D. A. Carson – O Deus que Criou Todas as Coisas [O Deus Presente 1/14]

Vocês sabem que gostamos da Conferência Fiel, né? Foi de grande edificação estar ano retrasado (John Piper) e ano passado (Paul Washer) e esperamos que nossos resumos das palestras tenham edificado vocês. Neste ano, D. A. Carson será um dos palestrantes e o tema da conferência é baseado em seu livro “O Deus Presente“.

Carson é um dos fundadores e diretores do ministério The Gospel Coalition, é professor pesquisador do Novo Testamento na Trinity Evangelical Divinity School. É mestre em Divindade pelo Central Baptist Seminary, em Toronto, e o Ph.D em Novo Testamento pela Universidade de Cambridge, na Inglaterra. Carson já escreveu e editou mais de 50 livros.

O Blog Fiel para preparar as pessoas os conferencistas para a conferência, está publicando um vídeo semanal no qual Carson fala um pouco sobre cada capítulo de seu livro. Como esse é um conteúdo precioso estamos repostando aqui para vocês. No vídeo abaixo, Carson fala sobre um dos pontos do primeiro capítulo de seu livro (“O Deus que Criou Todas as Coisas”), baseado em Gênesis 1: “Deus simplesmente é”, mostrando que Deus, e não nós, é o padrão último e a fonte de todas as coisas.

Transcrição

Deus simplesmente é. A Bíblia não começa com um grande conjunto de provas para provar a existência de Deus; não começa com uma abordagem de baixo para cima; nem começa com algum tipo de analogia adjacente ou semelhante. Apenas começa: “No princípio, Deus.” Agora, se os seres humanos são o teste para tudo, isso não faz o menor sentido, porque, então, nós temos o direito de sentar e julgar se é provável que Deus exista, avalie a evidência, e venha com: “Há uma certa probabilidade que talvez Deus de uma maneira ou de outra exista.” E assim nós nos tornamos os juízes de Deus. Mas o Deus da Bíblia não é assim. Apenas começa: “No princípio, Deus.” Ele é. Ele não é o objeto que nós avaliamos, ele é o Criador que nos criou. Isso muda toda a dinâmica.

Isso está ligado a alguns desenvolvimentos na filosofia ocidental que nós deveríamos analisar. Antes da Renascença, mesmo durante o início da Renascença, realmente até o momento da Reforma, a maioria das pessoas no mundo ocidental pressupunham que Deus existe e que ele sabe de todas as coisas. Seres humanos existem, e por Deus saber de todas as coisas, o que nós sabemos deve necessariamente ser um pequeno subproduto do que ele sabe. Em outras palavras, todo o nosso conhecimento, por ele saber de todas as coisas, deve ser um subproduto do que ele sabe exaustivamente e perfeitamente. Isso significa que todo o nosso conhecimento, nessa maneira de olhar a realidade, deve vir, de alguma forma, de Deus revelando o que sabe, de Deus revelando pela natureza, por seu Espírito, pela Bíblia. Isso era simplesmente pressuposto.

Mas com a ascensão no século 16 do que é agora chamado de Pensamento Cartesiano, sob a influência de René Descartes e seus seguidores, a maneira de pensar no conhecimento mudou e o axioma em que cada vez mais pessoas basearam seu conhecimento foi o que Descartes nos apresentou, embora outros tenham dito algo similar antes: “Penso, logo, existo.” Ele pensou que esse era um fundamento para o conhecimento. Você não podia negar que estava pensando, nem se você estava pensando. O próprio fato de que você estava pensando mostrava que você existia. Ele estava buscando um fundamento que cristãos, ateus, muçulmanos, secularistas, espiritualistas, pudessem todos concordar que era incontestável. E deste fundamento e outras abordagens, ele construiu todo um sistema de pensamento para tentar convencer as pessoas a se tornarem católicos romanos.

Mas olhe como esse axioma funciona: Eu penso, logo, eu existo. Vinte anos antes nenhum cristão teria dito isso muito facilmente, porque Deus pensa, Deus sabe de todas as coisas! Se nós existimos é por causa do poder de Deus. Nosso conhecimento, e mesmo nossa existência, são finalmente dependentes dele. Mas desse lado do pensamento cartesiano, nós começamos com “eu”. Eu começo comigo. E isso me coloca numa posição onde eu começo a avaliar não apenas o mundo à minha volta, mas a moral, a história, Deus, para que Deus agora se torne simplesmente, na melhor das hipóteses, a inferência de meu estudo. Isso muda tudo. A Bíblia não diz isso. Deus simplesmente é.

