um site cristão por Cristo e pelo Evangelho

Como andar junto aos que sofrem | VE Entrevista com Gloria Furman

A autora cristã, Gloria Furman, esposa do pastor Dave Furman, nos conta como a deficiência física de seu marido transformou algumas coisas em suas vidas. Como em meio às constantes mudanças físicas que Dave estava sofrendo, eles perceberam que o evangelho não muda, e que o que importa é a salvação em Jesus Cristo.

Transcrição

Renata Gandolfo: Olá, eu sou Renata Gandolfo, sou do blog Voltemos ao Evangelho, faço os artigos femininos de VE, e hoje nós estamos com uma convidada especial, a Gloria Furman, que escreveu alguns de nossos livros em português. Nós vamos falar hoje de um livro que o marido dela escreveu que se chama Lado a Lado, que é um lançamento da Editora Fiel no qual ele fala como estar ao lado das pessoas que estão sofrendo.

Gloria, olá. Obrigada por ter vindo.

Nós acabamos de lançar o livro do Dave e nós gostaríamos de saber a transformação que aconteceu a partir do momento que o Dave teve o problema dele e qual foi a maior transformação que vocês tiveram no relacionamento de vocês.

Gloria Furman: Certo…

Então, a deficiência física do meu marido começou há cerca de dez anos, há mais de dez anos, quando estava grávida de nosso primeiro filho. Ele estava digitando na aula do seminário e ele voltou da aula e disse: “Meu dedo mínimo está zunindo”. Nós pensamos: “Que estranho. Quem fica com o dedo mínimo zunindo por dentro?”. Depois, a dor do zunido se espalhou do dedo mínimo até o cotovelo. Depois, no outro lado também.

Então, por diversos anos, estávamos meio perdidos. “Por quê? O que é isso?”. Os médicos estavam confusos. “Ah, é isso. Ah, é aquilo”. Então, um ciclo muito difícil começou, tentando consertar esse problema e, ao mesmo tempo, tentando entender quem é Deus e que há algumas coisas que não precisam ser consertadas, como a verdade eterna.

Então, nos tornamos obcecados com a constante mudança de circunstâncias oriundas da deficiência física e David perdeu a capacidade de fazer praticamente qualquer coisa com os braços. Então, ele não consegue levantar livros, fechar um botão, dirigir um carro, trocar uma fralda ou abrir uma garrafa d’água. Então, quando ele perdeu essas habilidades, nós também perdemos a visão de quem Deus é, do evangelho e do que isso significa para nós em nosso sofrimento.

Então, uma das maiores transformações que eu vi em nosso relacionamento, entre o meu esposo e eu, foi que, ao mesmo tempo, nós percebemos:  “Uau! Nós esquecemos que a grande circunstância permanente é que somos salvos! Isso não muda. Jesus nos salvou. Esse é o significado disso. Todas essas verdades bíblicas continuam a vigorar, mesmo em meio à dor. Não significa que você está isento dessas coisas ou que algumas partes não se aplicam mais a você. Continua sendo tudo verdade”, mesmo quando parecia que o mundo ao nosso redor estava caindo aos pedaços.

Então, diversas coisas mudaram em nosso relacionamento.

Uma coisa específica que mudou é que começamos a ter um pouco de senso de humor, porque é meio engraçado. Algumas coisas, algumas situações em que nos encontramos por causa da deficiência de David parecem engraçadas para outras pessoas, como: “Por que a esposa desse homem está se esticando para cortar a carne dele?”. É algo que parece engraçado. Então, em vez de ficar com raiva das pessoas no restaurante por ficarem olhando, ou sempre emburrada, achando que todo mundo está bravo, e você está sempre com raiva, ou culpando Deus, ficando com raiva de Deus, passei a dizer: “Uau! Aparentemente, Deus quer nos dar graça para a situação em que eu tenho que cortar sua carne neste restaurante lotado com todas essas pessoas, ou Deus quer me dar graça para sozinha colocar todas as nossas malas na van com um bebê chorando, colocar o cinto de segurança em David e fechar a porta com todo mundo na frente do hotel olhando fixamente e pensando:  ‘O que essa mulher está fazendo?'”.

Então, em vez de ficar amargurada e com raiva, eu comecei a ver que não é culpa do David. Ele não está fazendo isso comigo. Ele não está tentando me machucar. Ele não está tentando me incomodar. Além disso, Deus não está me incomodando. Deus não está me machucando. Ele está me mostrando sua abundante graça na provisão que ele dá, dia após dia, lembrando-me do evangelho e até através da ajuda prática, pois ele realmente envia pessoas para nos salvar dessas situações práticas que são difíceis.

Então, essas coisas nos deram uma nova perspectiva juntos. Eu diria que, sem dúvida, nos tornamos mais próximos. Como qualquer cuidador sabe, quando você está com aquela pessoa, se há alguma coisa entre vocês, alguma mágoa que não foi revelada, você não tem como guardar isso por muito tempo quando você está ajudando alguém a se vestir. Em algum momento, você tem que falar. Então, também é realmente algo que ajuda a nossa amizade.

Há essas bênçãos que eu vejo mesmo em meio à dor.

Renata Gandolfo: Nós estamos no blog Voltemos ao Evangelho com a escritora Gloria Furman que vai ser a preletora da Conferência Fiel de Mulheres (2017). Obrigada.

3ª Conferência Fiel para Mulheres,

Vivemos dias em que o feminismo redefiniu o significado de feminilidade. Mesmo em nossas igrejas, as mulheres absorveram as ideias desse movimento inconscientes de sua origem e consequências. Talvez você não se identifique como uma feminista, mas é provável que haja aspectos da sua feminilidade que tenham sido negativamente impactados por ele.

Em meio ao contexto de confusão cultural que permeia as nossas igrejas, o Ministério Fiel convida as mulheres cristãs de todo o Brasil a participarem da 3ª Conferência Fiel para Mulheres, que acontecerá nos dias 24 a 26 de agosto de 2018, no Hotel Majestic, em Águas de Lindóia. Vamos examinar o que a Palavra de Deus ensina a respeito de feminilidade e o delicado equilíbrio entre a autoridade bíblica, a perspectiva histórica e a influência cultural em relação ao papel da mulher no lar, no trabalho e na igreja.

Contaremos com a presença dos preletores Sillas Campos, Carolyn McCulley e Norma Braga, para juntos refletirmos sobre o tema Renovadas – Fé Feminina em um Mundo Feminista (Rm 12.2). Nosso objetivo é que as igrejas locais resgatem as verdades da feminilidade bíblica, a fim de alimentar e capacitar as mulheres a exercerem o importante papel que o Senhor designou a elas na edificação de famílias e igrejas saudáveis.

Venha participar conosco!

 

CONFIRA

Por: Gloria Furman. © Voltemos Ao Evangelho. Website: VoltemosAoEvangelho.com. Todos os direitos reservados. Tradução: Frank Brito. Revisão: André Aloísio Oliveira da Silva. Original: Como andar junto aos que sofrem | VE Entrevista com Gloria Furman.

Comentários estão fechados.