Quem são os filhos de Deus e as filhas dos homens em Gênesis 6?

Viram os filhos de Deus que as filhas dos homens eram formosas; e tomaram para si mulheres de todas as que escolheram. (Gênesis 6:2)

Esse é um texto de difícil interpretação. Há basicamente três interpretações para os “filhos de Deus”: (1) anjos caídos, (2) filhos de Sete e (3) homens poderosos. Neste texto, Walter Kaiser Jr. resume as três posições, defendendo a última.

Existem três posicionamentos para explicar Gênesis 6.1-4. Podem ser designados da seguinte forma: (1) a visão das raças mistas cosmologicamente (a mistura de anjos e humanos); (2) a visão das raças mistas religiosamente (os piedosos setitas e os mundanos cainitas); e (3) a visão das raças mistas sociologicamente (aristocratas despóticos e formosas plebeias).

            O ponto de vista mais antigo e conhecido é aquele segundo o qual os filhos de deus eram “anjos” que abandonaram o céu, vieram para a terra e mantiveram relações sexuais “com as filhas dos homens”, deixando uma raça de “gigantes” (hebr. Nephilim). O livro pseudepigráfico do Enoque (c. 200 a.C.), nos capítulos 6.1 – 7.6, apresenta essa teoria, assim como fizeram o historiador Josefo (Antiguidades 1.3.1) e a Septuaginta, a tradução grega do Antigo Testamento feita no século III a.C. (todavia, apenas o manuscrito Alexandrino o faz; a edição crítica da Septuaginta, por Alfred Rahlfs, não o faz). Todos eles explicam “filhos de Deus” como anjos, mas esse emprego do termo ocorre apenas em Jó 1.6; 2.1 e 38.7 (com possível paralelo no Salmo 29.1 e 89.6 para “filhos do poderoso”).

            Em lugar algum das Escrituras, nem mesmo em Gênesis 6, é dito que anjos casaram-se com humanas. Na realidade, Marcos 12.25 declara que anjos não se casam. Mais sério ainda é o fato de que, se o problemas começou com a iniciativa dos “filhos de Deus” – nessa perspectiva, os anjos -, por que Deus não inundou o céu em vez de trazer julgamento sobre a terra? Como fundamentação adicional para a teoria de anjos, alguns recorrem também a 1Pedro 3.18-20; 2Pedro 2.4 e Judas 6,7. Essas passagens, no entanto, não mencionam casamentos angelicais.

            O ponto de vista das raças mistas religiosamente dá-se tão bem quanto a perspectiva das raças mistas cosmologicamente. Segundo essa visão, a linhagem apóstata de Sete cometeu o pecado de colocar-se em jugo desigual com as descrentes “filhas dos homens”, isto é, mulheres da linhagem de Caim. Porém, esse ponto de vista fracassa, pois emprega o termo “homens” no versículo 1 de maneira distinta daquela do versículo 2; no versículo 1, significa “humanidade” de maneira geral, mas, no versículo 2, significa a “linhagem de Caim” especificamente. Seguindo o raciocínio, por que será que uma raça mista religiosamente teria resultados físicos tão dramáticos como a concepção de “gigantes”, conforme se interpreta a expressão hebraica nephilim gibborim? Até onde se sabe, a religião não afeta o DNA desse modo!

            O melhor ponto de vista é das raças mistas sociologicamente. Os títulos de “filhos de Deus” era há muito atribuído a reis, nobres e aristocratas no Antigo Oriente Próximo. Esses déspotas sedentos pelo poder chegavam a ser “homens de renome” (Gn 6.4). Em sua busca por poder, eles usurpavam controle despoticamente. Pervertiam o conceito de governo entregue por Deus, fazendo o que bem entendessem. Não se preocupavam com a atribuição primária de Deus ao estabelecer os governos: trazer alívio por meio de melhorias e correções das injustiças e iniquidades terrenas. Além disso, eram polígamos (6.2).

            As evidências a favor dessa visão são as seguintes: (1) os targumins aramaicos antigos traduziam os “filhos de Deus” como “filhos de nobres”; (2) a tradução grega feita por Símaco trazia a mesma frase como “os filhos de reis ou senhores”; (3) a palavra hebraica para “Deus/deus” é ‘elohim, empregada nas Escrituras e traduzida em diversas versões como “magistrados” ou “juízes” (Ex 21.6; 22.8; Sl 82.1,6); e (4) descobertas do Antigo Oriente Próximo validam o emprego pagão de nomes de muitos deuses e deusas como forma de trazer mais prestígio e poder aos reis e governantes de seus dias.

            Em relação aos chamados gigantes, a palavra nephilim ocorre apenas em Gênesis 6.4 e Números 13.33 – neste último trecho, refere-se aos anaquins, pessoas de grande estatura. A raiz da palavra nephilim vem da naphal, “cair”. Ademais, em alguns contextos, a palavra nephilim está associada à palavra gibborim, que vem de gibbor – ou seja, “homem de valor, força, riqueza ou poder”. Por exemplo, Ninrode, em Gênesis 10.8, era um gibbor. Parece ter sido também um rei na terra de Sinar (i.e., provavelmente a Babilônia). Portanto, o significado de nephilim, nesse contexto, não parece ser “gigantes”, mas algo como “aristocratas”, “príncipes” ou “grandes homens” que governavam.

