[PVE] O Dízimo é válido nos dias de hoje? (2)

Antes de ler esta postagem, sugiro que leia a primeira, caso não o tenha feito.

Questões secundárias
Quero começar ressaltando que esta discussão acerca do dízimo é secundária em questões de importância a nossa fé, pois como vimos o dízimo praticamente não aparece no Novo Testamento

Sendo assim temos duas ponderações:
1) Como o Piper diz, “toda má teologia fere o povo”; então, devemos buscar ser o mais bíblico possível, instruindo também nossos irmãos.
2) Algumas recomendações de Paulo quanto questões secundárias são pertinentes:

Mas vede que essa liberdade não seja de alguma maneira escândalo para os fracos. […] Por isso, se a comida escandalizar a meu irmão, nunca mais comerei carne, para que meu irmão não se escandalize. (1 Coríntios 8:9,13)

Um faz diferença entre dia e dia, mas outro julga iguais todos os dias. Cada um esteja inteiramente seguro em sua própria mente. (Romanos 14:5)

Ou seja, por um lado, ame seu irmão explicando a verdade para ele, por outro não escandalize-o.

Vários testemunhos de pessoas que deram dízimos e foram abençoadas por Deus.
Não queremos negar que Deus possa abençoar uma pessoa que na ignorância entrega seu dízimo com alegria. Nem que Deus possa abençoar alguém financeiramente, mas isto nunca é um fim em si mesmo. Nossas finanças nos foram dadas para que mostremos que elas não nos dominam e elas servem para a glória de Deus. Se assim não for toda riqueza é uma maldição. Cabe lembrar que o diabo também pode enriquecer alguém para que esta se afaste da fé.

Assim, a melhor recomendação neste quesito consiste na famosa frase de Lutero:

“Qualquer ensinamento que não se enquadre nas Escrituras deve ser rejeitado, mesmo que faça chover milagres todos os dias” (Martinho Lutero).

Invalidade da oferta da viúva
Um irmão comentou que o exemplo da oferta da viúva não seria válido tendo em vista que ainda se estava na Velha Aliança, pois Jesus não havia morrido e que assim foi um exemplo contraditório. Obviamente não foi da intenção do autor dizer que a viúva já fazia parte da igreja primitiva. Mas como a atitude dela foi elogiada por Jesus, ela serve como um modelo para a contribuição da igreja, o que de fato foi seguido pela igreja primitiva, como vemos em Atos e em 2ª Coríntios.

Sem o dizimo, a obra de Deus não vai ter sustento
Isto talvez em alguns lugares seja verdade e o motivo disso ser verdade é porque as pessoas não estavam dizimando com alegria para sustentar a obra de Deus, mas por pura religiosidade; e este tipo de oferta não é agradável a Deus. Tomemos também em consideração o exemplo do Novo Testamento, onde terrenos inteiros eram vendidos e depositados aos pés dos apóstolos para sustento dos pobres (sustento dos pobres não é o mesmo que comprar um jatinho particular, só para deixar claro). Assim, não, não seria melhor aproveitar uma lei boa do Antigo Testamento que é o dizimo para incentivar os irmãos a ofertarem. Porque o que é feito muitas vezes não é incentivo, mas coerção e, bem sabemos, que Deus ama aqueles que dão com alegria.

O dízimo está acima da Lei? [Abraão e Melquisedeque]
Alguns questionaram que como Abraão deu a Melquisedeque o dízimo antes da Lei que assim o dízimo estaria acima da Lei, usando também Hebreus 7 para justificar isso. Segue um excerto do excelente texto de Túlio Cesar Costa Leite, O Dízimo. Sugiro ainda a leitura do texto na íntegra.

Existe uma passagem em Gênesis 14.20 – E de tudo lhe deu Abrão o dízimo – que é usada para defender a prática do dízimo como supra-legal, ou seja, acima da lei. Eis o argumento: Abrão deu o dízimo a Melquisedeque, rei de Salém, antes da Lei ser estabelecida. Logo o dízimo é antes da Lei. Portanto o dízimo perdura após o fim da Lei.

Tomemos outra passagem para testar a validade da argumentação acima – Gn 17.10: Esta é a minha aliança, que guardareis entre mim e vós e a tua descendência: todo macho entre vós será circuncidado. Em Gn 17.23-27 vemos Abraão circuncidando-se a si, a Ismael, e a todos os homens de sua casa. Argumentemos: Abrão circuncidou-se antes da Lei ser estabelecida. Logo a circuncisão é antes da Lei. Portanto a circuncisão perdura após o fim da Lei.

Temos, assim, verificado que se este argumento é procedente para validar o dízimo, é da mesma forma procedente para justificar a prática da circuncisão.

Uma preciosa norma de interpretação afirma que um texto descritivo pode ilustrar uma doutrina, porém não pode ser base de doutrina. Porém é freqüente cair neste erro. […] Portanto, se é correto que não se pode basear doutrina sobre texto descritivo, […] Gn 14.20 ficam invalidados para se justificar a prática atual do do dízimo.

Caso você tenha ainda alguma dúvida, ficaremos felizes em responder. Pergunte ao VE.

Por Vinícius Musselman Pimentel. © Voltemos Ao Evangelho. Website: VoltemosAoEvangelho.com
Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que adicione as informações supracitadas, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

151 Comentários
  1. Gaby Branda Diz

    então como eu faço? no primeiro texto, vocês explicaram que tudo é de Deus. então entrego tudo o que eu ganho à igreja? ou paro de dar o dízimo e passo a ofertar o que Deus colocar no meu coração? qual seria o procedimento correto?

    1. Ricardo Diz

      sim, tudo é de Deus, se vc entregar tudo a igreja entao vc trata a igreja como seu Deus, nao deixe isso acontecer, Deus é Deus e a igreja é a igreja.
      Entao de TODO seu dinheiro a Deus, por exemplo: faça uma janta maravilhosa pra sua familia, ou para os seus amigos e fique conversando anoite toda, vc acabou de dar seu dinheiro pra Deus…se vc gastar com prostitutas nao preciso falar pra quem vc deu o dinheiro aihsIUHAIUhiusa brincadeira xD (ou não)
      mas deu pra entenderr mais ou menos neh

    2. Samuel Wescley Diz

      Ao que me parece, a igreja primitiva vendia suas propriedades e alguns davam tudo para a igreja, o que não torna invalido vc querer fazer uma oferta total de seu provento ou recurso. Não creio que a Palavra considere isto “tornar a igreja o seu Deus” pois desta forma estaríamos dizendo que todo o nosso louvor a Deus é recurso financeiro. Desta forma não invalido a doação total se é feita de coração, pois sabemos que aqueles recursos abençoarão outros.
      Em contrapartida sempre tomei como base as palavras de Jesus, que por ser Deus tem autoridade inquestionável em suas palavras: Mateus 23.23 – Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Que dizimais a hortelã, o endro e o cominho, e desprezais o mais importante da lei, o Juízo, a misericórdia e a fé; deveis porém, fazer estas coisas e não omitir aquelas. fica claro a orientação do dízimo a meu ver.

    3. Daniel Diz

      Também concordo com esta orientação do dízimo, não dar o dízimo com o argumento de “ajudar” os pobres é semelhante as “boas intenções” de Judas ao se escandalizar com o unguento caríssimo derramado sobre a cabeça de Jesus.

    4. Hugo Diz

      Concordo contigo, Samuel!

      Não vejo no Novo Testamento nenhuma manifestação contrária a prática de dizimar. Então, quem diz que tal prática foi abolida está falando por conta e não com embasamento bíblico.

      Então queridos, muito cuidado, pois Malaquias 3:8 afirma que a retenção do dízimo e das ofertas é roubo!

      Vejo uma certa dificuldade no entendimento do que foi e do que não foi abolido após a morte de Cristo.

      Uma das finalidades do dízimo é o sustento daqueles que se envolvem em tempo integral com a obra de Deus. Era o caso dos levitas no período veterotestamentário. E hoje, não há pessoas que também dedicam tempo integral a obra? Claro que sim!

    5. Vini Diz

      Todo embasamento teológico foi dado no texto. Mas deixe-me fazer uma pergunta:

      Onde você encontra no Novo Testamento algo dizendo que aqueles que se dedicam integralmente ao ministério correspondem aos levitas do Velho Testamento e portanto devem receber o dízimo?

      O Novo Testamento deixa bem claro que aqueles que trabalhavam integralmente eram sustentados por ofertas. Não há nenhuma referência de sustento pelo dízimo.

      Outra pergunta seria: você vai dar o dízimo em mantimentos como era dado no Velho Testamento também ou irá inventar o dízimo em dinheiro?

      Por fim, ouso dizer mais: Todo aquele que não entrega 100% ao Senhor e se enxerga como mordomo da graça divina está roubando a Deus.

    6. Hugo Diz

      O apóstolo Paulo apoiava sua doutrina de manutenção do ministério em outro sistema fora do dízimo?

      Não! A defesa de Paulo, para remuneração dos ministros do evangelho, tem sua base argumentativa no AT, que se refere às entradas de dízimos e ofertas especiais que mantinham os sacerdotes (1 Co 9:6-14). Segundo o apóstolo Paulo:
      1. Havia outros apóstolos que não trabalhavam secularmente como ele (v. 6)
      2. Pagar ministros era uma prescrição da lei (v. 8 e 9) e esta se cumpria pelo sistema do dízimo (Nm 18:24-28)
      3. 1 Co 9:13 é uma referência direta ao dízimo, pois baseia seu apelo para o pagamento de ministros da igreja no direito dos sacerdotes aarônicos, que recebiam parte das ofertas do altar e do dízimo, e no direito dos sacerdotes levitas que tinham seu sustento também garantido pelo dízimo, a principal de suas entradas. Afinal, eram os sacerdotes e levitas os únicos que se podiam achegar ao altar e prestar o serviço sagrado no templo e por isso tinham direito ao dízimo (Nm 18:20-26)
      4. Essa parte, devida aos sacerdotes, é um direito que outros apóstolos já estavam fazendo uso (1 Co 9:10 e 12)
      5. O mesmo sistema deve ser usado para os ministros do evangelho (v. 14)
      6. Um direito do qual Paulo abriu mão (1 Co 9:12, 15) entre os coríntios (2 Co 11:7) por causa da contestação do seu apostolado (2 Co 11:5, 6) e para não dar ocasião aos falsos apóstolos (2 Co 11:8-13). No entanto, usou desse direito aceitando salário de outras igrejas (2 Co 11:8)
      7. Esse é um direito tão natural, segundo Paulo, como de alguém que planta uma vinha (1 Co 9:7; Dt 20:6) e dela cuida (Pv 27:18) e por isso merece comer do seu fruto
      8. Além disso, pagar os ministros é justo, especialmente aos que servem na pregação e no ensino (1 Tm 5:17-18)
      9. Deve ser feito de tal maneira que não desperte ganância (1 Pe 5:2)

      Quanto à mordomia, TUDO pertence a Deus (Sl 24:1). O papel do mordomo é administrar aquilo que Deus coloca sob sua guarda.
      O dízimo é uma oferta cujo percentual é estabelecido por Deus e as demais ofertas, Deus deixa para que o ofertante estipule o percentual.

    7. Vini Diz

      Hugo,

      Não discordo do sustento daqueles que se dedicam à obra integralmente. Contudo, mostre uma passagem onde isto é feito através do dízimo no NT? Não há! Há ofertas voluntárias.

      E essa é justamente a questão.

      É nisso que seu ponto 5 falha. Paulo usa o princípio de quem vive em prol Evangelho deve viver do Evangelho, assim como os levitas eram sustentados para realizar a obra, mas em nenhum momento ele fala que deve ser o mesmo sistema.

      E se é o mesmo sistema, então não dê dinheiro, dê produtos agropecuários, que era o que se dava como dízimo. Nunca dinheiro.

      E Paulo recolhia dinheiro.

      Paz

    8. Hugo Diz

      Pois é, e também não fala que deve ser um sistema diferente. Ele faz alusão ao mesmo sistema que sempre foi utilizado (dízimo e ofertas).
      Portanto, qualquer outro sistema não é bíblico pois no NT não se institui nenhum novo sistema.

    9. Hugo Diz

      O fato de não haver citações sobre dízimo no NT não significa que este foi abolido.

      Eu vejo, pelo menos, um grande risco pois Malaquias afirma categoricamente que retenção de dízimo constitui-se em roubo. Se este continua valendo, muitos serão achados roubando a Deus.

      Quanto a sua pergunta sobre dizimar produtos agrícolas, animais ou dinheiro, é indiferente. Se vc é agricultor e colhe 1 tonelada de soja, 100 kg devem ser dizimados. Vc vende a soja e entrega em dinheiro. Se houver necessidade/utilidade/viabilidade vc entrega a soja. Se vc tem salário então, logicamente, entregará 10% do teu salário (estou falando de dízimo, OK). Lembrando sempre que tudo pertence ao Senhor e nós somos Seus mordomos e devemos administrar os bens que são colocados sob nosso cuidado, seja dinheiro, propriedades, etc etc etc…. para a honra e glória do Verdadeiro Proprietário!

    10. Vini Diz

      Hugo,

      Você está sendo contraditório.

      Primeiro você fala que deve ser o mesmo sistema e depois fala que é indiferente a natureza do modelo?

      O modelo do dízimo era dízimo de coisas agropecuários e se você quiser ser consistente, então assim deve permanecer o sistema.

      Agora, se você não acha que a lei cerimonial foi abolida em Cristo que a cumpriu, então me pergunto se você ascende incenso.

