Uma era épica da história evangélica chegou ao fim

Albert Mohler Jr., presidente do Seminário Teológico Batista do Sul (Southern Baptist Theological Seminary), em Louisville, Kentucky, reflete sobre a vida de Billy Graham, que morreu hoje (21 de fevereiro) aos 99 anos. A Escola Billy Graham de Missões, Evangelização e Ministério do Seminário do Sul é a única escola de pós-graduação que o famoso evangelista concedeu permissão para utilizar o seu nome. A fundação da Escola Billy Graham foi anunciada em 1993 na posse de Mohler, na qual Graham falou.

Uma era épica da história evangélica chegou ao fim. Billy Graham não foi apenas uma figura titânica no evangelicalismo, mas na história mundial e talvez representa o último desse tipo. Ele dominou o evangelicalismo americano do século XX e continuou sendo uma figura importante no cenário mundial durante a maior parte do século XX, de um modo que não conseguimos imaginar algum líder evangélico em nossos dias.

Billy Graham era um homem extremamente talentoso. Foi um homem de profunda convicção, cujo coração era apaixonado pelo evangelho do Senhor Jesus Cristo. Ele era um evangelista, e não tinha vergonha de ser chamado assim.

Billy Graham sentado com o presidente do Seminário do Sul R. Albert Mohler Jr. durante sua cerimônia de posse, em 14 de outubro de 1993.

De muitas maneiras, Billy Graham não foi pioneiro na evangelização de multidões e na evangelização em cruzada; ele aperfeiçoou isso. O que outros fizeram em menor escala e regularidade pouco frequente, ele começou a fazer de um modo que não penso que pode ser replicado ou igualado. Ele foi um dos primeiros a reconhecer a importância da mídia – primeiro no rádio e na mídia impressa, depois da televisão e mesmo do cinema. No final de sua vida, sua organização foi pioneira em novas formas de alcançar as pessoas com o evangelho através de mídias digitais e sociais.

Além de seu papel de evangelista, Billy Graham também foi o centro organizador do evangelicalismo no século XX, tendo desempenhado um papel dominante na formação de instituições evangélicas importantes. Além da Associação Evangélica Billy Graham, uma base de ministérios evangélicos variados foi fundada por Graham, talvez mais notavelmente, a revista Christianity Today. Examinando a lista das principais organizações evangélicas, é difícil imaginar o que muitos delas seriam hoje — se elas existissem hoje — sem a agência humana de Billy Graham.

Mantendo por muito tempo a sua identidade como Batista do Sul, ele foi por muitos anos um membro da Primeira Igreja Batista em Dallas e teve W.A. Criswell como seu amigo e pastor.

Billy Graham manteve uma longa e estreita relação com o Seminário do Sul, que remonta à década de 1950. Ele era um amigo íntimo do Dr. Duke McCall, que foi o sétimo presidente da instituição. Durante os anos da administração de McCall, ele frequentemente foi orador na capela do Seminário do Sul. Em 1960, o seminário inaugurou o Centro Billy Graham para o Evangelismo e, em 1965, a cadeira de evangelismo Billy Graham foi criada e mantida sucessivamente até hoje por professores que têm ensinado em homenagem ao Dr. Graham.

Em 1993, quando fui eleito presidente, o Dr. Graham encorajou fervorosamente a mim e a visão que me levou ao Seminário do Sul, ao falar em minha cerimônia de posse, e ao nos permitir fundar a Escola Billy Graham de Missões, Evangelização e Crescimento de Igreja, como ficou conhecida na época. O Dr. Graham envolveu-se grandemente em ajudar-me a iniciar minha presidência, e durante toda a minha presidência foi um incentivador atuante e um parceiro constante em oração em prol dessa tarefa. Em 2001, tive o privilégio de servir como presidente da Cruzada Billy Graham realizada em Louisville.

Sou muito grato por, em 29 de outubro de 2013, eu ter sido capaz de apresentar ao Dr. Graham a Adam Greenway como o novo reitor da Escola Billy Graham e apresentar um relatório sobre o progresso da escola.

Durante essa reunião em sua casa, em Montreat, Carolina do Norte, fiquei muito feliz por ter perguntado qual a mensagem que ele gostaria de dar aos nossos alunos. Seu conselho sobre a importância da vida devocional deles e “estudar mais e falar menos” assume hoje um novo e incrível estímulo. Eu tive a impressão muito forte que seria a última vez que veria o Dr. Graham nessa terra. Ele afirmou por diversas vezes: “Estou pronto para estar com Jesus”. Ele sentia, dolorosamente, muita falta de sua esposa, Ruth, e sabia que já havia corrido a sua carreira. Era maravilhoso ver um homem que sabia que havia terminado a sua obra. Ele não estava ansioso para morrer, mas estava ansioso para ver o seu Senhor. Ele sabia, mesmo quando era dependente de oxigênio naquela época, perto dos 95 anos, que estava perto de seu fim nessa terra.