Dessa maneira, Gênesis 6.1-4 é melhor compreendido como um retrato de governantes ambiciosos, despóticos e autocráticos que se agarravam ao poder e a mulheres como lhes aprouvesse. Faziam isso na tentativa de construir sua própria notoriedade e reputação.  Não é nada surpreendente que esse mesmo espírito fosse transmitido à prole deles. Como resultado, toda inclinação dos corações de homens e mulheres, de governantes ao populacho, ficava cada vez mais perverso. Foi por isso que adveio o dilúvio: a humanidade tinha de ser julgada por sua perversão daquilo que é certo, com e justo, enquanto também se lançava julgamento sobre a instituição do estado e do governo, que provocaram Deus até o limite.

plano_promessa_Deus_gRetirado do livro O Plano da promessa de Deus, de Walter C. Kaiser Jr.; Editora Vida Nova – website: www.vidanova.com.br.

Revisão e correções: Vinícius Musselman Pimentel. Original: Quem são os filhos de Deus e as filhas dos homens em Gênesis 6?. website: VoltemosAoEvangelho.com

Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

67 Comentários
  1. Ana Carolina Almeida Rodrigues Diz

    Interessante, nunca tinha observado por esses pontos de vista.

  2. Daniel Jardim Diz

    Posta um sobre a disputa pelo corpo de Moisés.

  3. Anônimo Diz

    Acho que o autor se contradiz quando destaca que

    "por que será que uma raça mista religiosamente teria resultados físicos tão dramáticos como a concepção de “gigantes”, conforme se interpreta a expressão hebraica nephilim gibborim? Até onde se sabe, a religião não afeta o DNA desse modo!".

    O argumento que ele usa para desconstruir a segunda teoria ele descarta para afirmar a terceira teoria, observe:

    " Portanto, o significado de nephilim, nesse contexto, não parece ser “gigantes”, mas algo como “aristocratas”, “príncipes” ou “grandes homens” que governavam"

    Até que tenha acesso a uma explicação mais detalhada ainda me filio à primeira corrente!

  4. Gelvane Fonseca de Oliveira Diz

    Muito bom!

  5. Teologando Diz

    Eu conheço o Kaiser pessoalmente, e sou grandemente abençoado por suas obras, mas seu argumento aqui não é dos melhores. Ele defende que as 'raças religiosamente' mistas não pode ser o sentido do texto por que não explica a origem dos nephilm:

    "Seguindo o raciocínio, por que será que uma raça mista religiosamente teria resultados físicos tão dramáticos como a concepção de “gigantes”, conforme se interpreta a expressão hebraica nephilim gibborim? Até onde se sabe, a religião não afeta o DNA desse modo!"

    Entretanto, ele defende que seria mais plausível defender que a 'raças sociologicamente mistas' melhor se adapta ao sentido do texto. Minha pergunta então é:

    "Seguindo o raciocínio, por que será que uma raça mista sociologicamente teria resultados físicos tão dramáticos como a concepção de gigantes, conforme se interpreta a expressão nephilim gibborim? Até onde se sabe, as diferenças sociais não afetam o DNA desse modo!

  6. CLAUDIMIR Morais Diz

    O senhor Walter sofre o mal do cessacionismo. Os cessacionistas precisam fazer muitas manobras, para driblarem o sobrenatural na Bíblia.

    1. Rafael Ravazzi Diz

      O que é mais sobrenatural do que um ser totalmente depravado, receber um sopro de vida, um lavar regenerador, o habitar do próprio Deus Espírito Santo e mudar totalmente sua mente, seu caráter, sua forma de pensar, de agir, suas motivações, seus sonhos, suas convicções, e por fim, sua natureza!?

    2. Claudimir Morais Diz

      Concordo plena e perfeitamente consigo no que escreveu, irmão. De modo algum deixo de reconhecer esse MILAGRE! Sem dúvida, esse é insuperável em natureza e nos seus efeitos. Acho que o irmão entendeu muito bem o que eu quis dizer acima, quando cito o “cessacionismo”.

    3. Neto Diz

      Percebo que você nem conhece o senhor Walter e seus escritos, nem o cessacionismo.

    4. Roberto Reis Diz

      puxa escrever cessacioniso, doeu no ouvido, puxa vamos pelo menos ohar o portugues, e sensacionaismo, e pra mim os filhos de Deus sao anjos….

  7. Vinícius Musselman Pimentel Diz

    Por outro lado, os gigantes já habitavam na terra (v.6), mesmo antes da "mistura cosmológica". Então, não se pode atribuir tais "resultados físicos tão drásticos" somente à mistura. Se a humanidade produziu antes "gigantes", então não há a necessidade de "anjos" para explicar os nephilins.

  8. Teologando Diz

    Vinícius Musselman Pimentel, concordo plenamente com você, aliás, não acredito na 'mistura cosmológica' como apresentada no texto de Gênesis. O ponto do meu comentário é que o Kaiser defendeu que a 'mistura religiosa' é improvável por que não pode explicar o surgimento dos nephilim, mas depois defende a 'mistura social' e afirma que o nephilim eram na verdade 'principes'.

    Em outras palavras, ele rejeita a 'mistura religiosa' defendendo a intervenção angélica, mas aceita a 'mistura social' e rejeita a intervenção angélica.

    Nesse aspecto que o argumento dele aqui não é dos melhores.

  9. Tione Echkardt Diz

    Teologando e Vinícius eu concordo com vocês, inclusive eu tenho uma teoria nesta linha de pensamento e que se encontra neste site: http://www.amazon.com/Nefilim-queda-ser-mitol%C3%B3gica-Portuguese/dp/3639896513

  10. Tione Echkardt Diz

    Teologando e Vinícius eu concordo com vocês, inclusive eu tenho uma teoria nesta linha de pensamento e que se encontra neste site: http://www.amazon.com/Nefilim-queda-ser-mitol%C3%B3gica-Portuguese/dp/3639896513

  11. Felipe Garcia Diz

    Prezados, houve um erro: no texto introdutório diz que uma das três
    interpretações existentes para “filhos de Deus” é “filhos de Caim”. Não seria filhos de Set??
    Corrige aí!

