O odor de nosso Senhor na Cruz

O sangue escorria quente pelo vão de seus dedos pregados no madeiro.
A dor. O ardor. O odor.
Uma certa surdez foi silenciando os ruídos do mundo para além do corpo ferido.
Calaram-se as vozes. Nenhum ruído.
Os olhos cobertos de sangue. A visão enevoada, acinzentada, fraca, apagou-se.
A ferida aberta ao lado; o sangue secando-se ao redor dela.
Seu corpo tingido de carmim. A alma esvaneceu-se.
O cheiro humilhado, ocre, úmido, escandaloso. O odor da morte do Senhor na cruz.
O mundo em penumbras.
Anoitecida a vida.

Qual é o seu cheiro?

Os perfumes deixam rastro. Evaporam-se no ar, perdem-se. Misturam-se com outros odores, camuflam-se. Algumas vezes são difusos, outras vezes, intensos. Despertam memórias sensoriais, são capazes de levar consolo e de renovar esperanças.

Ovelha, qual é a fragrância que você exala como sacrifício vivo ao Pai, Senhor do céu e da terra?

Cheiro do conhecimento de Deus

A nossa vida tem um bom perfume quando manifestamos o conhecimento de Cristo (2Co 2.14). No entanto, um vaso de barro cheio das coisas do mundo não pode exalar o bom perfume de Cristo. Por isso, saturadas da Palavra de Deus (Cl 3.16), cheias da verdade, somos o aroma, agradável a Deus, que manifesta aos homens a vida ou a morte (2Co 2.15-16).

Cheiro de pecados confessados

Somos aroma suave quando adoramos a Deus com sacrifícios de amor e, diante do trono bendito de nosso Senhor, queimamos nossos pecados confessando nossas culpas, então, sobe até ele o cheiro agradável de nossas ofertas (Lv 1.17).

Cheiro da morte

Algumas vezes cheiramos como mortos, mas não esmoreça, pois temos o Senhor da vida que não nos abandonará jamais e que tem poder para nos ressuscitar da morte (Jo 11.39), seja morte recente ou morte de muitos dias.

O cheiro das águas

Quando nossos afetos, torturados pela aridez da vida, secarem, tornando duro o nosso coração, podemos ser renovadas com o cheiro das águas; Jesus é o nosso rio de água viva (Jo 7.38).

Sem cheiro de nada

Ovelha, não podemos ser neutras, é impossível não termos cheiro nenhum, você é responsável pelo odor que exala. A boa notícia é que temos o evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo, por meio do qual podemos nos converter de nossos maus caminhos em todo o tempo, todos os dias.

Aroma suave

O último odor que nosso Senhor exalou de seu corpo morto de homem na cruz do calvário não foi o cheiro de sangue, suor e pó da terra.

O Cristo, Jesus, que se fez sacrifício por mim, por você e por muitos, exalou um aroma agradável ao Pai. Um aroma concreto, de cimento armado, aplacou a ira do Deus Todo-Poderoso, Justo Juiz de nossas almas. Uma muralha invisível de amor coberta de sangue inocente satisfez o Santo Deus.

O aroma suave da morte de Cristo é a oferta que subiu aos céus como sacrifício a Deus pelos pecados do mundo.

Ovelha, qual é a fragrância que você exala como sacrifício vivo ao Pai, Senhor do céu e da terra?

Por: Renata Gandolfo. © Voltemos ao Evangelho. Website: voltemosaoevangelho.com. Todos os direitos reservados. Original: O odor de nosso Senhor na Cruz.

Comentários estão fechados.