[DOUTRINAS DA GRAÇA] Reflexões sobre o "livre arbítrio" (1)

John Piper – Reflexões sobre o “livre-arbítrio”

Antes da queda de Adão, o homem sem pecado era capaz de pecar. Pelo que Deus disse: “No dia em que dela comeres, certamente morrerás”. (Gênesis 2:17) Assim que Adão caiu, o homem pecadornão era capaz de não pecar, uma vez que éramos descrentes, e “o que não provém da fé é pecado”. (Romanos 14:23)

Quando nascemos de novo, pelo poder do Espírito Santo, somos capazes de não pecar, porque “o pecado não terá domínio sobre vós”. (Romanos 6:14) Isso significa que o que Paulo chama de “homem natural” ou “pendor da carne” não é capaz de não pecar. Paulo diz isso em Romanos 8:7-9.

A mente que está fixa na carne é hostil contra Deus, por causa disso não se submete à lei de Deus. De fato, não pode. Aqueles que estão na carne não podem agradar a Deus. (Veja também em 1 Coríntios 2:14) Então, o que devemos pensar sobre o livre arbítrio? Não é um poder salvador. Em sua liberdade de escolha, o homem caído não pode, por si próprio, fazer nada além de pecar. Tal “livre arbítrio” é uma realidade devastadora. Sem qualquer poder para superar sua tendência, nosso livre arbítrio somente nos maldiz.

Poderíamos parar por aqui e voltar com alegria à verdade do Evangelho de que Deus supera nossa resistência, nos dá vida, estimula nossa inclinação morta a Cristo, e livremente e irresistivelmente nos atrai a Ele. (João 6:44-65, Atos 13:48, Efésios 2:5, II Timóteo 2:25-26) Mas isso às vezes ajuda a responder objeções. Uma objeção comum é que, se nós “não podemos” fazer o que é certo e “só podemos” fazer o que é pecado, então nós não estamos agindo voluntariamente e não podemos ser exaltados ou culpados.

Eis aqui parte da resposta de João Calvino a essa objeção:

A bondade de Deus é tão conectada com sua Divindade que não é mais necessário ser Deus para, então, ser bom; enquanto que o diabo, pela sua queda, foi tão apartado da bondade que não consegue fazer nada senão o mal.

Deveria alguém expressar com escárnio profano que pouco louvor é devido a Deus por uma bondade à qual é forçado? Não é óbvio a todo homem responder: “Não é devido a um impulso violento, mas pela bondade sem limites, que ele não pode fazer mal?”

Portanto, se o livre arbítrio de Deus em fazer o bem não é impedido, porque ele necessariamente precisa fazer o bem? Se o diabo, que não pode fazer nada a não ser o mal, ainda assim peca voluntariamente, pode ser dito que o homem peca menos voluntariamente porque está debaixo da necessidade de pecar? (Institutas, II.3.5)

Por: John Piper. © Desiring God. Website: desiringgod.org

Original: A Few Thoughts on Free Will

Tradução e Legenda: voltemosaoevangelho.com

Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que adicione as informações supracitadas, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

John Piper – Os Mortos Vivos

Por: John Piper. © Desiring God. Website: desiringgod.org

Tradução e Edição: JvDaP, blog Para sua Edificação

Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que adicione as informações supracitadas, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

John Piper – O que significa estar espiritualmente morto?

Por: John Piper. © Desiring God. Website: desiringgod.org

Tradução e Edição: JvDaP, blog Para sua Edificação

Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que adicione as informações supracitadas, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

24 Comentários
  1. René Diz

    Amado Vinícius,

    Ponderemos: Em Marcos 8.34 vemos: "Então, convocando A MULTIDÃO e juntamente os seus discípulos, disse-lhes: Se alguém QUER vir após mim, a si mesmo SE NEGUE, tome a sua cruz e siga-me". Este não é um claro apelo à vontade das pessoas? Ele está falando com todos, não apenas com pessoas renascidas. Ele diz que é necessário QUERER segui-lO. E negar-se a si mesmo, não supõe uma atitude resultante da vontade, da livre escolha? Se as pessoas negassem a si mesmas pela imposição externa de Deus, não por sua própria vontade, isto seria mesmo negar-se? E, então, Jesus realmente teria que exortá-las a isso?