    Fiquem na Paz!

  12. Anônimo Diz

    Curiosidade aguçada sempre que discutimos o assunto. Ficamos as vezes decepcionados quando deparamos com nós. Creio que vem daí essa necessidade de atribuir sobrenatural o que é trivial.

  13. Dayvison Lima Diz

    No seguinte exemplo: "Os teus filhos vieram aqui na minha casa, veio também Rafael entre eles. " Nesta frase podemos concluir que Rafael não é dito como filho, assim como a Bíblia não se refere aos anjos rebeldes (demônios) como "filhos de Deus". Em Jó 1.6 está escrito: " E num dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o SENHOR, veio também Satanás entre eles." Podemos notar a expressão: " E veio tb Satanás entre eles", isso não define Satanás como filhos de Deus, se ele for filho por ter sido criado por Deus, logo todos os homens são filhos de Deus.

  14. Victor Badaró Diz

    Fiquei sem entender. O argumento refutando a segunda interpretação (raças mistas religiosamente) dizendo que essa "mistura" causou a concepção dos "gigantes" não afeta também a terceira interpretação (raças mistas sociologicamente)? O versículo 4 não diz que eles [gigantes] já viviam antes da "mistura"? O artigo original (R. C. Sproul) referenciado no início do post (filhos de Caim) é mais correto e defendendo a segunda interpretação.

  15. Bruno Moutinho Rosa Diz

    Irmãos, com a devida vênia, ouso discordar. Neste texto, Walter Kaiser Jr. defende a visão das raças mistas sociologicamente. Segundo essa visão os nephilim seriam homens de renome, filhos de aristocratas despóticos e não homens de alta estatura como podemos depreender do excerto abaixo:

    "Ademais, em alguns contextos, a palavra nephilim está associada à palavra gibborim, que vem de gibbor – ou seja, “homem de valor, força, riqueza ou poder”. Por exemplo, Ninrode, em Gênesis 10.8, era um gibbor. Parece ter sido também um rei na terra de Sinar (i.e., provavelmente a Babilônia)."

    E continua o autor:

    "Portanto, o significado de nephilim, nesse contexto, não parece ser “gigantes”, mas algo como “aristocratas”, “príncipes” ou “grandes homens” que governavam."

    Não há que se falar em contradição.

  16. Bruno Moutinho Rosa Diz

    Irmãos, com a devida vênia, ouso discordar. Neste texto, Walter Kaiser Jr. defende a visão das raças mistas sociologicamente. Segundo essa visão os nephilim seriam homens de renome, filhos de aristocratas despóticos e não homens de alta estatura como podemos depreender do excerto abaixo:

    "Ademais, em alguns contextos, a palavra nephilim está associada à palavra gibborim, que vem de gibbor – ou seja, “homem de valor, força, riqueza ou poder”. Por exemplo, Ninrode, em Gênesis 10.8, era um gibbor. Parece ter sido também um rei na terra de Sinar (i.e., provavelmente a Babilônia)."

    E continua o autor:

    "Portanto, o significado de nephilim, nesse contexto, não parece ser “gigantes”, mas algo como “aristocratas”, “príncipes” ou “grandes homens” que governavam."

    Não há que se falar em contradição.

  17. Wellington Rafael Diz

    Concordo com Manuela Rodrigues Borges Acho que o autor se contradiz quando destaca que

    "por que será que uma raça mista religiosamente teria resultados físicos tão dramáticos como a concepção de “gigantes”, conforme se interpreta a expressão hebraica nephilim gibborim? Até onde se sabe, a religião não afeta o DNA desse modo!".

    O argumento que ele usa para desconstruir a segunda teoria ele descarta para afirmar a terceira teoria, observe:

    " Portanto, o significado de nephilim, nesse contexto, não parece ser “gigantes”, mas algo como “aristocratas”, “príncipes” ou “grandes homens” que governavam"

    Até que tenha acesso a uma explicação mais detalhada ainda me filio à primeira corrente!

  18. Wellington Rafael Diz

    Concordo com Manuela Rodrigues Borges Acho que o autor se contradiz quando destaca que

    "por que será que uma raça mista religiosamente teria resultados físicos tão dramáticos como a concepção de “gigantes”, conforme se interpreta a expressão hebraica nephilim gibborim? Até onde se sabe, a religião não afeta o DNA desse modo!".

    O argumento que ele usa para desconstruir a segunda teoria ele descarta para afirmar a terceira teoria, observe:

    " Portanto, o significado de nephilim, nesse contexto, não parece ser “gigantes”, mas algo como “aristocratas”, “príncipes” ou “grandes homens” que governavam"

    Até que tenha acesso a uma explicação mais detalhada ainda me filio à primeira corrente!

  19. Victor Badaró Diz

    Bruno Moutinho Rosa, a questão é: quem são os filhos de Deus em Gênesis 6?

  20. Bruno Moutinho Rosa Diz

    Victor Badaró, segundo o autor, O título de “filhos de Deus” era há muito atribuído a reis, nobres e aristocratas no Antigo Oriente Próximo, já as filhas dos homens seriam mulheres do povo. Parece natural pensar que seus filhos, no caso os nephilim, aprendessem de seus pais a sede de contruir seu próprio nome e reputação através da força. Isso justifica o fato de Deus ter decidido destruir a raça humana.

