Quem decide o estilo de música da sua igreja? Jovens ou Idosos?

Tenho uma pergunta para você: Quem decide o estilo de música da sua igreja? Os jovens ou os mais velhos?

Tenho visto em muitas igrejas que quem decide isso normalmente é o “grupo de louvor”, normalmente composto por ─ sim, você adivinhou ─ jovens. E, boa parte das vezes, eles decidem o estilo de música sem considerar que a igreja possui pessoas mais velhas, que ainda gostam dos hinos que são tão preciosos a fé deles. O problema pode ser tão agudo, que pode acabar dividindo a igreja. É o que Nathan Finn relata, por experiência própria, em seu artigo “Respeitando Nossos Anciãos“:

Eu fui membro de uma igreja que estava pensando sobre uma transição em seu estilo de louvor. Enquanto aquela discussão estava acontecendo, uma banda de louvor visitante liderou a nossa adoração coletiva em um domingo. O vocalista, que tinha seus vinte e poucos anos disse a todos os “velhos” que Deus não queria mais os hinos porque já estavam fora de moda. Ao menos uma família saiu do culto ofendida pela arrogância desse jovem. Quando a igreja considerou as mudanças musicais propostas nas semanas seguintes, a votação foi 150 a 150. Os comentários desrespeitosos do líder visitante foram o fator decisivo para dividir a igreja ao meio.

Isso tem a ver com a “cultura fascinada pela juventude” que falamos no artigo anterior. Como se tudo o que fosse novo, fosse melhor. Daí, segue que a música moderna é melhor que a antiga. Isso não é necessariamente sempre verdade, principalmente quando olhamos para as letras dos hinos em comparação com as músicas de hoje, aquela que chamam erroneamente de “gospel” (que na verdade é um estilo musical da chamada “igreja negra” dos EUA – algo mais ou menos assim). Voltando, o problema do “mais novo, melhor” é que o contrário é: “mais velho, pior”, o que logo vira “mais velho, desprezível”; e assim vemos tantos jovens desprezando os anciãos. Contudo, a Bíblia ordena o inverso:

O respeito aos mais velhos começa pelos pais. No quinto mandamento, o Senhor ordenou ao seu povo: “Honra teu pai e tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o SENHOR, teu Deus, te dá”. (Êxodo 20:12). Esse tema é enfatizado em todo o Antigo Testamento. Provérbios 23:22 ecoa o quinto mandamento: “Ouve a teu pai, que te gerou, e não desprezes a tua mãe, quando vier a envelhecer”. Duras consequências foram reservadas para os filhos que não respeitam seus pais. O Pentateuco dizia que os filhos que desonravam intencionalmente seus pais deviam ser apedrejados (Levítico 20:9; Deuteronômio 21:18-21). Os Provérbios concordam que os filhos desrespeitosos são merecedores de morte (Provérbios 20:20; 30:17). […] Os cristãos reformados reconhecem que consequências boas e necessárias sempre surgem de determinados mandamentos bíblicos. O mandamento de honrar pai e mãe, quando aplicado de uma forma mais ampla, significa que também devemos respeitar todos os indivíduos que exercem uma autoridade ordenada por Deus sobre nós.

Quero convidá-lo a pensar como você tem tratado os mais idosos em sua igreja (e eu não estou falando em só cumprimentá-los no culto de domingo) e ler o artigo de Nathan Finn:

Leia o artigo completo

2013_TBT_03_March_200x1000Dr. Nathan A. Finn é professor associado de teologia histórica e estudos batistas no Southeastern Baptist Theological Seminary em Wake Forest, N.C. Ele escreve regularmente em seu site www.nathanfinn.com

Por Nathan A. Finn. Extraído do site www.ligonier.org. © 2013 Ligonier Ministries. Original: Respecting Our Elders.

Este artigo faz parte da edição de Março de 2013 da revista Tabletalk sobre “Uma Cultura Fascinada pela Juventude”.

Tradução: Isabela Siqueira. Revisão: Renata Espírito Santo – © Ministério Fiel. Todos os direitos reservados. Website: www.MinisterioFiel.com.br. Original: Quem decide o estilo de música da sua igreja? Jovens ou Idosos? e Respeitando Nossos Anciãos

Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

Veja mais artigos desta edição

25 Comentários
  1. Lucas Diz

    A Harpa Cristã é a melhor

  2. Denis Eduardo Leardini Diz

    Por outro lado é necessário os mais velhos também aceitarem o novo, claro que quando tem conteúdo nas letras, não esses ditos "gospel", mas musicas que tem uma letra de louvor verdadeiro num ritmo mais atual também deveriam ser aceitos. O problema está sempre nos exageros.