    O Piper diz, "que Deus supera nossa resistência, nos dá vida, estimula nossa inclinação morta a Cristo, e livremente e irresistivelmente nos atrai a Ele". Tudo certo, exceto o irresistivelmente. Senão, veja: "Em VOS CONVERTERDES e em sossegardes, está a vossa salvação; na tranqüilidade e na confiança, a vossa força, mas NÃO O QUISESTES" (Is 30.15). E o mesmo Espírito (e o caráter de Deus é imutável) diz, através de Pedro: "Chegando-vos para ele, a pedra que vive, REJEITADA, sim, pelos homens, mas para com Deus eleita e preciosa" (1Pe 2.4). Em Isaías, Deus diz que as pessoas não QUISERAM e, em Pedro, que elas REJEITARAM. Isto é resultado de escolha, não de imposição.
    Creio que tais questões deveriam também ser analisadas.

    Que a Paz do Senhor Jesus continue com você, sua família e seus leitores!

    1. adonias Diz

      E ele disse-lhes: A vós vos é dado saber os mistérios do reino de Deus, mas aos que estão de fora todas estas coisas se dizem por parábolas,
      Para que, vendo, vejam, e não percebam; e, ouvindo, ouçam, e não entendam; para que não se convertam, e lhes sejam perdoados os pecados
      Marcos 4:11-12.

  2. George Lucas Diz

    René…
    Acredito que o VE dará uma boa resposta a você.
    Mas gostaria de só fazer um comentário.

    "Negar-se", "converter-se", "rejeitar" e "querer" são coisas que nós seres humanos fazemos. A bíblia é clara quanto a isso, porém não diz em nenhum lugar que há uma liberdade pra tomar tais decisões.

    Nós fazemos o que fazemos. É redundante, mas o que quero dizer é que nós realmente fazemos escolhas, mas porque essas escolhas? O que causa?

    Se é contra Cristo, é devido à nossa natureza pecaminosa herdada de Adão.
    Se é a favor de Cristo, é devido ao agir do Espírito Santo em nossas vidas, pois sem ele, só resta a natureza pecaminosa que odeia Deus e nem entende Deus. (Rm 8:7, 1 Co 2:14)

    Que Deus te abençoe e te ilumine.

    George Lucas… [email protected]

  3. René Diz

    Amado George Lucas,

    Se não temos liberdade para querer, não podemos adorar em espírito em verdade, porque não seria uma adoração verdadeira. Não seria optar pelo que é melhor, o que tiraria a verdade da adoração. Adorar por ser constrangido a isso é o mesmo que uma boneca dizer "papai, eu te amo". É falso. Isso foi colocado dentro da boneca, não brotou como fruto do amor, verdadeiramente.

    Mas agradeço a sua preocupação. Continue na Paz do Senhor Jesus!

  4. Yago Martins Diz

    René,

    Seu primeiro argumento pode ser dividido assim:

    1. Deus pede que as pessoas tomem certa atitude;
    2. Logo, as pessoas podem tomar tal atitude.

    Gostaria de citar dois exemplos que fazem esse argumento ser inadequado. Primeiro, Deus mandou que os homens cumprisse TODA a Lei de Moisés (Dt 28.14). mesmo assim, sabemos que ninguém podia cumprir toda a Lei (Gl 3.10). O Segundo caso é o das ordens de Jesus. Ele mandou que os discípulos ensinassem outros a guardar todas as coisas que tinha ordenado (Mt 28.20), sendo que o mesmo Cristo disse que "Para os homens é impossível" (Mc 10.27).

