Os Filhos Pródigos e a Disciplina da Igreja – Scotty Smith

Continuando nossa série de estudos sobre a parábola do Filho Pródigo, vejamos agora a questão da disciplina da igreja com Scotty Smith:

A providência reina, até mesmo sobre os pedidos editoriais. Quando me pediram para dar percepções pastorais sobre a disciplina da igreja, à luz da história do filho pródigo, mal sabia eu onde essa tarefa me levaria, tanto espiritualmente como emocionalmente.

Ouvir novamente o texto de Lucas 15 me fez sentir culpado, porém, ainda mais esperançoso. Sinto-me culpado porque, depois de pastorear a mesma igreja por 26 anos, gostaria de ter um caderno cheio de histórias sobre disciplina na igreja que refletissem a beleza plena do evangelho de Lucas 15.

Eu gostaria de poder contar-lhes sobre todos os cristãos arrependidos que, através de uma disciplina bem implementada na igreja, voltaram para casa com grandes festas organizadas por líderes humildes, cheios de graça, e que, depois disso, foram totalmente recebidos de volta à vida da nossa congregação. Embora eu tenha toneladas de ótimas histórias – histórias da graça sobre conversões e restaurações – eu não tenho muitas histórias sobre disciplina na igreja com as quais eu realmente me anime.

Todavia, meditar na história do filho pródigo também me deixou intrigado e cheio de esperança, especialmente por causa de novas igrejas e pastores que anseiam por uma abordagem da disciplina na igreja mais centrada no evangelho. Como podemos realizar a disciplina na igreja de uma forma diferente? O que precisamos para pôr em prática aquilo que nos permitirá ser uma extensão da mão e do coração corretivos do nosso Pai celestial, de tal forma que o evangelho conduza mais claramente todo o processo? Eis aqui cinco pontos que surgem da parábola do filho pródigo, os quais eu gostaria de salientar.

 

1. Crie uma cultura de liderança marcada pela perplexidade do evangelho, o arrependimento rejubilante e a oração coletiva. Em cada uma das três parábolas de Lucas 15, “aquele que encontra” (pastor, mulher, pai) o “perdido” (ovelha, moeda, filho) convida os outros para que venham e se alegrem. “Venham ser felizes comigo”. Bons líderes que nunca esquecem que foram “encontrados” em Cristo são melhor treinados para cuidar de outros santos-pecadores. Líderes que estão sendo humilhados, amansados e transformados pelo evangelho tendem a ficar menos chocados quando outros cristãos agem pecaminosamente, e estão mais dispostos a se relacionar com eles quando os mesmos pecam.

Leia o artigo completo

Dezembro2012Rev. Scotty Smith é o pastor fundador da Christ Community Church em Franklin, Tennessee, e é autor deEveryday Prayers: 365 Days to a Gospel-Centered Faith.

Por Scotty Smith. Extraído do site www.ligonier.org. © 2013 Ligonier Ministries. Original: The Prodigal Son(s) and Church Discipline

Este artigo faz parte da edição de Dezembro de 2012 da revista Tabletalk.

Tradução: Isabela Siqueira. Revisão: Renata do Espírito Santo – © Ministério Fiel. Todos os direitos reservados. Website: www.MinisterioFiel.com.br. Original: Os Filhos Pródigos e a Disciplina da Igreja – Scotty Smith

Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

Veja mais artigos desta revista

1 comentário
  1. Silneide da Silva Diz

    very good!

Comentários estão fechados.