    11. Hugo Diz

      Vini,

      Não sei onde vc está vendo contradição. Dízimo é um percentual de alguma coisa. Se é de dinheiro ou cereais ou animais que diferença faz?
      – Abraão deu o dízimo de todo o despojo (Gn 14:20; Hb 7:2-4)
      – Dízimo do gado (Lv 27:32)
      – Jacó disse “de tudo quanto me deres, certamente Te darei o dízimo” (Gn 28:22)

      Eu disse que é exatamente o mesmo modelo: 10% de tudo aquilo que recebemos (seja gado, seja alimento, seja dinheiro). Faça como Jacó: de tudo quanto me deres, certamente Te darei o dízimo!

      Eu não acho que a lei cerimonial foi abolida em Cristo… eu tenho CERTEZA que ela foi abolida!

      E também tenho certeza de que o dízimo é anterior à lei cerimonial e independente do sacerdócio levítico.

    12. Vini Diz

      Hugo,

      Novamente, o dízimo de sustento dos levitas era somente de produtos agropecuários e fazia parte da lei de sustento dos levitas, cujo sacerdócio foi abolido em Cristo. O que ficou do “sustemo dos levitas pelo dízimo” foi o princípio de “aquele que vive pelo Evangelho deve viver do Evangelho”, pois é isto que Paulo defende no texto que você citou. Paulo não defende o sustento “através do dízimo”. Tanto que o primeiro exemplo da lei que ele usa é de um boi, que certamente não comia o dízimo da terra (rs).

      Se você afirma que ficou algo além do princípio de sustento, como a forma que o sustento se dá, você teria que provar e seria bom exemplificar também. Mas não há nenhuma prova ou exemplo de sustento dos apóstolos pelo dízimo. Por ofertas

      Ademais, se você crê que a lei cerimonial foi abolida me mostre onde o dízimo é colocado como lei moral. Se você citar Abraão terá que provar que Abraão fez aquilo por mandamento e não voluntariamente. (e recomendo que você leia o artigo acima que mostra como usar o exemplo de Abraão como argumento não é um bom argumento).

      Agora, se alguém propôs em seu coração dar 10% a Deus de tudo que ganhou, nada tenho contra isso.

    13. Hugo Diz

      Vini,

      O que eu vejo é o seguinte:
      – Paulo faz alusão ao sistema de dízimos e ofertas
      – Não existe nenhum texto dizendo que tal sistema tenha se tornado obsoleto
      – Não existe a implementação de um novo sistema
      – O único sistema estabelecido por Deus é o do dízimo e ofertas
      – É Deus quem estebelece como deve ser e não o homem

      Continuarei a fazer conforme estabelecido por Deus (assim entendo). Não faço por obrigação; não faço por medo; não faço por barganha; faço com alegria, por amor a obra de Deus, pelo avanço desta obra, feliz porque entendo que foi assim que Deus estabeleceu: dízimos e ofertas! O dízimo e as ofertas que entrego aqui na igreja local, contribuem para o avanço da obra em todo mundo promovendo a pregação do evangelho a cada nação, tribo, língua e povo! Louvado seja Deus!

    14. Vini Diz

      Hugo,

      Você não respondeu minhas perguntas. Mas tudo bem, você dizima e oferta para a glória de Deus e eu oferto para a glória de Deus,então creio que Romanos 14 encaixa bem aqui:
      Cada um esteja inteiramente seguro em sua própria mente.

      Mas deixarei como eu vejo:
      – Paulo defendendo o sustento dos ministros do Evangelho faz alusão aos sustento de bois e dos levitas. Logo, o que une os dois exemplos não é o dízimo, mas o sustento. Não é a forma como esse sustento se dá, mas o princípio.
      – O dízimo segundo era dado para os levitas fazia parte da lei cerimonial que foi abolida com um novo sacerdócio, segundo Hebreus.
      – Existe a implementação de ofertas voluntárias. E é o que vemos por todo novo testamento. Não há nenhuma referência de dízimo como forma de contribuição ou para o sustento ministerial ou para ajuda dos santos.
      – Sim, Deus estabeleceu o dízimo na lei cerimonial. Assim como outros mandamentos que foram cumpridos em Cristo. E Deus estabeleceu as ofertas.
      – As ofertas permanecem e são mostradas como tal por todo novo testamento.

      Mas se você está glorificando a Deus, sem julgar ou desprezar seu irmão que não dizima, então Cada um esteja inteiramente seguro em sua própria mente.

    15. Sanlopes Diz

      POIS E SAMUEL SE VOCE ORAR E PERGUNTAR AO SENHOR.É ESSA PASSAGEM QUE VOCE CITOU QUE ELE TE DARA.JUNTAMENTE COM LUC11;42.

  2. Ander¢layton Diz

    Também luto contra a falsa teologia do dízimo, não sou contra o sustento das "instituições" evangélicas, (embora seja de certa forma contra elas), mas sou contra a posição dos lideres dessas organizações, ou melhor, da tradição deles, de obrigar o povo a faze-lo. Poderiam usar um certo sistema organizado de ofertas para ajudar com as despesas, mas jamais isso deve ser obrigatório. Mas existem duas coisas, a necessidade de arcar com as despesas dos estabelecimentos usados, e o sustento dos lideres (pastores). Posso dizer que ambos podem ser atendidos, a Palavra nos fala que devemos atender as necessidades de todos, e principalmente daqueles que tem nos abençoado com a Palavra de Deus, mas devemos apenas atende-los em suas necessidades, e não enriquece-los. Devemos ofertar com alegria.
    Jamais apoiarei o uso da Palavra de Deus para obrigarem o povo a dar dízimos, pois a Palavra não faz isso, ao faze-lo os pregadores, estão manipulando a Palavra de Deus.
    O povo precisa questionar o que é dito em cima desses "altares"(palcos). Onde estão os bereanos??.
    Se repararem bem nos versos do livro de Malaquias usado para defender essa teologia do dízimo, vemos que é uma advertência sobre algo que estava sendo negligenciado, mas para ser negligenciado, é preciso primeiro ter uma ordem de fazer esse algo, e isso nunca é mostrado. Precisamos voltar à lei para descobrir como o dízimo foi estabelecido, vindo então essa cobrança de Deus para o povo através de Malaquias.
    Então alguns dizem que o dízimo vem antes da lei pela graça com Abraão e Melquisedeque. Mas quanto a isso eu só digo o seguinte: O que é pela graça não é obrigatório não é verdade? quem obrigou Abraão a faze-lo? senão foi por livre e espontânea vontade?…

    Deus estabeleceu o Dízimo para ser entregue a Ele mesmo, queimado sobre um altar onde Ele recebia como cheiro suave. Isso era lei.
    Ao encarregar os levitas como sacerdotes, retirou deles a herança que tinham direito e dividiu entre os demais irmãos, a para eles, abriu mão do dízimo que era queimado, para que tivessem sustento.
    Mas como sabemos o sacerdócio levítico teve fim, com a superioridade do sacerdócio de Cristo. E quanto aos pastores de hoje em dia, temos nós recebido a herança deles? Para que usem dos mesmos textos da lei para exigirem do povo seu sustento?
    Paulo dá exemplo de si mesmo:

    "1Ts 2:9 Porque bem vos lembrais, irmãos, do nosso trabalho e fadiga; pois, trabalhando noite e dia, para não sermos pesados a nenhum de vós, vos pregamos o evangelho de Deus.

    2Ts 3:8 Nem de graça comemos o pão de homem algum, mas com trabalho e fadiga, trabalhando noite e dia, para não sermos pesados a nenhum de vós.

    Ats 18:2 E, achando um certo judeu por nome Áqüila, natural do Ponto, que havia pouco tinha vindo da Itália, e Priscila, sua mulher (pois Cláudio tinha mandado que todos os judeus saíssem de Roma), ajuntou-se com eles,
    Ats 18:3 E, como era do mesmo ofício, ficou com eles, e trabalhava; pois tinham por ofício fazer tendas."

    Paulo trabalhava pelo seu sustento, e ainda assim fez o maior trabalho missionário que eu conheço na história.

    Esse exemplo, nunca vi um pastor defendendo.

    Deus os abençoe.

    1. Lucileudo Diz

      Rapaz!!!
      parabéns pela essa esplicação.valeu mesmo,que Deus contenue esmpre abrindo o seu intendimento; e ainda mostrou ref.bíblicas claras…que Deus continue te abençoe.

  3. Ariane & José Marcos Diz

    Vejo a qualidade das criticas, e louvo a Deus por vcs viverem e congregarem em uma igreja onde não se entregam os dízimos. Concordo, com o comentário anterior, vamos colocar Pr. Piper pra trabalhar, Pr. Wash, atrás de um balcão, McArthur como operário, e esta turma que só pensa em orar, estudar, ensinar, e ainda assim, recebendo dinheiro da igreja. Vamos parar com templos que são dispendiosos. vamos fazer como paulo, andar a pé, e evangelizar o mundo.
    e que vc irmão Andercleiton, como não é dizimista, deve todo primeiro dia da semana entregar uma boa oferta para sustentar pastor que não trabalha.
    desculpe o cinismo! mas acho engraçado estes comentários!
    "Mas nós perseveraremos na oração e na palavra"
    Oro a Deus para os o seu pastor tenha um bom meio de sobreviver, trabalhando certamente como pedreiro, ou um profissional liberal.
    Que Deus abençoe os homens que tem gasto suas vidas por amor ao Reino.

    1. Daniel Diz

      Apoiado!

  4. Ariane & José Marcos Diz

    Vejo a qualidade das criticas, e louvo a Deus por vcs viverem e congregarem em uma igreja onde não se entregam os dízimos. Concordo, com o comentário anterior, vamos colocar Pr. Piper pra trabalhar, Pr. Wash, atrás de um balcão, McArthur como operário, e esta turma que só pensa em orar, estudar, ensinar, e ainda assim, recebendo dinheiro da igreja. Vamos parar com templos que são dispendiosos. vamos fazer como paulo, andar a pé, e evangelizar o mundo.
    e que vc irmão Andercleiton, como não é dizimista, deve todo primeiro dia da semana entregar uma boa oferta para sustentar pastor que não trabalha.
    desculpe o cinismo! mas acho engraçado estes comentários!
    "Mas nós perseveraremos na oração e na palavra"
    Oro a Deus para os o seu pastor tenha um bom meio de sobreviver, trabalhando certamente como pedreiro, ou um profissional liberal.
    Que Deus abençoe os homens que tem gasto suas vidas por amor ao Reino.

  5. (-V-) Diz

    Amados,

    Como ressaltamos no primeiro artigo: o sustento daqueles que trabalham integralmente para a obra é dever da igreja local. Paulo optou por trabalhar por motivos pessoas e fez questão de deixar isso claro.
    Lembremos também do que Paulo fala:
    Ora, no tocante às coisas sacrificadas aos ídolos, sabemos que todos temos ciência. A ciência incha, mas o amor edifica. E, se alguém cuida saber alguma coisa, ainda não sabe como convém saber. Mas, se alguém ama a Deus, esse é conhecido dele. (1 Coríntios 8:1-3)

    Em Cristo,
    Vinícius
    http://www.VoltemosAoEvangelho.com

  6. theossetemagnificos.blogpost.com se encontram muitos segredos Diz

    Ola estimados irmãos vejo que de degladiam por deixarem de doar o dizimo mas sera que ja se questionaram de se estarem a tornar egoistas ao pensarem em ficar com tudo sem pensaem em O Cristo ou em que e seu representante naterra para que sua palavra va avante mas meu testemunho do dizimo e grande pois nos momentos de dificuldades e tristeza sempre tiive ajuda desse mesmo dizimo que doei ao longo de anos que ele serviu para ajudar muitos irmãos quer no pagar de um funeral na renda de uma casa na compra de alimentos para os irmãos que viviam na cas mais pobre da cidade ou na barraca ou casa de uma favela que precisava de um telhado novo e a familia vivia da ajuda social ou no pagamento de um tratamento de uma irmã que seu marido estava preso injustamente estas são algumas das coisas em que o dizimo é utilizado ou na ajuda de uma enchurrada de lama nas casas perto de minha vivenda e pintura de uma cerca de uma irmã idosa que sua filha e deficiente mas vcs vem isso como um dever dos outros e nao de doarem os vossos dizimos okk umm dia no julgamento final se acreditarem nissso justificarão as vossas atitudes e questões com um simples nao sabia de tal ou na altura estava ocupado com outra coisa mais importante ok bom dia que o Salvador vos abençoe e guarde .
    Bem Hajam

  7. theossetemagnificos.blogpost.com se encontram muitos segredos Diz

    Ola estimados irmãos vejo que de degladiam por deixarem de doar o dizimo mas sera que ja se questionaram de se estarem a tornar egoistas ao pensarem em ficar com tudo sem pensaem em O Cristo ou em que e seu representante naterra para que sua palavra va avante mas meu testemunho do dizimo e grande pois nos momentos de dificuldades e tristeza sempre tiive ajuda desse mesmo dizimo que doei ao longo de anos que ele serviu para ajudar muitos irmãos quer no pagar de um funeral na renda de uma casa na compra de alimentos para os irmãos que viviam na cas mais pobre da cidade ou na barraca ou casa de uma favela que precisava de um telhado novo e a familia vivia da ajuda social ou no pagamento de um tratamento de uma irmã que seu marido estava preso injustamente estas são algumas das coisas em que o dizimo é utilizado ou na ajuda de uma enchurrada de lama nas casas perto de minha vivenda e pintura de uma cerca de uma irmã idosa que sua filha e deficiente mas vcs vem isso como um dever dos outros e nao de doarem os vossos dizimos okk umm dia no julgamento final se acreditarem nissso justificarão as vossas atitudes e questões com um simples nao sabia de tal ou na altura estava ocupado com outra coisa mais importante ok bom dia que o Salvador vos abençoe e guarde .
    Bem Hajam

  8. (-V-) Diz

    Bem Hajam,

    Não entendi muito bem sua argumentação. Você está afirmando que estamos indo contra o dízimo para não darmos nem 10% a Deus? Antes de afirmar tal absurdo, leia o primeiro artigo da série. Afirmamos que se há alguém necessitado na sua igreja local, se você desejar viver o espírito do NT venda seu carro extra, sua chácara, ou coisas assim, para ajudá-lo.

