Quando Solteiros se Encontram: Namorando para Revelar a Jesus – Marshall Segal (1/2)

Parte 1  Parte 2

Para aqueles cujos caminhos são mais marcados por erros do que por abnegação, paciência e julgamento são, tenham esperança no Deus que abençoa misteriosamente seu caminho quebrado e o redime a partir dele, e quem pode começar em você uma nova, pura, sábia e piedosa busca pelo casamento hoje.

Aqui estão (alguns) princípios para solteiros. Não é uma lista abrangente nem exaustiva. São simplesmente lições que aprendi e espero que possam ser uma bênção para você, seu namorado ou namorada, e seu futuro cônjuge.

1. É realmente tão simples como dizem

Em uma época em que as pessoas estão se casando cada vez mais tarde e recorrem cada vez mais à busca por parceiros online, nós provavelmente precisamos ser lembrados de que o casamento realmente se trata mais de comprometimento do que de compatibilidade. Afinal, nunca houve um relacionamento menos compatível do que o de um santo Deus e sua noiva pecaminosa, e esse é o modelo que aspiramos em nossos casamentos.

Há uma razão pela qual a Bíblia não tem um livro dedicado a como escolher um cônjuge. Não foi descuido por parte do Deus de toda a história, como se ele não pudesse ver o século 21. As qualificações são maravilhosamente claras e simples: 1) ele deve crer em Deus (2 Coríntios 6:14); e 2) ele deve ser do sexo oposto (Gênesis 2:23-24; Mateus 19:4-6; Efésios 5:24-32).

Ora, é inegável haverá mais coisas envolvidas em seu discernimento durante o namoro. À parte das questões de atração e química, que não são insignificantes, a Bíblia articula alguns papeis para esposas e maridos. Homens devem proteger e prover por suas esposas (Efésios 5:25-29). Mulheres devem ajudar e se submeter a seus maridos (Gênesis 2:18; Efésios 5:22-24). Pais devem liderar suas famílias na palavra de Deus (Efésios 6:4). Pais e mães devem amar e criar seus filhos na fé (Deuteronômio 6:7). Então claramente estamos procurando por mais do que uma pessoa atraente que “ama a Jesus”.

Dito isso, muitos de nós precisamos ser lembrados de que a pessoa perfeita de Deus para mim não é tão perfeita assim. Todas as pessoas que se casam são pecadoras, então a busca por um cônjuge não é uma busca por perfeição, mas uma busca mutualmente falha por Jesus. É uma tentativa cheia de fé de se tornar como ele e, juntos, torná-lo conhecido. Independentemente do crente com quem você se casa, você provavelmente descobrirá em breve que você não se sente tão “compatível” como já se sentiu, mas espero que você se maravilhe mais com o amor de Deus por você em Jesus e com o incrível privilégio que é viver tal amor juntos, especialmente à luz de suas diferenças.

2. Saiba o que faz um casamento valer a pena

Em nossos piores momentos, nossos objetivos são pequenos e enganados. Nós simplesmente não queremos mais ficar sozinhos na sexta à noite. Nós simplesmente queremos postar fotos quase ingênuas e artisticamente emolduradas com alguém em uma ponte em um lugar qualquer. Queremos uma maneira livre de culpa de desfrutar do sexo. Queremos um rapaz ou uma moça que nos diga que somos bonitos, engraçados, inteligentes e bons em nossos trabalhos, etc.

Se o casamento apenas nos oferecesse essas coisas, contudo, ele realmente não valeria a pena. Muitos tentarão negar isso, mas as estatísticas de divórcio são o suficiente para estabelecer que o casamento requer mais de você do que a maioria poderia sequer imaginar no dia do matrimônio. A maioria de meus amigos casados diria que o que parece divertido, belo e inquebrável no altar, não parece tão limpo ou fácil até mesmo dias após passarem a morar juntos. Ainda é intensamente bom e bonito, mas é custoso: custoso demais para pequenos alvos.

O casamento vale a pena porque você tem Deus em seu comprometimento vitalício um com o outro. O casamento se trata de conhecer a Deus, adorar a Deus, depender de Deus, revelar a Deus, ser transformado à semelhança de Deus. Deus criou o homem e a mulher à sua imagem e os uniu, dando-lhes responsabilidades singulares para cuidar um do outro em sua débil, porém linda união.

O que faz o casamento valer a pena é que você, seu cônjuge e aqueles à sua volta veem mais de Deus e de seu amor por nós em Jesus. Se você não está experimentando isso com seu namorado, termine com ele. Se essa não é sua prioridade, precisamos de um novo plano de jogo, e provavelmente um novo cartão de pontos para o próximo.

3. Busque mais por clareza do que intimidade

O maior perigo do namoro é dar partes de nossos corações e vidas para alguém com quem não estamos casados. É um risco significativo, e muitos homens e mulheres têm profundas e duradouras feridas de relacionamentos, porque o casal desfrutou de proximidade emocional ou física sem um comprometimento permanente e durável. Intimidade barata parece real por um momento, mas você recebe aquilo pelo que pagou.