  3. Ricardo Rennó Diz

    Sofia Fernandes Carlos Eduardo Corrêa Molina Lincoln Anjos Vanessa Anjos Guilherme Gama Fernanda Santos Luiz Flavio Zeni Da Silva Anjos Deem uma lida!

  4. Fernando José Diz

    (Y)

  5. Victor Diz

    Mas tem hinos maravilhosos nos cantores e harpas cristãos. Não tem porque parar de cantá-los. Dá pra dividir muito bem. Sou jovem e gosto dos antigos também!

  6. Orlando Sales Diz

    Minha opinião: É o equilíbrio que precisa ser praticado.

    As letras das músicas clássicas são tão profundas e experimentadas que tornam-se atemporais. Não curto esse rótulo de "música antiga ou nova", pra mim música boa e inspirada não tem idade, o segredo dela é a palavra de Deus que se renova a cada manhã.

    A maioria das músicas de hoje em dia, são feitas para vender mais: Letrinhas superficiais, egocêntricas, com apelo emotivo… Há exceções? SIM, se a gente vasculha como quem deseja achar pérolas, encontramos muita coisa boa.

    Não sou contra as novas canções (eu disse CANÇÕES, não BARULHEIRA), sou a favor de novas roupagens, de boas surpresas sonoras, do clássico imponente, da criatividade e da inspiração baseadas na Palavra de Deus.

    Antes de tudo a música de Deus é o reflexo da sua Palavra experimentada na vida de quem escreve e cria, tem que ter frutos espirituais, atrair a Presença de Deus e oferecer transformação de mentalidade.

  7. Orlando Sales Diz

    Minha opinião: É o equilíbrio que precisa ser praticado.

    As letras das músicas clássicas são tão profundas e experimentadas que tornam-se atemporais. Não curto esse rótulo de "música antiga ou nova", pra mim música boa e inspirada não tem idade, o segredo dela é a palavra de Deus que se renova a cada manhã.

    A maioria das músicas de hoje em dia, são feitas para vender mais: Letrinhas superficiais, egocêntricas, com apelo emotivo… Há exceções? SIM, se a gente vasculha como quem deseja achar pérolas, encontramos muita coisa boa.

    Não sou contra as novas canções (eu disse CANÇÕES, não BARULHEIRA), sou a favor de novas roupagens, de boas surpresas sonoras, do clássico imponente, da criatividade e da inspiração baseadas na Palavra de Deus.

    Antes de tudo a música de Deus é o reflexo da sua Palavra experimentada na vida de quem escreve e cria, tem que ter frutos espirituais, atrair a Presença de Deus e oferecer transformação de mentalidade.

  8. Tiago Souza Diz

    Eu acho que devemos juntar o novo e o antigo. Deve ter elementos modernos e antigos lado a lado no louvor do culto.
    Sou contra a ditadura do moderno e a ditadura do antigo, pois ambos são prejudiciais à igreja.

  9. Daniel Faliosa Diz

    Não existe música velha ou nova….existe música boa ou ruim. E existe o bom senso ou falta deste….existe a pesquisa ou a ignorância….existe o temor a Deus ou a rebelião…..existe a consciência de que músicos são educadores ou “entertainers”….existe o princípio da consciência (se o comer carne escandaliza meu irmão) ou o da “liberdade a qualquer custo”…

  10. Ravy Dourado Diz

    É bom pensar também que aquilo que consideramos hoje como "velho" foi um dia "novo" e provavelmente enfrentou resistências.A música tem uma evolução natural e é difícil fazer com que isso não influencie naquilo que tocamos dentro das igrejas, mas não existe problemas na convivência entre as músicas influenciadas por várias épocas.

  11. Orlando Sales Diz

    Minha opinião: É o equilíbrio que precisa ser praticado.

    As letras das músicas clássicas são tão profundas e experimentadas que tornam-se atemporais. Não curto esse rótulo de "música antiga ou nova", pra mim música boa e inspirada não tem idade, o segredo dela é a palavra de Deus que se renova a cada manhã.

    A maioria das músicas de hoje em dia, são feitas para vender mais: Letrinhas superficiais, egocêntricas, com apelo emotivo… Há exceções? SIM, se a gente vasculha como quem deseja achar pérolas, encontramos muita coisa boa.

