[9 marcas] I – Pregação Expositiva (Descrição)


Veja a listagem das marcas na Introdução

header9m1
Clique aqui para saber mais sobre o curso CFL 9Marcas.

O ponto para começar a falar sobre as marcas da igreja saudável é onde Deus começa conosco – o modo como Ele fala conosco. Foi por aí que a nossa própria saúde espiritual veio, e é por esse caminho que a saúde de nossas igrejas virá também. Especialmente importante para qualquer um que esteja na liderança de uma igreja, mas particularmente para o pastor, é um compromisso com a pregação expositiva, um dos mais antigos métodos de pregação. Trata-se da pregação cujo objetivo é expor o que é dito em uma passagem particular da Bíblia, explicando cuidadosamente seu significado e aplicando-o à congregação (veja Neemias 8:8). Existem, evidentemente, muitos outros tipos de pregação. Sermões tópicos, por exemplo, coletam tudo o que a Bíblia ensina sobre um único assunto, como a oração ou a contribuição. A pregação biográfica aborda a vida de alguém na Bíblia e retrata-a como uma demonstração da graça de Deus e como um exemplo de esperança e fidelidade. Mas a pregação expositiva é algo diferente – uma explicação e aplicação de uma porção particular da Palavra de Deus.

“(…) os pregadores cristãos de hoje têm autoridade para falar da parte de Deus somente se proclamarem as palavras dEle.”

A pregação expositiva presume uma convicção na autoridade da Bíblia, mas é algo mais. Um compromisso com a pregação expositiva é um compromisso de ouvir a Palavra de Deus. Assim como os profetas do Antigo Testamento e os apóstolos do Novo Testamento não receberam apenas uma ordem para ir e falar, mas uma mensagem específica, os pregadores cristãos de hoje têm autoridade para falar da parte de Deus somente se proclamarem as palavras dEle. Assim, a autoridade do pregador expositivo começa e termina com as Escrituras. Às vezes as pessoas podem confundir pregação expositiva com o estilo de um pregador expositivo predileto, mas não é fundamentalmente uma questão de estilo. Como outros já observaram a pregação expositiva não é tanto sobre como nós dizemos o que dizemos, mas sobre como nós decidimos o que dizer. Não é marcada por uma forma particular, mas por um conteúdo bíblico.

Pode-se aceitar alegremente a autoridade da Palavra de Deus e até mesmo professar a convicção na inerrância da Bíblia; ainda assim se na prática (propositalmente ou não) alguém não prega expositivamente, nunca pregará além do que já sabe. Um pregador pode tomar um trecho das Escrituras e exortar a congregação em um tópico que é importante sem que ele realmente pregue o ponto abordado na passagem. Quando isso acontece, o pregador e a congregação só ouvem nas Escrituras o que eles já sabiam.

“Como outros já observaram a pregação expositiva não é tanto sobre como nós dizemos o que dizemos, mas sobre como nós decidimos o que dizer.”

Em contrapartida, quando pregamos uma passagem das Escrituras no contexto, expositivamente – tomando o ponto da passagem como o ponto da mensagem – nós ouvimos de Deus coisas que nós não pretendíamos ouvir quando começamos. Desde a chamada inicial ao arrependimento até a área de nossas vidas em que o Espírito nos condenou recentemente, a nossa salvação inteira consiste em ouvir a Deus de modos que nós, antes de ouvi-lO, nunca teríamos adivinhado. Esta submissão extremamente prática à Palavra de Deus deve ser evidente no ministério de um pregador. Não se deixe enganar: em última instância, é responsabilidade da congregação assegurar que as coisas sejam assim (observe a responsabilidade que Jesus põe sobre a congregação em Mateus 18, ou Paulo em 2 Timóteo 4). Uma igreja jamais pode colocar como supervisor espiritual do rebanho uma pessoa que não demonstra na prática um compromisso claro em ouvir e ensinar a Palavra de Deus. Agir assim é impedir inevitavelmente o crescimento da igreja, praticamente encorajando-a a só crescer até o nível do pastor. Se assim for, a igreja será conformada lentamente à mente dele, em vez de ser conformada à mente de Deus.