  21. Rodrigo Pereira Gomes Diz

    Então respeitando a opiniao de todos, mas quando alguem consegue fazer uma explicação sem forçar a barra é bacana, mas verdadeiramente esse texto foi deveras forçado para sustentar essa opinião
    e o texto biblico não diz que os anjos se casaram com as mulheres, pelo menos no portugues e eu não tenho dominio do hebraico, diz que possuiram, entraram, ou seja apenas um relacionamento sexual sem necessariamente um casamento… continuo crendo assim como o Macarthur…que sao anjos mesmo

  22. Victor Badaró Diz

    Bruno Moutinho Rosa, é exatamente essa a questão: segundo o autor!
    O que ele quis dizer eu entendi perfeitamente, porém eu discordo totalmente! Outra coisa, os "gigantes" já existiam antes (v. 4) , logo, esse resultado não pode ser somente a essa "mistura" como já disse o Vinicius Musselman Pimentel.
    Leia esse outro artigo citado no início do post e veja em que situações são mencionadas a expressão "filhos de Deus": http://www.ministeriofiel.com.br/artigos/detalhes/628/Os_Filhos_de_Deus

  23. Jackson Emanuel Diz

    Se não eram anjos*, quer dizer que não existiram gigantes e Davi foi só um conto bonito?
    Se não eram anjos*, pq seus dias na terra foram limitados a 120anos?
    *existe uma teoria de que esses anjos seriam super seres humanos, os filhos de Adao e Eva q nao se contaminaram com o pecado e seriam os mensageiros a serviços de Deus, mas como se apaixonaram pelas mulheres, deixaram seu posto pra viver entre nós e ajudar a povoar a terra.

  24. Bruno Tavares Diz

    Bruno Moutinho Rosa Concordo plenamente, e quando ele cita que o termo Nephilim não poderia ser empregado na segunda corrente, ele quer dizer que, dado as circunstâncias não há de se falar em gigantes por escolha de uma religião.

  25. Thalles Diz

    Interpretação rasa e retórica, diria “simplória” se não fosse apresentada inferidamente pelo autor uma posição ideológica!

  26. Marcelo Luciano Spanivello Diz

    De acordo com estudos sobre o livro de Gênesis 6. 1-4, Esta é uma das passagens mais debatidas do Antigo Testamento. Há três principais interpretações para ela: (1) Os filhos de Deus seriam os descendentes de Sete, e as filhas dos homens, a pecaminosidade de Caim; o casamento de pessoas dessas duas linhagens teria levado os filhos de Deus à apostasia, à desonra e ao pecado [atraindo o juízo divino]. (2) Os filhos de Deus seriam os poderosos reis da antiguidade que praticavam poligamia, tomando para si mulheres de todas as que escolheram – o que incitava outras práticas perversas. (3) Os filhos de Deus seriam anjos caídos que teriam coabitado com as filhas dos homens, produzindo gigantes, seres humanos-divinos [conforme vemos nas mitologias]. Qualquer que seja a interpretação é importante notar que esses versículos são uma espécie de prólogo da história do Dilúvio, chamando a atenção para a descrição geral da maldade, mencionada no versículo 5. A terceira interpretação, a de que os filhos de Deus poderiam ser os anjos caídos, é a visão de muitos estudiosos judeus. Mas há duas objeções principais a ela: (1) anjos não se casam (Mt 22.30); (2) a ideia [de seres divinos-humanos] é incompatível com o pensamento bíblico. Ainda assim, sabemos que há anjos que não guardaram o seu principado, mas deixaram a sua própria habitação(Jd 1.6). Deus não os perdoou. Ele os entregou às cadeias da escuridão, ficando reservados para o juízo (2Pe 2.4). Sendo seres espirituais [com capacidade de transfigurar-se e de possuir corpos, pode ser que os anjos caídos tenham assumido a forma humana e casado com as filhas dos homens – o que significou uma ruptura tão grande na ordem estabelecida pelo Senhor que provocou o jugamento do mundo por Ele por meio do Dilúvio.

  27. Mauro Diz

    “Todos eles explicam “filhos de Deus” como anjos, mas esse emprego do termo ocorre apenas em Jó 1.6; 2.1 e 38.7 (com possível paralelo em 29.1 e 89.7 para “filhos do poderoso”).”
    Bem, Jó 29.1 não tem paralelo algum e Jó 89.7 não exiiste, pelo menos na minha bíblia, de qualquer forma Jó 1.6 já confirma. Não preciso de mais teorias!

  28. André Rodrigo Gouvea Diz

    No meu entendimento, pode haver uma possível quarta teoria. O versículo chave se encontra no formato em que Deus aplicou sua punição, pois até então os homens (filhos de Deus), viviam muitos anos e como suas filhas ( as filhas dos homens), cresciam e ficavam formosas, os mesmos deitavam-se com as filhas e como Deus não se agradou de tal, desceu a punição de que não viveriam mais de 120 anos, pois quando suas filhas atingissem certa maturidade, o corpo de seu pai já não seria tão jovem e formoso como antigamente.

  29. Maicon Coutinho Mendes Diz

    Tema interessante, porém como explicaria a alteração no DNA humano?
    Pois os gigantes foram formados da relação dos filhos de Deus com as filhas dos homens.
    André Rodrigo Gouvea já leu o "Livro de Enoque" ?
    Lá explica bem essa passagem de gênesis, apesar de não fazer parte da nossa Bíblia, mas tem sua real importância na história do velho testamento.
    Explica também a origem dos demônios, que muitos pensam que eram anjos, e que se rebelaram, porém nada mais são que os espíritos imundos da relação dos filhos de Deus com as filhas dos homens.

  30. Maicon Coutinho Mendes Diz

    Tema interessante, porém como explicaria a alteração no DNA humano?
    Pois os gigantes foram formados da relação dos filhos de Deus com as filhas dos homens.
    André Rodrigo Gouvea já leu o "Livro de Enoque" ?
    Lá explica bem essa passagem de gênesis, apesar de não fazer parte da nossa Bíblia, mas tem sua real importância na história do velho testamento.
    Explica também a origem dos demônios, que muitos pensam que eram anjos, e que se rebelaram, porém nada mais são que os espíritos imundos da relação dos filhos de Deus com as filhas dos homens.