    Olhe bem para esses dois casos: Deus pede que as pessoas sigam toda a Lei, mas ninguém podia tomar tal atitude. Jesus pede que as pessoas sigam tudo que ele ordenou, mas isso é impossível para os homens.

    Logo, ainda que Deus nos mande fazer coisas [como nos arrepender], isso não é base suficiente para dizer que podemos tomar tais atitudes. Se alguém quiser questionar a incapacidade humana para escolher a Deus, um outro argumento precisa ser levantado.

    Em Cristo.

  5. Saulo R. do Amaral Diz

    René,

    A Bíblia é clara ao dizer que ninguém pode ir a Cristo a não ser que seja levado pelo Pai. O Evangelho de João está repleto desse ensino. O homem não tem a habilidade de ir a Deus. Paulo, em sua carta aos Romanos, afirma que "não há um justo sequer, ninguém que busque a Deus". E a promessa da nova aliança, registrada no livro de Ezequiel é a seguinte: "Também vos darei um coração novo, e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei da vossa carne o coração de pedra, e vos darei um coração de carne. Ainda porei dentro de vós o meu Espírito, e farei que andeis nos meus estatutos, e guardeis as minhas ordenanças, e as observeis."

    Você notou o padrão? E [EU, Deus] farei com que andeis… e aguardeis.. e as observeis…. Ademais, no fim do livro de Lamentações, o profeta Jeremias ora: "Converte-nos a ti, Senhor, e seremos convertidos". Isto é, é necessária uma obra divina de conversão para que nos convertamos a Deus. Isso é o que a Bíblia chama de novo nascimento ou regeneração.

    CONTINUA…

  6. Saulo R. do Amaral Diz

    "Em Jeremias 29:13, Deus diz aos exilados na Babilônia: “Buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes de todo o vosso coração.” Há uma condição: quando vocês Me buscarem de todo o vosso coração, então Me achareis. Então, precisamos buscar o Senhor. Essa é a condição para achá-Lo.

    Verdade.

    Mas isso significa que somos deixados por conta própria na busca pelo Senhor? Isso significa que a nossa ação de buscá-lo é anterior e decisiva? Isso significa que Deus só age após a nossa busca?

    Não.

    Veja o que Deus diz em Jeremias 24:7 aos mesmos exilados na Babilônia: “E dar-lhes-ei coração para que me conheçam, que eu sou o Senhor; e eles serão o meu povo, e eu serei o seu Deus; pois se voltarão para mim de todo o seu coração.

    A condição ali é que eles busquem o Senhor de todo o coração. Mas agora vemos que a promessa em Jeremias 24:7 é que o próprio Deus dará a eles esse coração para que eles retornem a Ele de todo o coração.

    Essa é uma das coisas mais básicas que as pessoas precisam ver a respeito da Bíblia. Ela está cheia de condições que devemos satisfazer para ter as bênçãos de Deus. Mas Deus não nos deixa por conta própria. O primeiro e decisivo trabalho antes e durante o nosso querer é a prévia graça de Deus. Sem esse entendimento, centenas de declarações condicionais na Bíblia nos induzirão em erro.

    Deixe que esta seja a chave para todas as condições e mandamentos bíblicos: “Desenvolvei a vossa salvação com temor e tremor; porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade.” (Filipenses 2:12-13). Sim, nós operamos. Mas o nosso operar não é anterior e decisivo. O de Deus é. “Trabalhei muito mais do que todos eles; todavia não eu, mas a graça de Deus, que está comigo.” (1 Corintios 15:10)." (Piper)

    Poderia também perguntar a você: a fé é um dom de Deus? Nós a exercitamos, mas a Bíblia é clara em afirmar que ela é dada por Deus. Mesmo o nosso arrependimento é dado por Deus, como a Bíblia claramente ensina.

