No Trabalho: Fidelidade Radical – Jamie Dunlop – Fiel Jovens 2016

Deus não precisa de nós. Ele pode fazer tudo o que poderíamos fazer de bem e fazer melhor. Então como qualquer coisa que façamos pode honrar o evangelho? Além disso, a mensagem do evangelho fala aquilo que Cristo fez em nosso favor. Tudo o que nós contribuímos é com nosso pecado. Então como qualquer coisa que façamos pode honrar o evangelho?

Como honramos o evangelho? Sendo fiéis diante das oportunidades que Deus nos dá. O que fazemos é importante, pois mostra aquilo que Cristo fez em nós. Nós somos mais como outdoors mostrando que Deus fez algo maravilhoso em nós, do que pequenas máquinas trabalhando para o Reino.

Em Mateus 25.14-30, lemos a parábola dos talentos. Muitos leem essa parábola de forma moralista: precisamos nos esforçar para agradar a Deus. Porém, essa leitura do texto entende justamente o contrário do que Jesus quis ensinar. Perceba que os dois primeiros servos ouviram as mesmas boas palavras.

Contudo, o terceiro servo foi enviado para o inferno pelo mestre. Por quê? Ele não devolveu o que recebeu? Por que a ação dele mereceu o inferno? Se entendermos isso, poderemos ver essa parábola com novos olhos.

A chave aqui é entender que as ações desse servo comunicavam algo sobre o mestre. Para o servo não faria diferença se o mestre voltasse ou não, pois ele ainda tinha o talento para devolver caso voltasse e ele estava trabalhando para seu próprio sucesso se não voltasse. Ele não investiu sua vida na obra do mestre, pois não acreditava que o mestre era confiável e generoso para cumprir suas promessas. Ao falar “sabendo que és homem severo”, o servo mostrou que não o conhecia  e suas ações mentiram sobre a excelência e fidelidade de seu senhor. Contraste isso com os dois primeiros servos. Eles apostaram tudo na promessa de seu mestre. E estavam certo.

Essa perspectiva revela que a parábola dos talentos é fundamentalmente sobre fé – fé no mestre. Como Cristo disse no Sermão do Monte: ninguém pode servir a dois mestres. Você não pode viver para si mesmo e viver para Deus, a fim de ir para o céu. O ânimo dobre do servo mostrava sua falta de fé. Tiago ensina que a fé demoníaca simplesmente acredita que Deus existe. Contudo, a fé salvífica confia que ele é uma recompensa maravilhosa. Os dois primeiros servos foram considerados fiéis por causa de sua obediência, mas a obediência não era um fim em si mesma – ela mostrava a bondade e fidelidade do mestre. Essa é a chave: fidelidade é importante pois mostra quem Deus é.

Então, como iremos honrar o evangelho? Sendo fiéis. O mestre confiou esses servos com talentos, e ele também nos confiou oportunidades – no trabalho, na igreja, com o dinheiro, em nossos relacionamentos. Se vivemos em obediência, apostando tudo em suas promessas, nossas vidas se tornam anúncios gigantes da sua bondade e glória. Nossas vidas mostram o trabalho do evangelho que ele realizou em nós.

Encerremos com três implicações dessa parábola de Jesus:

1. Deus é a ideia principal

Essa é a primeira ideia que precisamos ver nessa parábola. Essa parábola é sobre o mestre. A verdade mais importante no universo é que Deus é bom. Esse é o ponto da Criação. Mas será que vivemos assim? Até mesmo como cristãos, consumimos nossas vidas com nossos dramas pessoais, buscando alegria e sentido na vida. Nós ainda operarmos como se nós fôssemos o centro da história de Deus. Até como compartilhamos o evangelho pode acabar comunicando isso: “Deus te ama e tem um plano maravilhoso para tua vida”. Ou seja: você é o figurão; Deus está aqui para ajudar.

Examine sua vida com estas três perguntas:

1. Qual é o principal problema em sua vida que você quer que Jesus resolva? Se é falta de sentido e significado ou solidão ou vícios ou o inferno, então você está colocando a si mesmo no centro do universo. O real problema é a ofensa de nossos pecados diante de um Deus santo.

2. O que você teme em sua vida? Fracasso ou infidelidade. Temer ser um fracasso é estar focado em si mesmo – não viver todo o seu potencial. Infidelidade é focado em Deus – viver de uma maneira que não comunica quem ele é de forma verdadeira.

3. Quais são as ambições de sua vida? Iguais às do mundo? Um ótimo emprego, casamento feliz, bela casa, conta cheia?

Se iremos honrar o evangelho, precisamos enxergar nossas vidas como histórias sobre Deus.

2. Ele nos criou para refletir sua imagem

Se a história é sobre Deus, onde entramos? Como os servos, existimos para mostrar como nosso mestre é incrível. Deus criou os seres humanos para serem espelhos vivos, refletindo sua imagem e glória (Gn 1.27) e fazemos isso através dos nossos relacionamentos e dos nossos trabalhos (Gn 1.28). É por isso que Deus amaldiçoa nossos relacionamentos e trabalhos (Gn 3.17-18), para que não encontremos nossa satisfação nessas coisas, mas em Deus.

3. Nós refletimos a imagem de Deus quando o obedecemos em fé

Em uma palavra: fidelidade. Essa foi a palavra que Jesus uso: “servo bom e fiel”. Fidelidade é a arte de viver em obediência a Deus a fim de mostrar que ele é digno e glorioso. Algumas vezes, essa obediência será fácil, mas em outras, difícil. E nestes momentos precisamos confiar em Deus, independentemente dos nossos sentimentos.

Também precisamos aprender a sermos fiéis independentemente dos resultados. Em geral, há dois problemas em viver pelos resultados: (1) nós não sabemos o que é realmente valioso – nosso trabalho não é avaliar valor, mas sermos fiéis; (2) desapontamento, pois as coisas deste mundo estão passando.

Conclusão

Assim, como honrar o evangelho na igreja? Viver de forma fiel mostra a obra que Deus fez em você. Será que Deus realmente precisa de você para discipular, pregar, arrumar as cadeiras, ajudar com as crianças? Claro que não. Mas, nessa obra, você tem a oportunidade de mostrar o trabalho incrível que Deus fez em seu coração por meio do evangelho.

Como honrar o evangelho no trabalho? Viver de forma fiel mostra a obra que Deus fez em você. Seja honesto, trabalhe duro, ame os outros. Seria ótimo ganhar muito dinheiro e usá-lo para enviar missionários? Claro, mas os planos de Deus não são limitados por sua conta bancária. Seu dinheiro e seu trabalho são principalmente para mostrar como Deus é bom, não sobre as coisas boas que o dinheiro realiza.

Como honrar o evangelho em namoro? Faça do namoro uma oportunidade para o serviço, e não uma oportunidade para preencher suas próprias inseguranças. Obedeça a Deus em pureza absoluta, não por causa de um sentimento, mas porque deseja ser fiel. E, ao amar pela fé, se o relacionamento durar ou não, o poder do evangelho irá brilhar em sua vida.

E você sabe qual é a melhor notícia de todas? Jesus irá realizar isso! Ele derramou seu próprio sangue para redimi-lo. Desde antes do início dos tempos, ele o viu como um retrato redimido e magnífico do seu amor e misericórdia.

1 comentário
  1. Guilherme Diz

    Excelente texto, mas tem alguns erros de concordância… por favor, revisem :)

Comentários estão fechados.