  31. André Rodrigo Gouvea Diz

    Maicon Coutinho Mendes, sou adepto da primeira teoria, justamente pelo livro de enoque, depois que judas em sua epístola faz menção ao livro de enoque, pesquisei e li, achei super interessante, quando expressei a opinião, apenas fora para elucidar que por ser um tema muito interessante, existem mais teorias do que as expressadas no texto acima.

    e com relação a pergunta feita sobre a passagem feita a cerca dos gigantes, a explicação pode ser dada em parte segundo a terceira teoria, pois nephilim está associada à palavra gibborim, que vem de gibbor – ou seja, “homem de valor" e Faziam isso na tentativa de construir sua própria notoriedade e reputação. (talvez pela sua origem, pois gigantes pode abrir um leque enorme de opções do seu real significado, ainda mais se abranger a possibilidade de já haver gigantes naquela época, isto é claro em uma tentativa de apoiar tal teoria.

    mas creio que quando juntamos esta passagem com o livro de enoque, torna-se muito mais fácil o entendimento do texto em questão, com a primeira teoria, de que seriam os anjos caídos, até porque, os homens somente foram chamados filhos de Deus, muito mais muito tempo depois.

  32. Allan Jacques Diz

    O mais estranho é que em hebraico, onde se lê "filhos de Deus, está escrito "B'nai Elohim" e isso significa, literalmente, filhos de Deus.
    O único outro ponto na Bíblia onde este termo aparece é no livro de Jó, referindo-se a Anjos, filhos de Deus…
    Mais estranho ainda é o relato do livro apócrifo de Enoque, aquele que não era mais pois Deus o havia tomado para si, onde há a exata descrição do pacto de mútuas execrações…
    Enfim, é mais cômodo manter a exegese de Santo Agostinho do que raciocinar sobre o texto…

  33. Vinicius Freitas Diz

    Temos bases bíblicas suficientes para sustentar que anjos (seres espirituais e imateriais) não se dão em casamento, e ainda é contraditório e incoerente admitir que a perversidade da terra começou com os Filhos de Deus (anjos), mesmo que caídos, pois, aos caídos não se lhes atribui mais o termo “Filhos de Deus” …
    O próximo ponto de partida é: Que os filhos de Deus (Sete), tomaram as filhas dos homens (Caim) em casamento…(O autor trata como mistura “religiosa”) é uma possibilidade! Devemos considerar no entanto, que a iniciativa viria também dos “Filhos de Deus” (neste caso os religiosos, filhos de Sete)..
    Seguindo esta linha de raciocínio, é coerente corroborar com a sugestão do autor em afirmar que o sentido para “Filhos de Deus” está ligado a “Filhos dos Reis ou Nobres”

    1. Rogério De Assis Silva Diz

      Por isso que tem que estudar bastante, pois se vc pegar a escrita original a PALAVRA utilizada para descrever FILHOS DE DEUS só foi utilizada 3 vezes na bíblia….uma inclusive na passagem de Jó.

  34. Paulo Roberto Almeida Motta Diz

    Bruno Moutinho Rosa

  35. Vivian VB Diz

    Interessante :)

  36. Eden Seixas de Lima Diz

    Certamente a religião não muda o DNA mas o pecado traz mudanças e mutações na genética humana e animal.

  37. Jackson Emanuel Diz

    Marcelo Luciano Spanivello Meu amigo, essas 3 teorias que vc mencionou eu já conheço, eu estou falando de uma possível 4a teoria, Adão e Eva tiveram filhos antes do pecado, esses filhos não se contaminaram com o pecado, LOGO seriam super seres humanos, sem a capacidade reduzida como nós temos hoje, não usamos nem 10% do nosso cérebro, esses seriam mensageiros de Deus, e não anjos caídos, anjos caídos são os demônios e ponto. Esses seriam "anjos naturais", ou seja, os filhos de Adão e Eva que não se contaminaram com o pecado e estão a serviço de Deus, como no caso da destruição de Sodoma e Gomorra, provavelmente o primeiro ataque nuclear à terra… Teorias por teorias nós temos diversas, mas algumas fazem muito sentido. Esses "anjos naturais" seriam super seres humanos, e daí o porque de se apaixonarem pelas mulheres e daí o porque de Deus limitar seus dias a 120 anos… A bíblia diz que NADA há de novo debaixo do sol, tudo que é hoje, já foi um dia, pode-se entender desse texto uma interpretação quanto as tecnologias, os vários carros de fogo poderiam sim ser naves espaciais, aeroplanos, enfim… Algo tecnologicamente avançado demais pra época, que o meio de retratar era assim, carros de fogo… Pq não dizer que poderiam ser esses anjos naturais com uma tecnologia extremamente avançada pra época, e avançada demais até para os nossos dias… O que a gente ainda vai inventar e descobrir, já foi um dia…. É uma longa viagem, mas se é pra partir pro lado das teorias, eis uma boa, não fundamentei porque não estou com material em mãos, mas tudo isso tem referência bíblica.

  38. Edecarlos Teixeira da Silva Diz

    Só uma coisa que acho difícil….. A terra afinal foi povoada pelos descentes de Adão e Eva…..relação entre parentes….. E as doenças???? Problemas genéticos….. Como explicar isso?

    1. Rafael Ravazzi Diz

      Edecarlos, creio que as doenças são consequência da Queda. Faz parte do “certamente morrerás”.

    2. CLAUDIMIR Diz

      E o Todo-Poderoso pode curar algum doente hoje em dia?

  39. Guilherme Diz

    Tem um estudo sobre as pirâmides que apoiam a ideia dos gigantes. Acho que é possível. Prefiro ficar com o que está escrito.

