Sabedoria para viver de modo digno do evangelho – Sillas Campos – Fiel Jovens 2016

Provérbios 30:24-28: “Há quatro coisas mui pequenas na terra que, porém, são mais sábias que os sábios: as formigas, povo sem força; todavia, no verão preparam a sua comida; os arganazes, povo não poderoso; contudo, fazem a sua casa nas rochas; os gafanhotos não têm rei; contudo, marcham todos em bandos; o geco, que se apanha com as mãos; contudo, está nos palácios dos reis.”

A sabedoria é caracterizada neste texto por quatro seres pequenos.

I. A formiga tem consciência do tempo em que vive

Provérbios 30:25: “As formigas, criaturas de pouca força, contudo, armazenam sua comida no verão”

Provérbios 30:5-6: “Cada palavra de Deus é comprovadamente pura; ele é um escudo para quem nele se refugia. Nada acrescente às palavras dele, do contrário, ele o repreenderá e mostrará que você é mentiroso.”

Romanos 15:4: “Pois tudo o que foi escrito no passado, foi escrito para nos ensinar, de forma que, por meio da perseverança e do bom ânimo procedentes das Escrituras, mantenhamos a nossa esperança.”

As formigas vivem no presente planejando para o futuro. Pare de viver só no passado: tome a mesma atitude que Paulo: “esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão” (Fp 3.13). Pare de viver só no futuro: almejando chegar a algum lugar sem nunca sair de onde está. Pare de viver só no presente: prepare-se para o dia ruim – você não viverá em um eterno verão.

Prepare-se jovem para enfrentar o inverno de uma sociedade gélida. Aproveite o momento para encher-se da Palavra de Deus. Jovem, você só manterá seu caminho puro se observar seus passos segundo a Escritura!

Evite futilidades! Cuidado com o tempo desperdiçado nas redes sociais.

II. Os coelhos sabem onde está sua segurança

Provérbios 30:26:   “Os coelhos, criaturas sem nenhum poder, contudo, habitam nos penhascos”

O coelho sabe que é frágil, contudo encontram sua segurança habitando nos penhascos. Da mesma forma, somos frágeis, mas nossa segurança está no Senhor. Longe do Senhor, de seu povo e dos meios da graça nos expomos ao perigo.

III. O gafanhoto reconhece a importância da comunidade

Provérbios 30:27: “Os gafanhotos, que não tem rei, contudo, avançam juntos em fileiras”

Com o gafanhoto podemos aprender a importância de andarmos juntos. Jovem, envolva-se na comunidade da fé. Não ande sozinho. Sirva fielmente em sua igreja. Não deixe de frequentar o culto.

IV. A lagartixa ilustra a incongruência da graça

Provérbios 30:28: “A lagartixa, que se pode apanhar com as mãos, contudo, encontra-se nos palácios dos reis.”

Nós, pecadores, mais desprezíveis que a lagartixa, somos convidados pela graça para vivermos no palácio do Rei Jesus.

Comentários estão fechados.