um site cristão por Cristo e pelo Evangelho

Evangelismo sem apelo

Cinco anos atrás, eu preguei meu primeiro sermão como pastor da Mount Vernon Baptist Church. O ministro de música me abordou antes do culto com uma pergunta. Ele queria saber como eu faria o apelo.

Eu estava confuso. Antes daquela manhã de domingo, eu havia estado nessa igreja três vezes e nunca vi ninguém fazer apelo. Eu assumi que a igreja havia decidido há muito tempo abandonar a prática. Eu estava errado.

Na verdade, minha igreja tinha um costume histórico de fechar o culto com um apelo a vir ao altar para se unir à igreja, a entregar a vida novamente ao Senhor ou a fazer uma profissão de fé pública. Os três domingos que eu estive presente foram exceções à regra! De fato, muitos dos membros chegavam a entender que o apelo era o meio primário que a igreja usava para alcançar os perdidos. Eles viam o apelo como sinônimo de evangelismo.

Por que não fazer apelo?

Tenho certeza de que muitos que fazem apelo têm as melhores intenções. No início dos anos noventa, eu frequentei uma igreja cujo pastor terminava o culto convidando cada um na congregação a fechar os olhos e curvar as cabeças. Em seguida, ele convidava qualquer um que quisesse receber a Cristo a levantar a mão e olhar para o púlpito. Por cerca de trinta segundos o pastor observava o salão, notava as mãos levantadas e, com uma voz calma e tranquilizante, dizia: “Sim, irmão, eu vejo você. Muito bom, irmã. Amém”, etc. Creio que esse pastor queria o melhor para aqueles desejosos.

No entanto, estou convencido de que o apelo faz mais mal do que bem. A prática de conceder às pessoas imediata garantia de salvação — sem ter o trabalho de testar a credibilidade da profissão delas — parece, na melhor das hipóteses, insensata, e na pior, escandalosa. É insensata porque o pastor não é capaz de conhecer suficientemente a pessoa que ele está prestes a afirmar como cristã. É escandalosa porque substitui a porta estreita e apertada designada pelo nosso Salvador (Mc 8.34; Mt 7.14) por uma porta larga e espaçosa designada por nós. Com a melhor das intenções, aqueles que praticam o apelo deram a pessoas não salvas a falsa confiança de que elas realmente conhecem Jesus. [1]

Mas isso não é tudo. O apelo tem a tendência de colocar o foco da congregação no lugar errado. Após a Palavra ser pregada, tanto membros quanto visitantes devem examinar seus próprios corações. Todos devem dar séria atenção a como a mensagem o chama a responder. Contudo, o apelo, ironicamente, tende a produzir a resposta oposta. Em vez de autoexame, ele leva ao exame dos outros. As pessoas olham para os lados imaginando quem irá à frente. E se ninguém se move? Imagina-se que o pastor falhou? Ou pior, que Deus tirou o dia de folga?

Essas são apenas algumas razões pelas quais penso que é insensatez usar o apelo como evangelismo.

 Como evangelizar sem apelo

Como um pastor que rejeita o apelo deve pensar sobre evangelismo em um culto público? Em outras palavras, como um culto marcado pelo zelo evangelístico deve se parecer? Aqui vão sete respostas pelas quais me empenho ao máximo nos cultos que dirijo:

1. Seja diligente

Seja diligente. Embora não haja nada mais importante para um pregador do que a fidelidade à verdade do evangelho, a diligência deve vir logo após. Deus usa homens cujos corações são convencidos pela tragédia do pecado e a realidade da salvação. Até que a doutrina da maravilhosa graça de Deus tenha se estabelecido no sangue do pregador, ela nunca flamejará em seus lábios.

2. Seja claro a respeito do evangelho

Seja claro a respeito do evangelho. Toda passagem da escritura é um texto do evangelho. Em todo livro de Ester, o nome de Deus nunca é mencionado, e ainda assim sua obra está em cada página. Um pastor que quer ver pecadores salvos ensinará fielmente a Bíblia, mostrando à sua congregação como a pessoa e a obra de Cristo é o assunto de cada texto.

3. Chame as pessoas ao arrependimento e à fé

Chame as pessoas ao arrependimento e a crer. Existe um lugar em cada sermão em que o pastor deve convidar os pecadores a encontrar esperança em Cristo. Tão frequentemente ouço sermões que terminam com um chamado à mordomia, um chamado ao risco, um chamado à fidelidade — mas nem sequer uma vez um chamado a Cristo. O pregador deve cuidadosa e apaixonadamente instar seus ouvintes a arrepender-se e crer nas boas novas, a submeter suas vidas ao Cristo Rei.

