Eva não morreu

Eva acorda conosco todos os dias.

Nós mal abrimos os olhos após uma noite de sono e Eva já se manifesta em nossos pensamentos. Como descendentes de Eva nos ocupamos com ela todos os dias. Desejamos seus prazeres, sentimos suas emoções carregadas de desafetos. Nossos pensamentos corrompidos pelo pecado estão conformados a mente de Eva e muitas vezes nem conseguimos perceber como somos miseráveis pecadoras, longe de termos a mente renovada, a mente de Cristo.

Eva não morre em nós porque nossa natureza carnal está mais bem alimentada do que o nosso espírito e, como eles brigam entre si[i], nossa natureza caída tem tido vantagem na maioria das disputas. Então, Eva dá um sorriso maroto, como quem diz “mais uma vez saí vencedora”.

No final do dia Eva ganha por nocaute.

Exaustas de tantas lutas queremos nos entregar a um sono restaurador e recomeçar no dia seguinte, quem sabe, com um novo estímulo, uma nova perspectiva.

Mas Eva acorda cedo e sai na nossa frente.

Em nós mesmas não há uma estratégia suficiente para vencermos o pecado de Eva que habita em nós.

Porque nem mesmo compreendo o meu próprio modo de agir, pois não faço o que prefiro, e sim o que detesto. Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem nenhum, pois o querer o bem está em mim; não, porém, o efetuá-lo. Porque não faço o bem que prefiro, mas o mal que não quero, esse faço. Mas, se eu faço o que não quero, já não sou eu quem o faz, e sim o pecado que habita em mim.
Romanos 7.15, 18-20

A roupa nova de Eva

Ovelha, Eva está entranhada em nossa natureza. Eva vai acordar conosco todos os dias até Jesus voltar e nos dar um corpo glorificado. Portanto, enquanto isso não acontece, a Eva que habita em nós tem que ser transformada em uma mulher da verdade.

A velha roupa de Eva tem que ser substituída. Assim, Eva terá que ser despida daquela cinta de folhas de figueira[ii] que ela preparou para si mesma num ato desesperado de auto justificação de seu pecado. Eva, olhando firmemente para o autor e consumador de nossa fé, Jesus, ganhou roupa nova. Uma vestimenta de pele feita por Deus[iii]. A pele do Cordeiro sem defeito e sem mácula preparada desde a eternidade por nosso Deus, justo e santo, para nos justificar.

Foi Deus quem nos justificou com as vestes celestiais. Nós mesmas somos incapazes de nos justificar diante de Deus. Não temos nada para oferecer a Deus, nada que seja suficiente para cobrir a vergonha e a culpa de nossos pecados. Eva só tem suas misérias para oferecer a Deus. É assim, humilhada, que Eva se achega ao trono da graça de Deus e ali recebe uma nova roupa, eterna, com tecido urdido nas entranhas da misericórdia do Pai e tingido pelo sangue do Cordeiro.

Mas não foi assim que aprendestes a Cristo, se é que, de fato, o tendes ouvido e nele fostes instruídos, segundo é a verdade em Jesus, no sentido de que, quanto ao trato passado, vos despojeis do velho homem, que se corrompe segundo as concupiscências do engano, e vos renoveis no espírito do vosso entendimento, e vos revistais do novo homem, criado segundo Deus, em justiça e retidão procedentes da verdade.
Efésios 4. 20-24

[i] Gálatas 5.17 Porque a carne milita contra o Espírito, e o Espírito, contra a carne, porque são opostos entre si; para que não façais o que, porventura, seja do vosso querer.

[ii] Gênesis 3.7 Abriram-se, então, os olhos de ambos; e, percebendo que estavam nus, coseram folhas de figueira e fizeram cintas para si.

[iii] Gênesis 3.21 Fez o Senhor Deus vestimenta de peles para Adão e sua mulher e os vestiu.

Por: Renata Gandolfo. © Voltemos ao Evangelho. Website: voltemosaoevangelho.com. Todos os direitos reservados. Original: Eva não morreu.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.