    Não sou contra as novas canções (eu disse CANÇÕES, não BARULHEIRA), sou a favor de novas roupagens, de boas surpresas sonoras, do clássico imponente, da criatividade e da inspiração baseadas na Palavra de Deus.

    Antes de tudo a música de Deus é o reflexo da sua Palavra experimentada na vida de quem escreve e cria, tem que ter frutos espirituais, atrair a Presença de Deus e oferecer transformação de mentalidade.

  12. Varao Diz

    Os hinos das harpas nem se comparam com os hinos atuais que são bastante carnais e olha que tenho 25 anos. Os hinos atuais na maior parte sao cheios de emocionalismo ( o que nao tem nada de errado ) porem o problema é que se voce examinar as letras vai perceber que a maioria ( nao todas ) são infrutiferas, sem conteudo biblico, nao exalta a Jesus, nao da pra satisfazer a alma de um cristão espiritual. Tenho uma certa duvida se as pessoas que gostam de certos tipos de musica são nascidos denovo. Como Paul Washer disse uma vez : eu fui em uma congragação e as pessoas cantavam com força e emoção porem quando eu abrir a biblia e comecei a ensinar sobre Jesus eles se entendiaram.

  13. Varao Diz

    Nós devemos examinar as escrituras e ver o que elas dizem para nao ficar dando a NOSSA PROPRIA OPNIAO, e ficar atuando como portadores da sabedoria fazendo o que é certo aos proprios olhos.

  14. Vara Diz

    Eu vi um video perguntando a umas jovens “cristãs” o que elas achavam do namoro e como encontrar um namorado e cada uma ficava dando a sua opniao e sua visão do mundo e falavam sempre “eu acho isso… eu acho aquilo…” Mas ao inves de ficarmos falando eu acho isso e eu acho aquilo e ficar dando a nossa visão de mundo ( que pode ser até uma visao mundana segundo o curso deste mundo efésios 2 ). Nós devemos examinar as escrituras e ver o que elas dizem para nao ficar dando a NOSSA PROPRIA OPNIAO, e ficar atuando como portadores da sabedoria fazendo o que é certo aos proprios olhos, bom seria nós ouvirmos os pastores, presbiteros, os homens que sao realmente homens de Deus maduro.

    Os hinos das harpas nem se comparam com os hinos atuais que são
    bastante carnais e olha que tenho 25 anos. Os que compuseram os hinos
    das harpas eram cristãos de verdade porem “os compositores atuais” eu creio que
    muitos ( nao todos ) são impios cantando e vao para o inferno , cantam apenas por
    dinheiro e fama. Os hinos atuais na maior parte sao cheios de
    emocionalismo ( o que nao tem nada de errado ) porem o problema é que se
    voce examinar as letras vai perceber que a maioria ( nao todas ) são
    infrutiferas, sem conteudo biblico, nao exalta a Jesus, nao da pra
    satisfazer a alma de alguem espiritual, voce ouve e fica seco, parece
    que Deus esta a quilometros de distancia e voce apenas esta se
    emocionando de forma vã. Tenho uma certa duvida se as pessoas que
    gostam de certos tipos de musica são nascidos denovo. Como Paul Washer
    disse uma vez : eu fui em uma congregação e as pessoas cantavam com
    força e emoção porem quando eu abrir a biblia e comecei a ensinar sobre
    Jesus eles se entendiaram.

  15. Diego Kairr Diz

    Eu vi um video perguntando a umas jovens "cristãs" o que elas achavam do namoro e como encontrar um namorado e cada uma ficava dando a sua opniao e sua visão do mundo e falavam sempre "eu acho isso… eu acho aquilo…" Mas ao inves de ficarmos falando eu acho isso e eu acho aquilo e ficar dando a nossa visão de mundo ( que pode ser até uma visao mundana segundo o curso deste mundo efésios 2 ). Nós devemos examinar as escrituras e ver o que elas dizem para nao ficar dando a NOSSA PROPRIA OPNIAO, e ficar atuando como portadores da sabedoria fazendo o que é certo aos proprios olhos, bom seria nós ouvirmos os pastores, presbiteros, os homens que sao realmente homens de Deus maduro.