    Você ainda diz: "Se não temos liberdade para querer, não podemos adorar em espírito em verdade, porque não seria uma adoração verdadeira."

    Isso é verdade? Por quê? Onde a Bíblia fala sobre isso? No céu não teremos liberdade para pecar, para fazer o mau… isso significa que nossa adoração não será genuína?

    Você diz: "Não seria optar pelo que é melhor, o que tiraria a verdade da adoração. Adorar por ser constrangido a isso é o mesmo que uma boneca dizer "papai, eu te amo". É falso. Isso foi colocado dentro da boneca, não brotou como fruto do amor, verdadeiramente."

    Por quê? Quem disse isso? Jeová ou você? Não é Deus quem opera em nós o QUERER e o EFETUAR? Mesmo que o contexto seja a santificação, será que então, por causa disso, nossa adoração ou santificação não é verdadeira? Já mostrei alguns versículos que contrariam o que disseste. No entanto, acho que você labora em erro da seguinte forma: você acha que, segundo o artigo do Piper, somos coagidos de alguma forma por Deus. Mas isso não é verdade. Ninguém é salvo contra a própria vontade e ninguém adora a Deus contra a própria vontade. O que acontece é que Deus nos dá um novo coração, e essa é uma obra soberana de Deus, da qual nós não temos consciência imediata. Logo após, com esse novo coração, nós começamos a odiar o nosso pecado e a amar a Deus. Por ter Deus nos dado um novo coração nós desejamos o Senhor, nos vamos a ele para a salvação. Assim sendo, eu escolho a Deus, é claro! Mas isso só é possível porque Ele me deu um coração que quererá isso. De outra forma, como Paulo diz em Romanos… "não há ninguém que busque a Deus".

  7. Yago Martins Diz

    Uma frase de A. W. Pink para meditação:

    "O homem pode ser salvo se ele quiser", diz o arminiano. Nós lhe respondemos, "Meu caro senhor, nós todos cremos nisso; mas essa é que é a dificuldade — se ele quiser".

  8. René Diz

    Agradeço a todos os argumentos apresentados. Assim como os meus não os convencem, os seus também não me convencem. A grande vantagem é que, de uma forma ou de outra, vocês adoram ao Senhor e eu também!

    Que a Paz do Senhor Jesus continue enchendo nossos corações!

  9. Vivendo o Evangelho Diz

    "Em parte vemos, em parte profetizamos"
    Amados tentem também considerar o que Deus falou sobre seu servo Jó, no livro que leva seu nome capítulo 1 verso 8: "E disse o SENHOR a Satanás: Observaste tu a meu servo Jó? Porque ninguém há na terra semelhante a ele, homem íntegro e reto, temente a Deus, e que se desvia do mal."
    Creio que mesmo com nossa natureza pecaminosa podemos e devemos optar por acreditar em Deus sem reservas e com toda força. O amado Lucas disse: -a natureza pecaminosa que odeia Deus e nem entende Deus. Certo! Correto. No entanto e justamente por isso devemos lutar em Cristo contra desejos e pensamentos maus. Eu mesmo tenho pensamentos maus sobre Deus que não entendo por que vieram, no entanto, todos os dias luto contra eles e procuro adorar a Deus e amá-lo de todo o coração. Não é fácil! Não se deve confundir o sentimento certo e imediato de salvação com santificação. A santificação é diária. Busca constante. Evaziar-se de si mesmo todos os dias e deixa ser cheio Pelo Espírito Santo de Deus. Negue-se a si mesmo quer dizer deixar seus próprios desejos de lado ou mesmo esquecê-los e buscar inteiramente a Deus. Agora imagine isso e considere. É muito difícil mas não impossível. Por isso Deus nos dá um dia após o outro, bastando cada dia o seu próprio mal. É hoje, luta, batalha, suor, lágrimas contra os desejos da carne que desagradam a Deus e que se dão em nossa mente e coração maldoso ou maligno como diz em Jeremias 18.12.
    Creiamos somente em Deus e apossemo-nos do que Paulo diz em Filipenses 4.7 "E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus."
    Um grande Abraço aos amados.

