um site cristão por Cristo e pelo Evangelho

Eleições 2018: Carta aberta à Igreja Brasileira

Por ocasião das celebrações dos 196 anos de Independência do Brasil neste mês de setembro e da proximidade das eleições de 2018, em que os brasileiros escolherão deputados estaduais e federais, senadores e governadores de seus estados, bem como a autoridade principal da nação, o presidente da República, para os próximos quatro anos, os pastores e líderes cristãos abaixo-assinados conclamam para que a Igreja de Cristo no Brasil coloque-se em intercessão constante pelo País nas próximas semanas, até o fim dos pleitos em segundo turno, em jejum e oração, pedindo para que a Santíssima Trindade, por misericórdia, ouça as nossas preces e venha a atender os seguintes pedidos:

1. Que o SENHOR, o Deus Triúno, conduza em suas campanhas os candidatos honestos, bem-intencionados, comprometidos com a transparência e a moralidade, com princípios virtuosos de vida em sociedade e com uma visão cristã de mundo, a fim de que estes consigam ser eleitos aos cargos a que concorrem;

2. Que o SENHOR, o Deus Triúno, mude o coração daqueles que estão dispostos a votar em candidatos envolvidos em casos de corrupção, nem permita que estes sejam eleitos;

3. Que o SENHOR, o Deus Triúno, refreie a representação de ideologias anticristãs em nossos parlamentos estaduais e no Congresso Nacional;

4. Que o SENHOR, o Deus Triúno, frustre toda a tentativa de fraude no sistema eleitoral;

5. Que o Senhor, o Deus Triúno, não permita mais confusão e outros atos de violência, a fim de que essas eleições sejam concluídas pacificamente;

6. Que o Senhor, o Deus Triúno, por meio da obra santificadora do Espírito Santo, traga um verdadeiro avivamento à sua Igreja no Brasil, provocando um grande e duradouro impacto cultural, moral e social, por meio de homens e mulheres que produzam frutos dignos de arrependimento.

Algumas recomendações:

a) Para a escolha de candidato, recomenda-se conhecer bem o seu caráter, ideias e a ideologia do partido;

b) Apoie propostas que defendam a dignidade do ser humano e a vida em qualquer circunstância, desde sua concepção no ventre materno;

c) Rejeite candidatos com ênfases intervencionistas na esfera familiar, educacional, eclesiástica e artística;

d) Repudie qualquer ideologia que se oponha aos princípios do Reino de Deus, isto é, com a mensagem bíblica;

e) Apoie candidatos que expressam compreender a função primordial do Estado em prover e promover justiça e segurança para seus cidadãos;

f) Por fim, ao indicar um candidato para amigos e familiares, faça-o com respeito às opiniões diferentes da sua, lembrando que, apesar de você acreditar na pessoa para quem está dando e pedindo voto, como cristãos, nossa esperança última de sociedade perfeita deve estar na consumação dos séculos, quando Jesus voltará para reinar com cetro de justiça.

Após as eleições,  ore em favor dos candidatos eleitos, para que cumpram seus mandatos com sabedoria e pelo bem da nação, lembrando-nos, oportunamente, das palavras do apóstolo Paulo a Timóteo: “Antes de tudo, pois, exorto que se use a prática de súplicas, orações, intercessões, ações de graças, em favor de todos os homens, em favor dos reis e de todos os que se acham investidos de autoridade, para que vivamos vida tranquila e mansa, com toda piedade e respeito” (1Timóteo 2.1-2).

Ajude-nos a divulgar esse chamado à oração pelas eleições de 2018 compartilhando esta carta nas redes sociais e, se possível, peça autorização aos seus pastores para lê-la em sua igreja, seja no culto, escola dominical, pequenos grupos ou demais reuniões.

Que o SENHOR, nosso Deus, olhe com graça e misericórdia para o Brasil! Amém.

 

Signatários

Adilson Ferreira dos Santos,
Presidente da Ordem dos Pastores Batistas do Brasil e
Diretor Executivo do CAM
Convenção Batista do Estado de São Paulo

Augustus Nicodemus Lopes, pastor auxiliar na Primeira Igreja Presbiteriana de Recife.

Charles Grimm, presbítero da Igreja Presbiteriana do Brasil e professor.

Cleyton Gadelha, diretor da Escola Teológica Charles Spurgeon e pastor da Igreja Batista de Parquelândia.

