à grande cidade de Nínive e pregue contra ela a mensagem que eu vou dar a você"(Jonas 3:2) e depois Jonas foi e proclamou na cidade de Nínive: "Daqui a quarenta dias Nínive será destruída"(Jonas 3:4).
    Minha pergunta é: a cidade de Nínive foi destruída? Deus falou que ela seria destruída!
    Deus ao falar que a cidade de Nínive seria destruída ele estava falando do futuro, pois ele não falou "se vocês não se arrependerem eu destruirei a cidade", mas ao invés disso ele disse "ela será destruída". No final ela não foi destruída, logo Deus pode mudar o futuro que ele já anunciara. E isso é um ponto contra a predestinação!

  6. Vinícius Musselman Pimentel Diz

    Rafael Cavalcante,

    1) Lógico que é maneira de dizer. Maneira de dizer o quê? Que os sacrifícios são abomináveis a Deus. Ou seja, é contra a vontade prescritiva dele.

    2) Quanto a Nínive, qual opção você escolhe:
    a – Deus mentiu, pois ele disse que ia fazer algo e não fez
    b – Deus se enganou, pois viu o futuro errado e depois mudou o que falou que ia fazer
    c – A ameaça de Deus segue o padrão de todo Antigo Testamento, ou seja, ela é condicional ao arrependimento. Nínive seria destruída em quarenta dias se não se arrependessem. Como eles se arrependeram, a destruição foi adiada, pois Nínive foi de fato destruída.

  7. Rafael Cavalcante Diz

    Vinícius Musselman Pimentel Deus não disse "daqui a quarenta dias Nínive será destruída se não se arrependerem", mas sim "daqui a quarenta dias Nínive será destruída".
    Deus não mentiu e também não se enganou. A única coisa que aconteceu é que nada é predestinado!
    É muito difícil compreender como Deus consegue prever o futuro. Nossa mente é muito limitada para compreender a magnitude do poder de Deus. Muitos tentando explicar o poder de Deus em prever o futuro fala que Deus já predestinou tudo. Mas isso está errado!
    Como tentar explicar o fato de Deus prever o futuro? Para nós é impossível explicar, mas tentarei dar um exemplo claro!

    Um excelentes Enxadrista é capaz de advinhar qual será a próxima jogada do adversário. Muitos Enxadrista são capazes de pensar 20 jogadas a frente.
    Quando um jogador de Xadrez profissional joga com um leigo ele é capaz de advinhar muitas das próximas jogadas do adversário. Ele não consegue fazer isso pelo fato de predestinar o jogo de Xadrez, mas sim pelo fato de ele ter um excelente racicíonio. Logo, o poder de racicíocio de Deus pode fazer com que ele saiba o que vai acontecer no futuro!

    Imagine um país onde aqueles que cometem assassinados são condenados à pena de morte.
    Agora imagine que a pessoa que criou essa lei vai na rua e encontra uma pessoa inocente. Depois ele vai e coloca a arma na mão do inocente e faz com que este mate uma pessoa. Depois que o inocente foi obrigado a matar outro inocente o criador da lei vai e o condena à pena de morte. Você acha o criador da lei da pena de morte foi justo? Claro que não!

    Se Deus predestinasse as pessoas ele estaria agindo como o criador da lei usado no exemplo acima!

    Repito não sou adventista, mas no blog Na Mira da Verdade tem ótimos artigos. Olhe o outro artigo abaixo:

    http://novotempo.com/namiradaverdade/soberania-divina-ou-tirania-divina/

  8. Vinícius Musselman Pimentel Diz

    Rafael Cavalcante,

    Então Deus não sabe o futuro, ele chuta?

  9. Rafael Cavalcante Diz

    Vinícius Musselman Pimentel Eu não disse isso e peço desculpa caso eu tenha me expressado errado!

    Eu só fico imaginando Deus falando: "Aquele homem no futuro matará, estrupará, estrangulará crianças e fará coisas horríveis. Depois eu vou condená-lo por esses crimes! E isso acontecerá pois eu predestinei ele, ou seja, vou usar minha soberania para fazer com que ele faça esses crimes horríveis!"

