Um pregador deve conhecer suas ovelhas

O pregador andou pela plataforma, olhando fixamente para a congregação. Era o momento de seu apelo semanal. Ele pediu para que respondessem levantando a mão. Nem uma única mão foi levantada. Mas ele não tinha como saber disso porque estava numa tela de projeção.

Eu me encontrava no campus mais próximo de uma igreja multilocal[1] a serviço do próprio pastor, um homem que havia recentemente me contratado para fazer um serviço de pesquisa freelance para ele. Visitar um dos seus muitos cultos a distância deveria me ajudar a “sentir” como andava seu ministério. Com certeza ajudou.  Mas eu não conseguia evitar sentir que este formato de ministério não poderia ajudar o pregador a “sentir” sua congregação.

Eu não sei o que você pensa sobre transmissões por vídeo ou o crescimento do modelo de igreja com múltiplos locais de culto, mas esta experiência e outras tem somente confirmado algumas das preocupações que eu tenho sobre a desconexão entre pregador e rebanho, um dilema crescente em todos os tipos de igrejas, grandes e pequenas.

Na verdade, este dilema não está somente limitado a igrejas de múltiplos locais, com transmissões de vídeo. Pastores de igrejas de todos os tamanhos que estão crescendo continuarão a lutar para estarem familiarizados com suas congregações. E a tentação de se tornar mais e mais isolado fica maior a medida que mais complexidade é adicionada a uma igreja em crescimento.

E é claro que é possível para um pregador de uma igreja pequena ser o melhor amigo de todos em sua igreja, e é possível para pregadores de igrejas maiores conhecerem todos bem. Mas o pregador cujo ministério está se tornando cada vez mais focado na pregação e cada vez menos no pastoreio, o pregador que está se tonando cada vez menos envolvido com sua congregação está na verdade minando a tarefa para a qual está tentando devotar mais do seu tempo! Boa pregação requer pastoreio próximo.

O ministério da pregação não pode ser divorciado do ministério de cuidado da alma; na verdade, a pregação é de fato uma extensão do cuidado com a alma. Existe uma série de razões que mostram porque é importante para pastores que querem pregar de forma significativa conhecerem seu rebanho tão bem quanto podem, mas aqui destaco três das mais importantes.

1. Uma pregação significativa tem os ídolos das pessoas em mente

Quando viajo para pregar em cultos de igrejas e conferências, uma das primeiras perguntas que normalmente faço ao pastor que me convidou é “Quais são os ídolos do seu povo?”. Eu quero ser capaz não somente de chegar e “fazer meu trabalho”, mas servir este pastor e sua congregação ao falar da melhor forma que puder sobre suas esperanças e sonhos que não estão devocionalmente conectadas a Cristo como a maior satisfação deles. Infelizmente, alguns pastores não sabem como responder a pergunta.

Quando Paulo entrou em Atenas, ele viu que a cidade estava cheia de ídolos (Atos 17.16). Dito isto, ele não considerou este como um problema filosófico, mas como um problema espiritual que o entristeceu pessoalmente. Quando ele trata o assunto, faz tão especificamente, se referindo à devoção deles “ao deus desconhecido” (17.23). E sempre que Paulo se dirigiu a igrejas específicas em suas cartas, você verá que os tipos de pecados e falsidades os quais ele trata eram bem específicos. Ele não falou de modo generalizado. Ele sabia o que estava acontecendo naquelas igrejas.

Isto não significa, é claro, que você começará a constranger ou expor pessoas a partir do púlpito. Mas significa que você está tão imerso na vida congregacional para falar em termos familiares.

Até que um pastor tenha passado tempo de qualidade com as pessoas em sua congregação, os ídolos que sua pregação combaterá serão somente teóricos. Todos os seres humanos têm alguns ídolos em comum. Mas as comunidades onde as igrejas estão localizadas, a própria subcultura da congregação e os mesmo gostos e características demográficas especificas na congregação tendem a resultar em ídolos e padrões de pecado mais específicos.

Conhecer em primeira mão as esperanças mal orientadas nas finanças, carreira e família do seu rebanho o ajudará a saber como pregar. Isto o ajudará a escolher os textos certos e a ênfase certa para explicar tais textos. Isto é o que torna a pregação um ministério e não simplesmente um exercício.

[dt_call_to_action content_size=”normal” text_align=”left” background=”fancy” line=”true” style=”2″ animation=”right”]

Artigo Completo

Veja os outros pontos no artigo completo.

Clique aqui para ler o artigo completo[/dt_call_to_action]

Por: Jared C. Wilson. © 2015 9Marks. Original: Why Knowing Your Flock Is Critical to Meaningful Preaching.

Este artigo faz parte do 9Marks Journal.

Tradução: Fábio Luciano. Revisão: Vinícius Musselman Pimentel. © 2014 Ministério Fiel. Todos os direitos reservados. Website: MinisterioFiel.com.br. Original: Conhecer seu Rebanho é Fundamental para uma Pregação Significativa.

Veja mais artigos do 9Marks Journal