    Em verdade te digo que se alguém vê algum necessitado e não o ajuda por já ter "dado o dizimo", este, sim, não agrada a Deus.

    1. stepfany Diz

      Eu creio que o artigo foi escrito com um coração sincero de ensinar. E, analisando a bíblia e debatendo com outros irmãos instruídos na Palavra que conheço, de fato não é neotestamentário a permanência do dízimo como OBRIGAÇÃO (podendo, claro! quem se sentir “incomodado” em manter isso por “um voto a Deus em particular”), como mandamento.

      Temo que também muita gente tem aclamado essa afirmativa por avareza não confessa pura e simples… mas enfim, esse era meu questionamento.

  9. Ander¢layton Diz

    Ariane & José Marcos,

    Graça e paz.

    Se ler novamente meu comentário, deve perceber que não sustentei uma posição de que os pregadores devem trabalhar pelo seu sustento. Não.
    No começo do comentário deixei claro que devemos atender as necessidades de todos principalmente desses homens. Só coloquei o argumento do exemplo de Paulo pois é valido principalmente quanto a questão de NÃO SER PESADO A NINGUÉM. Todos temos sim como o irmão -V- afirmou, o dever de atender nossos pastores em suas necessidades, mas sou fortemente contra o abuso cometido por muitos ditos pastores.
    O interesse em enriquecer às custas de pobres irmãos, sustentando isso como uma ordem de Deus em suas Palavras é um absurdo.
    Agora, é verdade também que pastor algum está proibido de trabalhar. A palavra não faz com eles como fez com os levitas por exemplo.
    Mas se deixei pouco claro antes, corrijo agora, temos sim que atender esses homens em suas necessidades, mas não devemos ser obrigados a faze-lo com sustento em uma corrupção da Palavra de Deus. Dito isso, não somos resumidos a faze-lo apenas com 10%, e nem devemos todos faze-lo uma vez que as necessidades destes já estejam supridas. Afinal, muitas congregações que conheço com mais de 100 membros, sustentam pastores com dízimos elevados, enquanto pobres irmãos são ignorados e passam por misérias, os dízimos não podem falhar, mas arrecadações de alimentos e roupas para doações e atendimento aos pobres irmãos que congregam juntos, são vergonhosamente deixadas de lado.
    Pastores que corrompem essa verdade cristã, deveriam sim, seguir um pouco o exemplo de Paulo para aprenderem algumas coisas.

    Deus os agracie.

  10. René Diz

    Parabéns, Vinícius,

    Muito boa abordagem bíblica sobre o assunto! De 0 a 10, a nota é 1000!

    Evidentemente a tradição da religiosidade trará diversos comentários contrários, mas serão, apenas, frutos de ensinamentos humanos, não do Espírito Santo, que sempre traz a verdade à luz.

    Que a Paz do Senhor Jesus continue com você, sua família e seus leitores!

  11. severino Diz

    Graça e paz amados,como,o artigo é no tocante ao dizimo,se é ou naõ valido para hoje[nova aliança]eu gostaria que por favor,pare e leia Hebreus7.7,repito,pare,e medite comigo no verciculo[E AQUI CERTAMENTE TOMAM DIZIMO HOMENS QUE MORREM;ALI,POREM,AQUELE DE QUEMSE TESTIFICA QUE VIVE]oque o escritor quer dizer?aqui,aqui onde?Tomam,dizimo,homens que morre?que homens sao estes?ali,porem?ali,onde?aquele,de quem se testifica que ,vive?quem,é,este que,recebe os DIZIMOS,que se testifica,que VIVE? Por favor,entendaõ,eu,concordo,plenamente,que,temos que,ser generosos,doadores,misericordiosos,independente,do dizimo,mas se os dizimos for uma ordenança do senhor,e,deicharmos de dar[independente das ofertas]voce,naõ acha,que mesmo que desimos tudo,naõ estariamos sacrificando sem obedecer?como é dito melhor,obedecer,doque,sacrificar.Quanto,ao verciculo,mandarei oque entendo,dele,em outro comentariu,mas gostaria de ter sua opiniaõ,amo vces em CRISTO.

  12. (-V-) Diz

    Severino, paz.

    Não negamos que o texto te Hebreus afirma que Abraão deu o dízimo à Melquisedeque, tipo de Cristo, aquele que vive. Contudo, se formos sinceros teremos de concordar que o texto não fala nada sobre a validade do dízimo para a nova aliança. Simplesmente mostra que Cristo é um Sacerdote maior o sacerdócio levítico, pois "por assim dizer, por meio de Abraão, até Levi, que recebe dízimos, pagou dízimos".

    Transcrevo o trecho que se refere a passagem do primeiro artigo de André Aloísio:

    Outros tentam defender a validade do dízimo com a passagem de Hebreus, capítulo 7. Porém, nessa passagem o autor da carta apenas mostra a superioridade de Cristo em relação ao sacerdócio do Antigo Testamento usando Melquisedeque como um tipo de Cristo, pois Arão (representando o sacerdócio veterotestamentário) pagou dízimos a Melquisedeque na pessoa de Abraão, mostrando sua inferioridade em relação à Melquisedeque. O objetivo da passagem não é falar sobre a validade ou não do dízimo para os dias de hoje, mas mostrar a superioridade do sacerdócio de Cristo.

    E, por fim, é bom lembrar que:

    "Uma preciosa norma de interpretação afirma que um texto descritivo pode ilustrar uma doutrina, porém não pode ser base de doutrina."

    Em Cristo,
    Vinícius
    VoltemosAoEvangelho.com

  13. Alex Diz

    Afirmo a postagem, nos nossos dias muitos lideres usam de passagens para tirar dinheiro do POVO.
    a considerações são legitimas ate mesmo a o assunto de Hebreus 7.
    em hebreus faz uma referencia sobre os sacerdotes. não um mandamento.
    ja em marcos 23:23 tambem não é mandamento mais sim uma consideração de Jesus sobre os fariseus.
    Uma coisa que deve ficar clara.

    – O Dizimo não é mandamento para nos.
    – Dizimo não amarre devorador nenhum!! se você esta pecando em adulterio o devorador vem Igual…
    – Somente o Nome de Jesus Cristo Amarra o devorador!!
    – Os Dizimos pode ser praticado como Contribuição mais nunca com apelações.
    – Ninguem é obrigado a dar dizimo e nem deve se colcoar medo nas pessoas para dar Dizimo.

  14. Severino Diz

    Graça e paz amados,preste atençao,amado,o verciculo nao esta falando do passado,esta falando do presente,preste atençao,quando diz AQUI SERTAMENTE TOMAM DIZIMOS HOMENS QUE MORRE,esta falando que aqui naTERRA TOMAM DIZIMOS HOMENS QUE MORRE E quando diz ALI ali quer dizer,nos céus,HOJE,JESUS,como sumo sacerdote,omaior,que abençoua o menor,toma o Dizimo,HOJE.Como voce escreveu,Jesus,é oque,se testifica que vive,entao ,quando comessou a se testificar que ele vive? Quando morreu e ressucito,e subiu ao ceus .Oque entendo do verciculo,é:Os homens hoje,tomam os dizimos,que é santo ao Senhor[lev.27.30,31,32]aqui na terra,e,hoje,Jesus,o sumo sacerdote,recebe,estes Dizimos,e abençoua.Concidero simples de entender,se vejo com os olhos do Espirito.

  15. (-V-) Diz

    Severino, paz.

    Se observamos o contexto do versículo veremos que aqui refere-se ao dízimo aos levitas (que não existem na Nova Aliança) e ali à Melquisedeque. Novamente tudo o que o versículo diz é que os levitas mortais tomam o dízimo, segundo a lei (que não mais vigora), mas Abraão e Levi através de Abraão deu dízimo ao tipo de Cristo, mostrando a superioridade de Cristo sobre o ministério levítico.

    Em nenhum momento o versículo fala da validade do dízimo. E o verbo no presente refere-se aos levitas e o dízimo da lei, e como a lei cerimonial foi abolida, não há como afirmar a validade do dízimo para os dias atuais.

  16. Anonymous Diz

    Desculpe, mas poderiam deixar isto mais claro?

    Na minha igreja o pastor interrompe o culto para pedir doações e toda semana lembra os que não pagaram ainda.

    O dinheiro é ganho com suor e acho que pode estar sendo mal aproveitado (reforma de banheiros OK… reforma no telhado OK… construção de piscina (??? tá, vai)… expansão do salão social (???)

  17. Anonymous Diz

    Severino que Deus continue abençoando e iluminando cada vez mais, pois este asunto é polemico para alguns mas vejo grande fundamento dentro do texto que amado abordou com muita clareza, mesmo porque quando Paulo disse que ele não usaria deste direito para não colocar impedimento ao envangelho, porque por este vem a salvção.

  18. René Diz

    Amado Vinícius,

    Se você permitir, gostaria de dar uma palavra ao Severino.

    Amado Severino,

    É bom saber que você firma suas convicções buscando na Palavra o entendimento correto das coisas. De minha parte, concordo totalmente com os textos do André e do Vinícius. Mas, ainda que estivéssemos equivocados, seria interessante você verificar o que são os dízimos e qual a sua destinação. Sugiro que o irmão leia Deuteronômio 14, do versículo 22 ao 29, prestando especial atenção aos versículos 23 e 26. Quero lembrar que ali fala sobre o lugar que Deus escolher para fazer habitar o Seu Nome, referindo-se ao Templo em Jerusalém. Hoje, cada cristão é o Templo (santuário) do Senhor.

    Depois de ler essa passagem, você entenderá a razão de ser do dízimo e perceberá que ele não é aplicável à Igreja. Mais do que isto, você perceberá que as poucas passagens do Novo Testamento, que citam o dízimo, não estão e nem poderiam estar recomendando que recolhêssemos dízimos atualmente.

    E que a Paz do Senhor continue com todos nós!

  19. Marcos Diz

    "Cabe lembrar que o diabo também pode enriquecer alguém para que esta se afaste da fé."
    Que textos bíblicos justificam esta afirmação?
    Abraços!

  20. René Diz

    Ao amado Marcos (comentário de 02.07 – 22:07 h),

    "Cabe lembrar que o diabo também pode enriquecer alguém para que esta se afaste da fé." "Que textos bíblicos justificam esta afirmação?"

    No deserto, o Diabo ofereceu todos os reinos do mundo e a glória deles a Jesus. Foi uma das tentações. Ora, para que fosse uma tentação, era necessário que a possibilidade existisse, afinal, Jesus é o Filho de Deus e não poderia ser tentado por algo que não fosse possível de acontecer. O próprio Jesus chama o Diabo de Príncipe do mundo. Assim, entende-se que ele tenha autoridade sobre as coisas do mundo, a ponto de oferecê-las a quem ele quiser, quando quiser, desde que tenha a autorização de Deus. Se Jesus tivesse aceitado a oferta, teria deixado de fazer a vontade de Deus, o que seria um ato de incredulidade, ou seja, afastamento da fé.

    Continue na Paz do Senhor Jesus!

  21. (-V-) Diz

    Marcos,

    O René já respondeu. Seguem este e outros versículos:

    Mas os cuidados deste mundo, e os enganos das riquezas e as ambições de outras coisas, entrando, sufocam a palavra, e fica infrutífera. Marcos 4:19

    orque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores. 1 Timóteo 6:10

    Novamente o transportou o diabo a um monte muito alto; e mostrou-lhe todos os reinos do mundo, e a glória deles. E disse-lhe: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares. (Mateus 4:8,9)

    Paz,
    Vinícius

  22. Naomi Diz

    A questão é que o dízimo não foi estabelecido para manter igreja e sim manter o levita escolhido pelo Eterno, pois ele não tinha herança, sua herança era o próprio Eterno(Números 18:21). Não se pode banalizar aquilo que o Eterno santificou. O que Ele santificou é Santo ontem, hoje e sempre, pois Ele não muda. A propósito, não existe Velha Aliança. O Eterno é um só! O mesmo que diz pra não ter outros deuses (e as pessoas assim obedecem) disse pra não comermos carne de porco, crustáceos,entre outros. Vamos cumprir tudo o que Ele disse ou invalidemos tudo!

    1. wagner bruno da fonseca Diz

      novo mandamento vos dou:amai uns aos outros,como EU vos amei|joao 13.34.35|o mandamento é que creais no Nome de Seu Filho e ameis uns aos outros1Joao 13.23 w Levai as cargas uns dos outros e assim cumprireis a lri de Cristo.Galatas6.2|dizimo é coisa de quem nunca leu a biblia

  23. (-V-) Diz

    Naomi,

    Suponho que você também esteja sacrificando animais pelos seus pecados, não?

    Em Cristo, o Cordeiro que foi sacrificado,
    Vinícius

    PS: Como você interpreta:

    De sorte que, se a perfeição fosse pelo sacerdócio levítico (porque sob ele o povo recebeu a lei), que necessidade havia logo de que outro sacerdote se levantasse, segundo a ordem de Melquisedeque, e não fosse chamado segundo a ordem de Arão? Porque, mudando-se o sacerdócio, necessariamente se faz também mudança da lei. (Hebreus 7:11,12)

  24. maxixe Diz

    Digo com muito pesar e tristeza, que alguns de voces estao fazendo a obra de satanas, pois estamos gastando tempo demasiado com assuntos superfluos em que nada edifica, gostaria que o staff do VE, procurasse temas mais importantes inerentes a viver a vida em Cristo, extruindo aos leitores do VE a uma busca continua e incessante da santificaçao, digo isso, para que no final essa obra "VE" quando for provada, nao se queime no fogo. God Blessed!