Por: Don Carson. Copyright The Gospel Coalition, Inc. Original: The God Who Is There – Part 1. The God Who Made Everything

Tradução: Alan Cristie. Revisão: Vinícius Musselman Pimentel. Editora Fiel © Todos os direitos reservados. Original: O Deus que Criou Todas as Coisas – D.A. Carson [O Deus Presente 1/14]

19 Comentários
  1. Isabelle Soares Diz

    Incrível!
    Existe essa conferencia para jovens? Jovens podem ir?

    1. Vinícius Musselman Pimentel Diz

      jovens podem ir

  2. Avner Marra Diz

    Não creio que seja bem assim. Tudo que Deus criou foi feito com a co-responsabilidade entre Deus e o Homem. Se não precisasse de nós Ele teria mandado anjos para pregar o Evangelho, não acham?

    1. Vinícius Musselman Pimentel Diz

      Precisar é diferente de querer utilizar um meio.

    2. Avner Marra Diz

      Então acho que o termo correto não é ‘Precisar’ e sim ‘Depender’.
      Creio que Deus não depende de nós, e sim nós dependemos d’Ele. Mas Ele precisa da Sua criação para o conjunto de Sua própria obra. Vemos isso em várias ocasiões na Palavra. Jonas, Elias, Balaão e outros tantos. Se nosso Pai realmente não precisasse de nós teria simplesmente descartado o nosso ‘não’ a Ele. Querer USAR é necessitar, precisar utilizar.

      PS: Só queria ressaltar que tenho apenas esta indagação. Concordo que somos infinitamente pequenos, miseráveis e carentes da Graça e da Glória de Deus.

    3. Vinícius Musselman Pimentel Diz

      precisar

      Conjugar
      v. tr.
      1.
      Ter precisão ou necessidade de.2.
      Determinar, indicar, calcular de um modo preciso, com exactidão.3.
      Especializar, particularizar.4.
      Não poder passar sem, não poder prescindir de.v. intr.
      5.
      Ter precisão de dinheiro e de tudo quanto é essencial à vida; ser pobre.6.
      Carecer.

    4. Avner Marra Diz

      Ninguém usa/utiliza algo que não precisa.
      Como disse se não fosse preciso criar o homem para que ele fosse necessário para algo, porque então cria-lo?

      1. Utilizar
      1- Fazer uso ou emprego de algo;usar; empregar.
      2- Tirar utilidade de algo;aproveitar; servir-se.
      3- Tirar proveito de algo.

    5. Vinícius Musselman Pimentel Diz

      Avner,

      Sua lógica se encaixa com o que a Bíblia afirma:

      “O Deus que fez o mundo e tudo o que nele há é o Senhor do céu e da terra, e não habita em santuários feitos por mãos humanas. Ele não é servido por mãos de homens, como se necessitasse de algo, porque ele mesmo dá a todos a vida, o fôlego e as demais coisas. (Atos 17:24-25)

      ?

    6. Avner Marra Diz

      Entendo amado! Não, ela não se encaixa com estes versículos exatamente. Mas creio que devemos analisar esta questão usando a Bíblia como um todo. Em Mateus 5:29-30 Jesus nos manda arrancar os olhos ou a mão caso ela nos faça pecar e nós sabemos que não é bem disso que Ele está falando. Da mesma maneira é preciso analisar com outros textos.

      Em toda a Bíblia Sagrada, não há uma só promessa divina a favor do Homem, sem a cláusula SE. Assim é, por causa da parceria Deus-Homem, num pacto eterno, para realização do propósito maior do Pai da Eternidade, que é: formar uma Igreja-Noiva, para constituir a Família Celestia l (Ef 3:15; Ap 19:7-9).

      Podemos ver que Deus-Pai ao criar o homem lhe deu ordenanças e tarefas. E até então o homem seguia uma Absoluta Vontade de Deus. Porém essa Vontade que ficou corrompida por causa do pecado original (o homem tornou-se “dono do próprio nariz”, depois de comer da Árvore do Bem e do Mal) assim a Absoluta Vontade (Onipotente Vontade) de Deus-Pai deixou de ser absoluta na ESFERA DA VONTADE HUMANA (e somente nela). Um exemplo que testifica isso são os “Se” que vemos em TODAS as promessas que Deus nos fez.

