Shazam, Vingadores e o Evangelho

Com leves doses de spoiler!

Houve um tempo, na década de 80, em que ficava congelado na frente televisão assistindo o Superman salvar o mundo. Em seguida, enrolávamos um lençol no pescoço e saímos pela rua brincando de salvar o mundo. Todos queriam ser o Superman! O bom e o belo nos impressionavam!

Hoje, quarentão, diga-se de passagem, ainda curto esse universo Marvel/DC, mas por outros motivos. Gasto algum tempo com essas estórias que empolgam pessoas através do mundo porque elas possuem um motivo religioso básico. O mundo não é perfeito. Então surge a questão: como salvar o mundo? O Universo Marvel e DC Comics propõem narrativas que exaltam a estética, a virtude, o bom e belo. A sociedade, pós-morte de deus, não pode ficar sem referenciais religiosos para superar os pecados mortais ou o caos monstruoso da tirania. A vida é mais e melhor. As pessoas precisam de uma alma pura e de um que se sacrifique por todos. Elas não precisam de um deus, mas de heróis – assim pensa a sociedade secularizada.

Interessante! Diante dessas estórias as pessoas choram. Por que elas se emocionam? Elas se emocionam porque precisam de esperança. As pessoas precisam ter mais do melhor. Porém, a grande contradição dessas estórias, feitas a partir da caixa fechada e secularizada, é que esses mitos são mentirosos – tais heróis não existem. Essas narrativas são idolátricas, mesmo que sugiram boas virtudes e uma ética com momentos de verdade.

Os campos estão verdes! Mais do que nunca, as pessoas precisam conhecer o Evangelho. Elas precisam saber que um homem, que nunca pecou, entregou a sua vida por pecadores para salvá-los da morte. Um morreu por todos, para que todo aquele que nele crê tenha a vida eterna.

O cinema possui a capacidade de nos emocionar com a estética, mas o Evangelho é o poder de Deus. Se as pessoas se emocionam com uma estória que sequer existe, imagine o que o Espírito Santo pode fazer no coração dos pecadores quando eles escutam a mensagem do Redentor! Precisamos proclamar essa mensagem:

8 Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores. 9 Logo, muito mais agora, sendo justificados pelo seu sangue, seremos por ele salvos da ira. 10 Porque, se nós, quando inimigos, fomos reconciliados com Deus mediante a morte do seu Filho, muito mais, estando já reconciliados, seremos salvos pela sua vida; 11 e não apenas isto, mas também nos gloriamos em Deus por nosso Senhor Jesus Cristo, por intermédio de quem recebemos, agora, a reconciliação. 12 Portanto, assim como por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram. 13 Porque até ao regime da lei havia pecado no mundo, mas o pecado não é levado em conta quando não há lei. 14 Entretanto, reinou a morte desde Adão até Moisés, mesmo sobre aqueles que não pecaram à semelhança da transgressão de Adão, o qual prefigurava aquele que havia de vir. 15 Todavia, não é assim o dom gratuito como a ofensa; porque, se, pela ofensa de um só, morreram muitos, muito mais a graça de Deus e o dom pela graça de um só homem, Jesus Cristo, foram abundantes sobre muitos. 16 O dom, entretanto, não é como no caso em que somente um pecou; porque o julgamento derivou de uma só ofensa, para a condenação; mas a graça transcorre de muitas ofensas, para a justificação. 17 Se, pela ofensa de um e por meio de um só, reinou a morte, muito mais os que recebem a abundância da graça e o dom da justiça reinarão em vida por meio de um só, a saber, Jesus Cristo. (Rm 5.8-17 ARA)

Que o Senhor nos dê graça e nos ajude a proclamar com ousadia o Evangelho de Jesus Cristo! Não é spoiler! É a vida! É o Evangelho! Preguemos com ainda força a única narrativa que pode salvar pecadores!

Por: Francisco Macena. © Voltemos ao Evangelho. Website: voltemosaoevangelho.com. Todos os direitos reservados. Original: Shazam, Vingadores e o Evangelho.

1 comentário
  1. ANTONIA LACERDA Diz

    GOSTARIA DE RECEBER POR E-MAIL

Comentários estão fechados.