um site cristão por Cristo e pelo Evangelho

4 coisas que podemos aprender com Judas Iscariotes

É fácil julgar Judas como um vilão ou vítima, mas eu fico impressionado com o fato de que, de várias formas, ele é exatamente como eu.

Judas era um seguidor de Jesus e um pregador do evangelho, mas existia uma mente dividida nele. No final, ele abandonou a fé que antes professava.

Aqui estão quatro coisas que facilmente passam desapercebidas na história de Judas.

1. O comprometimento dele

Judas teve comprometimento com Jesus, e não havia nenhuma razão para se pensar nada além de que ele era sincero na sua fé. Assim como os outros discípulos, ele deixou tudo para seguir nosso Senhor. Judas estava ativamente envolvido com o ministério, e foram dados dons espirituais memoráveis a ele. Lucas nos conta que Jesus chamou “os doze” juntos – isso incluía Judas – e “deu-lhes poder e autoridade para expulsar todos os demônios e curar doenças, e os enviou a pregar o Reino de Deus e a curar os enfermos.” (Lucas 9:1,2)

Judas Iscariotes era um pregador do evangelho! Ele tinha recebido o dom de curar, e ele exerceu autoridade sobre demônios. Envolvimento ativo no ministério é algo bom e maravilhoso; mas não é, em si mesma, garantia de saúde ou vida espiritual.

2. A oportunidade que foi dada a ele

Judas andou com Jesus por três anos. Ele viu de perto e pessoalmente a maior vida já vivida. Você não pode ter exemplo de fé melhor do que Jesus ou melhor ambiente para formação de fé do que Judas teve andando com o Salvador.

Ele testemunhou os milagres diretamente. Quando Jesus alimentou os 5.000, Judas estava lá. Ele tomou do pão e distribuiu junto com os outros discípulos. Quando Jesus acalmou a tempestade, Judas estava lá. E ele estava lá quando Jesus ressuscitou Lázaro de dentro os mortos. Você não pode ter evidência melhor para fé do que Judas teve.

Judas ouviu todos os ensinamentos de Jesus também. Ele ouviu o Sermão no Monte, então ele sabia que existe um caminho estrito que leva à vida e um caminho largo que leva à destruição. Ele ouviu os avisos que Jesus deu aos fariseus, então ele sabia que existe um inferno para evitar e um céu para ganhar. Ele ouviu a parábola do filho pródigo, então ele sabia que Deus está pronto para dar as boas vindas e perdoar aqueles que se desperdiçaram em muitos pecados.

Com os próprios olhos, Judas viu a evidência mais clara. Com os próprios ouvidos, ele ouviu o melhor ensinamento. Com os próprios pés, ele seguiu o maior dos exemplos. E mesmo assim, este homem ainda traiu Jesus.

O coração humano está além do entendimento (Jr. 17:9), e há algo incompreensível sobre uma pessoa que abandona a fé que ela antes professava ter. É difícil entender como um jovem criado por pais piedosos no contexto de uma igreja saudável, ensinado sobre as verdades da Escritura desde criança e fundamentado em apologética possa desistir de Jesus.

A história de Judas contém uma lição importante para os pais, líderes, e amigos que lamentam por alguém amado que abandonou a fé. Eles se preocupam:

·       Onde foi que eu errei?

·       O que mais eu poderia fazer?

·       Nós falhamos no nosso ensino?

·       Nós falhamos no nosso exemplo?

·       Nós deveríamos ter mergulhado nosso filho ou filha ou amigo em um ambiente diferente?

Mas Judas nos ensina que nem mesmo o melhor exemplo, a evidência mais convincente, e os melhores ensinamentos – o melhor ambiente para a incubação da fé – não podem, em si e por si mesmos, mudar o coração humano.