    Será que Deus predestina as pessoas? Eu acho que não! Se o homem não tem livre-arbitrio, quem o controla?

  10. Vinícius Musselman Pimentel Diz

    Rafael Cavalcante,

    1) Então, você abandonou a ilustração do xadrez?

    2) Então, você concorda que o "nunca passou pela minha mente" não nega a predestinação?

    3) Estamos no terceiro debate sobre o livro Nascido Escravo. Você leu os anteriores?

    4) Por fim: leia Isaías 37 e repare no versículo 26. Veja que ao mesmo tempo Deus afirma a culpa do rei da Assíria e diz: "Você não soube que há muito eu já o havia ordenado que desde os dias da antigüidade eu o havia planejado? Agora eu o executo, e faço você transformar cidades fortificadas em montões de pedra."

  11. Gustavo Jitsuchaku Diz

    Vinícius Musselman Pimentel e Rafael Calvacante.

    Gosto de pensar na história de Abrãao diante do rei Abimileque (Gênesis 20), onde o Senhor ameaçou (ou previu) a condenação para o rei por se deitar com Sara. No entanto, o rei se defende dizendo que não sabia, porque Abrãao que disse que Sara era sua irmã e que ele, o rei não havia se deitado com Sara. Daí o Senhor responde no verso 6:

    E disse-lhe Deus em sonhos: Bem sei eu que na sinceridade do teu coração fizeste isto; e também eu te tenho impedido de pecar contra mim; por isso não te permiti tocá-la.
    Gênesis 20:6

    A idéia de quem um Deus que existe antes e além do tempo. Alguém que não está preso ao tempo, não pode ser pego de surpresa no sentido que nada que aconteça Ele de fato já não saiba. E uma idéia de que exista uma luta entre o bem e o mal aparentar ser muito épico e mitológico. Afinal, o texto de Isaías não é a Bíblia ensinando e confirmando que ali se fala de Satanás. Na verdade, pode perguntar para qualquer teólogo, Lucifer, o nome de lúcifer foi um erro de tradução. E o texto de Ezequiel é uma direta profecia sobre a queda do rei de Tiro. Não estou dizendo que não possa referir-se a Satanás também, e também não estou dizendo que satanás não exista. Apenas estou questionando se existe essa incrível e hollywoodiana batalha entre o bem e o mal, tornando Deus num mero jogador, e não um autor de uma história incrível e complexa, a qual o objetivo principal é que sua graça fosse exaltada como assim afirma em Filipenses 1.

  12. Deilson Sobrinho Marques Diz

    louvores ao nosso Deus fiquei desejoso de mais.

  13. Victor Badaró Diz

    Vinícius, você recomendaria algum? Não faço a mínima ideia de qual ler… rs

  14. Rafael Nobre Ravazzi Diz

    Vinícius Musselman Pimentel, só pra complementar sua resposta ao Rafael Cavalcante,

    1 Pe 2.7,8 (ACF)
    "E assim para vòs, os que credes, é preciosa, mas, para os rebeldes,a pedra que os edificadores reprovaram,essa foi a principal da esquina,
    E uma pedra de tropeço e rocha de escândalo,para aqueles que tropeçam na palavra, sendo desobedientes; para o que também foram destinados."

    (NVI) "Portanto, para vocês, os que crêem, esta pedra é preciosa; mas para os que não crêem, "a pedra que os construtores rejeitaram tornou-se a pedra angular",
    e, "pedra de tropeço e rocha que faz cair". Os que não crêem tropeçam, porque desobedecem à mensagem; para o que também foram destinados."

    Eles tropeçam por serem desobedientes (responsabilidade humana).
    Mas foram destinados a isso (Soberania de Deus).

  15. Anônimo Diz

    Rafael, a Soberania de Deus não anula a responsabilidade do homem, são duas verdades que andam lado a lado como trilhos de trem. E um mistério que não temos capacidade de entender totalmente pela nossa finitude! Os capítulo 8 e 9 de Romanos deixa claro sobre Deus e sua Soberania e eleição, como por toda a Bíblia, é bíblico não há como negar, a não ser que neguemos ou distorçamos o contexto dos textos.
    Inclusive a resposta disso sobre não entender totalmente e duvidar, estão nesses versículos também!