  25. ECRIDAESAM Diz

    Abrão deu o dízimo de tudo como diz em gn 14:20. A palavra dizimar esta ligada tambem a matança, guerra, um de dez 1/10… o que Abraão deu pra Melquisedeque? Ele não tinha acabado de guerrear contra Quedorlaomer e os outros reis? Não seria despojos esse dízimo? E quantas vezes Abrão deu o dízimo, uma vez apenas ou todo o mês?

    Estamos estragando esse texto maravilhoso das Escrituras falando sobra grana, quando deveriamos estar falando sobre o simbolismo que representa nele.

    Hoje é Graça ao invés de lei, é Amor ao invés de olho por olho dente por dente, é Oferta ao invés de dízimo… oferta com alegria é claro, caso contrário não será recebido pelo Pai como aroma suave a agradável.

  26. ECRIDAESAM Diz

    Abrão deu o dízimo de tudo como diz em gn 14:20. A palavra dizimar esta ligada tambem a matança, guerra, um de dez 1/10… o que Abraão deu pra Melquisedeque? Ele não tinha acabado de guerrear contra Quedorlaomer e os outros reis? Não seria despojos esse dízimo? E quantas vezes Abrão deu o dízimo, uma vez apenas ou todo o mês?

    Estamos estragando esse texto maravilhoso das Escrituras falando sobra grana, quando deveriamos estar falando sobre o simbolismo que representa nele.

    Hoje é Graça ao invés de lei, é Amor ao invés de olho por olho dente por dente, é Oferta ao invés de dízimo… oferta com alegria é claro, caso contrário não será recebido pelo Pai como aroma suave a agradável.

  27. ECRIDAESAM Diz

    Abrão deu o dízimo de tudo como diz em gn 14:20. A palavra dizimar esta ligada tambem a matança, guerra, um de dez 1/10… o que Abraão deu pra Melquisedeque? Ele não tinha acabado de guerrear contra Quedorlaomer e os outros reis? Não seria despojos esse dízimo? E quantas vezes Abrão deu o dízimo, uma vez apenas ou todo o mês?

    Estamos estragando esse texto maravilhoso das Escrituras falando sobra grana, quando deveriamos estar falando sobre o simbolismo que representa nele.

    Hoje é Graça ao invés de lei, é Amor ao invés de olho por olho dente por dente, é Oferta ao invés de dízimo… oferta com alegria é claro, caso contrário não será recebido pelo Pai como aroma suave a agradável.

  28. ECRIDAESAM Diz

    Abrão deu o dízimo de tudo como diz em gn 14:20. A palavra dizimar esta ligada tambem a matança, guerra, um de dez 1/10… o que Abraão deu pra Melquisedeque? Ele não tinha acabado de guerrear contra Quedorlaomer e os outros reis? Não seria despojos esse dízimo? E quantas vezes Abrão deu o dízimo, uma vez apenas ou todo o mês?

  29. fabrica dos Milionarios Diz

    1. Praticar a lei dos dízimos significa dedicar uma parcela de seus
    rendimentos a finalidades verdadeiramente sagradas e infinitas:
    significa também depositar as crenças, convicções e autoapreciações
    no seu tesouro interior, isto é, no seu subconsciente.
    Esse tesouro lhe dará recursos financeiros.
    2. Use a filosofia dos dízimos para a consecução de relações
    humanas harmoniosas, admitindo que Deus age na mente e no
    coração dos outros e que existe uma solução harmoniosa e divina
    entre as pessoas.
    3. Dedique um décimo do seu tempo à meditação e à oração antes
    de realizar uma preleção ou conferência. Deus o inspirará e
    maravilhas acontecerão em sua vida.
    4. A transmissão de fé e confiança a outra pessoa é uma forma de
    utilização da filosofia dos dízimos. Faça-a saber que você crê e
    acredita nela sob todos os aspectos, que ela reagirá de forma
    correspondente.
    5. A oração pode proporcionar-lhe beleza, sabendo que a beleza
    indescritível de Deus se manifesta através do seu ser e que outras
    pessoas sentem-se inspiradas e motivadas pelos seus trabalhos.
    6. A oração pode dar-lhe amor, pelo reconhecimento de que o
    amor de Deus inunda a sua alma e pela irradiação de amor e boa
    vontade para todas as pessoas. Continue a proceder assim e
    muitos milagres ocorrerão em sua vida.
    7. O amor e a boa vontade transmitidos aos outros lhe são
    retribuídos, multiplicados e ampliados, sob inúmeros aspectos,
    sendo um deles o dinheiro.

    Esse conteúdo foi extraído do livro
    1001 Maneiras de Enriquecer
    Joseph Murphy Ph.D.

    http://www.megaupload.com/?d=AN58HU2E

  30. Ander¢layton Diz
  31. Leonardo Diz

    Na minha opnião muitas pessoas só entregam o dízimo na esperança de ter “lucros” com Deus, como se fosse uma poupança no banco.
    Não vejo valor nisso.

    1. stepfany Diz

      Eu sempre entreguei o dízimo com uma convicção em mente: ao menos essa parte não me pertence, o dinheiro que o Senhor me concedeu foi para meu sustento, devolvo a parte que cabe a obra de Deus. Que foi o que me ensinaram, que o dízimo não me pertencia, mas a obra de Deus. E sempre fiz distinção de dízimo e oferta (não deixei de dar oferta só porque tinha dado o dízimo e vice-versa. Fiz como aprendi.

      Bom, só percebo que o assunto é um dos mais polêmicos mesmo da igreja. =P

  32. Reisner Diz

    Concordo plenamente com a exposição e posicionamento acima, uma vez que se “tropeçarmos em um til da palavra tropeçamos na palavra inteira” devemos proceder em conformidade com a nova aliança em Cristo Jesus e não na velha aliança baseada na lei.

    Deus abençoe a todos.

  33. Daniela A. Vidal Ruiz Diz

    Que bom texto!

    Ow, eu estou passando um caso dificil aqui, gostaria de sua opiniao.
    Participo de uma pequeña igreja de uns 40 membros, que fica a 30km da minha casa, noutra cidade. Como eu me preparei para o ministerio, com minha familia queremos abrir uma congregaçao aqui na minha cidade. Para pagar o aluguel do salao temos que deixar de dizimar na nossa igreja e dizimar na nova congregaçao. Meu pastor tem se oposto a isto desde o ano passado; motivo pelo qual ainda nao é possivel abrir congregaçao nenhuma.

    Eu tenho obedecido porque a igreja (de 40 membros) noa tem muita condiçao; mas tenho minha opiniao clara do casso em questao. Gostaria de saber a de vocês.
    Devo dizimar na nova congregaçao e abrir o trabalho, ou devo continuar dizimando na igreja que precisa, e nao abrir congregaçao nenhuma?

    Abraços!

    1. Vini Diz

      Daniela,

      O seu esposo foi proibido de abrir uma congregação (independente do dízimo) ou a questão é puramente financeira?

      Porque no segundo caso, basta começar uma congregação em uma casa, pois não há a necessidade de um salão, e conforme for crescendo, alugar o salão.

      Paz

    2. Daniela A. Vidal Ruiz Diz

      Nao, nao, ainda nao tenho esposo; com ‘familia’ refero-me a meus pais.

      Por uma questao cultural, aqui no Chile as pessoas nao se reunem em casas…ninguem vai…srs…só acudem a um espaço liturgico mesmo…

      A ‘nao abertura’ é mesmo uma questao financeira.

      Paz

    3. wagner bruno da fonseca Diz

      acho q.deveria abrir a nova congregacao e parar de uma vez em dar ou pedir dizimo,o que deveriam fazer é mostrar o gastodo templo a todos e dividir pedindo oferta em amorconf.o coracao.2cor.9.7 e 1cor.16.14|a circuncisao,o levirato,apedrejamento era lei,porque nao so este e tambem muitos nao lembram destas leis?

  34. wagner Diz

    IGREJA sao todas as pessoas,nao so o pastor,somos o templo do ESPIRITO SANTO.Portanto nao é so o pastor que deve ser ajudado,E sim todas as pessoas.Se o diz\imo é do SENHOR qual o numero de sua conta corrente p.deposito?Leiamos Mateus 25.3l|46 e O AMOR AO PROXIMO E O CUMPRIMENTO DA LEI.\GALATAS 5.14;Ajude uma pessoa a se levantar e estara ajudando uma igreja.I

    1. stepfany Diz

      Quanto a questão da ajuda do pastor quero fazer um comentário e pedir que o Vini também comente, se possível. Eu entendo que, tem-se a necessidade de um pastor totalmente voltada para a obra. Alguém que possa estar inteiramente ocupado (quero excluir a família aqui, pois penso/entendo/creio que a família não atrapalha no exercício do ministério, ao contrário) com o serviço ministerial que exerce. Ter um trabalho secular, penso eu, toma um tempo que o pastor poderia estar trabalhando no/para o crescimento do Reino de Deus (evangelismo, visita, aconselhamento, discipulado, etc).
      Quanto a isso, não vejo porque não ajudar o pastor. Tendo dito isto, também não vejo uma necessidade de um salário exorbitante para o pastor, pois entendo que o dinheiro é para o sustento do lar num sentido de “ausência de necessidades” e não para se gastar com luxos que, aí sim, não faz sentido.

      Creio que não me expressei tão bem quanto queria, mas deu para os irmãos terem uma noção do que quis dizer. Peço que comentem quanto a isso, principalmente o Vini.

      Graça e Paz a todos,

      Deus os abençoe

    2. Vini Diz

      Stepany,

      Eu concordo com você. Paulo é claro em dizer que quem vive pelo Evangelho deve se sustentar pelo Evangelho. O voto que Paulo fez de trabalhar (na verdade não era um trabalho 8horas por dia e sim um bico) foi algo particular e não uma regra geral e mesmo assim várias vezes ele foi sustentado por irmãos. Em Romanos, ele deixa claro que queria ser enviado para Espanha sendo custeado pelos irmãos de Roma.

      Pedro também deixa claro no começo de Atos que (bom, pelo menos os apóstolos na época – mas creio que o princípio se aplique aos pastores de hoje) devem se abster de questões administrativas e se concentrar na oração, estuda da palavra e pregação, deixando a parte administrativa com os diáconos.

      Lógico que não concordo com os absurdos dos pastores milionários por aí. Como diz Piper: o problema não é ganhar muito dinheiro, o problema é guardar/juntar muito dinheiro.

      Paz

  35. Hemillio Cardoso Diz

    Paz,
    A minha duvida é a seguinte, mesmo entendendo que o dízimo existiu antes da Lei e se tornou parte integrante da mesma no futuro. Este fato, o fato de ter sido parte da Lei não o torna maldição para os crentes hoje? Se não, a mesma regra se aplica para os adventistas com a questão do sábado. Eles podem requerer a guarda do sábado, assim como nos evangélicos requeremos o dízimo.

    1. Vini Diz

      Hemílio,

      Há no mínimo 3 grandes interpretações de como o cristão se relaciona com a Lei. A tradição reformada (teologia da aliança) aceita a “Lei Moral” (expressa nos 10 mandamentos) e dizem que a “Lei Cerimonial e Civil” foram abolidas. E a “teologia do pacto” diz que nada da Lei do Antigo Testamento continua e nós temos uma nova lei a Lei de Cristo. E os dispensacionalistas que concordam mais ou menos com a “teologia do pacto” neste quesito.
      Então, a posição que você defende (e sugiro você estudar melhor o assunto) determinará sua relação com “o dia do Senhor”.
      Contudo, sua pergunta pode ser respondida sem saber tais conceitos. Deixe-me explicar. “Amar a Deus sobre todas as coisas” e “Amar o seu próximo” está na Lei (quer você considere o Velho como o Novo Testamento). São coisas que devemos fazer. Contudo, a questão da maldição não é que a Lei se tornou ruim e sim que se você tentar “merecer sua salvação” através das obras da Lei (dízimo ou “dia do Senhor”) você é maldito, pois você já quebrou a Lei. Logo a única esperança de salvação é fé em Cristo e não guardar o sábado ou dar o dízimo, quer você guarde o sábado ou dê o dízimo.
      Se não estiver claro, avise-me.

      Paz

    2. Vinícius Silva Pimentel Diz

      Vini,

      Você fez distinção entre “teologia da aliança” e “teologia do pacto”, que são a mesma coisa.

      Na verdade, quando você falou em “teologia do pacto”, quis dizer “Teologia da Nova Aliança”, não foi? É essa orientação hermenêutica que diz “que nada da Lei do Antigo Testamento continua e nós temos uma nova lei, a Lei de Cristo”.

      Paz!

    3. Vini Diz

      Fato…confusão minha

    4. wagner bruno da fonseca Diz

      maldito todo aquele q.nao praticar todas as coisas do livro da lei|pela lei ja fomos condenados e tornamos malditos quando praticamos so um preceito,entao nao pratique nenhum preceito e facamos como Jesus:ame a Deus e ao proximo e a oferta de coracao.

  36. Pedro Diz

    Confesso que é a terceira pessoa que conheço que traz esta explanação!
    Coragem!
    Não gosto muito de propagar este assunto, mas acho que a igreja (instituição) está desandando em seus princípios.
    Só queria lembrar de algo: Mt. 23! Leia o texto todo e entenda o contexto.
    Em um momento, quando Jesus fala sobre dízimo ele diz aos fariseus que dizimavam porém, não pregavam juizo, fé e misericórdia: “deveis, porém, fazer estas coisas, e não omitir aquelas”.
    Está bem claro que o dizimar é mencionado pelo próprio Jesus.
    Porém a sua mente está à prova aqui, é fácil seguir o contrário e fazer do dízimo algo RELATIVO!