4. Crie espaço para conversas de acompanhamento

Crie espaço para conversas de acompanhamento. Quando eu prego o evangelho durante meus sermões, quero que os incrédulos saibam que estou ansioso para falar mais da fé que acabo de compartilhar. Assim, me disponibilizo após o culto para conversar a respeito do evangelho e suas implicações.

Outros pastores com os quais tenho conversado convidam os desejosos a uma sala especial após o culto para orar ou conversar. Spurgeon disponibilizava duas tardes de terça-feira por mês para aconselhar desejosos e recém-convertidos. [2] Como quer que você decida fazer, dê oportunidades para as pessoas conversarem mais pessoalmente a respeito do que você acaba de pregar.

5. Ofereça estudos evangelísticos

Ofereça estudos evangelísticos. Eu frequentemente aviso aos desejosos que eles estão convidados a comparecer a um estudo curto e franco que explica as bases da fé cristã. O estudo que eu uso é o Christianity Explained, um estudo de seis semanas pelo Evangelho de Marcos publicado pela Good Book Company. Cheguei à conclusão de que essa é uma introdução inestimável ao evangelho. De fato, o treinamento em como liderar esse estudo se tornou uma classe de extrema importância em minha igreja.

6. Dê muita importância aos batismos

Dê muita importância aos batismos. É claro, batismos já são muito importantes. Nós devemos reconhecer que cada batismo é uma oportunidade de mostrar à congregação que Deus está operando ao edificar sua igreja.

Em nossa igreja, nós pedimos que cada candidato ao batismo compartilhe seu testemunho com a congregação. Eu nunca exigi isso, mas ninguém nunca disse não. Esses novos cristãos são ardentes para testificar da graça de Deus, e os desejosos são levados a questionar sua própria resposta ao evangelho.

7. Ore

Finalmente, ore. Na oração pastoral e até na oração final, eu regularmente oro para que os desejosos se arrependam e creiam no evangelho. Eu oro para que eles submetam suas vidas a Cristo, vencendo quaisquer obstáculos que veem no caminho. Eu oro para que Deus se faça conhecido por atrair para si pecadores hoje mesmo.

Como você pode observar, eu não faço apelo na igreja em que sirvo, mas eu apelo todo domingo que pecadores venham a Cristo. Que desejemos ver santos em nossas congregações encorajados pelo evangelho e desejosos convencidos de sua necessidade de se arrepender e crer nas boas novas de Deus.

Notas:

1. Para um tratado detalhado dos perigos do apelo, leia Erroll Hulse, The Great Invitation: Examining the Use of the Altar Call in Evangelism (Audoban Press, 2006) e D. Martyn Lloyd-Jones, Pregação e Pregadores (Editora Fiel, 1976), capítulo 14.

2. Arnold Dallimore, A New Biography (Banner of Truth, 1985), 80.

Por: Aaron Menikoff. © 9Marks. Website: 9marks.org. Traduzido com permissão. Fonte: Evangelism without an Altar Call.

Este artigo faz parte da versão de Novembro-Dezembro de 2013, do 9Marks Journal.

Original: Evangelismo sem apelo. © Voltemos ao Evangelho. Website: voltemosaoevangelho.com. Todos os direitos reservados. Tradução: Alan Cristie. Revisão: Renata do Espírito Santo.

43 Comentários
  1. Ana Matos Diz

    Ha alguns anos acompanho o site do VE e os textos são maravilhosos, muito edificantes. Entretanto, discordo da afirmação de que "A prática de conceder às pessoas imediata garantia de salvação" seja ruim. O indivíduo que vai à frente em resposta ao apelo pode até ter agido pelo calor do momento, emoção ou vários motivos, mas o apelo não é necessariamente o "culpado" pela não conversão. Discordo também quanto ao trecho que trata sobre a Igreja não avaliar a si. De fato, isto é muito provável de acontecer, mas não somente no apelo, bem como nos louvores, na Palavra e etc. O problema mesmo está na natureza pecaminosa, no coração duro, e em tudo isto o doce Espírito de Deus dá conta do recado.