Enquanto o grande prêmio no casamento é intimidade Cristocêntrica, o grande prêmio do namoro é clareza Cristocêntrica. Intimidade é mais segura no contexto do casamento, e o casamento é mais seguro no contexto da clareza. O propósito de nosso namoro é determinar se nós dois deveríamos casar, então deveríamos concentrar nossos esforços lá.

Em nossa busca por clareza, vamos indubitavelmente desenvolver intimidade, mas não o faremos tão rapidamente ou ingenuamente. Sejam intencionais e sinceros um com o outro que, como cristãos, intimidade antes do casamento é perigosa, enquanto que clareza é incrivelmente preciosa.

4. Encontre um noivo na linha de frente

A ideia é procurar amor nos lugares corretos. Concentre-se na colheita, e você inevitavelmente achará um ajudante. Ao invés fazer de casar-se a sua missão, que sua missão seja a causa global de Deus e o avanço do Evangelho onde você está, e procure por alguém que busque o mesmo. Se você espera se casar com alguém que ame Jesus apaixonadamente e o torna conhecido, é provavelmente melhor colocar-se em uma comunidade de pessoas comprometidas com isso.

Isso não significa que deveríamos servir porque podemos encontrar um amor. Deus não é honrado com esse tipo de autosserviço. Não, isso simplesmente significa que se estamos buscando um tipo específico de pessoa, há lugares bons, seguros e identificáveis em tais pessoas vivem, servem e cultuam juntas. Envolvam-se em uma comunidade assim, sirvam uns aos outros, e peçam a Deus para abrir as portas para o namoro.

Por Marshall Segal © 2013 Desiring God Foundation. Usado com permissão. Website em português: www.satisfacaoemdeus.org. Original: When the Not-Yet Married Meet: Dating to Display Jesus

Tradução: Alan Cristie. © 2013 Ministério Fiel. Website: www.ministeriofiel.com e www.voltemosaoevangelho.com. Original: Quando Solteiros se Encontram: Namorando para Revelar a Jesus – Marshall Segal (1/2)

Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

21 Comentários
  1. Rebeca Nascimento Diz

    Profunda leitura :) Esse negócio do ajudante de colheita rs.. perfeito :* Alguém está nos observando …. Bendito seja Cristo eternamente. Amém!!!

  2. Jeane Thays Diz

    Muito bom, se todos os rapazes e moças tivessem esse pensamento, teríamos casamentos que revelassem a glória de Deus!

  3. Paulo César Diz

    Muito legal e esclarecedor. Devemos estar no lugar certo, temos nossas responsabilidades também. rsrsrs

  4. Bruno da Guarda Diz

    Namoro é fazer o oposto ao que a palavra ensina, é melhor serem amigos, de preferência não íntimos até decidirem casar, ou casarem, por que não existe namoro. Tomou pela mão, tá casado. Ou será que minha escritura tá muito mofada para essas gerações? As pessoas continuam se preocupando demais em viver bem em 70 anos do que viver para eternidade.

  5. Rafaela Facchera Diz

    Muito edificante o texto, ansiosa para ler a parte 2! :)

  6. Ricardo Martins Diz

    Paz manos! Aqui na nossa congregação nós adotamos a “corte”, é um relacionamento com intuito de casamento, só que não “desfruta” das intimidades do namoro. Não é uma regra, é apenas um cuidado pela santidade, afinal de contas ainda não conheci alguém que consiga beijar de linguá sem ser estimulado sexualmente… aí com o estímulo vem os pensamentos impuros, as carícias, depois vocês sabem… Sexo é um caminho e ele começa ali no beijo. Quem quiser namorar, que namore, mas não convém andar entre as vinhas se você não pode tomar vinho… Arrisque sua vida, mas nunca arrisque a sua santidade!

    1. Victor Diz

      Excelente comparação. Não convém andar entre as vinhas se você não pode tomar vinho.

    2. wando Diz

      Parabens a vcz !!! estou tbm com esse modo de pensar ,que Deus abençõe o pessoal ai da “corte” .

    3. Gleidson Furtado Diz

      Fala @disqus_dTH9B2rZDl:disqus, coincidência, minha antiga igreja adota esse mesmo método, noto q rende bons frutos. Realmente, n é um tipo de imposição. Mas é uma boa estratégia p quem tá com objetivo num casamento com principios biblicos.

  7. Giovani Lima da Rocha Diz

    O maior perigo do namoro é dar partes de nossos corações e vidas para alguém com quem não estamos casados. É um risco significativo, e muitos homens e mulheres têm profundas e duradouras feridas de relacionamentos, porque o casal desfrutou de proximidade emocional ou física sem um comprometimento permanente e durável.

