um site cristão por Cristo e pelo Evangelho

Como John Piper reagiu a uma ameaça de morte

O ministério diário do evangelho requer coragem. Se essa é a coragem para continuar quando insultado ou honestamente se arrependem quando errou, ou não se esconder quando fisicamente ameaçado, o ministério cristão público exige muitos tipos de coragens – sendo a sociedade cada vez mais pós-cristã ou não.

Não são apenas as ameaças de morte – o que John Piper recebeu -, mas a fricção diária contra o evangelho que exige coragem, porém neste clipe de cinco minutos, Piper conta a história de uma ameaça de morte que recebeu no início de seu ministério pastoral e fala sobre como ter os recursos espirituais necessários para responder de forma corajosa que honre a Deus.

Transcrição

David Mathis: John, há um tipo de coragem que pode ser necessária ao ser um porta-voz do Evangelho, um pastor de igreja local, um escritor cristão. No início de seu pastorado na Bethlehem, você recebeu uma ameaça de morte em determinado momento. Quer nos falar a respeito disso e qualquer princípio de coragem para pastores em atividade?

John Piper: Sim. Antes de eu contar essa história, coragem é necessária todos os dias, pois penso que os perigos no ministério não vêm principalmente quando estamos sob ameaça de morte. Acho que a maioria dos pastores não enfrentará ameaças de morte, eles enfrentarão o criticismo de algum bom presbítero. Então a coragem necessária para um ministério estável, é a coragem nos relacionamentos, onde quase todos à sua volta parecem querer que você altere sua convicção por causa de algo que parece bom, e você não acha que deveria fazê-lo, e deve ter coragem para prosseguir. Então, não quero dar a impressão de que o único momento em que a coragem é necessária é quando há algum tipo de perigo extraordinário à sua família ou ao seu corpo.

Mas eu vou dizer que de forma crescente em nossos dias, com o tipo de posições que somos chamados a tomar, não de forma beligerante ou estridente, mas firme, a respeito de alguns pecados socialmente aceitáveis, nós seremos cada vez mais perversamente criticados, e talvez fisicamente ameaçados. Pois as pessoas nos considerarão uma ameaça à ordem democrática, ou seja lá o que for. Quando isso acontecer, teremos de lembrar de alguns textos bem claros do Novo Testamento.

Mas para mim houve diversas vezes. Esse a que você se refere, que eu falei anteriormente, foi nos meus primeiros três anos. Eu ainda morava na minha antiga casa. E acho que era Páscoa. Manhã de domingo. Era alguma manhã de domingo importante. Eu recebi um telefonema anônimo dizendo: “Eu vou acabar com a sua vida.” Eu não lembro as palavras exatas, mas “vou matar você.” Eu desliguei. Contei para a Noël, liguei para a polícia. Era de manhã cedo. A polícia chegou, e eu apenas disse o que ouvi. E eles disseram: “Acho que sabemos o que está acontecendo.” Como se eles tivessem visto isso acontecer antes com outros.

Mas mais tarde eu orei e fui caminhando até a igreja, e pensei: “Bem, ele pode me pegar no caminho da igreja.” Então, o que você faz nesses momentos, penso… Certo, posso me esconder, posso parar de ministrar, ou qualquer outra coisa, mas, eu não senti que isso seria bom para a igreja, certamente não nesse domingo em específico. Dá pra imaginar alguém ligando para todos os pastores da localidade dizendo que vai matá-los para que todos os cultos de Páscoa não aconteçam! Sem chance.

Veja, um texto como Mateus 10, onde Jesus diz: “Não temais aqueles que podem matar o corpo, e depois disso nada podem fazer, temais aquele que pode jogar tanto corpo quanto alma no inferno, a este digo que deves temer.” E ele vai adiante e diz: “Não são dois pardais vendidos por um asse? E nenhum deles cairá em terra sem o consentimento de vosso Pai. E os cabelos de vossa cabeça? Não estão todos contados por vosso Pai?” Agora, preste atenção às duas partes da história, o pardal e o cabelo. Pardais são incorrigivelmente inconsequentes e Deus está em total controle, nenhum pardal está fora de curso, nem morre sem agendamento. E nenhum fio de cabelo se torna branco ou negro sem a vontade de Deus, o que significa: “Eu te protejo! Você é meu filho, eu amo você, estou no comando de sua vida, tenho tudo sob controle, permaneça nos eirados,” mesmo contexto, “permaneça nos eirados, e diga o que precisa ser dito. Pois tudo será revelado no final, e todos esses críticos serão trazidos à luz, e você será vindicado, eles serão julgados, então continue me servindo.”

É apenas um pequeno texto, e lá há tanto mais. Se você precisa de um texto padrão, Romanos 8 é sempre padrão. Onde ele diz: “Somos entregues à morte o dia todo! Fomos contados como ovelhas para o matadouro. Ah! Em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por meio daquele que nos amou.” O que significa: Sim, ele pode matá-lo. Mas se ele o matar, você e sua igreja são mais do que vencedores. Deus trará um bem incrível através disso.

Por: John Piper. © Desiring God Foundation. Website: desiringgod.org. Traduzido com permissão. Fonte:  How John Piper Responds to Death Threats.

Original: Como John Piper Reagiu a uma Ameaça de Morte. Voltemos ao Evangelho. Website: voltemosaoevangelho.com. Todos os direitos reservados. Tradução: Alan Cristie. Revisão: Vinícius Musselman Pimentel.

4 Comentários
  1. Joao Florentino DaSilva Diz

    Maravilha! Evangelho que faz bem pro corpo e pro espirito… Evangelho eterno e que esta faltando tanto nos ensinamentos.

  2. Marina Cardoso Diz

    Todas as coisas cooperam para o nosso bem… incluindo as ruins! Deus é bom em todo tempo e em todas as coisas!

  3. Marina Cardoso Diz

    Todas as coisas cooperam para o nosso bem… incluindo as ruins! Deus é bom em todo tempo e em todas as coisas!

  4. Heldo Menezes Diz

    Oh glória, isso é evangelho, só tem um que tem autoridade pra jogar no inferno, esse sim deve ser temido! voltemos ao evangelho!

Comentários estão fechados.