    Leia o livro, você vai entender que Lutero é totalmente bíblico, em confronto com os erros de Erasmo.

    O ponto de partida é entender como o pecado torna os homens cegos, inimigos de Deus, como Paulo descreve em Efésios 2.1 "MORTO", ou seja o homem não quer e não pode vir a Deus, Jo 6.44 este é o começo de entender o porque o homem é incapaz de vir a Deus, se Deus não o alcançar, e este é o ponto de Lutero, o homem esta completamente perdido, o homem continua fazendo escolhas, mas nós calvinistas entendemos que todas as areas do homem, intelecto, desejo, afeições foram maculadas pelo pecado, então quando o homem faz uma escolha, o pecado é seu senhor, e ele é influenciado por ele, logo ele não é livre, como está dizendo Lutero, entende o ponto? A expressão livre-arbitrio é uma mentira a Luz das Escrituras, quando o homem é regenerado do alto (de Deus), plantado com uma semente incorruptivel pelo proprio Jesus, aí sim a escolha é novamente restaurada, porque o pecado não é mais seu senhor.

    Querido Rafael. O calvinismo do ponto de vista bíblico é irrefutável, e ele para onde a Bíblia para, eu sei bem como você está se sentindo porque este tambem foi meu processo! Romanos 9 sem duvidas é um divisor de aguas, sugiro a leitura de um livro maravilhoso, Uma jornada pela graça, Editora Fiel (sugestão ao Voltemos para sortear, kkk!)

    Quero lhe incentivar, continue sendo um inquiridor, isso é bom, questionarmos, mas quando confrontados a Palavra de Deus, humildemente se submeta, porque a Palavra de Deus é boa para ensino, instrução, correção!

    Em Cristo
    Guinho
    http://www.respirandodeus.blogspot.com

  16. Adson Rodrigues Costa Diz

    Vinícius Musselman Pimentel
    Belo jogo de palavras. Saída pela direita!!!!

  17. Milena Rubik Diz

    Deus.

    Porque ele quis. Ele fez os dois e tem direito
    sobre eles.

    O argumento 13 na parte que diz sobre a
    perversidade do homem, que aprova a soberania de Deus só quando essa o
    favorece. E o 14 o modo tão simples e bíblico com que Lutero dá fim a algumas
    tão famosas questões sobre eleição.

    Se Deus só usa os homens, nos casos de maldade como o de
    Faraó, pressionando suas naturezas más e simplesmente eles cometem mais
    maldades ainda, ou se Deus ‘põe a mão no coração’ e endurece mais mesmo….de
    qualquer modo a intenção é a mesma…Como no caso de Faraó, que ele resistisse
    mesmo a Deus e este mostrasse a todos sua mão poderosa. O que dizer? Ainda
    assim Deus não intencionou o mal, nem o praticou. Ele é o padrão!!! Um homem é
    condenado por matar o outro porque Deus disse não matarás, um homem é condenado
    se não matar o outro a partir do momento que Deus ordena para matar, como no
    caso de Aguague. Ele de fato é Deus e está acima de todos, como disse o
    pregador Josemar Bessa Deus não está lendo um livro dos filósofos para saber o
    certo e o errado. Enfim, seja o Senhor o nosso temor e o nosso assombro.

  18. Ramon Prietos Diz

    Lutero mostra que Deus endureceu o coração de Faraó utilizando a o mal dade do proprio Faraó , mostra que a escolha de Deus por Jacó e não Esaú pela sua infinita misericórdia. gostei muito do argumento 5 onde ele explica que Deus não cria uma nova maldade no homem, mas utiliza da maldade que já há no homem

  19. Vinícius Musselman Pimentel Diz

    Victor Badaró, Soberania Banida e as partes sobre providência de teologias sistemáticas.

  20. Vinícius Musselman Pimentel Diz

    Adson Rodrigues Costa, não enteei =]

  21. Victor Badaró Diz

    Ok, valeu!