  10. Saulo R. do Amaral Diz

    René,

    nós te refutamos, para o teu bem… mas você foge, diz que nossos argumentos não convencem, mas nem tenta lidar com os versículos (como os fizemos). Da próxima vez, guarde as ideias apenas para você…

  11. Matheus Emerich Diz

    Gente, cuidado para os ânimos não se exaltarem e, assim, vocês fazerem feio aqui nos comentários do VE hein! A discussão serena e a proveitosa confrontação das idéias é uma coisa bastante sadia, se feita com calma e sem imposição de opiniões.

    Mas, tratando de todos estes comentários que foram desenrolados aqui, eu tenho uma séria dúvida que os amigos do VE poderiam me ajudar (talvez até mesmo com indicação de vídeos ou link de outros textos): quando se atribui a Deus "todo" o processo de salvação, não está se excluindo a responsabilidade do homem? Digo, se é Ele que realmente controla o nível da nossa adoração, então porque as exortações bíblicas não perdem o sentido? Entenderam? Eu sei que todos nós dependemos da graça dEle, e não quero de maneira nenhuma aribuir ao homem qualquer átomo de glória em qualquer coisa. Mas a opinião que sou levado a ter, considerando a bíblia, é que cada salvo decide, sim, se vai obdecer mais ou não, adorar mais ou não, santificar-se mais ou não, e por aí vai. Ou seja: o homem tem, sim, sua parcela de responsabilidade.

    Quanto ao assunto do post, "coincidentemente" essa semana postei algo quase idêntico aos vídeos do Piper. Está aí o link para quem quiser conferir!
    http://esperancaparavc.blogspot.com/2010/07/voce-e-uma-pessoa-morta.html

    Abraços!

  12. George Lucas Diz

    Matheus Emerich

    "quando se atribui a Deus "todo" o processo de salvação, não está se excluindo a responsabilidade do homem?"

    De maneira nenhuma… o que acontece aqui é uma pequena falha no que seria a responsabilidade. Responsabilidade significa simplismente que o homem deve prestar contas à Deus de seus atos. Acabou. Nada relativo à capacidade ou liberdade, mas sim relativo à soberania de Deus e sua decisão de julgar os homens pelos seus atos.

    Nós cuidados daquilo que Deus nos ordena, e Deus cuida daquilo que ELe decretou segundo a sua vontade.

    Recomendo a leitura desse texto, http://www.monergismo.com/textos/livre_arbitrio/agostinho_compatibilismo_cheung.htm

    e cito algumas passagens pra vc.

    Dt 29:29
    As coisas encobertas pertencem ao SENHOR, nosso Deus, porém as reveladas nos pertencem, a nós e a nossos filhos, para sempre, para que cumpramos todas as palavras desta lei.

    Rm 9:18-23
    Logo, tem ele misericórdia de quem quer e também endurece a quem lhe apraz.[Deus é soberano] Tu, porém, me dirás: De que se queixa ele ainda? Pois quem jamais resistiu à sua vontade? [não está se excluindo a responsabilidade do homem?] Quem és tu, ó homem, para discutires com Deus?! Porventura, pode o objeto perguntar a quem o fez: Por que me fizeste assim? Ou não tem o oleiro direito sobre a massa, para do mesmo barro fazer um vaso para honra e outro, para desonra? Que diremos, pois, se Deus, querendo mostrar a sua ira e dar a conhecer o seu poder, suportou com muita longanimidade os vasos de ira, preparados para a perdição, a fim de que também desse a conhecer as riquezas da sua glória em vasos de misericórdia, que para glória preparou de antemão,

    Lm 3:37-39
    Quem é aquele que diz, e assim acontece, quando o Senhor o não mande? Acaso, não procede do Altíssimo tanto o mal como o bem? Por que, pois, se queixa o homem vivente? Queixe-se cada um dos seus próprios pecados.

