um site cristão por Cristo e pelo Evangelho

Não despreze a armadura que Deus lhe deu

Eu não sei se você era criança no final dos anos 80 ou início dos anos 90, mas eu era. Como um músico que eu sempre amou música, incluindo rock em todas as suas formas, mas especialmente de punk e heavy metal. Durante os anos 80 e 90 a música Heavy metal estava em seu auge. E toda a idéia por trás do metal pesado era a guerra. Era tudo sobre a batalha. A linguagem de todas as bandas era sobre a guerra.

A banda Stryper me influenciou … “soldados sob comando.” Eu me considerava um soldado naquele momento. No colégio eu fui realmente discipulado através da música rock cristã. Meio assustador de pensar, mas foi o que Deus usou. Apesar do spandex, maquiagem e cabelo grande, estas bandas tinham uma mensagem que ressoou em mim. Era uma mensagem implacável; uma batalha entre a luz e as trevas, entre o bem e o mal, entre o certo e o errado. Eu vi o mundo nestes termos junto com eles.

Lembro-me de assistir o meu primeiro show de rock cristão quando eu tinha 14 anos e eu pensei que era a coisa mais legal do mundo. A banda Undercover pregava no fim e nos dizia que a vida era uma guerra.

Você quer que eu conte um segredo? É mesmo. A vida é dura e cruel para a maioria.  É uma guerra.

E assim, apesar dos excessos, a guerra espiritual sempre foi uma parte da linguagem da nossa geração, pelo menos naquela subcultura. Acreditávamos que enquanto havia um Deus muito real havia também um Satanás muito real. Que existem dois anjos e demônios. Que há forças, principados, poderes … há fortalezas que existem, e é nosso trabalho como crentes a se envolver na obra de Deus para combater esses maus espíritos.

Não foi muito tempo depois que nós começamos nossa própria banda de rock cristão, com uma mensagem semelhante. Nós éramos terríveis, mas tínhamos uma boa mensagem. Quando olho para trás eu sei que Deus pode usar qualquer pessoa para a sua glória. Apesar de nossa falta de talento, pregamos Cristo. Pregamos o céu e o inferno. E as pessoas vieram a Cristo nos nossos shows… Deus realmente pode usar qualquer coisa.

Mais ou menos no tempo que começamos o nosso próprio grupo de jovens cristão chamado “Soldados da Luz”.  Bem original, não é? Mas nós realmente  acreditávamos que Deus poderia nos usar para fazer diferença no reino espiritual e sobrenatural. E assim nosso grupo de jovens realizava vigílias de oração. Orávamos no campus da faculdade nas proximidades contra a imoralidade e pecado. Eu participei de passeatas contra o aborto. Nós vimos o fruto espiritual, apesar de a nossa abordagem extravagante.

O que eu aprendi a partir desse momento foi precioso. Deus deu-me uma profunda compreensão da realidade do mal, de poderes, principados, fortalezas. Embora, as vezes, tenhamos superestimado nosso papel e subestimado o papel de Deus, foi uma verdadeira experiência de aprendizagem.

Vamos pular para a frente 25 anos ou mais até 2015. O Heavy metal não está morto, mas ele está em coma, um nicho de mercado da música. Temas orientados para a batalha na música são difíceis de encontrar. A maioria de nós tiramos sarro de tudo o que saiu dos anos 80 e 90 e, especialmente, no que se refere à idéia de batalha. Hoje em dia, na igreja, muitas vezes zombam da linguagem que foi usado há 25 anos. Muitos de nós dizemos: “Que tolice usar toda essa terminologia de batalha. Jesus falou sobre amar as pessoas, amar os nossos vizinhos. Amá-los até que encontrem a Cristo. Não usar termos de julgamento. Como você pode se envolver com a cultura e o diálogo com armadura?”

O problema é que estar em uma batalha requer algum julgamento, não é? Ela exige armadura ou você vai ser destruído rapidamente.

Na igreja nestes dias, é bastante popular para demitir ou, pelo menos, minimizar a idéia da batalha estamos em … de guerra espiritual. Se nós falamos sobre a batalha, é menos sobre a batalha que pertence ao Senhor, e muito mais sobre a batalha ser nossa. Que ganharemos a batalha para se tornar a melhor pessoa que pudermos. Que vamos ganhar “a nossa vitória”, que vamos conseguir “o nosso destino.” Que o Senhor “nos” dará  algo. Tudo parece ser realmente sobre “nós” nos dias de hoje. A teologia da prosperidade se apoderou de muito do nosso entendimento de batalha espiritual, tornando-se, em grande parte, sobre nós e pouco sobre Deus. Temos muito a aprender. Temos que colocar nossa armadura de volta. Por muito tempo muitos de nós a temos desprezado.

10 Finalmente, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder. 11 Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que você possa ficar firme contra as ciladas do diabo. 12 Porque a nossa luta não é contra carne e sangue, mas contra os principados, contra as autoridades, contra os poderes deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes. 13 Portanto, coloquem toda a armadura de Deus, para que quando o dia do mal vier, você possa resistir, e depois de ter feito tudo, ficar firmes. (Efésios 6.10-13)

A verdade é que a batalha que estamos enfrentando é em grande parte travada de joelhos. Mas ainda assim é uma batalha. Não passemos por cima da realidade da batalha que está nos corações, mentes e almas de nossa geração. Não vamos desprezar a idéia de guerra para corrermos atrás de uma vida de conveniência e realização. Lembremo-nos de que não somos apenas filhos e embaixadores, mas também somos soldados. Soldados sob o comando do Rei.

Por: Jay Bauman. © Voltemos ao Evangelho. Website: voltemosaoevangelho.com. Todos os direitos reservados. Original: Não despreze a armadura que Deus lhe deu.

Comentários estão fechados.