      1. Deus-Pai estará presente numa reunião, SE. e somente SE…. Mt 18:19,20.
      2. O poderoso Sangue de Jesus só purifica, SE… SE . e SE -1Jo 1:6-9.
      3. Deus somente irá nos ouvir, perdoar e sarar, SE… 2Cr 7:14; Tg 5:12; 1Jo :9.
      4. Tudo que pedirmos em nome de Jesus será feito e dado, SE … Jo 15:7..
      5. Seremos perdoados e purificados no Sangue do Cordeiro, somente SE … – 1Jo 1:9.
      6. Buscaremos e acharemos o Senhor Deus, SE… Jr 29:13.
      7. Permaneceremos em Deus e guardaremos Seus mandamento, SE … Jo 14:15;15:7,10.
      8. Todas as coisas nos serão dadas e acrescentadas, SE… Mt 6:33.
      9. A Paz de Deus permanecerá numa pessoa e numa casa, SE… Mt 10:13; Lc 10:6… etc… etc.. Deus não iria operar dessa maneira se Ele não precisasse da nossa ação de clamor, arrependimento, petição, disposição etc…

    7. Vinícius Musselman Pimentel Diz

      Avner,

      Não estamos discutindo se Deus decidiu que o homem fizesse algo. Estamos discutindo se Deus precisa de algo.

      Agora, você não pode simplesmente chegar e falar “seu versículo não pode ser levado ao pé da letra”, pois eu poderia fazer o mesmo com os seus. Você deve mostrar por que minha interpretação do que está claramente escrito no versículo está errada e a sua certa.

      Paz =]

    8. Avner Marra Diz

      Tudo bem.

      Vamos analisar da seguinte forma:
      – Segundo Ec 3:1 todas as coisas são feitas em um propósito, e podemos ver na Palavra que um destes propósitos do Deus-Pai este que é dar ao Deus-Filho e Cordeiro uma Noiva (uma Família nos Céus, ou Família Celestial, ver Ef 3), em um grande Banquete no dia de Sua Glória (Mt 22).
      – Cristo, o Cordeiro de Deus, foi imolado antes da fundação do mundo ( Ef 1:4, 1Pe 1:19-20, Ap 13:8). Ou seja o Sangue de Cristo já estava sobre nós antes mesmo de sermos criados, e no Velho Testamento acompanhamos “tipos de Cristo” que exemplificam essa espiação.

      A pergunta é, se Deus-Pai não precisasse realmente em nenhuma hipótese de nós, porque então nos criar? Se fomos criados predestinados a ser amados em Cristo, se fomos criados para ser Noiva e Família de Deus, povo Santo, Nação Poderosa, Sacerdócio Real. Se não houvesse precisão de nos criar porque imolar seu filho por nós antes mesmo da nossa criação?

      Não creio que seja apenas para mostrar/provar nada. nem o infinito Amor que Ele tem por nós. Deus não é exibicionista, Ele não se preocupa com isso. Tem de haver um propósito, e havendo um propósito deve haver uma necessidade.

    9. Vinícius Musselman Pimentel Diz

      Cara, você está afirmando que Deus não é autossuficiente? Que Deus tem/tinha a necessidade de criar seres humanos? Oo

      Se sim, meu amigo, isso é heresia e paganismo e você precisa se arrepender.

      Propósito não implica necessidade. Deus pode criar com um propósito gracioso. Ele de nada precisa. Já mostrei o versículo e você o ignorou. Você está rejeitando o que a Escritura afirma explicitamente para tentar conjecturar.

      “O Deus que fez o mundo e tudo o que nele há é o Senhor do céu e da
      terra, e não habita em santuários feitos por mãos humanas. Ele não é
      servido por mãos de homens, como se necessitasse de algo, porque ele
      mesmo dá a todos a vida, o fôlego e as demais coisas. (Atos 17:24-25)

      Ou você aceita esse versículo e se submete ao que ele diz, ou você explica por que o versículo não afirma que Deus é autossuficiente.

    10. Avner Marra Diz

      Não estou afirmando isso, de maneira nenhuma. Só disse que Deus tem um propósito e nós estamos inclusos n’Ele. Senão estivéssemos não teríamos sidos criados. Tenho total certeza que Deus não deixaria de ser Deus caso não houvesse o homem. Não ignorei o versículo. Olharmos os versículos a diante (,27 e 28) vemos porque Deus fez essas todas essas coisas.
      O que eu quero dizer, não é que Deus dependa do homem para alguma coisa, porque Ele não depende, Ele é soberano em tudo e sobre tudo, em momento algum discordei isso, e sim que se Ele não precisasse não nos teria criado. Ao meu ver é muito diferente. Como disse na primeira resposta. Ao meu ver, no propósito mostrado na bíblia, Deus precisa do homem, mas não DEPENDE d’Ele pra absolutamente NADA.

