Uma compreensão bíblica sobre humanidade

Neste artigo, Justin Holcomb nos leva a entender a ética humana através da visão bíblica:

A história humana é tragicamente cheia de exemplos de perseguição e opressão que surgem quando aqueles que estão no poder criam suas próprias definições da humanidade e dos direitos humanos, de modo a excluir e abusar de certos grupos de pessoas. A Bíblia é clara ao dizer que Deus deu a todos os seres humanos a dignidade, a humanidade e os direitos. A compreensão bíblica de humanidade fornece a base essencial para as decisões éticas sobre como tratar as outras pessoas.

A visão bíblica sobre a humanidade

A Bíblia começa com Deus, o soberano Criador de todas as coisas: “No princípio, criou Deus os céus e a terra” (Gênesis 1:1). Sua obra, tudo desde a luz na terra, às  criaturas viventes, é chamado de “bom”. No entanto, a humanidade, sendo a própria imagem de Deus, é a coroa da criação—“eis que era muito bom” (versículo 31). Neste sentido, Deus é revelado nos seres humanos de forma mais maravilhosa do que em qualquer outra criatura.

Em Gênesis 1:26, Deus disse: “Façamos o homem à nossa imagem”. No início, nosso Criador nos deu um título notável: “imagem de Deus”. Esta expressão revela a dignidade de todos os seres humanos, pois estabelece as pessoas como representantes do Rei do universo. De acordo com a imagem de Deus, aos seres humanos são dados a dignidade e o domínio especial, e eles são comissionados a cuidar da criação de Deus (versículos 28-30).

As consequências da visão bíblica sobre a humanidade

Como portadores da imagem de Deus, os seres humanos são imbuídos de uma dignidade e um valor maior do que os animais. Quando falou a Noé, após o dilúvio, Deus enfatizou que a vida humana deve ser muito valorizada, e que a violência contra qualquer ser humano deve ser rigorosamente punida (Gênesis 9:5-6).

Em Gênesis 1 e 2, vemos que o plano de Deus era que a terra fosse preenchida pelos portadores de sua imagem, os quais deviam glorificá-lo através da adoração e da obediência. Este estado de consciência, que desfruta da bênção intencionada de Deus e de seu governo sábio, é chamado “shalom”. Segundo escreve Cornelius Plantinga Jr.:

Na Bíblia, “shalom” significa florescimento, plenitude e deleite completo—um estado rico em que as necessidades naturais são supridas e os dons naturais aplicados proveitosamente… . “Shalom”, em outras palavras, é como as coisas deveriam ser (“The Way It’s Supposed to Be: A Breviary of Sin” [Como deveria ser: Uma síntese sobre o pecado], página 10).

“Shalom” significa a plenitude da paz, a visão de uma sociedade sem violência ou medo: “Estabelecerei paz na terra; deitar-vos-eis, e não haverá quem vos espante; farei cessar os animais nocivos da terra, e pela vossa terra não passará espada” (Levíticos 26:6). “Shalom” é uma espécie de bem-estar profundo e abrangente—bem-estar abundante—com suas conotações de paz, justiça e bem comum. Em resumo, os escritores bíblicos usam shalom para descrever o mundo de paz, segurança, justiça, ordem e plenitude universal que Deus planejou, no qual todos os seres humanos gozam de liberdade, segurança e paz.

As visões antibíblicas da humanidade

Gênesis 3 registra o terrível dia em que a humanidade caiu e o shalom foi violado. Adão e Eva quebraram seu relacionamento com Deus, rebelando-se contra o seu mandamento. Foi uma traição cósmica. Ao invés de confiar na boa e sábia palavra de Deus, eles confiaram nas palavras astutas e enganosas da Serpente. Em resposta, o Criador amaldiçoou a humanidade com o vazio e a morte. A imagem real de Deus caiu na extrema desonra que todos nós experimentamos.

Leia o artigo completo

2013_TBT_04_April_161x1000Justin Holcomb é bispo Episcopal (Ministro de Vocações na Diocese da Flórida Central) e ensina teologia, filosofia e pensamento cristão no Gordon Conwell Theological Seminary e no Reformed Theological Seminary. Anteriormente, ele lecionou na University of Virginia e na Emory University. Justin tem dois mestrados pelo Reformed Theological Seminary e doutorado pela Emory University

Por Justin Holcomb. Extraído do site www.ligonier.org. © 2013 Ligonier Ministries. Original: The Ethics of Personhood

Este artigo faz parte da edição de Abril de 2013 da revista Tabletalk.

Tradução: Isabela Siqueira. Revisão: Renata do Espírito Santo – © Ministério Fiel. Todos os direitos reservados. Website: www.MinisterioFiel.com.br. Original: Uma compreensão bíblica sobre humanidade

Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

Veja mais artigos desta revista

2 Comentários
  1. Euclides Netto Diz

    Maravilhoso texto. Um aprofundamento relevante sobre a justiça de Deus. Ela é soberana e deve ser instrumento para as leis e justiça dos homens. Graça e Paz!

  2. Silas De Oliveira Oliveira Diz

    Muito Bom texto.

Comentários estão fechados.