um site cristão por Cristo e pelo Evangelho

O Salmo de Davi, o pastor

Quando lemos a Bíblia, encontramos Davi primeiramente como pastor. Ele era o mais novo de seus irmãos e não foi incluído no sacrifício especial organizado por Samuel. No entanto, era ele que Deus havia escolhido, o homem segundo o coração de Deus, e assim ele foi convocado do campo onde estava cuidando do rebanho para ser ungido rei. Deus o chamou para pastorear um rebanho diferente, seu povo de Israel (1Sm 16.1-13; 2Sm 5.2, Sl 78.70-71).

O pastorear é uma das ocupações mais antigas. Assim, não é de surpreender que o cuidado de um pastor e seu relacionamento com seu rebanho fosse uma metáfora comum, no antigo Oriente Próximo, para a liderança de pessoas, especialmente a realeza. Além disso, vários deuses das nações eram ocasionalmente mencionados como pastores. Na Bíblia, os líderes civis e religiosos são chamados de pastores, e as imagens estão ligadas à realeza (por exemplo, 1Rs 22.17), especialmente com Davi. Deus é chamado de pastor (por exemplo: Gn 48.15; Sl 23.1; 80.1), e elementos da vida de um pastor ocorrem várias vezes para descrever a atividade de Deus (por exemplo: Sl 31.3; Is 40.11; Mq 7.14).

Mesmo depois de deixar as pastagens Davi continuou, em sua vida, a desempenhar a função de pastor. Muito do que ele aprendeu conduzindo ovelhas ele aplicou como líder de homens. É famosa a forma como ele apelou para suas façanhas em guardar o rebanho, e em como ele dependia de Deus, para demonstrar sua capacidade de lutar contra Golias (1Sm 17. 34-37). As experiências de Davi como pastor também são vistas na forma de suas poesias, fornecendo imagens ricas para muitos de seus mais queridos salmos, incluindo o Salmo 23.

Davi conhecia o constante cuidado necessário para ser um bom pastor e o aplicou como uma rica metáfora para o constante cuidado de Deus por ele no Salmo 23.

Tentar imaginar a vida de Davi como pastor não é fácil para a maioria de nós, pois vivemos em um mundo urbano moderno. Pastorear no mundo antigo era, em muitos aspectos, mais simples do que nossas vidas ocupadas, já que grande parte do tempo consistia em observar os animais pastarem. Mas estava longe de ser rotineiro e desinteressante. Até hoje, cuidar de animais apresenta dificuldades únicas, principalmente com ovelhas mais carentes de cuidados, além dos desafios do clima. Podemos resumir a vida de um pastor como uma vida de cuidado constante.

Davi precisava fornecer comida e água para suas ovelhas – tarefa nada fácil para um pastor de Belém. A Bíblia descreve Canaã como uma boa terra, uma terra de bênçãos para o povo de Deus, mas não era demasiadamente exuberante. Além disso, as melhores terras, áreas que recebiam mais chuva, eram reservadas para a agricultura. Os pastores vagavam pelas colinas e vales em regiões mais remotas e muitas vezes escarpadas, com chuvas mais escassas. Havia tempos de abundância, mas quando pensamos em Davi como um pastor, não devemos imaginar prados verdes contínuos.

Para alimentar seus rebanhos, Davi precisava ser um bom guia, já que a vida de um pastor envolvia muita caminhada. A cada dia, o pastor levaria seu rebanho da segurança da aldeia para passear pelas colinas e vales, a fim de fornecer pasto suficiente para eles se alimentarem. Durante esta rotina diária, um bom pastor precisaria estar ciente das necessidades do rebanho como um todo e das necessidades de cada ovelha individualmente.

Em uma visita arqueológica à Jordânia, pude observar pastores beduínos e seus rebanhos. Todas as manhãs eles viajavam vários quilômetros enquanto procuravam pastos adequados. Eu sempre ficava surpreso com o fato deles poderem manter seus rebanhos juntos e no caminho certo, embora, como nos dias de Davi, não houvesse cercas para contê-los. Durante o dia, as ovelhas e cabras se espalhavam para pastar e descansar. Então os pastores reuniam seus rebanhos para fazer a viagem de volta à aldeia antes de escurecer, certificando-se de que cada um deles fosse contabilizado.

Davi também precisava ser um guardião de seu rebanho. Os pastores beduínos não enfrentam as mesmas ameaças dos animais selvagens que Davi enfrentava. Ainda há lobos e alguns leopardos em Israel, mas os leões e ursos que Davi conhecia desapareceram. Ovelhas e cabras são presas fáceis, e assim os pastores devem ser protetores vigilantes, às vezes colocando em risco suas próprias vidas. Mesmo que um pastor consiga expulsar esses predadores perigosos, o rebanho provavelmente se espalhará e precisará ser reunido, muitas vezes de vários cantos e recantos. Cães foram usados ​​para ajudar a proteger os rebanhos contra animais selvagens e são mencionados algumas vezes na Bíblia (Jó 30.1; Is 56.11), mas nunca como companheiros de Davi.

Todos esses elementos mostram quão estreita era a ligação entre um pastor e suas ovelhas. Ele era seu companheiro constante e precisaria conhecê-las individualmente e intimamente para cuidar adequadamente delas. As ovelhas aprendiam a confiar em seu pastor, seguir sua liderança e ouvir sua voz. Davi conhecia o constante cuidado necessário para ser um bom pastor e, portanto, empregou uma rica metáfora para o constante cuidado de Deus por ele no Salmo 23. Sabemos ainda mais plenamente o custo do constante cuidado de Deus por nós como visto em Jesus, que disse: “Eu sou o bom pastor. O bom pastor dá a vida pelas ovelhas” (Jo 10.11).

Por: Joshua J. Van Ee. © Ligonier Ministries. Website: ligonier.org. Traduzido com permissão. Fonte: The Psalm of David the Shepherd.

Original: O Salmo de Davi, o pastor. © Voltemos ao Evangelho. Website: voltemosaoevangelho.com. Todos os direitos reservados. Tradução: Paulo Reiss Junior. Revisão: Filipe Castelo Branco.

Comentários estão fechados.