O povo de Deus sempre foi criado pela Palavra de Deus. Da criação em Gênesis 1 até a chamada de Abraão em Gênesis 12, da visão do vale dos ossos secos em Ezequiel 37 até a vinda da Palavra Viva, Deus sempre criou o Seu povo através da Sua Palavra. Como Paulo escreveu aos romanos, “a fé vem pela pregação, e a pregação, pela palavra de Cristo” (10:17). Ou, como ele escreveu aos coríntios, “Visto como, na sabedoria de Deus, o mundo não o conheceu por sua própria sabedoria, aprouve a Deus salvar os que crêem pela loucura da pregação” (1 Cor. 1:21).

“Uma igreja construída sobre a música – seja qual for o estilo – é uma igreja construída sobre a areia.”

A pregação expositiva sadia freqüentemente é o manancial de crescimento em uma igreja. Na experiência de Martinho Lutero, tal atenção cuidadosa para com a Palavra de Deus foi o princípio da reforma. Nós também precisamos estar comprometidos em sermos igrejas que sempre estão sendo reformadas de acordo com a Palavra de Deus.

Certa vez, quando eu estava ensinando em um seminário sobre puritanismo em uma igreja de Londres, eu mencionei que os sermões puritanos às vezes duravam duas horas. Diante disso, uma pessoa perguntou, “Quanto tempo sobrava para a adoração?” A suposição era de que ouvir a palavra de Deus pregada não constituía adoração. Eu respondi que muitos cristãos protestantes ingleses teriam considerado a possibilidade de ouvir a palavra de Deus no seu próprio idioma e de responder a ela nas suas vidas como a parte essencial da sua adoração. Se eles teriam tempo para cantar juntos seria comparativamente de pouca importância.

Nossas igrejas têm que recuperar a centralidade da Palavra na nossa adoração. Ouvir a Palavra de Deus e responder a ela pode incluir louvor e ações de graças, confissão e proclamação, e qualquer destas coisas pode vir na forma de canções, mas nenhuma delas precisa ter essa forma. Uma igreja construída sobre a música – seja qual for o estilo – é uma igreja construída sobre a areia. Pregar é o componente fundamental do pastorado. Ore por seu pastor, para que ele se dedique a estudar Bíblia rigorosa, cuidadosa e seriamente, e para que Deus o conduza na compreensão da Palavra, na aplicação dela à sua própria vida, e na aplicação dela à igreja (veja Lucas 24:27; Atos 6:4; Ef. 6:19-20). Se você é um pastor, ore por estas coisas para si mesmo. Ore também por outros que pregam e ensinam a Palavra de Deus. Finalmente, ore para que nossas igrejas assumam um compromisso de ouvir a Palavra de Deus pregada expositivamente, de forma que os rumos de cada igreja sejam crescentemente moldados pela agenda de Deus expressa nas Escrituras. O compromisso com a pregação expositiva é uma marca de uma igreja saudável.

Por Mark Dever. Copyright © 2012 9Marks. Website: 9marks.org

Tradução: bomcaminho.com

12 Comentários
  1. Irismar Diz

    Essa parte do texto do Mark Dever é uma verdade:A pregação expositiva sadia freqüentemente é o manancial de crescimento em uma igreja. Nossas igrejas têm que recuperar a centralidade da Palavra na nossa adoração. Ouvir a Palavra de Deus e responder a ela pode incluir louvor e ações de graças, confissão e proclamação, e qualquer destas coisas pode vir na forma de canções, mas nenhuma delas precisa ter essa forma. Um bom dia, valeu por compartilhar!!