3. A escolha que ele fez

Satanás fez um ataque implacável à alma de Judas, assim como ele faz um ataque implacável a todos os que escolhem seguir a Cristo. Nós lemos sobre o ataque de Satanás em Judas:

Então Satanás entrou em Judas, chamado Iscariotes. (Lucas 22:3)

O diabo já havia induzido Judas Iscariotes, filho de Simão, a trair Jesus. (João 13:2)

Satanás entrou nele. (João 13:27)

As claras declarações da Bíblia sobre a atividade de Satanás têm levado alguns a dizer “Bem, pobre Judas, ele não teve nenhuma chance. Satanás entrou nele. O que ele poderia fazer a respeito disso?” Mas essa afirmação desconsidera o fato de que Judas abriu o coração para Satanás.

Judas estava roubando da bolsa de dinheiro coletado, e quando ele manteve esse pecado em segredo, Satanás entrou nele. Ele fez um acordo com os chefes dos sacerdotes e então sentou à mesa do nosso Senhor com pecados conhecidos que ele não confessaria, e satanás entrou ainda mais fundo em sua vida. Pecados não confessados abrem a porta para o poder de Satanás.

Satanás não ganha nenhuma base na vida das pessoas que estão andando na luz com Jesus. Ele só ganha acesso quando a porta está aberta. Como Klaus Schilder observa:

É a majestade única de Jesus que permite ele conquistar o homem sem que o homem se aproxime dele primeiro. Mas a fragilidade de Satanás é provada por isso, ele não pode se aproximar de uma alma, a não ser que essa alma se volte para ele primeiro.

Às vezes nós pensamos da maneira errada, temendo que Satanás vai, de alguma forma, ter acesso secreto aos filhos de Deus, enquanto duvidamos que Jesus possa fazer algo por uma pessoa, a não ser que ela abra a porta. Mas a Bíblia ensina exatamente o contrário.

4. O resultado que ele alcançou

Judas se afundou na escuridão que ele escolheu. Quando você se aproxima de Jesus, uma das duas coisas vai acontecer: ou você se tornará completamente dele, ou vai acabar mais afastado dele.

Entre aqueles que mais odeiam a Cristo, alguns já professaram acreditar nele antes. Suas alegações são tão exclusivas, e suas exigências tão persuasivas que, no final, você deve se entregar completamente a ele ou desistir dele por completo. Não há meio termo.

Apenas aqueles que nunca o conheceram que podem permanecer indiferentes a ele. Para aqueles que se aproximaram, os únicos resultados são devoção total ou eventual antagonismo; e todo dia, cada um de nós está indo em uma direção ou na outra.

Em um tempo em que muitos estão abandonando a fé que um dia professaram, a história de Judas nos alerta a guardar nosso coração, para não nos afastarmos. A história de Judas também nos equipa para alcançar aqueles que podem estar perto de fugir da fé. Cristo nos chama para termos “compaixão daqueles que duvidam e salvar outros, arrebatando-os do fogo” (Judas 1:22,23). E por fim, a história de Judas nos lembra que nada de bom pode vir de desistir de Jesus Cristo. Ele é de valor supremo, e segui-lo vale qualquer custo.

Por: Colin Smith. © The Gospel Coalition. Website: thegospelcoalition.org. Traduzido com permissão. Fonte: 4 Things We Can Learn from Judas.

Original: 4 coisas que podemos aprender com Judas. © Voltemos ao Evangelho. Website: voltemosaoevangelho.com. Todos os direitos reservados. Tradução: Calebe Sequeira. Revisão: Filipe Castelo Branco.

1 comentário
  1. LEONARDO DE CARVALHO PRADO Diz

    Texto maravilhoso, é Deus nos alertando, pois tem muitos que vivem dentro da igreja e não vivem o verdadeiro Evangelho. Ser Cristão dentro do prédio da Igreja é fácil, mas temos que dar o verdadeiro testemunho da nossa crença fora dele. Abraços… Deus os abençoe

Comentários estão fechados.