  13. George Lucas Diz

    Vivendo o evangelho,

    Sem dúvida devemos lutar…
    Sem a graça de Deus, apenas estaríamos O odiando e sem entende-lO, MAS já que temos a graça de Deus (nós cristãos) devemos lutar. Porque temos a graça de Deus, devemos lutar pq se não tivesse-mos, já estaríamos derrotados e nem saberíamos que há realmente uma luta, pois estaríamos "mortos em nossos delitos e pecados" e o "deus deste século nos dominando sem esforço"..

    Ainda há em nós a lei do pecado que qé servir satanás, mas agora que temos o Espírito de Deus, podemos, devemos e VAMOS lutar até o fim com fé em Jesus Cristo esperando ansiosamento nossa redenção. (Rm 7,8)

    Abraço a todos.

    René…
    Sirva a Deus de coração, e cuidado pra não pensar que somente algo é verdadeiro e sincero se Deus NÃO está no controle.

    Eu antes digo que se Deus não está no controle, não há como existir algo real.

    A ELe seja a glória de toda criação.

  14. (-V-) Diz

    Sobrou algo para eu responder? rsrs

  15. Marcos Diz

    O grande problema não se refere à liberdade, e sim à capacidade. O homem é incapaz de se entregar a Deus se o Espírito Santo não o habilitar a isso:
    "Quem vive segundo a carne tem a mente voltada para o que a carne deseja; mas quem vive de acordo com o Espírito, tem a mente voltada para o que o Espírito deseja. A mentalidade da carne é morte, mas a mentalidade do Espírito é vida e paz; a mentalidade da carne é inimiga de Deus porque não se submete à Lei de Deus, nem pode fazê-lo. Quem é dominado pela carne não pode agradar a Deus." Romanos 8:5-8

    A suposição de que, só porque Deus insta que creiamos, significa que podemos fazê-lo, apesar de parecer lógica, é demonstrada falsa pela própria Bíblia. Várias vezes na Bíblia vemos que Deus age por meio da vontade dos homens a fim de cumprir seu soberano propósito. Um exemplo bem claro, em 2 Crônicas 30:

    "'Israelitas, voltem para o Senhor, o Deus de Abraão, de Isaque e de Israel, para que ele se volte para vocês que restaram e escaparam das mãos dos reis da Assíria. Não sejam como seus pais e seus irmãos, que foram infiéis ao Senhor, o Deus dos seus antepassados, de maneira que ele os deixou em ruínas, conforme vocês vêem. Portanto, não sejam obstinados como os seus antepassados; submetam-se ao Senhor. Venham ao santuário que ele consagrou para sempre. Sirvam ao Senhor, o seu Deus, para que o fogo da sua ira se desvie de vocês. Se vocês voltarem para o Senhor, os que capturaram os seus irmãos e os seus filhos terão misericórdia deles, e eles voltarão a esta terra, pois o Senhor, o seu Deus, é bondoso e compassivo. Ele não os rejeitará, se vocês se voltarem para ele'.
    Os mensageiros foram de cidade em cidade, em Efraim e em Manassés, e até em Zebulom, mas o povo zombou deles e os expôs ao ridículo. No entanto, alguns homens de Aser, de Manassés e de Zebulom humilharam-se e foram para Jerusalém." (vs. 6-11)


    Ué, não parece que isso é uma evidência a favor do "livre-arbítrio"? Ah, é, faltou o versículo 12:
    "Já em Judá a mão de Deus esteve sobre o povo dando-lhes unidade de pensamento para executarem o que o rei e os seus oficiais haviam ordenado, conforme a palavra do Senhor."

    Resumindo, o Senhor ordena e o Senhor habilita. Glória, pois, somente a Ele!!!