  2. Gabriel Heinemann Diz

    É bem isso msm :)

  3. Gabriel Heinemann Diz

    É bem isso msm :)

  4. Wanda Guelli Diz

    Herança de Charle Finney!

  5. Júnior Oliveira Diz

    Eu também discordo, nada a ver!

    1) "…A prática de conceder às pessoas imediata garantia de salvação…"?

    Ninguém está dizendo que o apelo concede às pessoas imediata garantia de salvação.

    Não se trata apenas de aceitar a Cristo mas sim de caminhar com Ele após aceitá-lo.

    E o apelo não fecha a questão em simplesmente aceitar a Jesus sem crescer no conhecimento de Cristo.

    “Se, com a tua boca, confessares ao Senhor Jesus, e, em teu coração, creres que Deus O ressuscitou dos mortos, serás salvo. Visto que com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação” (Rm 10.9-10)

    Como que uma pessoa confessa ao Senhor Jesus com a Boca?

    Resposta: Dizendo…Eu quero o Senhor Jesus!

    Agora como que a pessoa vai dizer isso e fazer confissão para a salvação se não for convidada a aceitar a Cristo?

    2) "…substitui a porta estreita e apertada designada pelo nosso Salvador…"?

    Muito pelo contrário. A pessoa acaba de adentrar a porta estreita confessando a Jesus Cristo e agora está trilhando o caminho estreito.

    O apelo não refuta a existência do caminho estreito.
    O apelo não refuta o discipulado que haverá posteriormente.

    3) "…Imagina-se que o pastor falhou? Ou pior, que Deus tirou o dia de folga?…"

    Deus respeita o livre-arbítrio da pessoa. O fato de a pessoa não ter aceitado a Cristo naquele momento não exclui a ação do Espírito Santo que nos convence do Pecado, da Justiça e do Juízo.

    Mesmo Deus preparando todo o cenário, concedendo toda a condição para a pessoa aceitar a Cristo.
    Ele não irá forçar a barra. Mesmo assim, a pessoa tem o direito de aceitá-Lo ou não.

    O problema aqui é que o apelo foi interpretado de forma totalmente equivocada, como algo que restringe todo o evangelho em apenas aceitar a Cristo.

    O apelo é apenas introdutório, o primeiro passo do indivíduo rumo a salvação que ele almeja alcançar.
    Toda a grande caminhada começa com o primeiro passo. Se você não der o primeiro passo, como chegará ao fim da caminhada?

    Cortar o primeiro passo com essas suposições equivocadas é inibir o indivíduo de todo o resto. É inibir o indivíduo da salvação dele. Que viagem esse artigo!

  6. Camila Pires de Sá Diz

    Super Concordo, pq também muita das vezes algumas pessoas acabam indo pq outras ficam pressionando. Por exemplo, convidam alguém para aquele culto sabendo que aquela pessoa não é cristã ou está afastada do caminho de Deus e daí na hora do apelo falam tanto que as vzs a pessoa vai a frente por pressão e não por vontade propria. Fora que se naquela noite ngm levantar a mão quer dizer então que Deus não estava ali etc e tal. Portanto a mensagem deve ser alcançada ao coração.

  7. Eronildo Braz Diz

    Discordo plenamente..eu fui a frente por conta de um apelo..e agradeço porque alguém me levou lá na frente. PROSSIGAM OS APELOS!!!

  8. Eronildo Braz Diz

    Discordo plenamente..eu fui a frente por conta de um apelo..e agradeço porque alguém me levou lá na frente. PROSSIGAM OS APELOS!!!

  9. Marcos Sedecias Diz

    Não me recordo de ter lido algo tão sem fundamento na minha vida… Até estermesse a credibilidade que "Voltemos ao Evangelho"tem adquirido. Sugiro a leitura do livro "Ouse Pedir Uma Decisão" do Dr John Edmund Haggai – Founder & Chairman do Haggai Institute (da Z3 Editora). Um filho de missionários, hoje com mais de 90 anos de idade, cerca de 50 desses dedicados ao evangelismo sério na Africa, India e América do Sul. Leiamos o que gente desse quilate tem a dizer e não acadêmicos com mensagens "prêt-à-porter" que ficam escrevendo atrás das escrivaninhas. Pelo amor de Deus!….