Davi Charles Gomes, pastor da Igreja Presbiteriana Paulistana (SP).

Emilio Garofalo Neto, pastor da Igreja Presbiteriana Semear, Brasília.

Flávio de Paula Oliveira, pastor da Primeira Igreja Batista de Rosário do Sul (RS).

Franklin Ferreira, pastor da Igreja da Trindade (SJC-SP) e diretor-geral do Seminário Martin Bucer.

Geremias Couto, pastor emérito da Assembleia de Deus, Centro Missionário Cristão (Teresópolis, RJ).

Gleidson da Silva Costa, pastor titular da 1a Igreja Presbiteriana Renovada de Cuiabá e Presidente do Presbitério Oeste do Brasil da IPRB.

Hélder Cardin, reitor do Seminário Bíblico Palavra da Vida e pastor na Igreja Evangélica do Maracanã (Atibaia-SP).

Isaque Sicsú, pastor da Igreja Batista Urbana (SP).

Jean Regina, advogado especialista em Direito Religioso do VR Advogados, membro da Comunidade Evangélica Luterana Concórdia de Porto Alegre (RS).

Jonas Madureira, pastor da Igreja Batista da Palavra (SP) e professor no Seminário Martin Bucer.

Jonathan Silveira, membro na Igreja Batista da Palavra (SP), colaborador de Edições Vida Nova, fundador e editor do site Tuporém.

Luiz Sayão, pastor da Igreja Batista Nações Unidas em São Paulo e tradutor da Bíblia (NVI/Almeida 21).

Mauro Meister, pastor da Igreja Presbiteriana – Barra Funda (SP).

Paulo Júnior, diácono da Igreja Vintage180 (RS) e advogado.

Paulo Valle, pastor da Igreja Batista de Fé Reformada (Volta Redonda, RJ) e professor do Seminário Martin Bucer.

Renato Vargens, pastor sênior da Igreja Cristã da Aliança de Niterói (RJ).

Rodrigo Majewski, presbítero, Assembleia de Deus Porto Alegre (RS), Procurador Federal.

Sérgio Queiroz, pastor da Igreja Batista Cidade Viva e Presidente da Fundação Cidade Viva.

Solano Portela, presbítero da Igreja Presbiteriana do Brasil e Administrador de Empresas

Thiago Rafael Vieira, advogado especialista em Direito Religioso do VR Advogados, conselheiro fiscal da Igreja Batista Filadélfia (RS).

Tiago J. Santos Filho, diretor de estudos avançados do Seminário Martin Bucer, editor-chefe da Editora Fiel e pastor na Igreja Batista da Graça (SJC-SP).

Thiago Silva de Oliveira, pastor da Igreja Evangélica Livre em Itapuama (Cabo-PE).

Thiago Velozo Titillo, pastor batista, escritor, e professor da rede estadual de ensino e dos Seminários Teológico Evangélico Peniel e Betel (RJ).

Valmir Nascimento Milomem Santos, Jurista, teólogo, escritor e ministro da Assembleia de Deus.

Valter Reggiani, pastor da Igreja Batista Reformada de São Paulo.

Warton Hertz de Oliveira, advogado da VR Advogados Associados e estagiário na equipe pastoral da Igreja Batista Esperança (Porto Alegre-RS).

Vinicius Musselman Pimentel, editor e fundador do Voltemos ao Evangelho.

Wilson Porte Jr., pastor da Igreja Batista Liberdade (Araraquara-SP).

16 Comentários
  1. Silas M. Tostes Diz

    Obrigado pelas sábias orientações.

  2. Joaoaciel Diz

    Caro Rafael acho primeiro deveríamos,orar por esta igreja ou seu líder, e não julgar as igrejas ,pois assim você generaliza no todo,existem s ainda muitas delas que que tem sua fidelidade com a Palavra de Deus !

  3. Vera silva Diz

    Que a igreja brasileira deixe as diferenças e foque no que importa: o Reino de Deus no Brasil.