Billy Graham também precisar ser lembrado como um homem que protegeu a integridade moral de seu ministério desde o início até o fim. Um homem contra quem nunca houve qualquer indício de escândalo moral. E, portanto, ele precisa ser reconhecido por ter terminado a carreira e ter cumprido uma jornada de uma maneira que serve como uma inspiração para todos nós.

Em nome do Seminário Teológico Batista do Sul, estendemos as nossas mais profundas condolências e orações à família do Dr. Billy Graham e à Associação Evangélica Billy Graham após a morte desse grande embaixador do evangelho. Tive o privilégio de conhecer o Dr. Graham e ter a sua marca pessoal em minha vida e nesse ministério. Celebramos a vida e o legado do Dr. Billy Graham e somos gratos por termos conhecido alguém que conduziu a sua carreira e terminou a sua jornada com tanta dignidade e valor.

Por: Albert Mohler Jr. © The Southern Baptist Theological Seminary. Website: sbts.edu. Traduzido com permissão. Fonte: Mohler on Graham: ‘An epic era of evangelical history has come to an end’.

Original: Uma era épica da história evangélica chegou ao fim. © Voltemos Ao Evangelho. Website: voltemosaoevangelho.com. Todos os direitos reservados. Tradução: Camila Rebeca Teixeira. Revisão: William Teixeira.

7 Comentários
  1. Natália Moneda Diz

    Quanta idolatria a esse senhor, francamente.

  2. venina Diz

    não se trata de idolatria, colega. trata-se de reconhecimento pelo que ele fez e se empenhou por fazer, o qual não chega nem de perto ao que nós fazemos……….

  3. Jades Rogério Diz

    Reconheço que Billy Graham era um grande homem de Deus, mas acho muita pretenção dizer que não existem outros grandes evangelistas desse tipo. E quanto a Reinhard Bonnke que reuniu mais de 1.7 milhões na Nigéria, com uma palavra cristocêntrica, além de milagres sobrenaturais. E outros que não possuem um nome tão conhecido mas tem trabalhado muito como Toddy White, Heidi Baker que tem gastado sua vida em Moçambique e outros!? Existe outros grandes homens de Deus para além dos muros batistas e “reformados”.

  4. Hermógenes Diz

    Compreendi a homenagem feita neste artigo e acredito ser verdadeira e justa, o que, nem de longe, caracteriza idolatria. Honrar as pessoas que trabalham bem na causa do Senhor dignifica não apenas a sua memória, como também o Senhor que os tem enviado, capacitado e usado.
    A título de exemplo, muito do que sabemos do apóstolo Paulo provém dos seus colegas de ministério e – pasmem! – do próprio Paulo, que escreveu de si mesmo consciente de não estar se oferecendo à idolatria.
    Bendito seja o Senhor Jesus, que concedeu à sua Igreja, no nosso tempo, um exemplo tão vigoroso. marcante e apaixonante como o do irmão Billy Graham!

  5. Enalrice Diz

    O Jades Rogério foi bem preciso em sua colocação. Podemos honrar homens de Deus como Graham, mas dizer q não ha outro mais, seria muito pretensioso e perigoso, uma vez que a Igreja é um corpo composto por MUITOS membros!
    A idolatria ai, nem é com o Graham, mas com a denominação!

  6. Enaile Diz

    É tão bom quando lemos comentários responsáveis, que valorizam e enriquecem. É tão ruim quando vemos que ainda há os que perdem a oportunidade de conhecer nossa história, que Deus continua escrevendo conosco e com homens obedientes em que devemos nos alegrar. Creio que podemos comentar a vida de Graham porque conhecemos os frutos de sua dedicação e o quanto o Senhor foi honrado em sua vida. Sim, pelos frutos os conhecereis. Que sejamos todos conhecidos por bons frutos, que Cristo seja conhecido através de nossas vidas; não desperdicemos nosso tempo com o que nao honra ao Senhor. ;

  7. Rachel V. Diz

    Se o mundo bate palmas para um pastor, pode ter certeza, tem alguma coisa errada com o que ele prega. E não precisa ir muito longe pra descobrir: ele pregava o ecumenismo (alguns dizem ele ser o precursor, acho que não chega a tanto) e no fim da vida disse que Jesus não era o único caminho para se chegar a Deus.

Comentários estão fechados.