    11. Vinícius Musselman Pimentel Diz

      Avner,

      Ah bom. Sim, o homem está incluído no plano divino. Mas em última instância, isso em nada acrescenta a Deus. Quando o louvamos e adoramos não estamos lhe acrescentando algo, apenas reconhecendo suas perfeições.

      Quando evangelizamos temos o privilégio de participar da expansão do Reino. Deus poderia fazer isso sem nossa participação. Ele pode dar “filhos à Abraão” de pedras, mas escolheu usar o homem.

      Então precisar não é a melhor palavra, mas, sim, escolheu usar.

      Como eu comentei antes, o sentido da palavra precisar incluí necessidade/dependência, e você mesmo reconheceu que Deus não tem dependência do homem.

    12. Avner Marra Diz

      Desculpe a demora…

      Concordo com as duas primeiras afirmações! É um privilégio que temos evangelizar, e até mesmo crer, adorar e até padecer por Cristo (Fl 1:9)
      Não acrescentamos nada a Deus com isso. Somente reconhecemos a suas perfeições. Realmente é verdade.

      Porém no meu ponto de vista se Deus escolheu usar-nos, Ele também escolheu precisar de nós. A minha indagação ( e talvez falta de compreensão) é que, se o Pai da Eternidade não precisasse de nós para nada, Ele não teria nos escolhido para nada. Se há um plano de Redenção Eterna em Cristo e este teria que vir a Terra para isso concretizar, então Deus precisou que Adão e Eva se multiplicassem e por ai segue a história. Se não fosse assim não teria porque nos criar para que este plano fosse concretizado, entendi?

    13. Vinícius Musselman Pimentel Diz

      Avner,

      Se Deus quer exaltar seu nome através de seres humanos é óbvio que para isso seres humanos precisam existir e Deus precisa criar seres humanos.

      Mas esse precisar não é uma necessidade absoluta, mas é um precisar dentro de um querer. Deus não precisava ter nos criado. Nada lhe falta. Nem amor, pois há perfeito amor dentro da Trindade.

      Então, se Deus quer que o João seja evangelizado pelo Avner, o Avner precisa existir e ir evangelizar. Mas se Deus quer que o João seja evangelizado por uma pedra, então a pedra clamará.

      Certo?

    14. Avner Marra Diz

      Estamos chegando em um consenso rsrs
      Certo! Este exemplo mostra o que eu quis dizer que “Deus precisa, mas não depende”. Ele poderia usar qualquer outra para evangelizar o João, caso eu me recusasse, morresse etc… Porém a primeira vista era o Avner quem estava dentro do plano e propósito que Ele (Deus-Pai) estabeleceu.. e por ai segue os demais argumentos… ^^

      Obrigado pela ajuda amado!

    15. Carol Diz

      Avner, Creio que o propósito do Senhor em escolher o homem jamais foi por precisar de nós, mas sim porque ter filhos que humildemente desejam servir ao Senhor e serem usados por Ele é o grande propósito da criação, e aquilo que rende glórias ao Pai!

    16. Avner Marra Diz

      Deus-Pai já tinha o Deus-Filho junto d’Ele Carol. Entendo que Deus-Pai deseja ter uma Família Celestial como disse mais acima (ver Ef 3:15; Ap 19:7-9) e que Ele deseje ternos em servidão, mas também como filhos que amam e querem estar sempre junto ao Pai. Porém se fosse apenas por isso, ficariam sem nexo tudo que Jesus fez por nós. Se o propósito era apenas a Criação então porque Imolar o Cordeiro Jesus Cristo antes mesmo do do Mundo ser criado ou o Pecado Original entrar na Terra? O propósito de Redenção e Salvação do Deus-Pai, através da Cruz do Deus-Filho e a intercessão do Deus-Espírito é que é a questão. Não somos necessários para que este propósito acontecesse, porém sem nós aqui, Cristo não teria nascido de uma mulher e etc.. Como falei com o Vinícius agora, se Deus escolheu nos usar, Ele escolheu por exemplo precisar de um ventre santo e imaculado (no caso o de Maria) para que esse propósito se cumprisse.

Comentários estão fechados.