    Já me falaram: “Jesus estava debaixo da lei quando falou isto, não havia acontecído o sacrifício até então”.
    Eu respondo: Vamos esquecer todos os ensinamentos de Jesus pregado por Paulo e ficar “desvendando” os ensinamentos de Paulo que falava de Jesus?

    O dízimo deve ser de coração, deve ser aprendido, e deve ser de tudo! E é algo difícil… somos provados em nossas paixões aqui.
    Talvez o foco deste conteúdo deva ser uma crítica aos abusadores da chamada “teologia da prosperidade” né isso?
    Pois na minha igreja usamos o dízimo para o que é útil e mensalmente publicamos as ações tomadas.

    Hoje, infelizmente existem 3 evangelhos:
    1 – O insano, que é completamente sem fundamento, onde há loucuras demais
    2 – O intelectual, baseado em filosofias, muitas vezes contemporâneas.
    3 – O antigo!

    Eu fico com o antigo!
    Mais uma vez este texto não coube a minha realidade!

    1. Vini Diz

      Pedro,
      Entre ficar com qualquer coisa, fiquemos com a exposição da Bíblia. Não com novidades, nem com tradições, nem com opiniões pessoais, mas com exposição contextual histórico-gramatical da Bíblia.
      Analisando sua passagem, vejamos: Jesus afirmou aquilo aos fariseus e também disse que nossa justiça deve exceder a deles. E você afirmou que não importa para quem Jesus falou. Se assim for, você quer dizer que isso significa que devemos cumprir toda a Lei do Antigo Testamento? Eu duvido. Mas essa é a conseqüência lógica do seu argumento.
      Jesus também disse aos fariseus que eles quebravam os mandamentos por causa das tradições, mostrando que eles não executavam aqueles que desonravam pai e mãe. Você tem praticado isto dado penal capital em sua igreja àqueles que desrespeitam pai e mãe?
      Você acha que dar o dízimo mexe com paixões? Mexe muito mais vender uma propriedade inteira para que ninguém passe necessidade em sua igreja local. Este é o espírito de Atos.

      Paz

    2. wagner bruno da fonseca Diz

      Jesus falou:e negligenciais o mais importante da leio amor, a justica e a misericordia conf.Mateus 5.23 fala de oferta e nao dizimo,depois de ter paz|amor|com todos.A oferta exige amor do ofertante,nao é de qualquer jeito;Se vc.aparecer numa igreja com uma nota de cem o pastor nao quer nem saber aonde vc.arrumou!

    3. stepfany Diz

      Na verdade, na parte não citada no teu comentário a palavra dízimo aparece.

  37. wagner bruno da fonseca Diz

    porquanto pela graca sois salvos,mediante a fe,e isto nao vem de vos é dom de DEUS.|o amor é o cumprimento de toda lei|as vossas obras sejam rem amor|igreja somos nos,porque as pessoas nao ajudam se mutuamente e nos templos divide os gastos,a melhor evangelizacao é tratar bem o nosso proximo,nao precisamos que ninguem faca isto por nos,portanto nao aprovo o dizimo. wagner

  38. Servo Diz

    Parabéns pela coragem do assunto abordado.

    Hoje em dia é muito difícil ensinar algo que é biblíco, porém vai de encontro com “costumes” praticados nas igrejas.

    Que possamos estar cada vez mais centrados na palavra do Senhor e esquecer ensinamentos humanos.

    Enfim, parabéns por todo conteúdo do site…

    Me ajuda e me edifica muito…

    Graças e paz irmãos

  39. FRANCISCO Diz

    bem qual a diferença entre dizimos, dizimo, e primicias ?

    quais eram praticados pelos cristaos na nova aliança ?

    no didaché fala em primicias! hoje na zona urbana nao tem agricultores o que seriam as primicias hoje ?

  40. wagner Diz

    devemos ver que para nós gentios a circuncisão não é valida mais para os judeus sim.

    1. Vini Diz

      Irmão, isso não é verdade. Aliás, é um engano perigoso. Paulo expressamente ensinou:

      E de novo protesto a todo o homem, que se deixa circuncidar, que está obrigado a guardar toda a lei. Gálatas 5:3

      Se um judeu (não-circuncidado) recebeu a Cristo, não deve circuncidar-se.

      É alguém chamado, estando circuncidado? fique circuncidado. É alguém chamado estando incircuncidado? não se circuncide. 1 Coríntios 7:18

    2. stepfany Diz

      Creio que o comentário do irmão se baseia no ensino que muitas igrejas hoje têm recebido de que (a maneira como coloquei aqui são palavras MINHAS, tentando resumir o que venho presenciando) a graça funciona para os gentios de um jeito, e para os gregos de outra.

      Paz, queridos!

    3. stepfany Diz

      Correção = para os gentios de um jeito e para os judeus de outra…

  41. stepfany Diz

    De fato! Acredito mesmo que o dízimo é algo a ser mantido na igreja, pois não só serve para sustento da obra (isso ofertas de boa vontade de irmão compadecidos podem bem fazer), mas no
    N.T. vejo Jesus fazer menção dele como algo que pode (ou que deve ???) ser mantido. Enfim, não vejo o dízimo como um mal, mas a forma que ele é encarado (ou usado) é um mal. Ainda que não seja “permitido” também não é condenado.

    1. Vini Diz

      Stefany,

      O artigo trata sobre dízimo como imposição. Deve um cristão dar sempre o dízimo ou ele pode dar quanto estiver no coração dele?
      Esta é a questão. Se você quiser dar o dízimo (10%) e isso estiver no seu coração e for dado com alegria, glória a Deus. Se você quiser dar 11% também. 9% também.

      Cada um dê proporcionalmente conforme colocou em seu coração. Este é o ensino do novo testamento.

      Paz

    2. stepfany Diz

      Ah sim… entendi e obrigada por me responder…^ ^

      Paz, querido!

      Só acho bom a questão dos 10% (e qualquer valor acima disso) porque creio que ajuda a vencermos o poder da avareza sobre nós… enfim, vivendo e aprendendo.

      XD

    3. Hugo Diz

      Stepfany, o dízimo é uma oferta cujo percentual é estabelecido por Deus; para as demais ofertas o percentual é estipulado pelo ofertante. O povo de Israel devolvia, entre dízimos e ofertas, por volta de 25% de suas entradas.

      Dízimo é dízimo! A própria palavra define o percentual. Quanto às demais ofertas, cada um dê proporcionalmente (deve-se estabelecer um percentual) conforme colocou em seu coração.

  42. Ronaldo Ferreira Diz

    li alguns comentarios, e conclui sem sombras de dúvidas ,que definitivamente o dízimo como toda lei, foi abolida pelo Salvador

    1. Fabiana Diz

      Paz a todos,eu não tenho problema nenhum em ofertar,porque o Senhor diz que a verdadeira religião é esta: acolher os orfãos e amparar as viúvas.O mundo vem ficando cada vez mais cosmopolita,dentro das igrejas nem se fala,chegamos,pagamos os dizimos,ofertas,ofertas alçadas,votos,não sou contra,sentamos,ouvimos uma palestra e muitas vezes não um sermão.Levantamos e vamos embora,assistir filme,novela,ouvir o louvor que esta´bombando,passamos por vários sinais vermelhos,vemos os orfãos,vemos idosos debaixo dos viadutos.Tudo normal,já dei o dízimo.Legal.Ha,esqueci de passar no shopping para comprar um presente legal para meus pastores,há eles são tão legais,só falam o que quero ouvir: Que eu sou mais que vencedora e por isso tenho o direito de viver e comer o melhor desta terra,ter carros,casa na praia.Vou lutar, vou me sacrificar para entregar mais na obra do Senhor e Deus vai me devolver uma medida sacudida e transbordante.Aleluia,eu mereço.Deus é Deus na minha vida,eu vou fazer prova.Vamos cosnstruir um templo novo,mais parecendo um clube social,é isto que vejo pastores até selecionando quem ele quer no seu rebanho,geralmente pessoas bem resolvidas,de classe média a alta,que não suportam pobres,famintos e doentes.

    2. stepfany Diz

      Explanou exatamente o que temos visto no meio “cristão” hoje em dia!

    3. Santos10 Diz

       não cuideis para vim para destruir a lei e os profetas, naõ vim ab-rogar, mas cumprir. Mt 5:17

    4. Santos Diz

      nao cuideis que vim para destruir a lei e os profetas: não vim ab-rogar, mas cumprir. MT5.17
      .

      Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim ab-rogar, mas cumprir.
      Mateus 5:16-
      .

      Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim ab-rogar, mas cumprir.
      Mateus 5:16-17

    5. Santos Diz

       .

      Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim ab-rogar, mas cumprir.
      Mateus 5:16-17

  43. Samuel Diz

    Tenho uma pergunta , estou sem congregar a algum tempo , por te visto algumas coisas em algumas igrejas que não batem com a biblia como o dizimo por obrigação , so que não estou conseguindo achar uma congregação na minha cidade que não tenha erros grosseiros ,,
    o que faço volto pra minha igreja antiga ou continuo a procurar uma igreja que não tenha erros grosseiros. pois ficar sem congregar tem me
    se puderem me indicar uma igreja
    obrigado
    Deus abençõe a todos

    1. Vini Diz

      Qual cidade você mora irmão?

    2. Samuel Diz

      Olá Vini
      Moro em Juiz de Fora , MG
      abraço

    3. Vini Diz

      Hummm, infelizmente não conheço nenhuma igreja daí.

      Samuel, apesar de eu não concordar com a atualidade do dízimo, acho a questão secundária, quando ele não é transformado em legalismo e barganha com Deus.

      Procure uma igreja onde o centro do culto é notoriamente Cristo, a Palavra e o Evangelho. Procure as “9 marcas” na igreja.

      Sei da situação atual que é extremamente difícil achar uma igreja assim. Mas não é bom que deixemos de se reunir, nos alerta o escritor de Hebreus.

      Obs.: É mais provável, embora não certeza, que você encontre uma igreja saudável entre as igrejas históricas.

    4. Samuel Diz

      Vou continuar procurando , mas enquanto eu não acho vou ir em alguma igreja pra não ficar sem congregar e participar da santa ceia , vou estudar um pouco sobre essas nove marcas que você falou na resposta( achei no google um estudo sobre isso ), pra eu ter uma ideia melhor de como achar uma igreja saudavel ,
      abraço irmão
      e obrigado pela atenção
      paz

  44. Anonymous Diz

    A Paz.

    Não vale mais a realização de trabalhos ou a própria pregação do evangelho, do que “dar”somente 10% do salário??

    Realizo trabalhos na minha igreja, onde saímos a noite para levar comida e agasalhos para as

    Pessoas necessitadas, se importar com quem ninguém se importa…isso não vale mais que dar 10% do salário apenas?

  45. Frank Brito Diz

    Não existe qualquer mandamento bíblico de dizimar todo o dinheiro na Bíblia nem mesmo sob o Antigo Pacto.

    O dinheiro era um item essencial. Por exemplo, o dinheiro em forma de moedas de prata pago pelos escravos (Gênesis 17.12), pela terra (Gênesis 23.9), pela liberdade (Êxodo 23.11); multas (Êxodo 21 e 22); dívidas do Santuário (Êxodo 30.12); votos (Levítico 27.3-7); bebidas alcoólicas (Deuteronômio 14.26) e dotes de casamento (Deuteronômio 22:29).

    Os metais preciosos (da qual faziam as moedas) era um componente fundamental das riquezas: “Porquanto Moisés dera herança, em Basã, à meia tribo de Manassés; porém à outra metade deu Josué entre seus irmãos, daquém do Jordão para o ocidente; e, enviando-os Josué também a suas tendas, os abençoou e falou-lhes, dizendo: Voltais às vossas tendas com grandes riquezas, e com muitíssimo gado, com prata, e com ouro, e com metal, e com ferro, e com muitíssimas vestes; reparti com vossos irmãos o despojo dos vossos inimigos”.(Josué 22.7-8)

    Grande parte da renda do rei Salomão, por exemplo, era em talentos de ouro. Ele recebia seiscentos e sessenta e seis talentos de ouro por ano (I Reis 10.14).

    Mas o conteúdo do mandamento do dízimo não incluia dinheiro, prata, ouro ou qualquer outra coisa além de produtos agro-pecuários.

    O único mandamento de dízimo que há na Bíblia dizia a respeito SOMENTE de produtos agro-pecuários:

    “Todas as dízimas do campo, da semente do campo, do fruto das árvores são do SENHOR; santas são ao SENHOR… No tocante a todas as dízimas de vacas e ovelhas, de tudo o que passar debaixo da vara, o dízimo será santo ao SENHOR”.(Levítico 27.30,32)

    Reparem no seguinte:

    “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Pois que dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho e desprezais o mais importante da lei, o juízo, a misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer essas coisas e não omitir aquelas”.(Mateus 23.23)

    Hortelã, endro e cominho são plantas. Dinheiro não era dizimado.

    Para entendermos o motivo pelo qual o mandamento do dízimo era exclusivamente de produtos agro-pecuários, basta entendermos a motivação principal para a existência de tal mandamento.

    “Disse também o SENHOR a Arão: Na sua terra possessão nenhuma terás, e no meio deles nenhuma parte terás; eu sou a tua parte e a tua herança no meio dos filhos de Israel. E eis que aos filhos de Levi tenho dado todos os dízimos em Israel por herança, pelo seu ministério que exercem, o ministério da tenda da congregação. E nunca mais os filhos de Israel se chegarão à tenda da congregação, para que não levem sobre si o pecado e morram. Mas os levitas administrarão o ministério da tenda da congregação e eles levarão sobre si a sua iniqüidade; pelas vossas gerações estatuto perpétuo será; e no meio dos filhos de Israel nenhuma herança herdarão. Porque os dízimos dos filhos de Israel, que oferecerem ao SENHOR em oferta alçada, tenho dado por herança aos levitas; porquanto eu lhes disse: No meio dos filhos de Israel nenhuma herança herdareis”.(Números 18.20-24)

    O motivo pelo qual o mandamento do dízimo era exclusivamente de produtos agro-pecuários é que o motivo principal de sua existência era suprir a falta de terra dos levitas. O dízimo era daquilo que eles não poderiam produzir como as outras tribos poderiam porque eles não tinham TERRA pra produzir.