  40. Junior Rodrigues Diz

    fico com a 1º .. ja que a ultima, esta na mesmo patamar que a 2º,

  41. Edecarlos Teixeira da Silva Diz

    Hoje fui questionado quanto a isto….
    Como pode terra ter sido povoada somente pelos descendentes de Adão e Eva?
    Confesso que para mim não ficou muito claro quem são os filhos de Deus e dos homens…
    Sera que intérprete corretamente este texto?? Filho de Deus na verdade é um termo pejorativo?????

  42. Alex Lg Diz

    Gênesis 6.1-4 Amados irmãos estudem Adauto Lourenço Tudo o que ele diz a respeito da atmosfera da nossa terra e o tempo (clima) como era totalmente diferente daqueles dias, e como sabemos pouco sobre aquele tempo, que fica muito difícil ou até mesmo impossível chegar a um consenso teológico sobre o assunto, para mim eu quero com certeza esperar Jesus se manifestar para que tudo seja revelado, amados até o que parece aquele povo tinha o Espírito santo morando neles, neles quem? Filhos de Sete? Se os filhos de sete tenham o Espírito Santo então eles eram os filhos de Deus, como nós o somamos hoje através do mesmo Espírito Santo, pois Deus disse Meu Espírito não Agira para sempre no homem, amados não sou teólogo formado em escola, mas a pratico por auto Dida ta, já li a Bíblia toda varias vezes fazendo estudos, e vejo em toda ela que quando se fala de pessoas de Deus ele pode ser chamado de filho do mesmo ou não, dependendo do escritor, e vejo Moisés não usar a mesma referencia de filhos de GN 6 para nenhum de seu contemporâneos, por que? Eu não sei. Mas não me lembro de ninguém de Israel ser Chamado de filho de Deus, porque ele usa esse nome para esse povo em especial? Só se a palavra estiver ligada a indivíduos que realmente eram povo de Deus que tinham o Espírito santo em suas vidas, nenhum povo que não fosse da linhagem de sete o podia ter, pois a Bíblia diz que foi depois dele é que se começou a invocar o nome do Senhor, portanto se os filhos de Deus em Gn 6 não é de Sete quem é? Amados a coisa é difícil, mas um dia tudo será esclarecido. Outra coisa Deus sempre manteve sua promessa de nós dá um dessedente que iria pisar a cabeça da serpente, Sete faz parte dessa linhagem que provavelmente foi abençoada por Deus e Prosperou na terra, mas que logo se desviou da verdade e o caminho verdadeiro, sem um governo terreno eles tenham o Espírito Santo nos seus corações para guiá-los, mas como nos dias de hoje ninguém é um robozinho do mesmo, somos livres para ouvi-lo ou não, lembram o que Jesus disse aos fariseus quanto a pecar contra o Espírito Santo: Todo pecado cometido contra o Filho e contra Deus será perdoado, mas quem pecar contra o Espírito Santo não será perdoado. Será que os filhos de Deus pecaram contra o Espírito Santo? e por isso ficaram sem a salvação a não ser Noé que era um remanescente fiel e por isso foi salvo, Deus também disse por profetas: que algumas cidades serão destruídas, e que mesmo que esses homens piedosos estivessem nelas não seriam poupadas, somente eles seriam Salvos com suas vidas, nem seus filhos escaparia do julgamento justo do Senhor, ao que parece ouve um pecado coletivo de todo o povo daquele tempo, somente Noé era justo, Seus filhos foram salvos por causa do pai e não por ser justos diante de Deus. Lembra de Abraão teve um filho com Agar e o que isso acarretou até hoje, a briga feia entre dois irmãos. Vejo também na Bíblia se repetir as palavras gigantes, valentes, varões como pessoas poderosas com poder controlador de massas sem um governo estabelecido por Deus, essas expressões no passado era dado a pessoas com muita coragem na terra de se levantar contra o governo de Deus, amados aguardando o senhor prossigamos em frente no senhor que no seu tempo há de revela todas as coisas.

  43. Thiago Braga Diz

    Jo 89.7 ? Aguardo a correção dá referência, para aí sim crer que foi retirado dá bíblia essa exegese.

  44. Bianca Araujo Diz

    O argumento é bem estruturado, mas tive problemas em construir uma opinião por falhas em algumas referências bíblicas. Alguém mais notou isso? Me coloco a disposição para ser instruída, caso o erro tenha sido meu.

  45. Erasmo Consani Neto Diz

    Teologando, o Sr Kaiser argumentou sobre o significado para "filhos de Deus" como sendo "filhos de nobres", "filhos de reis ou senhores".

    "(1) os targumins aramaicos antigos traduziam os 'filhos de Deus' como 'filhos de nobres';"

    01) "Filhos de Deus" realmente é empregado em outros lugares da Bíblia no sentido acima??
    02) O texto dá há entender que "Giigantes" nasceram desta união?? Ou, somente que os filhos que nasceram daquela união foram os homens valentes da antiguidade?? (v. 4)

    Para mim (leigo), a resolução como apresentado pelo Sr Kaiser se encontra no uso correto dos termos "Filhos de Deus" dentro do contexto bíblico e a correta exegese do verso 4.

    Abraços!

  46. Ana Carolina Almeida Rodrigues Diz

    Interessante, nunca tinha observado por esses pontos de vista.

  47. Ana Carolina Almeida Rodrigues Diz

    Interessante, nunca tinha observado por esses pontos de vista.

  48. Livino De Almeida Junior Diz

    Eu já gostaria que ele explicasse como se encaixa perfeitamente o texto de Judas ao contexto de serem anjos que deixaram suas formas naturais, também sabemos que o casar ali não era morar juntos, mas o relacionamento sexual em si, "casavam e davam-se em casamento" Mateus 19:38, pelo menos pra mim o Senhor Jesus estava se referindo a perversão sexual.