  22. Tenho dificuldade em pensar num Deus preconceituoso com a sua imagem e semelhança, Sou crente a mais de quarenta e cinco anos, pastor a mais de trinta, sempre entendi que o amor em Deus é eterno, não há logica Jesus morrer só por uns poucos marcado para salvação e outros serem considerados lixos, Que Deus é este? Que Deus é este que não quer que ninguém se perca mas que todos venham a salvação e tem preferencias por jogar alguns no inferno. Quanto preconceito amigo! Deus é onisciente porque não pensar que este atributo possa fazer Deus conhecer os corações antecipados, porque não? Se não há livre arbítrio o pecado de Adão foi uma indução Divina? Que absurdo! Não perco tempo com isto. A Deus toda glória que me dá o direito de fazer minhas vontades, meus desejos por que me fez livre para decidir o que quero de bom ou mal. Glorias e aleluias!

  23. Renato Cardoso Diz

    Mateus 26:28 – "porque isto é o meu sangue, que é derramado em favor de MUITOS para o perdão dos pecados […]". Não existe TODOS. Leia também Hebreus 9:28. Glória e Aleluia.

  24. Robson Freitas Azevedo Diz

    Texto muito bem argumentado, impressionante como os argumentos são convincentes, a Bíblia revela e explica os desígnios do Senhor, abraços…

  25. Victor Noubhert Diz

    Deus predestinou as mortes daquelas crianças? Obvio. Visto que os seus dias estão determinados, contigo está o número dos seus meses; e tu lhe puseste limites, e não passará além deles.Jó 14:5

    Deus poderia impedir o que fizeram com as crianças? Sim. mas ele nao quis.
    Deus é culpado? nao. foi culpa da humanidade perversa.

    Deus nao força o homem a rejeitar o evangelho, faraó teve todas as chances de se arrepender mas ele nao se arrependeu porque nao quis, a culpa é toda dele.

    O ser humano é mau, é perverso, todos tem potencialidade de ser mais perverso do que hitler. Deus endurecer o pecador nao significa que Deus força o pecador a pecar, significa que Deus so permite que esse homem faça o que ele ja quer, que siga o seu coração depravado, Deus retira a sua graça sobre tal pecador e entrega ele a seu proprio coração.

    Porque voce nao é um um delinquente , um bandido, drogado, assassino? Sera que voce tem um coração melhor que eles? Nao, toda a humanidade tem o mesmo coração perverso, isso é simplesmente porque Deus te deu mais graça comum do que a eles, e a eles Deus permitiu que fossem mais fundo em seus pecados.

    O que faz voce esta aqui salvo enquanto tem outras pessoas nao sao salvas? Voce é mais esperto que conseguiu entender a verdade do evangelho? Voce e faraó nao tem nenhuma diferença, a diferença toda esta que Deus escolheu ser misericordioso para contigo. Se Deus permitisse te deixar por sua propria decisao e vontade voce ainda estaria em seus pecados.

    Deus nao força nenhum ser humano a pegar uma arma e matar uma pessoa, o ser humano é mau, perverso. Deus a todo momento esta restringindo e evita que essas perversidades aconteçam, mas quando ele quer ele permite… como essa matança das crianças

  26. Victor Noubhert Diz

    Eu tenho uma duvida. Deus nao pune a humanidade de acordo com suas obras? O julgamento de Deus nao vai ser de acordo com as suas obras? Entao como Deus odiou esaú antes mesmo dele fazer bem ou mau? É por causa do pecado original , de sua natureza pecaminosa ?

    Outra pergunta Deus ama os eleitos, ok. Mas isso nao significa que a ira de Deus nao esteja sobre eles enquanto eles nao creem no evangelho, certo?

  27. Vitoria Isabel Diz

    Renato Cardoso
    Belo texto isolado, o "mundo" de João 3.16 não inclui o "todos"?

  28. Vitoria Isabel Diz

    Renato Cardoso
    Belo texto isolado, o "mundo" de João 3.16 não inclui o "todos"?