  10. Marcos Sedecias Diz

    Não me recordo de ter lido algo tão sem fundamento na minha vida… Até estermesse a credibilidade que "Voltemos ao Evangelho"tem adquirido. Sugiro a leitura do livro "Ouse Pedir Uma Decisão" do Dr John Edmund Haggai – Founder & Chairman do Haggai Institute (da Z3 Editora). Um filho de missionários, hoje com mais de 90 anos de idade, cerca de 50 desses dedicados ao evangelismo sério na Africa, India e América do Sul. Leiamos o que gente desse quilate tem a dizer e não acadêmicos com mensagens "prêt-à-porter" que ficam escrevendo atrás das escrivaninhas. Pelo amor de Deus!….

  11. Marcos Sedecias Diz

    Não me recordo de ter lido algo tão sem fundamento na minha vida… Até estremece a credibilidade que "Voltemos ao Evangelho" tem adquirido. Sugiro a leitura do livro "Ouse Pedir Uma Decisão" do Dr. John Edmund Haggai – Founder & Chairman do Haggai Institute (da Z3 Editora). Um filho de missionários, hoje com mais de 90 anos de idade, cerca de 50 desses dedicados ao evangelismo sério na África, Índia e América do Sul. Leiamos o que gente desse quilate tem a dizer e não acadêmicos com mensagens "prêt-à-porter" que ficam escrevendo atrás das escrivaninhas. Pelo amor de Deus!…

  12. Marcos Sedecias Diz

    Não me recordo de ter lido algo tão sem fundamento na minha vida… Até estremece a credibilidade que "Voltemos ao Evangelho" tem adquirido. Sugiro a leitura do livro "Ouse Pedir Uma Decisão" do Dr. John Edmund Haggai – Founder & Chairman do Haggai Institute (da Z3 Editora). Um filho de missionários, hoje com mais de 90 anos de idade, cerca de 50 desses dedicados ao evangelismo sério na África, Índia e América do Sul. Leiamos o que gente desse quilate tem a dizer e não acadêmicos com mensagens "prêt-à-porter" que ficam escrevendo atrás das escrivaninhas. Pelo amor de Deus!…

  13. Fernanda Abreu Diz

    Então vocês estão mais preocupados com a opinião dos participantes do culto do que com quem está sedento por ter Cristo no coração ????
    Totalmente sem nexo o texto escrito !!!
    Acho que seria interessante reler e se necessário retirar o texto pra não criar a modinha Gospel!!!

    Aceitar a Jesus em público não é um ato de vergonha e sim um ato de coragem !!!!

  14. lucas feu Diz

    DISCORDO 1000% , EU VEJO O APELO COMO UMA FORMA DA PESSOA CONFESSAR A DEUS DIANTE DOS HOMENS.

    1. Vinícius Musselman Pimentel Diz

      Lucas, paz. :)

      Pode até ser. E se for só isso não há tanto problema, apesar da forma bíblica de se professar fé publicamente seja o batismo. Mas no pacote do apelo moderno vem outros acessórios como “pressão psicológica” e “garantia da salvação por levantar a mão”. Aqui residem os principais perigos.

      Por Cristo e pelo Evangelho (Mc 8.35), Vinícius.

  15. Eronildo Braz Diz

    Discordo plenamente..eu fui a frente por conta de um apelo..e agradeço porque alguém me levou lá na frente. PROSSIGAM OS APELOS!!!

  16. Eronildo Braz Diz

    Discordo plenamente..eu fui a frente por conta de um apelo..e agradeço porque alguém me levou lá na frente. PROSSIGAM OS APELOS!!!

  17. Timóteo Felipe Patrício Diz

    Faz-se apelo a quem deve analisar os fatos e tomar uma decisão por si mesmo. Não é isto o que acontece com aqueles que são convertidos. Estes são levados à fé pelo Espírito Santo, por meio do Evangelho; por meio dos verbos indicativos que declaram o que Deus faz por nós. Portanto o que se deve fazer é apenas pregar Lei e Evangelho. A obra é realizada por Deus, a seu tempo e modo.

  18. Filipe Ariston Diz

    exposição correta meu caro… as pessoas discordam porque estão acostumadas com a tradição de fazer o apelo no final do culto, porém, não conseguem utilizar um contra argumento com uma fundamentação bíblica com interpretação correta para este artigo… alguém ai pode me dizer se Pedro perguntou quantos queriam "aceitar" a Jesus em Atos 2? como se fossemos capaz de escolher Ele sem q Ele não nos escolhesse antes… e não precisa ser calvinista pra saber que isso é óbvio… alias eu sou pentecostal, mas me converti muito antes de ir a frente depois de um apelo!