  16. Matheus Emerich Diz

    George Lucas,

    Obrigado pela resposta. Pelas suas palavras, você quer dizer que tudo o que estamos vivendo aqui, inclusive todos os detalhes, nada mais é do que o cumprimento daquilo que Deus já traçou e desenhou há muito tempo. Ótimo, também penso exatamente assim; mas ouso colocar uma vírgula aqui, no lugar onde você colocou um ponto final! rs

    Penso que este é mais um mistério de Deus. Penso que tudo é, sim, 100% desígnio de Deus – até aqui você concorda. Mas digo também que tudo é, ao mesmo tempo, 100% de resultados da escolha do homem. Deus planejou, traçou e arquitetou; mas o homem, segundo as suas próprias escolhas, veio cumprindo exatamente aquilo que Deus queria que ele cumprisse. Isso não tira o peso da escolha do homem! Caso contrário, eu poderia folgar-me e dizer: "o meu destino já está determinado mesmo, não preciso mover um palito." E após um declínio espiritual, eu diria: "Deus determinou antes da fundação do mundo que eu iria cair espiritualmente!" Certo?

    Eu não sei se eu entendi bem, mas acho que o seu pensamento é que não temos possibilidade nenhuma de alterar o nossa condição, porque ela está solidamente determinada. Os versículos que você me apresentou não provam isso! Somente demonstram a soberania de Deus, mas nada que exclui o dever do homem. E quanto às colocações de que "Deus manda coisas que não conseguimos cumprir", isso precisa ser melhor definido! Esta via de regra era na Lei – pela incapacidade de cumpri-la, diz-se dela na bíblia que era um "jugo muito pesado". Mas hoje não: temos não somente a capacidade mas também o dever de cumprir aquilo que nos foi ordenado – não cumprindo humanamente, porque aí sim seria impossível; mas cumprindo através da natureza divina que nos foi concedida.

  17. (-V-) Diz

    Matheus,

    Com a Soberania Divina não negamos a responsabilidade humana. Podemos ver ambas na bíblia. Agora, como se encaixam não sei.

    Quanto ao que você disse em capacidade em cumprir a Lei Moral de Deus, os cristão tem essa capacidade pois nasceram de novo, pelo Espírito (apesar de não fazerem isso perfeitamente); contudo, um incrédulo é cativo do pecado (como Jesus ensina) e sua mente não se sujeita a Lei de Deus (como Paulo ensina). Para o ímpio a Lei é a mesma é a obrigação dele cumprir. Mas ele é moralmente incapaz, por causa da escravidão do pecado. Mas isso não diminui sua responsabilidade, só a aumenta.

    Ficou claro? Eu acho que fui um pouco prolixo rsrs

    Em Cristo,
    Vini

  18. Matheus Emerich Diz

    Vini, você praticamente assinou em baixo tudo o que eu falei! rs

    É exatamente isso, através do poder do Espírito há a capacidade, sim, de cumprir as ordens de Deus. O que me deixou mesmo satisfeito foi a sua fala:

    "Podemos ver ambas na bíblia. Agora, como se encaixam não sei."

    É exatamente o que eu estava dizendo.

    Abraços!!

  19. (-V-) Diz

    Matheus,

    Este vídeo do Piper é muito bom sobre o assunto: http://www.youtube.com/watch?v=sXlxDLM_ODs

    Paz,
    Vini

  20. George Lucas Diz

    Matheus,

    Tudo que acontece é 100% o que Deus determinou, mas se é 100% por causa de nós eu não sei. :D

    Na verdade algumas coisas não são por causa de nós, como a disposição de Deus em nos amar ainda pecadores. Nós não escolhemos isso, e nem fizemos nada pra isso acontecer. É simplismente baseado na vontade de Deus.

    Mas quanto ao agir do homem, sim, tem suas consequências, afinal aquilo que o homem planta, ele colhe. Eu não nego isso. :) …eu nego que o homem seja livre, mas não nego que ele seja responsável e livre de deveres.