    Sendo assim, é provável que Jesus não era dizimista. Ele era carpinteiro (Marcos 6.3) o que significa que ele não estava no ramo agro-pecuário. Seus pais eram pobres, pois “cumprindo-se os dias da purificação, segundo a lei de Moisés, o levaram a Jerusalém, para o apresentarem ao Senhor ( segundo o que está escrito na lei do Senhor: Todo macho primogênito será consagrado ao Senhor ) e para darem a oferta segundo o disposto na lei do Senhor: um par de rolas ou dois pombinhos”.(Lucas 2.22-24)

    Sobre essa oferta, nós lemos em Levítico:

    “E, quando forem cumpridos os dias da sua purificação, seja por filho ou por filha, trará um cordeiro de um ano para holocausto, e um pombinho ou uma rola para oferta pelo pecado, à porta da tenda da revelação, o ao sacerdote, o qual o oferecerá perante o Senhor, e fará, expiação por ela; então ela será limpa do fluxo do seu sangue. Esta é a lei da que der à luz menino ou menina. Mas, se as suas posses não bastarem para um cordeiro, então tomará duas rolas, ou dois pombinhos: um para o holocausto e outro para a oferta pelo pecado; assim o sacerdote fará expiação por ela, e ela será limpa”.(Levítico 12.6-8)

    Pelos seus pecados, Maria não sacrificou “um cordeiro de um ano… e um pombinho ou uma rola”, mas sacrificou o sacrifício alternativo destinado aos pobres, “duas rolas, ou dois pombinhos”.

    Além disso, Jesus disse que ” o Filho do homem não tem onde reclinar a cabeça”.

    É provável então que Jesus não tinha dizimista, pois ele não parece que estava dentro das qualificações necessárias pra ser um dizimista.

    Sendo assim, qualquer discussão sobre a continuidade do mandamento de dízimo precisa considerar primeiro QUAL ERA a natureza do dízimo.

  46. Yuri Almeida Diz

    Observem que, de acordo com o texto no 1º artigo, para defender o ponto de vista do VE, vocês usam Mateus 5.17-18 como base de defesa para o dízimo não ser válido para o dias de hoje, mas excluem Mateus 23.23, que mostra o contrário…

    A questão é: se é importante observar que a Nova Aliança só começou com a morte de Jesus, e não com a sua vinda, como podem afirmar que, quando Jesus disse o que está escrito em Mateus 23.23, eles ainda estavam no Antigo Testamento, e em Mateus 5.17-18 não estavam?

    Creio que o VE se equivocou em sua própria sabedoria, e escreveu algo por conta própria e não com embasamento bíblico, posto que se utilizou de versículos isolados para sua defesa de pensamento.

    Tomem cuidado. Uma coisa é dizer que é errado crer que SOMENTE 10% de tudo o que temos deve ser entregue ao Senhor, outra é dizer que dar os 10% é anti-bíblico, posto que tudo [produtos agrícolas, animais ou dinheiro, tanto faz] que está fora da Bíblia [segundo o entendimento do VE, o dízimo está fora do NT] assim deve ser considerado.

    Usando-me de parte do artigo de vocês, como o Piper diz, “toda má teologia fere o povo”.

    1. Vini Diz

      Yuri,

      Obrigado por comentar. Só peço que pegue menos pesado da próxima vez. Pode desmotivar e sei que essa não é sua intenção.

      Quanto a seu contra-argumento, creio que concordo com você. Contudo, permanece o fato que o público que Jesus falou sobre dízimo estava dentro da lei cerimonial. A mesma foi abolida em Cristo, nosso sumo sacerdote não segundo a tribo de Levi.

      Paz

    2. Yuri Almeida Diz

      Vini, peço perdão pela má impressão causada. Agradeço também que tenha respondido. Obrigado!

      Na verdade, não foi bem um contra-argumento o meu comentário. Apenas frisei o que por aqui já aprendo: não nos focarmos em versículos isolados.

      A questão é que foi errado dizer que não devemos nos ater ao que Jesus disse em Mateus 23.23, por Ele [segundo o texto do VE] ainda estar na Velha Aliança, mas que devemos nos ater ao que Jesus disse em Mateus 5.17-18, como se o dito ali fosse por Jesus já na Nova Aliança. Gerou confusão, daí o porquê de eu ter ‘copiado’ o dito do Piper.

      Se fosse para nos basearmos neste entendimento, teríamos de desprezar todos os ensinos de Jesus antes de sua morte.

      Sobre a referência a Hebreus 7, o entendimento, creio, é acertado em parte pelo VE. Paulo, realmente, mostra a superioridade de Cristo em relação ao sacerdócio do Antigo Testamento, usando Melquisedeque como um tipo de Cristo.

      Porém, sendo Melquisedeque um tipo de Cristo, quando Abraão lhe deu o dízimo, estava dando-o, em figura, ao próprio Cristo.

      Se Abraão deu o dízimo a Melquisedeque, tipo de Cristo, os crentes hoje devem dá-lo ainda àquele que é sacerdote eternamente, segundo a ordem de Melquisedeque, ficando claro, aqui, que o dízimo JAMAIS foi extinto.

      O dízimo, à luz da Palavra, nunca foi de Lei Cerimonial, como defendido pelo VE, mas de Lei Moral, no caso, de propriedade.

      O princípio de que Deus é o dono de tudo permanece, e com ele o nosso reconhecimento desta propriedade, expresso por meio do dízimo, que, sendo Deus dono dos 100%, resolve Ele nos dar 10% deste total, e não o contrário, como falsos mestres e/ou os que não conhecem a Deus pregam, que nós é que damos o 10%.

      Sobre a Lei Moral e a Lei Cerimonial, creio ser algo que TODO crente deve tomar cuidado, antes de sair comentando algo, para, como o VE bem lembrou aqui, não escandalizar o irmão e, com isto, pecar contra ele e contra o próprio Deus.

      Graça e Paz.

    3. Yuri Almeida Diz

      Corrigido: sendo Deus dono dos 100%, resolve Ele ficar apenas com 10% deste total, nos dando os 90% restante.

    4. Vini Diz

      Sua argumentação de que se Abraão deu o dízimo a Melquisedeque então este permanece não segue e não vemos nenhum reflexo disso em todo NT.
      Para provar seu argumento você teria que mostrar que havia algum comando bíblico para Abraão fazer aquilo. Se não havia, então ele deu “conforme propôs em seu coração” (ou conforme a cultura local). Logo, se há algo que permanece seria dar segundo está no coração.
      Aliás, na postagem tem uma análise deste tipo de argumento.
      O único lugar que o dízimo aparece como comando é referente ao sustento dos levitas, claramente de caráter cerimonial. Obviamente, permanece o princípio de que aqueles que pregam do Evangelho devem viver do Evangelho, mas não segue que o modo de sustento é o mesmo. Aliás, o modo de sustento que vemos por todo NT são ofertas voluntárias.

    5. Yuri Almeida Diz

      Vini, explicando novamente, se Abraão deu o dízimo a Melquisedeque, e Paulo identificou Jesus como sumo sacerdote de acordo
      com a ordem de Melquisedeque; precisamos de mais o quê para entendermos que o dízimo não deixa de existir?

      Basta ler e entender o que Paulo diz em Hebreus 7, que em minha Bíblia e na sua, é no Novo Testamento.

      A questão do dízimo, é que este nunca deve ser dado como por obrigação. Abraão o deu segundo o coração, assim como deve fazê-lo todo cristão, daí
      o porquê da não necessidade do tal ‘comando bíblico’.

      A questão do Novo Testamento focar nas ofertas, é
      tão simplesmente porquê, desde aquela época, alguns
      ‘piedosos cristãos’ focavam apenas no dízimo, como
      se cumprindo-o, tivessem alguma parte com Deus
      unicamente por causa disto, deixando de lado a oferta voluntária. E como a igreja primitiva de Cristo, claro, cumpria a Sua Palavra, o Novo Testamento foca no que antes não era cumprido, para que aprendamos com isso, e façamos o mesmo. É este o contexto de Mateus 23.23.

      Graça e Paz!

    6. Vini Diz

      Yuri, discordo.
      precisamos de mais o quê para entendermos que o dízimo não deixa de existir?
      Você leu o artigo do Túlio Cesar Costa Leite postado acima? Sua lógica é: Abraão deu o dízimo, logo devemos também dar. Então, Abraão recebeu a circuncisão antes da lei, também devemos fazer isso? Noé ficou bêbado, devemos fazer isso? Abraão quase sacrificou seu filho? Devemos todos fazer a mesma coisa fisicamente – pegar nossos filhos, subir em um monte e torcer para Deus intervir? Abraão omitiu fatos, então devemos fazer isso também?
      Desculpe, mas seu argumento não é plausível.
      Basta ler e entender o que Paulo diz em Hebreus 7, que em minha Bíblia e na sua, é no Novo Testamento.
      Só numa observação: Não é provado que foi Paulo.

      A questão do Novo Testamento focar nas ofertas, é tão simplesmente porquê, desde aquela época, alguns ‘piedosos cristãos’ focavam apenas no dízimo
      Com base no que você afirma isso? Que estudo acadêmico? Que prova? E deixa eu ressaltar uma coisa. O novo testamento não só foca a oferta. Ele fala exclusivamente de ofertas entre os cristãos e nada sobre o dever de dizimar.

      É este o contexto de Mateus 23.23.
      Amigo, sua exegese de Mt 23:23 tem alguma base? Jesus deixa bem claro que o que era ignorado não era “ofertas”, mas “o juízo, a misericórdia e a fé”. Não sei de onde você tirou esse contexto, mas você precisaria prová-lo. Como contra-prova tenho a própria resposta de Cristo e a oferta da viúva e o fato de que não eram cristãos, mas fariseus.

    7. Yuri Almeida Diz

      Vini, com todo amor, que bobagem, cara.

      O objetivo da passagem de Hebreus 7 é o de mostrar a superioridade do sacerdócio de Cristo, ou seja, acima das Lei Cerimonial. Sua confusão começa quando você não procura entender primeiro o que é o dízimo, e porquê o damos ao senhor. Percebe-se isso claramente no 4º parágrafo do 1º artigo.

      Outra, você não sabe mais o que responde, Vini, me perdoe, mas no 1º artigo você pergunta que,’quando Abraão deu o dízimo, ele o deu porque era parte da Lei ou o deu sem a Lei?’, e logo apois responde que, ‘se o deu sem a Lei, que ninguém tente impor Lei sobre isso ou trazer a abolida lei cerimonial do VT sobre nós’, e agora quebra todo o pensamento anterior, com isso de que se algo feito antes da Lei está acima desta, então a circuncisão deve perdurar, pois. Onde foi parar o teu questionamento do 1º artigo, então?

      A questão é: o que tenho eu com Túlio Cesar Costa Leite e seu pensamento? Se for pra seguirmos este entendimento, vamos todos guardar o Sábado como o fazem os adventistas, afinal, está lá, na Lei Moral, o que não tem nada a ver com os sábados cerimoniais. Levítico 23:38 expressamente distingue o ‘sábado do Senhor’ dos outros sábados.

      Observação tola e infantil a de que não é provado de foi Paulo que escreveu aquilo é risível. Por favor… Porque não comentou sobre o que lá está escrito e não quem disse ou deixou de dizer? Seja lá quem tenha dito, não importa. O importante é que está dito. Você recortar parte de meu comentário, e fugir pela tangente, foi degradante. X, Y, Z, V de Vini… Que importa quem disse? Veio do coração de Deus, está escrito, nada mais a discutir. Ponto.

      Com base em que você afirma também o seu ponto de vista aqui, além de estudos de outras pessoas, ou seja, que nem seus são? Me senti discutindo com um ateu quando você me veio com essa de pedir prova, estudo acadêmico… Já imaginou se fizessem o mesmo em Atos, quando Pedro, que não tinha instrução acadêmica alguma, nem as provas que você pediu?

      No mais, sua exegese de Mateus 23:23 é a mesma que você se utilizou em Mateus 5.17-18: CONTRADITÓRIA. Aliás, se você ‘crê que concorda comigo’, o que ainda faz com uma artigo defasado no ar, divulgando-o pelas redes sociais, bem como defendendo-o como correto, em vez de revisá-lo? Tenha postura cristã, e analise que nem sempre estamos certos em nosso entendimento.

      Se você fosse Pedro, quando Paulo o viesse exortar, você teria dito: quem é você? Você estava lá com Jesus? Você tem alguma prova? Por favor… Medite em Cristo.

      Eu não escrevi que a oferta era ignorada, o entendimento de Mateus 23.23 é simples: não devemos negligencir os preceitos mais importantes da Lei: A justiça, a misericórdia e a fé, porém NÃO DEVEMOS OMITIR as outras coisas. E que coisas são essas? São as que Jesus falava no início do próprio Mateus 23.23.

      Jesus disse, deves continuar a pagar o dízimo, mas sem esquecer os outros preceitos, o dízimo já está completamente legitimado. Nada mais é preciso acrescentar, a não ser que a Bíblia que você lê a palavra dízimo é substituída por oferta, o que geraria um outro assunto.

      Graça e Paz.

    8. Vini Diz

      “Sua confusão começa quando você não procura entender primeiro o que é o dízimo, e porquê o damos ao senhor.”
      OK. Então, por favor, COM VERSÍCULOS BÍBLICOS, mostre (1) para quê, (2) do quê e (3) quando era dado dízimo por toda bíblia.