  19. Filipe Ariston Diz

    ah lembrei…. uma vez levei um amigo pra igreja… ele tava ate gostando e tudo… mas teve um dia que depois do apelo vários jovens chegaram perto dele e começaram a constrange-lo a ir "aceitar a Jesus"… o constrangimento foi tanto que ele foi a frente… a final a igreja toda já tava olhando pra ele mesmo… pois é, ele foi mas nunca se converteu… e quando acabou o culto disse pra mim: nunca mais eu volto aqui… as pessoas praticamente me obrigaram a ir a frente!

  20. Pr. Doka Diz

    Temos que ser maduros para não pecar nos exageros. “Aceitei a Cristo através de um apelo, e pela graça de Deus estou firme. Não critico que faz apelo, desde que seja moderado, sem haver constrangimentos ou qualquer tipo de pressão. Sou pastor de uma igreja Batista, e as poucas vezes que fiz apêlo, alguns levantaram a mão e tudo, mas nenhuma dessas se firmaram. Por isso, penso que Deus em sua soberania usa meios diferentes, pra chamar pessoas, claro havendo pregação genuína do evangelho. Não acredito que fazer apelo seja tão nocivo. Charles Spurgean fazia apelos, e Deus abençoou seu ministério. Então, sejamos equilibrados em tudo.

    1. Vinícius Musselman Pimentel Diz

      Pr. Doka, paz. :)

      Spurgeon jamais fez apelos como os apelos modernos. Certamente, ele encorajava a pessoa a receber a Cristo, mas isso é diferente dos apelos modernos.

      Por Cristo e pelo Evangelho (Mc 8.35), Vinícius.

    2. Pr. Doka Diz

      Graça e paz Vinícios.
      Com toda certeza. O que fazem hoje é uma verdadeira aberração. De forma nenhuma igualei a maneira em que Spurgeon apelava aos hereges modernos. O que devemos buscar é a mesma maturidade e equilíbrio que Spurgeon alcançou. O que é possível em Cristo Jesus.

  21. Ramon Acevedo Diz

    Não se confessa Jesus uma vez só, mais sim todos os dias com seu viver. Isso é confessar, e não uma ida ao púlpito movido talvez por emoção, vergonha de ficar sozinho, ou por mero emocionalismo que é muito presente nos cultos onde a um ambiente muito propicio às emoções.

    Logo que se confessa Cristo todos os dias, não foi aquela vez que você foi ao púlpito que você passou a ser cristão, mais quando a convicção do pecado te mostrou e te mostra todos os dias que esse Senhor é a unica coisa que você tem. Confesse Cristo diante dos homens sempre. Tomando a sua cruz e seguindo, se as pessoas precisarem ver que você foi quando ouve o apelo para saberem q

  22. Ramon Acevedo Diz

    Confesse Cristo diante dos homens sempre. Tomando a sua cruz e seguindo, se as pessoas precisarem ver que você foi quando ouve o apelo para saberem q você é cristão, você ja negou a fé. Faça o apelo a eles conformarem sua vida ao senhorio de Cristo, e diga como serão salvos se verdadeiramente se arrependerem e crer em Cristo e o Espirito Santo ira confirmar nos seus corações se fazer parte do corpo de Cristo. Deus dirá a eles se sçao salvos e não nós.

    “Precisamos ouvir o evangelho todos os dias, porque esquecemos dele todos os dias”
    Lutero.

  23. Jessica Takemori Diz

    testar a credibilidade do trabalho delas?? conceder às pessoas imediata garantia de salvaçao? por favor meu caro, queira verdadeiramente conhecer a Cristo. Voce nao conhece Jesus Cristo. Entra na teu quarto fecha a tua porta que em secreto teu Pai que estas no ceus te ouve.. O evangelho é ter comunhao com Nosso Senhor Jesus, é ter intimidade. Frases feitas, versiculos citados, nao levaram ninguem a herdar o reino do ceu.

  24. Airton Carneiro Diz

    Ao que me parece as pessoas tem uma má interpretação do texto: Se me confessares diante dos homens eu o confessarei diante do meu pai que está nos céus.

