um site cristão por Cristo e pelo Evangelho

Você tem uma biografia cristã favorita?

O Refúgio Secreto

Eu vou te contar um pouco sobre o que esta leitura pode te oferecer. Este texto não é uma resenha do livro, mas apenas minha impressão da leitura.

Porque você deveria ler este livro? Porque ele fará de você uma pessoa (no mínimo) mais reflexiva quanto à sua vida cristã.

O Refúgio Secreto é a biografia de Corrie Ten Boom (1892-1983), uma holandesa cristã, cuja a família refugiava judeus em sua residência para escondê-los dos Nazistas que impiedosamente ocupavam a Europa.

A primeira vez que li O Refúgio Secreto eu era uma crente “fresca”, minha conversão era recente e eu conhecia muito pouco de teologia e de doutrina.

Durante a leitura eu sinceramente conversava com Deus: “Pai, é inacreditável que uma família tão fervorosa e autêntica em sua fé tenha passado por tantas provações!” 

Segue uma das primeiras cenas de tribulação da família:

“Ficamos uma hora a conversar e a saborear o chá, até que finalmente o zumbido dos aviões parou, e o céu ficou em silêncio. À porta do quarto de tia Jans, dei boa noite a Betsie, e subi para o meu quarto, tateando no escuro. A claridade tinha desaparecido.

Pus as mãos na cama; cá estava o travesseiro. Então, a minha mão tocou um objeto duro e cortante. Senti o sangue escorrer pelos dedos. Era um pedaço de metal de bordas irregulares: um estilhaço de bomba, de cerca de trinta centímetros de comprimento.

– Betsie!

Corri pela escada abaixo com oestilhaço na mão. Fomos para sala de jantar, e pusemos-nos a examiná-lo à luz da lâmpada, ao mesmo tempo em que Betsie me tratava o ferimento.

– No teu travesseiro… Murmurou ela várias vezes.

– Betsie, se eu não te tivesse ouvido na cozinha… Ela colocou um dedo sobre os meus lábios.

– Não diga nada Corrie. No reino de Deus não há ‘se’. E também não há lugar que seja mais seguro do que outro. O único lugar seguro é o centro da vontade de Deus. Corrie, vamos orar e pedir-lhe que possamos sempre saber qual é a sua vontade.”

Mas a vida da família Ten Boom vai cativar você com as refeições servidas à mesa onde sentavam os familiares, os novos amigos e quem mais chegasse. Esta história vai fazer você suspender sua respiração quando Corrie bondosa e ingenuamente começar a participar da resistência aos Nazistas.

Durante a invasão nazista, o refúgio secreto era o lugar mais próximo da dignidade humana que os judeus poderiam experimentar na pequena cidade de Haarlem.

Entre perdas, decepções amorosas, mortes, traições, eu percebia um mundo sutil de amor e cuidado de Deus permeando todo o drama da existência humana. Mas não podia ainda entender sobre a Queda e a Redenção. Era uma história de gente de carne e osso que lutava arduamente pela sobrevivência sem perder a ternura.

A história me transportou para a Europa ocupada por Nazistas, onde o medo, a fome e as injustiças ensanguentavam a história da humanidade.

No início deste ano de 2018 eu reli o livro. Desta vez com um pouco mais de maturidade cristã. A leitura passou a ter um foco mais divino do que humano. Eu pude perceber as sutilezas da Soberania de Deus nas mínimas providências que a família de Corrie recebeu das mãos de um Senhor misericordioso, justo e reto. Mas também encontrei um Deus que nos escandaliza com o poder da cruz de Cristo quando crava o perdão no coração de uma irmã que foi humilhada, perdeu seus amores para a morte e a injustiça e ainda assim perdoou, amou e ensinou que a vida de quem segue o Cristo ressurreto não nos pertence.

Esta leitura não é para ovelhas fracas. Esta narrativa vai arrancar dos escombros de sua alma todo o significado dos cravos que pregaram nosso Senhor na cruz. É um transporte do mundo das sombras para a maravilhosa luz do reino.

Esta leitura valerá cada minuto de sua dedicação.

Coragem, ovelha!

Por: Renata Gandolfo. © Voltemos ao Evangelho. Website: voltemosaoevangelho.com. Todos os direitos reservados. Original: Você tem uma biografia cristã favorita?

1 comentário
  1. Andreza Diz

    Como que faço para comorar esse livro ?

Comentários estão fechados.