  8. Danny Pariz Diz

    Assim como uma flor só desabrocha quando ela está suficientemente pronta para abrir e na estação certa, o amor também no mistério e relação tridimensional (espírito, alma e corpo), como a trindade Deus Pai, Deus filho e Deus espírito Santo. O pacto e a aliança se concretiza no casamento e ambos desfrutam sem culpa, sem mácula e com alegria! O inverno , o outono e tbém a primavera são estações distintas! respeitemos as estações e seremos realizados e completos! Deus é lindo! Tenhamos temor, a intimidade é benção, mas na estação própria! Linda msg de MAstral!

  9. Pedro Lyra Diz

    de fato isso é verdade, mas não creio que um Namoro Cristão, seja algo errado e que não possa glorificar o nome de Deus, pois algo que os dois devem buscar em primeiro lugar é a Vontade de Deus, o que poucos fazem hoje em dia tenho que concordar, mas não significa que um namoro abençoado e antes orado, não vá glorificar o nome do Senhor, apesar de que muitos procuram o físico, os filhos de Deus devem fazer a diferença, pois devem buscar algo a além, algo espiritual com seu par e não algo que possa acabar com suas carências físicas ou emocionais. Falo isso, pois faço relacionamento em santidade com minha abençoada, mas creio que Namoro Cristão e Relacionamento em Santidade, glorificam a Deus, cabe a você decidir o que vai escolher para sua vida a dois. Deveríamos acabar com isso de Namoro x Corte, e começar a se preocupar com "Como posso glorificar a Deus?"

  10. Fiquem ligados nesse super post! A continuação será publicada no dia 16/07.

  11. Tallyne Silva Diz

    Que palavra maravilhosa e edificante!!! O melhor de tudo é poder aplicá-los em nossa vida… Um novo tempo pra mim! Obrigada Senhor.

  12. Juliana Sanches Crespo Diz

    Que bom!! foi uma confirmação muito especial esse texto!! Enquanto servimos estamos ocupados com isso nosso coração se alegra com o fato de servir. Enquanto não chega "o ajudante" que Deus tem preparado, servimos. E assim quando esse tempo chegar seremos completos e poderemos somar e não simplesmente esperando alguém que nos complete.

  13. Camila Diniz Diz

    Esse sim é um bom conceito de namoro…ou relacionamento pre nupcial.
    Namoro é um relacionamento mundano. Sendo nossa regra de FÉ E PRÁTICA a Biblia, como podemos afirmar que é licito namorar sendo que o termo nem se quer existe na biblia?! O namoro serve para se usufruir do que nao nos pertence (tanto fisica como emocionalmente), é uma armadilha do mundo.

  14. Eduardo Nobuiko Ito Diz

    é assim não vai dar pra te pegar kkkk

  15. Camila Diniz Diz

    não entendi

  16. PUREZA&piedade Diz

    Muito bom. :) PUREZA&piedade

  17. Luciana Diz

    Muito interessante e profundo este artigo, diferente da abordagem superficial e cheia de clichês que geralmente existe sobre o tema.
    A abstinência sexual já é bem difundida entre os cristãos, mas esse conceito de se reservar mais emocionalmente não é muito ensinado, e pode causar muitas mágoas e cicatrizes profundas.
    Penso que criamos uma expectativa exagerada sobre o relacionamento amoroso, como se um(a) parceiro(a) pudesse suprir todas as carências do nosso coração. Tenho aprendido que isso também é pecado! Pois é um tipo de idolatria.
    Essa paixão exacerbada difundida pelo cinema e tv, que nos ensina escancarar a alma à alguém que acabamos de conhecer ou que ainda não estabelecemos o compromisso vitalício (casamento) é no mínimo uma infantilidade.
    O cristão não deve viver assim, nós devemos nos guardar em Cristo, é nas mãos dEle que deve estar a nossa vida, é Ele quem deve ter a liberdade de sondar livremente nosso coração e todos os nossos pensamentos. Achei sensacional o item 3 “Busque mais por clareza do que intimidade”. Me fez pensar em tudo isso.

  18. Lu Ciana Diz

    Muito interessante e profundo este artigo, diferente da abordagem superficial e cheia de clichês que geralmente existe sobre o tema.
    A abstinência sexual já é bem difundida entre os cristãos, mas esse conceito de se reservar mais emocionalmente não é muito ensinado, e pode causar muitas mágoas e cicatrizes profundas.
    Penso que criamos uma expectativa exagerada sobre o relacionamento amoroso, como se um(a) parceiro(a) pudesse suprir todas as carências do nosso coração. Tenho aprendido que isso também é pecado! Pois é um tipo de idolatria.
    Essa paixão exacerbada difundida pelo cinema e tv, que nos ensina escancarar a alma à alguém que acabamos de conhecer ou que ainda não estabelecemos o compromisso vitalício (casamento) é no mínimo uma infantilidade.
    O cristão não deve viver assim, nós devemos nos guardar em Cristo, é nas mãos dEle que deve estar a nossa vida, é Ele quem deve ter a liberdade de sondar livremente nosso coração e todos os nossos pensamentos. Achei sensacional o item 3 "Busque mais por clareza do que intimidade". Me fez pensar em tudo isso.

Comentários estão fechados.