    Sobre não podermos alterar nossa condição, é basicamente isso que o Vini disse. Na verdade não podemos fora do Espírito de Deus nos santificar, e também não podemos fora do que Deus já determinou pra nós (o que é em parte revelado) fazer algo.

    As passagens que eu mostrei, a intenção foi a relação da soberania de Deus com a responsabilidade do homem. Não exclui o dever do homem, verdade :), antes afirma o dever ou responsabilidade do homem ainda Deus sendo soberano em seus decretos.

    Se puder, dá uma lida no texto que recomendei.

    [email protected]

  21. Tempo Final Diz

    Participe! Seja você mais um Soldade do Apocalipse. Saiba como visitando o blog http://www.sementetempofinal.wordpress.com

  22. Felipe Huvos Ribas Diz

    Sabe o que não faz sentido para mim? Incentivar as pessoas a se arrepender se isso só ocorrerá se for da vontade de Deus e no momento em que Deus quiser (segundo o que eu entendo da teologia reformada).
    Qual a finalidade de dizer às pessoas "arrependam-se" se, no caso de elas não terem sido eleitas para salvação, elas não vão se arrepender de maneira alguma?
    Da mesma forma, não importa quão ruim seja a pregação: uma pessoa eleita se converterá de qualquer jeito (ainda segundo eu entendo da teologia reformada). Portanto, a teologia da prosperidade, no máximo, atrapalharia o conhecimento que a pessoa teria de Deus, mas não a salvação dela.
    Mais uma coisa: na seguinte passagem, ao meu ver, Jesus demonstra tristeza pelo fato de que as pessoas O rejeitaram (rejeitaram Aquele que poderia salvá-las):
    "Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas e apedrejas os que te foram enviados! Quantas vezes quis eu reunir teus filhos como a galinha ajunta os do seu próprio ninho debaixo das asas, e vós não o quisestes! Eis que a vossa casa vos ficará deserta. E em verdade vos digo que não mais me vereis até que venhais a dizer: Bendito o que vem em nome do Senhor!” (Lucas 13: 34 – 35.
    Ora, se as pessoas que não foram eleitas de maneira alguma aceitariam Jesus, por qual motivo Ele demonstraria tristeza por causa disso? Jesus é Deus, Ele sabia quem O aceitaria ou não, Ele saberia quem era eleito ou não (mas eu não creio em predestinação, estou falando de maneira hipotética).

  23. (-V-) Diz

    Paz Felipe,

    Vamos por partes rsrs

    1) Arrependimento
    O arrependimento é uma ordenança e todos devem cumpri-la. Se todos irão cumpri-la é outra história. Mas certamente a Bíblia fala que ninguém quer cumpri-la a menos que Deus intervenha, por causa de seus corações de pedra.
    Da mesma forma Deus ordena que obedeçamos sua Lei Moral. Agora, como pecadores, conseguiremos isto? Não. Então, não vejo nenhum problema em Deus demandar o arrependimento. Deus demanda o que é certo e devido; não ou que você pode cumprir ou não.

    2) Pregação e conversão
    Entendamos que
    i) Deus usa meios para a conversão e a pregação fiel da Palavra é um
    ii) Se aprouve Deus salvar alguém em meio a uma "pregação da prosperidade", quem somos nós para reclamar. Nosso dever é pregar fielmente a Palavra e ponto.
    O que Deus faz e como Ele faz não nos cabe.

    3) Jerusalém.
    Um equívoco que eu também já fiz é não ler este versículo direito:
    Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, e apedrejas os que te são enviados! quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta os seus pintos debaixo das asas, e tu não quiseste!

    Recomendo a leitura deste artigo do Cheung:
    http://www.monergismo.com/textos/comentarios/mat23-37_cheung.pdf

    Em Cristo,
    Vini

Comentários estão fechados.