    Os hinos das harpas nem se comparam com os hinos atuais que são
    bastante carnais e olha que tenho 25 anos. Os que compuseram os hinos
    das harpas eram cristãos de verdade porem "os compositores atuais" eu creio que
    muitos ( nao todos ) são impios cantando e vao para o inferno , cantam apenas por
    dinheiro e fama. Os hinos atuais na maior parte sao cheios de
    emocionalismo ( o que nao tem nada de errado ) porem o problema é que se
    voce examinar as letras vai perceber que a maioria ( nao todas ) são
    infrutiferas, sem conteudo biblico, nao exalta a Jesus, nao da pra
    satisfazer a alma de alguem espiritual, voce ouve e fica seco, parece
    que Deus esta a quilometros de distancia e voce apenas esta se
    emocionando de forma vã. Tenho uma certa duvida se as pessoas que
    gostam de certos tipos de musica são nascidos denovo. Como Paul Washer
    disse uma vez : eu fui em uma congregação e as pessoas cantavam com
    força e emoção porem quando eu abrir a biblia e comecei a ensinar sobre Jesus eles se entendiaram.

  16. Vara Diz

    Temos que entender que quando nós cantamos, nao estamos em um show de rock, hip hop, mas estamos na presença do Rei

  17. Silas Buscioli Martins Diz

    Concordo plenamente com Orlando Sales, até porque "Música" (com M maiúsculo) é sempre música, como um professor meu no passado disse "Música é a combinação harmoniosa dos sons de maneira agradável aos ouvidos de quem ouve"

  18. Edecarlos Teixeira da Silva Diz

    Gostei do que foi dito em um dos comentários: é necessário que haja equilíbrio. Me perdoem os mais antigos, mas é preciso renovar sim. Por outro lado, estou passando um pouquinho dos quarenta (rs) e começo a ter saudades das músicas mais antigas (não apenas do cantor cristão). Música boa não tem idade. E quando se trata de música cristã, o importante é que nos leve a adoração a Deus.

  19. Edecarlos Teixeira da Silva Diz

    ….e só para acrescentar….amo todos os estilos de música, inclusive alguns hinos do cantor cristão…..música boa e inspirada não tem idade e nem estilo…

  20. Ricardo Martins Diz

    Paz manos!
    Creio que não só o louvor, mas tudo que fazemos durante o culto de celebração, deve ser direcionado por Cristo e para Cristo. O que EU (jovem) gosto ou FULANO (idoso) gosta está fora de questão, o louvor é para o SENHOR. Ministrar louvores não se trata de escolher músicas, se trata de ouvir de Deus quais as musicas adequadas para cada culto. E outra coisa, cantar hinos a Deus é apenas uma pequena parcela do que é adoração de fato, o louvor pode estar em qualquer ritmo, o que vale é o coração adorador!

    É o que acredito, mas posso estar errado :D

  21. Tiago Souza Diz

    Gente, as vezes existe uma nostalgia exagerada com os hinos antigos, como se estes fossem compostos numa época em que não havia pecado no mundo.

    Não é só porque uma música está num hinário que ela é mais inspirada. Ela pode até ser mais intelectualizada, visto que foi composta numa época em que a razão era mais apreciada que a emoção. Existem por exemplo, alguns hinos que são dispensacionalistas, só que ninguém comenta sobre isso, por que estes hinos já viraram tradição da igreja.

    Existem músicas atuais com letras tão inspiradas quanto a de muitos hinos antigos, como as de Eduardo Mano, Rodolfo Abrantes, entre outros.

    Porém, muitas vezes são desprezadas porque dizem verdades de uma forma mais simples e direta, como é característica das músicas da época em que estamos vivendo.
    Gosto tanto de música atual quanto de hinos antigos, porém não acho que um é mais elevado que outro.

  22. Eduardo Leonne Diz

    Concordo. Existe um CD, Piano e Voz, Amigos e Pertences, de Paulo Cezar Baruk, que tem essa proposta. Juntar as canções antigas e suas letras profundas com uma roupagem mais nova. Ficou excelente.

  23. WALMYR HONORATO DE PAULA Diz

    Quem é o adorado? Quem é o único digno de louvor? quando estas perguntas forem respondidas por eles, aí eles darão a glória a quem é devida “DEUS”.

  24. Wesley Bruno Diz

    Esse artigo pode até retratar uma parte das igrejas, agora vá numa igreja como a minha, onde tudo que é novo é considerado ruim, e tudo que é antigo é considerado bom, e eu realmente não estou exagerando, eu sou jovem e gosto muito de hinos antigos, mas gosto também de músicas modernas, se a música é nova ou antiga pra mim realmente não importa, O importante é que que ela expresse de forma bíblica aquilo eu realmente sinto para com o meu Deus.

  25. Cleide Marques Moraes Diz

    Amei,meu querido.Que Deus te abençoe.

Comentários estão fechados.