      Onde foi parar o teu questionamento do 1º artigo, então?
      Amigo, apesar de sua indignação, tentarei responder com calma e reproduzir o argumento.
      Aqueles que advogam pelo dízimo fazem de várias formas. Citarei 3:

      (1) Jesus falou para dizimarmos (junto com não negligenciarmos os outros aspectos da Lei).
      Não, meu amigo, Jesus não disse isso para nós. Jesus falou isso a um fariseu inserido dentro da antiga aliança. “E daí?” Bom, dar o dízimo estava igualmente escrito como aspecto da Lei. Jesus fala para aqueles debaixo da Lei, no contexto da Velha Aliança, cumprir a Lei, principalmente os pontos mais importantes: amor, misericórdia, fé. Ou seja, o dízimo ao qual Jesus se referia era o dízimo da Lei.
      O dízimo da Lei era somente de produtos agropecuários para o sustento dos levitas (Mais detalhes nos comentários do Frank Brito). Então, se você vai defender que esse dízimo ainda vigora e não foi abolido como lei cerimonial, quando se trocou a ordem sacerdotal, então seja coerente e só dê dízimo de produtos agropecuários (não pode ser dinheiro – a bíblia não ordena isso) para sustento do seu pastor (aproveite e some o erro de achar que só pastores – ou músicos – são levitas).

      (2) Está na Bíblia (esse ponto se assemelha com o primeiro)
      Sim, está. Assim como circuncisão, sistema sacrificial e guarda das festas cerimoniais. Há vários entendimentos de como a comunidade cristã deve interagir com a Lei. Alguns entendem que toda Lei foi abolida e outros fazem uma divisão na Lei entre cerimonial, civil e moral e dizem que somente a moral não foi abolida. Bom, o ponto não é discutir isso. Mas de qualquer forma, ninguém defende a continuidade da lei de caráter cerimonial (circuncisão, sistema sacrificial e guarda das festas cerimoniais). Pode se argumentar que há reflexos, mas mesmo assim não é a mesma coisa.
      Então, se alguém defende que o dízimo deve ser seguido por estar na Lei, deve igualmente guardar todas as festas cerimoniais.

      (3) Abraão deu o dízimo antes da Lei para um tipo de Cristo, logo o dízimo é maior que a Lei e deve ser dado por cristãos.
      Sim, Abraão dizimou para Melquisedeque, um tipo de Cristo. Mas isso não significa automaticamente que devemos dizimar. Abraão circuncidou e quase sacrificou seu filho por amor a Deus, devemos fazer o mesmo? Não! Há atos de amor que só são entendidos dentro de seu determinado contexto histórico.
      De fato, há alguns elementos que vieram antes da Lei e que permanecem. Podemos ressaltar o casamento heterossexual. Contudo este vem em forma de decreto e tem reflexo no NT. Não vemos nenhum reflexo desse argumento com relação ao dízimo de Abraão nem no AT nem no NT. Nem sequer uma menção. Abraão deu o dízimo de todo o despojo. Ninguém dava dízimo na Velha Aliança disso, só de produtos agropecuários. Ou seja, por toda história da redenção, somado a era apostólica, não há em nenhum lugar a construção ou a aplicação deste argumento. Ressaltando novamente, o dízimo que Abraão deu era diferente do que está prescrito na Lei.
      Podemos somar ao que foi dito acima, o fato de que “uma preciosa norma de interpretação afirma que um texto descritivo pode ilustrar uma doutrina, porém não pode ser base de doutrina”. É baseado neste tipo de argumento que muitas doutrinas estranhas têm nascido. Vários profetas foram ordenados ficarem nus. Isso significa que isso é válido para todos?

      Se for pra seguirmos este entendimento, vamos todos guardar o Sábado como o fazem os adventistas, afinal, está lá, na Lei Moral, o que não tem nada a ver com os sábados cerimoniais.
      Bom, meu amigo, há 100 anos, quase toda comunidade cristã guardava o domingo. É um evento bem atual não guardá-lo.

      Veio do coração de Deus, está escrito, nada mais a discutir. Ponto.
      Foi só uma observação. Não precisa fazer chover neste copinho d’água.
      E recorto seu parágrafo para mostrar o que estou respondendo. É comum em debates.

      Com base em que você afirma também o seu ponto de vista aqui, além de estudos de outras pessoas, ou seja, que nem seus são?
      Amigo, você afirmou uma coisa e está se recusando a provar? Eu poderia afirmar: “o dízimo não é válido” E você diria: “prove”. Oras, eu não deveria provar? Chamaria você de pseudo-ateu por isso?

      Aliás, se você ‘crê que concorda comigo’, o que ainda faz com uma artigo defasado no ar, divulgando-o pelas redes sociais, bem como defendendo-o como correto, em vez de revisá-lo?
      Porque (1) não fui eu que escrevi e (2) quando for conveniente colocarei uma nota.

      Tenha postura cristã, e analise que nem sempre estamos certos em nosso entendimento.
      Sim, e você está errado no seu. Tenha uma postura cristã e se arrependa. Soou grosso né? Igualmente seu comentário.

      Eu não escrevi que a oferta era ignorada,
      Não?
      Yuri: “A questão do Novo Testamento focar nas ofertas, é tão simplesmente porquê, desde aquela época, alguns ‘piedosos cristãos’ focavam apenas no dízimo, como se cumprindo-o, tivessem alguma parte com Deus unicamente por causa disto, deixando de lado a oferta voluntária.”
      Aliás, quem são esses “piedosos cristãos”? Os fariseus?

      São as que Jesus falava no início do próprio Mateus 23.23.
      Respondi acima. Mas só uma observação. Seguindo seu raciocínio de quem não devemos desprezar o preceito do dízimo: quanto cominho você já dizimou?

      Paz

    9. Yuri Almeida Diz

      Vini,

      De acordo com teus comentários, percebe-se onde você quer chegar com a o PROVAR COM VERSÍCULOS BÍBLICOS, então, te respondo o seguinte:

      O dízimo não era somente para o sustento dos Levista, como você teima em responder – vide o dízimo de Abraão a Melquisedeque [Gêneses 14:18-24] e o de de Jacó [Gêneses 28:18-22], ou vai me dizer que Abraão estava sustentando, ali, Mequisedeque, que nem Levita era, e que Jacó estava sustentando levistas, que nem existiam ainda?

      Como já escrevi e repeti, a questão é simples: algumas pessoas afirmam que o dízimo pertence ao antigo
      Testamento, à lei, e que não temos obrigação nenhuma de pagá-lo.
      O dízimo, porém, é anterior à lei de Moisés E DEPOIS FOI INCORPORADO A ELA. [Levítico 27:30-32] e [Números 18:20-32).

      E por este, como o exemplo do casamento heretossexual citado po você, ser um PRATICA GENERALIZADA, o dízimo permanece na dispensação da Graça.

      Novamente – e infelizmente, você sai pela tangente de uma pergunta que faço, e novamente – e novamente infelizmente, você se contradiz. Vejamos:

      Você insiste em dizer que Mateus 23.23 foi algo dito a Fariseus, ainda na Antiga Aliança… E, pior, que, ou o amor, misericórdia e fé são coisas da Antiga Aliança também, e não mais da Nova, como você defendia em comentários anterior… Ou Jesus falou, numa MESMA FRASE, sobre as duas Alianças… Que confusão.

      … Outra coisa, pra que isso de (1), (2) e (3) pra essa minha pergunta, cheio de coisas que EU NÃO COMENTEI? Não usei defesa alguma dessas que você encheu línguiça. Me perdoe, mas não coloque palavras em meus dedos, por favor.

      Sobre o observar o sábado, não acha interessante você vir cheio de dedos com o tal PEDIR PROVAS para mim, mas quando você, em vez de usar a Bíblia, vem com isso de ‘comunidade cristã há 100 anos’…

      Essa de ‘não fui eu quem escrevi’ é demais, Vini. Você admite que há erro naquele pensamento contraditório, e não acha isso conveniente para mudá-lo? Se você mesmo dizer que ‘crê que concorda comigo’ já não lhe é conveniente para a correção do artigo [ou nota, como queira], então o VE está perrdido…

      Peço perdão novamente por soar grosso meu comentário. Perdoa-me!

      Não por justificação, mas apenas esclareço que percebam que o VE pode errar também.

      Volto a dizr que não escrevi que a oferta foi ignorada. PROVA disto é que você precisou me perguntar quem era os cristão piedosos, demostrando que nem entender meu comentário entendeu, daí o porquê de você ter dito o que eu não falei.

      Explicando, quis dizer o seguinte: desde sempre, algumas pessoas acham que por fazeram alguma coisa, não devem fazer outra. Exemplo: se perdoei meu inimigo, não preciso orar por ele. Entendeu, agora?

      Finalizando, se eu devo dizimar cominho [segundo o teu pensamento, que só sabe falar, ainda que errado, de Lei], pergunto: quantas propriedades suas você já repartiu entre os irmãos ou deu tudo o que você tem?

      Percebe, Vini?

      Abraços,

      Paz

  47. Vini Diz

    Yuri, paz.

    Você reclama que eu não entendo o que você escreve, mas o oposto também é verdade.

    O dízimo não era somente para o sustento dos Levista, como você teima em responder – vide o dízimo de Abraão a Melquisedeque [Gêneses 14:18-24] e o de de Jacó [Gêneses 28:18-22], ou vai me dizer que Abraão estava sustentando, ali, Mequisedeque, que nem Levita era, e que Jacó estava sustentando levistas, que nem existiam ainda?
    Cara, eu disse que o dízimo na Lei era para esse fim. Aliás, novamente, pergunto: porque devo obrigatoriamente fazer algo que Abraão e Jacó fizeram? Você não respondeu isso ainda. A Bíblia não coloca nem na Lei do Antigo Testamento, nem em nenhuma parte do Novo Testamento essa obrigação ou esse argumento. No AT como já disse, o dízimo era de produtos agropecuários e não de “tudo” como vemos com Abraão e Jacó. Ou seja, nem a Lei da continuidade plena da ação de Abraão. Já mostrei que seu argumento não procede, mas você não contra-argumentou só repetiu o que tem dito “Abraão deu, todos temos que dar”. Por favor, elabore sua argumentação melhor.

    O dízimo, porém, é anterior à lei de Moisés E DEPOIS FOI INCORPORADO A ELA. [Levítico 27:30-32] e [Números 18:20-32).
    Circuncisão também. Isso quer dizer que ela permanece? Cara, esse argumento teu já foi batido na postagem e várias vezes comentei isso. Por favor, responda as perguntas acima.

    E por este, como o exemplo do casamento heretossexual citado po você, ser um PRATICA GENERALIZADA, o dízimo permanece na dispensação da Graça.
    Não é uma prática generalizada. De onde você tirou isso? Você acha que o dízimo de Abraão é igual ao da Lei, mas não é. Já provei isso. E, novamente, o NT corrobora isso quanto ao casamento, mas não quanto ao dízimo pré-lei.
    Deixe eu colocar seu exemplo em outras palavras:
    1) Abraão fez sacrifícios.
    2) Os sacrifícios de animais virou uma prática generalizada
    3) Logo, ainda devemos sacrificar animais.
    Esta é a estrutura do seu pensamento. Ela não segue!

    Você insiste em dizer que Mateus 23.23 foi algo dito a Fariseus, ainda na Antiga Aliança… E, pior, que, ou o amor, misericórdia e fé são coisas da Antiga Aliança também, e não mais da Nova, como você defendia em comentários anterior… Ou Jesus falou, numa MESMA FRASE, sobre as duas Alianças… Que confusão.
    Cara, Jesus que disse que o amor, a misericórdia e a fé são elementos da Antiga Aliança! Você discorda disso?! Isso não quer dizer que isso não permanece. Daí, entramos no debate sobre Lei e Nova Aliança, mas acho desnecessário entrarmos nisso.
    A questão é que claramente Jesus falou do dízimo segundo a Lei e não segundo Abraão/Jacó. Há uma referência explícita à Lei.

    … Outra coisa, pra que isso de (1), (2) e (3) pra essa minha pergunta, cheio de coisas que EU NÃO COMENTEI? Não usei defesa alguma dessas que você encheu línguiça. Me perdoe, mas não coloque palavras em meus dedos, por favor.
    Por favor, grife onde eu disse que essas ideias eram defendidas por você e assim coloquei palavras nos seus dedos. Eu não afirmei que você disse isso. Eu só tentei explicar mais completamente o assunto. Cara, parece que você está propositalmente sendo chato. Está ficando tedioso e improdutivo debater com você. Começando a pensar em parar.

    Sobre o observar o sábado, não acha interessante você vir cheio de dedos com o tal PEDIR PROVAS para mim, mas quando você, em vez de usar a Bíblia, vem com isso de ‘comunidade cristã há 100 anos’…
    Só fiz uma observação. Não estamos debatendo o sábado. Caramba. Nem tenho posição sobre o assunto.

    Essa de ‘não fui eu quem escrevi’ é demais, Vini. Você admite que há erro naquele pensamento contraditório, e não acha isso conveniente para mudá-lo? Se você mesmo dizer que ‘crê que concorda comigo’ já não lhe é conveniente para a correção do artigo [ou nota, como queira], então o VE está perrdido…
    Nossa! você fez especialização em fazer chuva em copo d’água?

    Peço perdão novamente por soar grosso meu comentário. Perdoa-me!
    Então, por favor, pare de repetir o erro. Eu te perdoo.

    Não por justificação, mas apenas esclareço que percebam que o VE pode errar também.
    E onde dissemos que somos perfeitos? Leia o texto de Agostinho depois da postagem, por favor.

