Maternidade – o moldar de Deus em nossas vidas

Vivemos tempos de trevas. Quase diariamente vejo alguma mãe desabafando nas redes sociais sobre o peso da maternidade, falando horrores quase ao ponto de arrepender de haver dado luz. Que tempos os nossos!

Mas vendo tudo isso sob a ótica do feminismo é possível entender tal atrocidade. Nós somos diariamente bombardeadas com conceitos contrários à palavra de Deus, estimuladas a dar as costas ao propósito para o qual fomos criadas, glorificar a Deus e não a nós mesmas.

Nesta caminhada de vida cristã posso afirmar que quanto mais nos aproximamos de Deus mais nos distanciamos do velho adão, da Eva do velho testamento. É um trabalhar contínuo, de amor, misericórdia, paciência e perseverança de Deus para conosco. Afinal quem somos nós para exigir tal cuidado dele para conosco.

Deus em sua imensa sabedoria fez do ser humano a criação mais dependente de cuidados de seus genitores. Basta olhar para a natureza e ver os animais para observar quão rápido se desenvolvem e tornam-se independentes enquanto o ser humano demanda anos para ter tal desenvoltura. Se não for um indivíduo adulto cuidar deste bebê até que ele seja independente, ele não sobreviverá.

Fomos criadas não somente para sermos mulheres, fomos abençoadas com o milagre de gerar e dar luz a filhos, seres eternos. Aquelas a quem Deus concedeu esta dádiva foram também incumbidas da responsabilidade de criar sua prole nos caminhos do Senhor.

A alegria de receber um filho nos braços é indescritível! Aquele ser pequenino, delicado, tão frágil, tão dependente, com um cheiro irresistível e só nosso. Um verdadeiro milagre! Um ser que nunca existiu antes, um ser único!

Ter filhos é uma benção sem medida do Senhor para conosco. Filhos nos moldam de uma maneira que nenhuma outra pessoa ou situação fará por nós. Quero com este texto tratar um pouco das maravilhas da maternidade.

“Herança do SENHOR são os filhos; o fruto do ventre, seu galardão. Como flechas na mão do guerreiro, assim os filhos da mocidade. Feliz o homem que enche deles a sua aljava; não será envergonhado, quando pleitear com os inimigos à porta.” Salmo 127.3-5

Filhos nos fazem humildes, ao percebermos que não somos capazes de tudo o que queremos. Nos ensinam o real sentido de abnegação. Nos ensinam que cada vida é um milagre. Deus nos concedeu nosso primeiro filho, mas Deus o chamou, e aprendemos com isso que toda vida, que cada criança, é um milagre.

SENHOR o deu e o SENHOR o tomou; bendito seja o nome do SENHOR!” Jó 1.21b

Deus trata nosso coração ansioso desde o início da gestação, nos ensinando a esperar nele, nos ensina a sermos pacientes enquanto nossos filhos se desenvolvem em nosso ventre.

“Acaso, farei eu abrir a madre e não farei nascer? – diz o SENHOR; acaso, eu que faço nascer fecharei a madre? – diz o teu Deus.” Isaías 66.9a

“Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças.” Filipenses 4.6

Filhos nos ensinam a ser responsáveis. Não há nada de mais valor e tão precioso quanto ser responsável por uma vida que foi gerada de nós, sangue do nosso sangue, carne da nossa carne. Alimentar, cuidar, educar, proteger, isso exige de nós todo esforço e dedicação e retorna a nós em forma de um amor imensurável para com nossas preciosas flechas que nos são concedidas.

Somos obrigadas a lidar com nosso egoísmo. Diariamente enfrentamos nossas próprias vontades em contraponto com as necessidades de nossos filhos. Muitas vezes quero fazer algo e me deparo com uma filha precisando conversar, ou precisando que eu caminhe mais perto dela guiando-a em algo. Isso me faz com que eu pese na balança minhas reais necessidades e meu egoísmo.

Ser mãe faz com que lidemos com a preguiça, nos faz desejar ser mais sábias para poder dar bons conselhos aos nossos filhos. Nos faz desejar querer ser como a mulher do livro de Provérbios 31.

“A força e a dignidade são os seus vestidos, e, quanto ao dia de amanhã, não tem preocupações.  Fala com sabedoria, e a instrução da bondade está na sua língua. Atende ao bom andamento da sua casa e não come o pão da preguiça. Levantam-se seus filhos e lhe chamam ditosa; seu marido a louva, dizendo: Muitas mulheres procedem virtuosamente, mas tu a todas sobrepujas. Enganosa é a graça, e vã, a formosura, mas a mulher que teme ao SENHOR, essa será louvada.” Provérbios 31.25-30

Por fim, através da maternidade, Deus nos molda mostrando nossa total dependência dele, nos faz reconhecer que nada podemos sem Ele e que Ele nos capacita para a sua obra.

“Estou plenamente certo de que aquele que começou boa obra em vós há de completá-la até ao Dia de Cristo Jesus.” Filipenses 1.6

Vislumbres da Graça

Valorizando o evangelho na rotina do lar

Deus se importa com as pequenas coisas do seu dia a dia?

Às vezes, a vida parece um fardo. São sempre as mesmas tarefas e obrigações, desafios e desencorajamentos, ansiedades e responsabilidades. Todas as mulheres já experimentaram essa sensação, seja uma mãe, dona de casa ou uma mulher que trabalha fora, dividindo tempo entre o trabalho e o lar. Porém, este livro irá encorajar suas leitoras a enxergar a realidade da graça de Deus naquelas áreas do dia a dia que parecem entediantes e sem importância. Através de exemplos pessoais e histórias cativantes, a autora apresenta reflexões ricamente bíblicas que irão ajudar a leitora a experimentar o poder extraordinário do evangelho em sua vida cotidiana.

CONFIRA

Por: Rachel Haswell. © Voltemos ao Evangelho. Website: voltemosaoevangelho.com. Todos os direitos reservados. Original: Maternidade – o moldar de Deus em nossas vidas.

Comentários estão fechados.