  49. Ana Carolina Almeida Rodrigues Diz

    Interessante, nunca tinha observado por esses pontos de vista.

  50. Ana Carolina Almeida Rodrigues Diz

    Interessante, nunca tinha observado por esses pontos de vista.

  51. Vinícius Fehlberg Diz

    Bem o caso é que o significado que ele usa para nephilim no terceiro argumento só é possível no terceiro argumento. Ou seja, não faria sentido falar em aristocratas quando a interpretação do tema se volta para o religioso. Portanto, no segundo argumento, nephilim só pode ser interpretado como gigantes – e não príncipes, pois isso não teria sentido aqui. E, realmente, religião não teria efeito sobre o DNA.

  52. Vinícius Fehlberg Diz

    Teologando Não faz sentido validar ou invalidar um argumento do autor com base no outro argumento seu. Cada argumento deve ser visto isoladamente, pois ele trata de visões diferentes em cada um deles, e não a visão do próprio autor necessariamente. O significado que um termo tem em um argumento não é atribuído ao mesmo termo em outro argumento. Pense em cada argumento como um cenário: ele levanta um cenário, verifica sua possibilidade e, caso não seja válido, desfaz o cenário. Quando o segundo cenário começa, o anterior já não existe.

  53. Milton E. Jessica Diz

    Ora naqueles dias estavam os Nefilins na terra, e também depois, quando os filhos de Deus conheceram as filhas dos homens, as quais lhes deram filhos. Os Nefilins eram os valentes que houve na antiguidade, varões de renome.
    Gênesis 6:4 ( Tradução Sociedade Bíblica Britânica).

    Em minha opinião o maior erro está em um erro de leitura visto que o texto bíblico não diz que os (nefilins ou gigantes), nasceram da relação entre os filhos de Deus e as filhas dos homens, mas sim que eles já existiam e continuaram a existir.

    A tradução da Sociedade Bíblica Britânica como está no inicio deste texto deixa claro que os nefilins eram os valentes da antiguidade, assim como na versão Almeida Revisada Imprensa Bíblica. O que nos leva crer que o texto não fala de homens de grande estatura mas de grande poder, porém isto não é argumento suficiente para sustentar a posição da raça mista sociológica.

    Outra coisa que a bíblia não fornece argumento quanto é aos anjos se relacionarem sexualmente, visto que anjos são seres espirituais e não possuem corpo físico entre tantos outros argumentos que podemos fazer uso partindo dos princípios da angelologia.

    Por essas e outras razões para mim o melhor ponto de vista quanto a interpretação desse texto ainda é o da raças mistas religiosamente.

    1. Rogério De Assis Silva Diz

      Já vi muitas pessoas dizerem que os anjos não poderiam ter filhos com as mulheres por que são espírito como você disse não possuem corpo físico. E no caso de Sodoma que antes eles comeram conversaram e estavam tão bem materializados que os sodomitas queriam ter relações com eles?. E no caso de Maria não foi pelo poder?. Nós não
      conhecemos o total poder de um ser espiritual eles podem muito mais do que imaginamos.

    2. Mariana Estevão Diz

      Ótima observação!

    3. Valdir Bentley Diz

      No caso de Sodoma, e o contrário, os sodomitas não imaginavam que eram anjos, porém forasteiros. Anjo não tem sexo, não procriam. Se materializaram apenas para dar o recado para Lo . Falácia afirmar que anjos caídos tiveram relações sexuais com mulheres. Em primeiro lugar, anjos são assexuados. Segundo, sendo anjos decaídos jamais seriam chamados filhos de Deus mormente pela condição de pecadores .Filhos de Deus fazem a vontade de Deus que não é o caso de demônios. E mais, biologicamente e um absurdo seres de outra outra dimensao, sim, caídos do Céu, serem compatíveis com seres humanos. Essa ideia maluca vem do livro apócrifo de Enoque muito utilizado pelos exotéricos ! A explicação é tão simples: os descendentes de Sete, filhos de Deus, tomaram para si mulheres descendentes de Caim. E os gigantes? Gigantes não é produto de relacionamento sexual de anjo com mulher, se assim o fosse, como explicar outros gigantes que nasceram através dos tempos até hoje? E um fator biológico produzido pelo mal funcionamento da glândula hipófise que com toda certeza ocorreu com os anti diluvianos. O resto é apenas mistificação e loucura!

    4. Valdir Bentley Diz

      Falácia afirmar que anjos caídos tiveram relações sexuais com mulheres. Em primeiro lugar, anjos são assexuados. Segundo, sendo anjos decaídos jamais seriam chamados filhos de Deus mormente pela condição de pecadores .Filhos de Deus fazem a vontade de Deus que não é o caso de demônios. E mais, biologicamente e um absurdo seres de outra outra dimensao, sim, caídos do Céu, serem compatíveis com seres humanos. Essa ideia maluca vem do livro apócrifo de Enoque muito utilizado pelos exotéricos ! A explicação é tão simples: os descendentes de Sete, filhos de Deus, tomaram para si mulheres descendentes de Caim. E os gigantes? Gigantes não é produto de relacionamento sexual de anjo com mulher, se assim o fosse, como explicar outros gigantes que nasceram através dos tempos até hoje? E um fator biológico produzido pelo mal funcionamento da glândula hipófise que com toda certeza ocorreu com os anti diluvianos. O resto é apenas mistificação e loucura!

