um site cristão por Cristo e pelo Evangelho

O primeiro trabalho de um pastor: cuidar de si mesmo

Pastores, por definição, são aqueles que cuidam de seus rebanhos, mas se não cuidarem de si mesmo, não poderão “pastorearem a igreja de Deus, que ele comprou com o seu próprio sangue” (At 20.28). Por isso, Paulo exorta: “Cuidem de vocês mesmos e de todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo os colocou como bispos” (At 20.28).

Em 1 Timóteo 4.16, Paulo lista duas coisas que um pastor deve vigiar sobre si mesmo: sua vida e seu ensino. Abaixo, você pode ler o comentário de João Calvino sobre o versículo. Não deixe de acessar a Biblioteca João Calvino, disponibilizado gratuitamente pelo Ministério Fiel, para ter acesos a estes e outros comentários do autor.

 

16. Tem cuidado de ti mesmo e do teu ensino. Um bom pastor deve ser criterioso acerca de duas coisas: ser diligente em seu ensino e conservar sua integridade pessoal.Não basta que ele amolde sua vida de acordo com o que é recomendável e tome cuidado para não dar mau exemplo, se não acrescentar à vida santa uma diligência contínua no ensino. E o ensino será de pouco valor se não houver uma correspondente retidão e santidade de vida. Por conseguinte, Paulo tem razões de sobra para intimar Timóteo a dar atenção tanto à sua pessoa em particular quanto à sua doutrinação para o proveito geral da Igreja. Uma vez mais, ele recomenda-lhe constância, para que jamais se prostre exausto, porque muitas coisas sucedem que podem desviar-nos da trajetória retilínea, se não estivermos solidamente firmados para suportá-las.

Porque, fazendo assim. O zelo dos pastores será profundamente solidificado quando forem informados de que tanto sua própria salvação quanto a de seu povo dependem de sua séria e solícita devoção ao seu ofício. Entretanto, visto que o ensino que contém sólida edificação geralmente não produz exibição bombástica, Paulo o adverte a preocupar- se com o que é proveitoso; como se quisesse dizer: “Os homens que buscam glória, então que se alimentem de sua própria ambição e se congratulem com sua própria engenhosidade; tu, porém, contenta-te em devotar-te exclusivamente à salvação de ti mesmo e de teu povo.”

Eis um conselho que se aplica bem a todo o corpo da Igreja, ou seja, que ninguém se enfade daquela simplicidade que vivifica as almas para a vida e as preserva robustas. Nem se deve causar estranheza que Paulo atribua a Timóteo a obra de salvar a Igreja, porquanto todos os que são conquistados para Deus são salvos, e é por meio da pregação do evangelho que somos unidos a Cristo. E assim, como a infidelidade ou negligência de um pastor é fatal à Igreja, também é justo que sua salvação seja atribuída à sua fidelidade e diligência. É deveras verdade que é unicamente Deus quem salva, e que nem mesmo uma ínfima porção de sua glória é transferida para os homens. Mas a glória de Deus não é de forma alguma ofuscada em usar Ele o labor humano para outorgar a salvação.

Por conseguinte, nossa salvação é dom de Deus, visto que ela emana exclusivamente dEle e é efetuada unicamente por seu poder, de modo que Ele é o seu único Autor. Mas esse fato não exclui o ministério humano, tampouco nega que tal ministério possa ser o meio de salvação, porquanto é desse ministério, segundo Paulo diz em outra parte, que depende o bem-estar da Igreja [Ef 4.11]. Esse ministério é por natureza inteiramente obra de Deus, pois é Deus quem modela os homens para que sejam bons pastores e os guia por intermédio de seu Espírito e abençoa seu trabalho para que o mesmo não venha ser infrutífero. Se um bom pastor é nesse sentido a salvação daqueles que o ouvem, que os maus e indiferentes saibam que sua ruína será atribuída aos que têm responsabilidade sobre eles. Pois assim como a salvação de seu rebanho é a coroa do pastor, assim também todos os que perecem serão requeridos das mãos dos pastores displicentes.

Diz-se que um pastor salva a si mesmo quando ele obedece sua vocação, cumprindo fielmente o ofício a ele confiado, não só porque assim evita o terrível juízo com o qual o Senhor ameaça pela boca de Ezequiel, “seu sangue o requererei de tuas mãos” [33.8], mas porque é costumeiro falar dos crentes como que conquistando sua salvação permanecendono curso de sua salvação.

Um bom comentário bíblico é uma ferramenta essencial na vida de um pregador da Palavra. Pensando nisso, o Ministério Fiel está disponibilizando diversos comentários de Calvino, tendo como alvo tornar toda a coleção acessível gratuitamente.

Acesse Gratuitamente  Ajude-nos a concretizar este sonho

Por: João Calvino; Original: “O primeiro trabalho de um pastor: cuidar de si mesmo“. Copyright © Voltemos ao Evangelho, website: www.VoltemosAoEvangelho.com.

Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

8 Comentários
  1. Madirson Pedrelli Diz

    Que benção estes princípios de uma vida pastoral.

  2. Madirson Pedrelli Diz

    Que benção estes princípios de uma vida pastoral.

  3. Elizeu Araujo Diz

    Parabéns a equipe fiel, pelo lindo trabalho em disponibilizar tão grande obra para para vida pastoral. Deus continue abençondo.

  4. Miquéias Santos Diz

    Gostei.!!!
    Muito Bom(y)

  5. Ivanilde Abreu Diz

    MUITO BOM

  6. Alexandre França Diz

    SEM COMENTÁRIOS! PURA VERDADE, INFELIZMENTE HOJE O QUE MAIS VEMOS SÃO HOMENS QUE SE INTITULAM PASTORES, SEM SEREM CHAMADOS E SEM NENHUM PREPARO.

  7. Marcelo Barbosa Diz

    A missão de Timóteo como pastor da igreja era de pôr em ordem as coisas, havia implicações na execução desse projeto: 1. Timóteo era uma jovem pastor; 2. A igreja vivia com dificuldades teológicas possivelmente devido ao ensino errôneo por parte de alguns; 3. Não era um obreiro " estabilizado" precisava mostrar que realmente era chamando por Deus; 4. Nos parece que também havia no jovem pastor uma relutância quanto a sua chamada. Portanto, o cuidado de Paulo em relação a Timóteo era que ele despertasse o dom que tinha recebido, se mostrasse um bom ministrador da Palavra " Na doutrina mostra incorrupção" e se torne um obreiro de confiança para o povo, apesar da pouca idade, " Sê exemplo dos fiéis". Acredito que os desafios enfrentados por Timóteo nem de longe os pseudos pastores da atualidade pensam em passar, infelizmente vemos a perpetração de falsos obreiros que enganam a igreja, são amantes de si mesmo e buscam unicamente o proveito próprio, engordam enquanto as ovelhas minguam, quem nos dera haverem mais Timóteos e mais Paulos no seio da igreja evangélica brasileira, para que tivéssemos uma igreja íntegra, saudável e que proporcionasse saúde as suas ovelhas. Pb Marcelo Barbosa – Abreu e Lima – PE.

  8. yoane mila Diz

    muito bom trabalho, que DEUS continua vos abençoar ricamente.

Comentários estão fechados.