Natal: heresias cristológicas e outras mentiras sobre Jesus | VECast #37

“Porque muitos enganadores têm saído pelo mundo fora, os quais não confessam Jesus Cristo vindo em carne; assim é o enganador e o anticristo.” (2Jo 7)

No Natal, muitos falam sobre o nascimento de Jesus, mas será que entendemos corretamente quem nasceu naquela manjedoura? Para João, o apóstolo do amor, negar a encarnação de Cristo era algo seríssimo – algo próprio daquilo que traz engano e que se opõe a Cristo (o anticristo). Se amamos Jesus, devemos buscar conhecê-lo como ele realmente é. Por isso, neste VEcastVinicius Musselman Pimentel e Daniel Gardner conversam sobre as heresias cristológicas (erros doutrinários mortais sobre Jesus Cristo) especialmente relacionadas a encarnação e a dupla natureza de Cristo.

Inscreva-se para acompanhar o #VEcast

Cadastre-se acima para acompanhar o VEcast.

Aprenda mais

Quatro declarações devem ser compreendidas e afirmadas a fim de se obter uma imagem completamente bíblica da pessoa de Jesus Cristo:

  1. Jesus Cristo é plena e completamente divino.
  2. Jesus Cristo é plena e completamente humano.
  3. As naturezas divina e humana de Cristo são distintas.
  4. As naturezas divina e humana de Cristo estão completamente unidas em uma pessoa.

Veja mais na série A Pessoa de Cristo.

Credo da Calcedônia

“Fiéis aos santos Pais, todos nós, perfeitamente unânimes, ensinamos que se deve confessar

[uma só pessoa]

  • um só e mesmo Filho, nosso Senhor Jesus Cristo,

[duas naturezas plenas]

  • perfeito quanto à divindade, e perfeito quanto à humanidade;
  • verdadeiramente Deus e verdadeiramente homem, constando de alma racional e de corpo,
  • consubstancial com o Pai, segundo a divindade, e consubstancial a nós, segundo a humanidade;
    • em tudo semelhante a nós, excetuando o pecado;

[geração eterna e encarnação]

  • gerado segundo a divindade pelo Pai antes de todos os séculos, e nestes últimos dias, segundo a humanidade, por nós
  • e para nossa salvação, nascido da Virgem Maria, mãe de Deus [Teótoco];

[relacionamento entre as naturezas e a única pessoa de Jesus]

  • um e só mesmo Cristo, Filho, Senhor, Unigênito, que se deve confessar, em duas naturezas,
    • inconfundíveis,
    • imutáveis,
    • indivisíveis,
    • inseparáveis;
  • a distinção de naturezas de modo algum é anulada pela união,
    • antes é preservada a propriedade de cada natureza,
    • concorrendo para formar uma só pessoa e em uma subsistência;
  • não separado nem dividido em duas pessoas, mas um só e o mesmo Filho, o Unigênito, Verbo de Deus, o Senhor Jesus Cristo,

[bases para o ensino]

  • conforme os profetas desde o princípio acerca dele testemunharam, e o mesmo Senhor Jesus nos ensinou, e o Credo dos santos Pais nos transmitiu.”

Veja mais sobre O Credo de Calcedônia aqui.

Heresias Cristológicas

EBIONISMO

  • Quando: Século 1 DC
  • Quem: Ebion?
  • Heresia: JESUS = PLENAMENTE HUMANO, NÃO DIVINO – Jesus era um ser humano normal, que nasceu naturalmente (isto é, não por nascimento virginal). Ele não era divino, mas foi capacitado pelo Espírito de Deus
  • Argumento: Há apenas um Deus, que é distinto de seu Messias escolhido.

DOCETISMO

  • Quando: Séculos 1-2 DC
  • Quem: Desconhecido
  • Heresia: JESUS = DIVINO, NÃO HUMANO – Jesus apenas parecia ser humano em sua encarnação, sofrimento e morte.
  • Argumento: Deus não pode sofrer ou ser corrompido por carne humana e, portanto, o Jesus divino não poderia ser verdadeiramente humano.

ADOCIONISMO

  • Quando:  Século 2 DC
  • Quem: Teódoto de Bizâncio?
  • Heresia: JESUS = HUMANO, NÃO ETERNAMENTE DIVINO – Jesus nasceu humano, foi unido com o espírito de Deus em seu batismo, e adotado ao ser de Deus em sua ressurreição.
  • Argumento: Há apenas um Deus criador pré-existente. Portanto, para Jesus ser Deus, ele teve de se tornar divino.

MODALISMO

  • Quando: Século 2 DC
  • Quem: Desconhecido
  • Heresia: JESUS = MODO DIVINO, NÃO UM SER HUMANO – O Pai, o Filho e o Espírito não são três pessoas distintas, mas três modos ou aspectos do único Deus.
  • Argumento: Há apenas um Deus. Deus só pode ser três pessoas em aparência, não de fato.

APOLINARIANISMO

  • Quando: Século 4 DC
  • Quem: Apolinário de Laodiceia
  • Heresia: JESUS = DIVINO, MAS NÃO PLENAMENTE HUMANO – O espírito/alma humano de Jesus foi substituído pelo divino ‘logos’ (o Verbo) em sua encarnação.
  • Argumento: Jesus não podia pecar e então não podia ter um espírito humano, isto é, a fonte do pecado humano.

ARIANISMO

  • Quando: Século 4 DC
  • Quem: Ário
  • Heresia: JESUS = HUMANO, NÃO DIVINO – O ‘Logos’ (o Verbo) era ‘o primogênito’ da criação, tomando carne humana na encarnação. ‘Houve um tempo em que o Filho não existia.’
  • Argumento: O Criador divino e transcendente não pode compartilhar seu ser com outro. Portanto, Jesus deve ter sido criado.

MONOFISISMO

  • Quando: Século 4-5 DC
  • Quem: Eutiques
  • Heresia: JESUS = DIVINO, NÃO HUMANO – Jesus possuía apenas uma natureza: a divina. A natureza humana de Jesus foi virtualmente absorvida por sua divindade em sua encarnação, deixando apenas um ‘revestimento’ de humanidade.
  • Argumento: Jesus é incorruptível e então não poderia ser verdadeiramente humano.

NESTORIANISMO

  • Quando: Século 5 DC
  • Quem: Nestório
  • Heresia: JESUS = DIVINO E HUMANO (MAS SEPARADAMENTE) – As naturezas humana e divina de Jesus foram completamente separadas na encarnação. Maria era a ‘portadora do Cristo’, não a ‘portadora de Deus’.
  • Argumento: As naturezas humana e divina não podem ser misturadas.

Baixe o PDF do Infográfico

Download gratuito

Baixe o infográfico em PDF com a listagem das heresias, utilizando o formulário abaixo.

Por: Vinicius Musselman Pimentel e Daniel Gardner. © Voltemos ao Evangelho. Website: voltemosaoevangelho.com. Todos os direitos reservados. Original: Graça para os acomodados – VEcast #35

1 comentário
  1. Conselheiro Cristão Diz

    De fato infelizmente existem muitos falso profetas hoje! Por isso é preciso examinar as escrituras para não sermos enganados!
    Parabéns pelo artigo!

Comentários estão fechados.