  29. Vitoria Isabel Diz

    Renato Cardoso
    Se você Ler todo o livro de Hebreus, verás que é possivel té para que já é salvo, perder a salvação.

  30. Vitoria Isabel Diz

    Renato Cardoso
    Se você Ler todo o livro de Hebreus, verás que é possivel té para que já é salvo, perder a salvação.

  31. Vitoria Isabel Diz

    Renato Cardoso
    Leia a Carta de Pedro e você achara o t'odos" falado pelo Ageu.

  32. Marcos Filipe Diz

    Acho que não existe nem nunca existirá imparcialidade quanto “quem Deus salva, ou porque ele salva” calvinista levaram para um lado, arminianos para outro e os demais ficaram no meio do caminho(cujo o qual eu sou o primeiro) e sempre dará na mesma……… Verdade é, sobre os versículos citados por Erasmo e Lutero, que ninguém questiona a soberania de Deus……………. Não questionarei também como ele exercer essa soberania…………….. Deus não quer salvar todos, porque se ele quisesse ele simplesmente salvaria…………………. Alguém pode argumentar que Deus quer salvar a todos mas nos deu o Livre Arbítrio, tudo bem, Deus é onisciente não é??? Ele sabia que se nos desse o livre arbítrio alguns não seriam salvos, certo??? Logo Deus não quer salvar a todos………………. Como ele escolheu ou se ele deixou para nós escolhermos não temos informação suficiente para isso…………………………… A bíblia não tem todas as respostas ela tem apenas as respostas que precisamos ter………………

  33. daiana Diz

    1 faraó
    2 Deus amou os dois, mas na passagem em que está contido essa afirmação se referia aos decendentes de ambos, onde os descendentes de Esaú eram maus (por escolha deles), e os descendentes de jacó eram dedicados a Deus( por livre vontade). o que quer dizer::
    “Para com o benigno te mostras benigno, e para com o homem perfeito te
    mostras perfeito. Para com o puro te mostras puro, e para com o perverso,
    inflexível*.” Sal. 18:25,26
    Oremos para não sermos enganados por falsos discursos e fábulas engenhosamenete elaboradas.
    I
    Tim 2:4 “O qual
    deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da
    verdade”

    Para
    terminar, só uma pequena história tirada de um estudo. Conta-se que um membro velho, de poucos
    conhecimentos teológicos, foi interrogado sobre a nossa parte no plano da
    salvação. Disse ele:

    “Bem,
    há uma eleição onde Deus está votando a nosso favor, e o diabo votando para a
    nossa perdição. Do lado em que pussermos o nosso voto, esse ganhará a
    eleição.”

    Uma resposta simples, mas profunda. A qual
    mostra perfeitamente nossa parte no plano da salvação..

  34. Langercan Diz

    Não entendo a discordância da interpretação “Faraó endureceu seu próprio coração” usando a justificativa de que é Deus quem endurece o coração, mas um coração de pedra. Ora, o coração já era duro no fim das contas, fazendo com que ambas as interpretações entrem e concordância.

    Lutero diz que Deus só age em consonância com a natureza humana. Gostaria de saber se há algum fundamento biblico para essa afirmação. Pois se assim fosse, penso que não haveriam corações quebrantados. “Como está escrito: Não há um justo, nem um sequer” Rm 3:10

  35. v Diz

    vi que um irmão citou a passagem bíblica em timoteo que Deus deseja que todo homem se salvem. o Senhor Jesus disse aos seus dicipulos que,quando o Espírito Santo viesse ele convenseria o mundo do pecado da justiça e do juízo.agora eu pergunto Jesus Cristo é mentiroso ? haja vista ,que o mundo todo nao é cristao,! o que dizer sobre isso!!

    1. Bruna Diz

      A salvação seria somente para os judeus, aí Deus amou o mundo, cada lugar do mundo Deus havia escolhido pessoas agora não somente judeus, mas africanos, gregos, brasileiros e etc , então o mundo referido é de escolhidos por Deus de diversas partes do planeta.

  36. Jose Augusto Santos Diz

    gostei muito da leitura e da interpretação desta palavra obrigado

Comentários estão fechados.