  2. Moisés Ruviaro Diz

    Há alguns meses congreguei em uma Igreja neo-pentecostal em Goiânia. O “pastor” tinha um apreço grande pela reforma, mas também não deixava de abraçar os costumes neo-pentecostais de sua denominação, inclusive levando a sua igreja várias vezes nos congressos feito por eles em São Paulo. O mesmo até tinha a intenção de pregar expositivamente, pra isso, baixava sermões e esboços na internet e assim o pregava, lendo, e explicando, de forma vazia e sem preparo Espiritual.
    O que nós, como Igreja, devemos entender é: Pregar expositivamente não é só ler, não é repetir o que foi dito por Spurgeon, Edwards, Owen, mas sim, inspirados pelo Espírito Santo, pregar as Sagradas Escrituras. A dedicação em oração é o que diferencia toda a Exposição, pois ali, prostrados, é que reconhecemos e percebemos como não sabemos nada e que sem a Inspiração Divina, nada poderemos fazer.
    Sem unção até a mais bela Exposição se torna vazia.

    1. Bruno Diz

      Bem falado!

  3. Pr. José Galvão Diz

    Texto maravilhoso!
    Jesus nos comissionou para irmos por todo o mundo pregando o evangelho. Ocorre que o tempo para pregação da Palavra vem sendo ridículamente reduzido face a necessidade de cantarem cada vez mais. Nada contra cantarem hinos de louvor… São Importantes sim, contanto que não tomem lugar a exposição da Palavra.
    Parabenizo o articular que foi muito feliz em seu texto.
    Louvo a Deus por sua vida!

  4. Matheus Diz

    Oi meu nome é Matheus, eu sou usado por DEUS para evangelizar no site “Arca de JESUS” neste link >> http://arcadejesusoficial.webnode.com.br/
    Se fosse possível eu gostaria de fazer uma parceria com o seu blog…
    Caso você aceite deixe um recado no livro de visitas do site aqui >>> http://arcadejesusoficial.webnode.com.br/livro-de-visitas/
    Ou mande um email para [email protected]
    Que DEUS te abençoe!

    1. João da Costa Diz

      Teeeeeeeeeeeeeeyyy!!!!

  5. José Carlos Santos. Diz

    Em tudo isso há verdade. Está sendo notório o progresso de minha família e eu, desde quando passamos a observar pregações expositivas, pregações fieis as Escrituras. Para glória de Deus, hoje oramos perseverante-mente, examinamos mais as Escrituras (algo que antes não era tão intenso) e nos amamos mais uns aos outros. Sou grato a Deus por todos vós do Voltemos ao Evangelho, pois tem demonstrado o amor aos filhos de Deus nisto: “amando a Deus e praticando seus mandamentos” (1 João 5:2). Oro por todos, em nome de Jesus. Amém.

    A Paz.

  6. leonardo pereira Diz

    A cada dia que, eu leio sobre a pregação expositiva mas , eu desejo aprender e aplica-la, este blog tem me fortelecido muito que DEUS continue iluminando as vossas vidas através de sua Palavra, fiquem a paz de CRISTO!

  7. Alvaresto Tomir Diz

    Questão difícil é transmitir realmente aquilo que Deus está dizendo nas Escrituras, aquilo que realmente Deus quer que seja anunciado. Se aquele que prega não souber interpretar a Vontade de Deus para aquele momento, naquele texto, pode-se dizer que "tudo veio abaixo", isto é, o sermão construido não alcançou o objetivo, não realizou o intento de Deus.

  8. Josivaldo Lima Diz

    Ler e reler quantas vezes forem necessárias, explicar de forma fiel ao contexto e aplicar a palavra de Deus as nossas vidas é a forma mais sublime de honrar a Deus!

  9. Joao Calado Diz

    Joao Calado – Muitos pregadores tem se importado mais em satisfazer a congregação, e para isso acaba por distorcer a palavra de Deus, ou mesmo fazendo acréscimos desnecessários, que na verdade tem por objetivo alimentar a carne, agrada a congregação desagradando o dono do rebanho. o corpo de Cristo só é bem alimentado através do alimento solido extraído com estudo diligente da palavra de Deus.

  10. Nilton Ferreira Diz

    a cada dia aprendo de forma clara a palavra de Deus com esse curso

Comentários estão fechados.