  54. Gabriel Rodrigues Diz

    Claramente o autor acredita numa linha de pensamento e tenta encaixar as demais em mito para provar apenas a sua crença. Pois é impossível sabermos qual delas está correta. Apesar de que, pelo conhecimento do original, onde o mesmo termo, quando aparece em outras vezes, sempre tem o significado de anjos. O fato da mutação genética não ser possível através apenas do julgo desigual, afinal de contas, hoje somos todos santos? Pois não vejo gigantes valentes andando por aí. E acredito que seja tão importante quanto os demais exemplos de dicas para entendermos a passagem. Esse fato originou uma irá de Deus tão grande, que fez ele não só se arrepender de ter feito o homem, quanto destruir toda a humanidade, menos a família de Noé. Não sendo o bastante, foi dito que nos últimos dias, seriam como os dias de Noé. Pois acredito que se estivermos nos últimos dias, veremos coisas parecidas. Bizarramente parecidas e inexplicáveis. Mas permanecendo firmes até o fim, veremos a glória de Deus e não seremos abalados. Voltemos ao evangelho, por favor, mais sola scriptura!

  55. Warlen Carvalho Diz

    O ESTUDO DO POST ESTÁ ERRADO!!!

    Guilherme Reiss , amigo, você é formado em música não em Teologia, entendo que por isso seu estudo foi extremamente simplista e raso. Você disse:

    “Em lugar algum das Escrituras, nem mesmo em Gênesis 6, é dito que anjos casaram-se com humanas. Na realidade, Marcos 12.25 declara que anjos não se casam. Mais sério ainda é o fato de que, se o problemas começou com a iniciativa dos “filhos de Deus” – nessa perspectiva, os anjos -, por que Deus não inundou o céu em vez de trazer julgamento sobre a terra? Como fundamentação adicional para a teoria de anjos, alguns recorrem também a 1Pedro 3.18-20; 2Pedro 2.4 e Judas 6,7. Essas passagens, no entanto, não mencionam casamentos angelicais.”

    Explicitamente não diz em Gênesis 6 quem casou com as humanas, mas implicitamente, sim!
    Os “Filhos de Deus”(Benai Elohim), este termo de anjos ocorre quatro vezes no Antigo Testamento na versão Septuaginta (a tradução grega das escrituras hebraicas) seu significado é sempre usado como anjos de Deus, não do homem. Muitos estudiosos acreditam que este evento descreve uma união entre anjos caídos que coabitam com as fêmeas humanas.
    Os primeiros gigantes, chamados na Bíblia de Nephilins (enfilins no original hebraico, que significa “caídos” ou “desertores”), não eram apenas tão altos, mas poderosos do ponto de vista de seus saberes e ciências ocultas.

    A objeção principal é, então, que os anjos não se reproduzem sexualmente, no entanto, se olharmos para Marcos 12.25 com mais cuidado, vemos Jesus afirmando que os anjos de Deus NO CÉU, nem se casam nem se dão em casamento. Ele dá um local específico, o que nos dá apenas duas alternativas. Por causa de onde eles estão localizados, é uma impossibilidade funcional, ou que ele está se referindo apenas aos anjos que obedecem a Deus não se casam. De qualquer forma, deixa em aberto a possibilidade de isso acontecer na Terra e com os anjos caídos que são desobedientes a Deus.

    O Mt.22: 30 diz especificamente é que os anjos não se casam. O casamento foi dado para gerar novos filhos. Os anjos não têm a capacidade de procriar entre suas próprias espécies. Eles podem ou não ser assexuado, embora estejam em uma forma de espírito eles são retratados como homens, com nomes masculinos Michael(Miguel), Gabriel. Eles também são chamados filhos de Deus não filhas) Quando eles se tornam visíveis eles geralmente aparecem como homens jovens, varões belos. Deus fez uma quantidade inumerável de anjos simultaneamente, ele não continua a criá-los, para que eles nunca aumentam ou diminuem em número.

    Encontramos nas Escrituras que os anjos têm a capacidade de aparecer como os homens, embora sejam criaturas espirituais. Eles são capazes de executar várias funções humanas como comer comida como em seu encontro com Abraão em Gênesis 18. Eles são capazes de realizar outras funções corporais, bem como, eles podem andar e falar entre nós de tal forma que pode não estar ciente delas, a menos que se revelam, Heb. 13:02 “Não vos esqueçais da hospitalidade, porque por ela alguns, involuntariamente, hospedaram anjos.”

    Os anjos que vieram para avisar Ló foram confundidos com os homens e eram procurados para uso homossexual pelos
    homens de Sodoma. Os anjos também são capazes de realizar os planos de Deus na Terra, fornecendo alimento para o homem 1 Reis; Mt 19:5-7. 4:11. Eles são capazes de executar o juízo de Deus Rev. 07:01, 14:17, infligir punição sobre o homem Ez.9 :1-8; Atos 00:23. Parece haver alguma mudança de substância que ocorre na Terra, que podem tornar-se
    física, ao contrário de sua natureza original. Então, se eles são capazes de possuir um corpo de um homem e pode comer e realizar outras funções humanas, então por que não outras habilidades!?

    Outra, esse argumento de que Deus veria ter inundado o Céu e não a Terra é infantil. Os anjos caídos que co-habitaram com as mulheres(Filhas dos homens) já haviam sido expulsos do Céu, e eles trouxeram o pecado aqui para a Terra, e alimentaram a concupiscência humana a tal ponto que não havia mais nenhum justo na terra dos viventes a não ser Noé. Por esse motivo Deus teve que inundar a Terra com as águas do dilúvio.

    1. Adriano Almeida Diz

      Porquanto, quando ressuscitarem dentre os mortos, nem casarão, nem se darão em casamento, mas serão como os anjos >>>que estão nos céus<<>>no céu<<<.

      Tem anjo no céu, tem anjo que já foi do céu.
      Os anjos que caíram fizeram diaburas com as mulheres. Abarcaram-nas.

Comentários estão fechados.