  25. PrJose Aparecido da Silva Diz

    Tem ora que e melhor ficar calado

  26. PrJose Aparecido da Silva Diz

    Ana matos minha irmã concordo com voce estes camarada e brincadeira

  27. Eronildo Braz Diz

    Discordo plenamente..eu fui a frente por conta de um apelo..e agradeço porque alguém me levou lá na frente. PROSSIGAM OS APELOS!!!

  28. Eronildo Braz Diz

    Discordo plenamente..eu fui a frente por conta de um apelo..e agradeço porque alguém me levou lá na frente. PROSSIGAM OS APELOS!!!

  29. Eronildo Braz Diz

    Discordo plenamente..eu fui a frente por conta de um apelo..e agradeço porque alguém me levou lá na frente. PROSSIGAM OS APELOS!!!

  30. Eronildo Braz Diz

    Discordo plenamente..eu fui a frente por conta de um apelo..e agradeço porque alguém me levou lá na frente. PROSSIGAM OS APELOS!!!

  31. Vinícius Musselman Pimentel Diz

    júnior, olá. Considere o seguinte:

    A forma bíblica de se pronunciar a fé publicamente é o batismo. O apelo é uma prática moderna, mais ou menos do século passado. Logo, será que antes as pessoas não davam um passo inicial? Eram inibidas da salvação? Obviamente que não.

    Eu já vi muitos apelos, e sempre depois era dito "bem vindo à família de Deus". Como o pastor pode garantir isso com base em um simples levantar de mão? Há muitos "tristemunhos" de pessoas que só fizeram por causa da pressão ou por outros motivos.

    O problemas do apelo moderno são o seguinte:
    (a) pressão psicológica
    (b) afirmação da salvação da pessoa

    Sendo assim, é possível fazer um apelo de levantar as mãos ou ir à frente sem esses elementos. O que reduz a problemática. Mas ainda volto no meu primeiro ponto: a forma bíblica de se professar publicamente a fé é o batismo.

  32. Vinícius Musselman Pimentel Diz

    Marcos, Spurgeon nunca fez um apelo (da forma como é feita hoje em dia) – nem ninguém até 100 anos atrás. Ele era um grande evangelista. Caso o artigo completo (tem que clicar no botão para ler) tenha ficado confuso, sugiro a leitura do livro O Foco Evangélico de Charles Spurgeon: http://fiel.in/1bvyXnQ

  33. Vinícius Musselman Pimentel Diz

    Ana, o problema é quando a pessoa que faz o apelo dá ao outro a certeza de sua salvação baseado simplesmente em uma "decisão" e não nos frutos bíblicos. Já vi vários dizerem "bem vindo à família de Deus". Isso é afirmar que a pessoa foi salva. Então, acredito que a culpa é de ambos.

    Por Cristo e pelo Evangelho (Mc 8.35), Vinícius.

  34. Vinícius Musselman Pimentel Diz

    Fernanda, paz. :)

    A "modinha" na verdade é o apelo, que só começou uns 100 anos atrás. Nunca foi feito algo similar antes. A forma bíblica de se pronunciar a fé publicamente é o batismo.

    Por Cristo e pelo Evangelho (Mc 8.35), Vinícius.

  35. Eronildo Braz Diz

    Discordo plenamente..eu fui a frente por conta de um apelo..e agradeço porque alguém me levou lá na frente. PROSSIGAM OS APELOS!!!

  36. Júnior Oliveira Diz

    Meu irmão Vinícius,

    Referente ao assunto "apelo (a) pressão psicológica", o que dizer então sobre Cristo?

    Mateus 11:28 Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.

    Jesus errou em usar da formalidade chamada "apelo"?

    Agora vamos analisar em qual contexto Jesus efetuou o apelo:

    E aconteceu que, acabando Jesus de dar instruções aos seus doze discípulos, partiu dali a ensinar e a pregar nas cidades deles. Mateus 11:01

    "…Ensinar e pregar nas cidades deles…"

    Provavelmente, as pessoas que aceitaram a Cristo, através do apelo do próprio Cristo, estavam no meio de incrédulos, curiosos…de pessoas que já criam em Cristo e com certeza olhavam para os demais querendo que eles aceitassem a Cristo. Qual o problema nisso?

    É isso que fazemos quando evangelizamos, convidamos as pessoas à Cristo.

    Seria correto eu afirmar que essas pessoas aceitaram a Cristo por pressão psicológica?

    Dentro do seu ponto de vista, posso desdobrar o seguinte pensamento errôneo:
    O próprio Cristo então, exerceu pressão psicológica, para que as pessoas o aceitassem através do apelo.