  4. [email protected]@HOTMAIL.COM Diz

    Boa tarde Rafael Santana…É um pecado oque vc está falando..E tem mais cada um é dono dos seus pecados…E nos não temos o direito de julgar ou generalizar …Em todas as áreas desta vida sempre vai ter o joio e o trigo .E nos temos que nós policiar ou seja..vigiar para não ser igual ou piores…me desculpe mas temos que ser exemplo de tudo e não acusador ……

  5. Benedito Ferreira Diz

    Entendo perfeitamente a necessidade de se estabelecer valores para aqueles que irão votar, e assim escolher pessoas que nos representarão nos parlamentos e nos executivos. Estes serão revestidos de autoridade e tomarão decisões e as executarão, mas seremos nós os responsáveis. E pelas quais iremos responder diante do ETERNO. Pensemos nisto!

  6. Ozias de Freitas Fuly Diz

    Além de clamar e conhecer as propostas dos candidatos, minha sugestão é que não sejamos partidários. Nenhum governo dirige uma cidade, um estado e o país com candidatos de um só partido. Penso que somente devem filiar-se ao partido, somente os que se candidatando. Num time, somente entram em campo os jogadores convocados e os que o substituirão. Devemos apoiar os candidatos e não os partidos.
    Vou sugerir que nossa igreja use as duas semanas de oração antes do primeiro e do segundo turno. Pr Ozias

  7. Zenilda Diz

    Muito boa iniciativa, tenho sentido necessidade de buscar a Deus com esse propósito.

  8. Gustavo Diz

    Que os evangélicos não idolatrem o candidato de extrema direita e falso cristão. Discursos falsos de moralismo também é hipocrisia.

  9. Carla Diz

    A igreja é a que mais se mete na vida dos outros e vem falar pra não votar em quem vai “intervir” no âmbito familiar e educacional kkkkkk Hipocrisia reina nas igrejas

    1. Genelva Silva Diz

      Venha para a igreja, temos lugar para mais um hipócrita. Jonh Mcarthur

  10. Wagner Diz

    51 CABO DACIOLO PRESIDENTE 2018

  11. Robson dos Santos Diz

    Considerando que a Reforma Protestante está na raiz do desenvolvimento das democracias modernas penso que faltou maior ênfase nesse sentido. Na Democracia não há soberanos. É um governo de homens livres regido por regras pactuadas por seus representantes eleitos na forma de Constituição e leis escritas. “Liberdade”, “pacto”, “eleição”, “lei” e “escritura”, termos caros ao Cristianismo reformado, traduzem-se nas principais instituições sem as quais uma democracia seria estérea, são elas, o o Congresso que é a casa política onde se pactuam as leis, a Constituição que é a lei fundamental escrita pelos representates eleitos e o Supremo Tribunal Federal que é o tribunal onde se julga a aplicação da lei fundamental. Portanto, o melhor candidato nessas eleições deverá ser aquele que valorize essas instituições ajudando a aprimora-las e, em contrapartida, aqueles que demonstrarem desapreço por elas, devem ser rejeitados. Me parece um bom critério de escolha de candidato. Que o Senhor nos ilumine.

  12. Roberto Diz

    Só discordo da recomendação “C”.
    “c) Rejeite candidatos com ênfases intervencionistas na esfera familiar, educacional, eclesiástica e artística;”

    O Estado tem que ser intervencionista em qualquer questão de interesse da população e de nós cristãos. O problema do Brasil tem sido políticos e ideológicas contrárias, interferindo em questão que vão contra nossas crenças e desejos da população. Não há problema algum num Estado necessário, e que intervem em questão de interesse do povo. Se os nossos representantes, forem autênticos a necessidade da população, as interferências do Estado em diversas questões não serão prejudiciais e contrárias a nossa fé.

    Fiquem atentos a essas ideologias de direita, que prega um Estado minimo (e desigual), disfarçada de recomendação baseada nas Escrituras Sagradas, pois além de entrar em conflito com outras ideologias politicas que não são de esquerda (nacionalismo, por exemplo), ela não é originaria das Escrituras.

  13. […] [Carta Publicada Originalmente no Blog Voltemos ao Evangelho] […]

  14. then Diz

    Υou mean like when we sіng ρraise songs in Church??
    Larry requested and daddy nodded. ?Niⅽely Ι could make up a worship song.?
    So Larry jumped to his ft and commenced to make up a song to a really bad tune.

    ?Jesus is so cool. Its enjoyablе being with God. He is the funnest God anyone
    may have.? Larry sang very badly sߋ Lee had put hiѕ
    palms over his eаrs.

  15. Alessandra Diz

    Cuidado para não votar em candidato que incite e propague o ódio, através de discursos agressivos e ofensivos.

Comentários estão fechados.