    Sabemos que não se trata de pressão psicológica mas sim, do convencimento que o Espírito Santo de Deus nos traz revelando a nossa condição de pecador após a palavra ser lançada, ser semeada.

    Apelo significa chamamento, é um convite para que outros venham.

    …Eis que estou à porta e bato. O que Jesus Cristo quer dizer com isso mais uma vez?
    Me convide para entrar. E este convite > é um apelo > que é um chamamento. Simples!

    Outro Exemplo desse chamamento: O Profeta Isaías

    Ó VÓS, todos os que tendes sede, vinde às águas, e os que não tendes

    dinheiro, vinde, comprai, e comei; sim, vinde, comprai, sem dinheiro e

    sem preço, vinho e leite. Isaías 55:1

    O Profeta Isaías também errou porque usou da formalidade "apelo" convidando as pessoas à salvação de Deus?

    A formalidade "apelo" não é o problema. E temos sinais claros na Bíblia que o Próprio Cristo, o Profeta Isaías e muitos outros utilizaram dessa formalidade.

    (b) afirmação da salvação da pessoa.

    Vinícius, você adotou um ponto de vista extremo neste caso.

    O termo "bem vindo à família de Deus" se refere ao Corpo de Cristo de determinada Igreja da qual o novo convertido fará parte.

    Não é o mesmo que dizer "Você está salvo pra sempre". Este novo convertido será discipulado e aprenderá que o Reino dos Céus é conquistado por esforço e por perseverança até o fim.

  37. Eronildo Braz Diz

    Discordo plenamente..eu fui a frente por conta de um apelo..e agradeço porque alguém me levou lá na frente. PROSSIGAM OS APELOS!!!

  38. Vinícius Musselman Pimentel Diz

    Júnior Oliveira, creio que você tenha lido o artigo completo. O terceiro ponto lá é: "3. Chame as pessoas ao arrependimento e à fé". Perceba que não se está dizendo que o pregador não deve chamar as pessoas a crerem em Cristo. Não é esta a definição de apelo do artigo. A definição está em "Por que não fazer apelo?".

    Existe uma diferença grande entre um pregador dizer "creia em Cristo e arrependa-se dos seus pecados" e dizer "se você quer aceitar Jesus levante a mão" e depois continuar pressionando até alguém levantar ou os amigos olharem para aquela pessoa que trouxeram pressionando ela a ir lá para frente. Novamente, estamos falando de um "tipo" específico de apelo.

    Quanto ao "bem vindo à família de Deus" significa que a pessoa se tornou filha de Deus. Logo, é salva. Como você sabe se a pessoa foi salva? Como sabe se de fato é uma nova convertida? Por que ela tomou uma decisão? Tomou mesmo? Este é o problema.

  39. Júnior Oliveira Diz

    Vinícius Musselman Pimentel . Sim, eu li tudo.

    Fazer o apelo à Cristo "se você quer aceitar Jesus levante a mão" implica arrependimento e fé tão quanto você dizer "creia em Cristo e arrependa-se dos seus pecados". Não vejo diferença alguma.

    Quanto ao "bem vindo à família de Deus" você inquiriu o aspecto espiritual apenas.
    E eu te mostrei que também existe o significado físico(congregacional).

    Você não pode fechar a questão em apenas um significado porque não existe apenas um significado.

  40. Mauro sergio Soares Diz

    Lamentável o que se faz nessas igrejas hoje, concordo com o autor do site(Blog) sou evangelista faço apelos o tempo todo, não em um unico final de programa ou de lições, mas espero sempre a decisão do ouvinte sem pressões do tipo “vamos a hora é essa , se vc não aceitar vai para o INFERNO”… LAMENTÁVEL… Acredito que o maior apelo à alma humana vem do espirito Santo… acho que os homens de Deus modernos estão querendo fazer uma parte da Obra que não lhes cabem…. o milagre do novo nascimento por muitas vezes nem acontece, pq os pregadores não deixam acontecer e se apressam em dar a salvação as pessoas… é só vc pegar e fazer um teste dentre esses professos cristãos que levantaram as mãos e “aceitaram” a Jesus.. quase que a totalidade deles são incapazes de dizer exatamente o que significa a salvação ou o batismo ou o novo nascimento, ou seja nem sabem o que estão aceitando…… e a culpa não é deles. Paz!

Comentários estão fechados.