    Explicando, quis dizer o seguinte: desde sempre, algumas pessoas acham que por fazeram alguma coisa, não devem fazer outra. Exemplo: se perdoei meu inimigo, não preciso orar por ele. Entendeu, agora?
    Desculpe, mas esse tipo de argumento é inaceitável. Você está criando de sua mente um contexto histórico e encaixando-o na Bíblia. Eu poderia afirmar qualquer coisa assim; tipo: “desde sempre as pessoas achavam que porque Abraão deu o dízimo, elas também deveriam dar, mas não é assim, pois Abraão deu uma oferta voluntária de 10%”. Se você vai falar de contexto histórico você precisa de provas, amigo. Você não deu nenhuma. Nem da Bíblia, nem de documentos históricos.

    Quantas propriedades suas você já repartiu entre os irmãos ou deu tudo o que você tem?
    Nenhuma, pois não possuo nenhuma. Mas, aliás, sou obrigado a vender minha propriedade porque eles o fizeram? Se sua resposta for não, então por que sou obrigado a dizimar porque Abraão dizimou?

    Percebe, Vini?
    Não meu amigo, sua argumentação não é coerente.

    Paz

  48. Héber Diz

    seu comentário está aguardando moderação.
    07/11/2011 às 16:49

    Só respondendo aos que falam sobre Paul Washer, John Piper, etc., precisarem trabalhar, vos lembro que estes grandes homens são grandes escritores e tem um bom sustento de seus livros.
    A obrigação da igreja é manter seus líderes, sim, mas isso não dá aos líderes o direito de bater de porta em porta (por favor, entendam a figura de linguagem, ok?) todo dia 05 requerendo seu salário.
    Não existe salário maior e mais honrado do que ser chamado a apascentar a Igreja de Jesus!
    Quanto ao texto, concordo em número, gênero e grau.
    Nunca vi graça combinar com obrigação. Onde tem obrigação, não tem amor e sem amor não há graça.
    Paz.

  49. sandeives lopes Diz

    O dízimo não ficou restrito aos tempos do Antigo Testamento. O escritor da epístola aos Hebreus estabeleceu uma vinculação direta entre esta prática e o Novo Testamento, quando menciona o fato de Abraão ter devolvido o dízimo de tudo a Melquisedeque. Vale lembrar, inclusive, que o mesmo autor afirma ser Cristo sumo sacerdote segundo a ordem de Melquisedeque (Hb 5.10). Ora, isto quer dizer que, se a ordem é a mesma, os deveres e privilégios continuam também os mesmos, sem alteração, e isto inclui o dízimo. Devolver o dízimo, portanto, é dar seqüência, em Cristo, ao sacerdócio de Melquisedeque, que é “sem pai, sem mãe, sem genealogia, não tendo principio de dias nem fim de vida, mas sendo feito semelhante ao Filho de Deus, permanece sacerdote para sempre” (Hb 7.3).

    1. Vini Diz

      Esse argumento já foi respondido na postagem e nos comentários.

    2. Sanlopes Diz

      Melquisedeque não mandou Abrãao circuncidar-se,então a circucisão não está atrelada a ordem sacerdotal de Melquisedeque,o que quero demonstrar com o texto, é que o dizimo foi recebido por aquele que exercia e tinha a mesma ordem sacerdotal que Cristo tem.Alem do mais a circucisão esta expressamente proibida na nova aliança para o cristão,porém o dizimo vemos ser recomendado por Jesus.

  50. sandeives lopes Diz

    1. Jesus e o dízimo. O próprio Cristo não passou ao largo do dízimo. Leia (Mt 23.23,24).
    Você descobriu, entre outras coisas, que a prática do dízimo entre os contemporâneos de Jesus tornou-se legalista e ostentatória de falsa espiritualidade. Os escribas e fariseus cumpriam esta determinação para serem vistos honrados pelos homens, e não como fruto sincero de corações agradecidos. Era apenas aparência. Nada mais. Todo o texto de Mateus 23 enfatiza este lado da arrogância, da falsa religiosidade, onde a hipocrisia se reveste de justiça para tornar-se a glória de corações iníquos e apodrecidos.
    Alguns podem pensar, à primeira vista, que Jesus estivesse condenando o dízimo.
    Porém, uma leitura mais acurada do texto (verso 23) revela que Ele estava reprovando a motivação errada. Foi isto que deixou claro ao afirmar “…pois que dizimais a hortelã, o endro e o caminho, e desprezais o mais importante da lei, o juízo, a misericórdia e a fé”. Ou seja, uma coisa não podia existir sem a outra. É tanto que acrescentou: “Devereis porém, fazer estas coisas (viver o juízo, a misericórdia e a fé), e não omitir aquelas” (dizimar a hortelã, o endro e o caminho).
    O que Jesus fez foi reforçar o conceito de que o dízimo, antes de ser mera obrigatoriedade, para aparentar justiça, é um ato de fé que produz obediência voluntária aos mandamentos da Palavra de Deus.

    2. O dízimo nas epístolas. Ainda que a palavra dízimo não apareça nos ensinos do apóstolo Paulo, está implícita toda vez que ele admoesta sobre a contribuição leia (1Co 16.2).
    Duas coisas aparecem no texto: as contribuições eram feitas no primeiro dia da semana (Domingo), proporcionalmente à prosperidade de cada um. O dízimo é exatamente isto. Quando se devolve 10%, ele sempre será proporcional. Em outras palavras, quanto mais o crente prospera, mais contribui. O apóstolo
    também reitera o conceito de que a contribuição sistemática, além de proporcional, deve ser oriunda da motivação correta. Ele afirma: “Não com tristeza, ou por necessidade; porque Deus ama ao que dá com alegria” (2Co 9.7).

  51. sandeives lopes Diz

    PENSAMENTOS PARA REFLEXÃO
    “Devemos contribuir de acordo com a nossa renda, para que Deus não faça com que a nossa renda torne-se proporcional ao que damos.”

    “Há três espécies de contribuição: Com ressentimento, por dever, e por ações de graças. A contribuição com ressentimento diz: “tenho de faze-lo”; a contribuição por dever diz: “devo faze-lo”; a contribuição por ações de graças diz: “quero faze-lo”.

    1. Sônia Diz

      Gostei disso. Muito bom!

    2. Gracyane Fonseca Diz

      PERFEITO.

  52. Madeiro Diz

    Gostei… aprendi muito. Glória a Deus.

  53. Joversi Ferreira Diz

    “Esta é a minha aliança, que guardareis entre mim e vós e a tua descendência”, a circuncisão está amarrada no texto entre duas partes e apesar de ser “supra-legal” não pode se aplicar a quem não é da descedência física de Abraão.
    Já o dízimo, não. Portanto, na minha opinião, trata-se de uma prática ou até mesmo um princípio espiritual ao qual podemos sim observar hoje em dia.

    1. Pedro Diz

      “Ora, as promessas foram feitas a Abraão e à sua descendência.

      Não diz: E às descendências, como falando de muitas, mas como de uma só:

      E à tua descendência, que é Cristo.”
      (Gl 3:16)

      Todos que estão em Cristo, são da descendência de Abraão veja o vers. 29.

      Assim todos que são da fé deveriam circuncidar ?

      Jamais , pois Cristo não valeria de nada para nós (Gl 5.2). Assim também é o dizimo,

      se alguém acha que é dever dar o dizímo, eu me atrevo a dizer que um véu ainda

      esta posto sobre o coração deste (2Co 2.15).

    2. Sanlopes Diz

      E OBVIO QUE EXISTE OS DESCENDENTES ESPIRITUAIS DE ABRÃAO E OS QUE SAIRAM DE SEU LOMBO.
      EM RELAÇÃO O DIZIMO JESUS TEM A MESMA ORDEM SACERDOTAL DE MELQUISEDEQUE POR ISSO JESUS TAMBEM RECEBE DIZIMO,
      QUANTO A CIRCUCISÃO ELA FOI CLARAMENTE PROIBIDA PARA O CRISTÃO.

    3. Jonathas Silva Diz

      ué a circuncisão também trata-se de uma prática e até mesmo um princípio espiritual,seu argumento é falho.

  54. luiz wanderson macedo tome Diz

    jesus disse nao estou aqui para desfazer a lei e sim pra comprila exemplo= des do momento em q ele nasceu ja estava escrevendo uma nova historia podemos ver isso ele disse q deus era senhor dos sabados e disse se cair uma ovelha no buraco vc nao pularia para pega-la mesmo sendo no sabado entao pq eu nao posso cura-lo estava na lei q nao podiam trabalhar no sabado vendo isso vc pode afirma q jesus estava refazendo os seu mandamentos e deixando saber q ele estava acima da lei ja nao depois da sua morte e q o exemplo da viuva ja estaria valendo e no novo testamento tem sim q fala sobre dizimo em mateus 23-23 jesus deixa bem claro q temos q dar o dizimo e nos deixa bem claro o q é dizimo é hortelã ,endro e o cominho ( alimento ) mais tem alguns pastores q estão invertendo isso para dinheiro pregando uma mentira pq quando a palavra de deus fala uma coisa é aquilo mesmo vc nao pode acrescentar e nem tirar então dizimo e alimento mais o q as igreja fariam com os 10% de nossos alimentos hj em dia te falo q se dizimo fosse alimento ninguem passaria fome nesse brasil ai vc me perguntaria e como a igreja se manteria ai vem o vesciculo da viuva q ela deu o seu melhor para deus mais foi a oferta q é melhor do q o dizimo pq é dar e de coraçao se dizimo fosse dizimo mesmo e oferta fosse oferta mesmo realmente nao faltaria nada pra ninguem e é por isso q o povo esta triste em dar o dizimo pq é uma obrigação ja a oferta nao e dar o quanto vc pode ou o q deus determina no seu coraçao
    1 ,2 ,3 ,10, ou 1000 reais e …..
    a palavra é bem clara oferta é dinheiro e dizimo é alimento so q transforma dizimo em dinheiro é um grande negocio pq assim os pastores sabem o quanto podem ganhar mais digo a mentira q mamon colocou na igreja vai ter um fim e a casa de deus vai voltar como ser a ser feliz pq o povo vai descobrir a verdade e ofertara com muito mais amor pq oferta e dar e ate aqueles q nao tem oferta podem dar a sua propria vida a deus q é o mais importante .

  55. Day Diz

    Huum não acho questão de dizimo secundário pelo menos nos nossos dias, todos lidamos dia-a-dia com dinheiro e o mundo de hj gira em torno da grana e até as igrejas estão caindo em grandes erros por conta do dinheiro! Deveríamos estudar mais fundo isso e não devemos ignorar que este assunto é muito importante para os Cristãos não só o dizimo mas finanças em Geral a ig tem q saber lidar com isso! Eu gosto de dar o Dizimo pq isso significa que dou a primazia a Deus ! não ignoro que temos q ofertar e ajudar com o ministério do qual fazemos parte que precisa de sustento e tbm que devo ajudar o meu próximo com o q ele precisar… mas eu quero me aprofundar no assunto..

  56. Daniel Diz

    Este assunto por R.C Sproul

    http://monergismo.com/rc-sproul/dizimo-hoje/

    1. Vini Diz

      Daniel,

      Li o artigo do Sproul, e apesar de todo respeito que tenho por ele (e é grande), não posso concordar com um argumento fraco como:
      “Embora isso fosse parte da lei do pacto de Israel no Antigo Testamento, não creio que tudo que Deus exige de seu povo no Antigo Testamento esteja cancelado se o Novo Testamento silencia a respeito”

      Obviamente, o errado aqui pode ser eu (e há grande probabilidade rs), mas isso não me soa como um argumento convincente, nem que encontre respaldo bíblico, tendo em vista que a lei cerimonial foi cancelada. Contudo, este assunto entra na harmonia Lei x Evangelho, o que confesso que de falta muito para eu aprender.

      Paz

    2. Matheus Bertoluci Diz

      eu concordo, eu li este artigo faz um tempo, postei um comentario no site (que no caso, não foi pro ar…) usando a mesma defesa que tu usou, tambem acredito que o argumento ultilizado pelo Sproul foi de fato, fraco.

  57. fabi Diz

    Essa questão do dízimo no novo testamento eu vejo assim: quando vc se converte de verdade,vc se torna livre,o que quer dizer: se desprender deste mundo como se não fôssemos daqui e aí entra o consumismo,quer dizer que vc dá a Deus 10% e os 90% vc gasta como?a oferta da viúva pobre eu a admiro e quero chegar a ter aquela atitude,porque ela mesmo sendo tão pobre foi fiel à obra do Senhor,isso não queria dizer que Deus dali em diante a transformou numa nova rica,que dali em diante trouxe a prosperidade,mas sim vejo que sua obediência à lei foi mais importante,e que Jesus depois de Ressurgir Vitorioso e sendo a nova Aliança trouxe um alívio aos que estão cansados,oprimidos como aquela viúva pobre,que de agora em diante ela daria a Deus sem ser imposta por nada nem ninguém.Mas sua oferta com alegria seria finalmente entregue a Deus sem olhares dos Hipócritas e Republicanos.

  58. Leandro Santos Diz

    no argumento Túlio César em relação a Melquisedeque eu nao estou entendendo o argumento: Ele ta dizendo que abrãao circuncidou-se(Gn 17:23-27) antes da lei ser estabelecida. Mas em Gn 17:10 tem a ordenança para ele se circunsedar
    então o que ele quis dizer com ”antes de a lei ser estabelecida” ?

    por favor me respondão

    grato!

    1. Vini Diz

      Por “Lei” ele se refere a Lei Mosaica.

  59. DANIEL ROMÃO DA SILVA Diz

    Ola amados,peço que me desculpem se ñ vou fazer comentarios,mas sim pedir as orações de vocês a meu favor e de minha família…..Peço que orem para a salvação de minhas filhas e esposa…..Que o ESPÍRITO SANTO faça a obra para q possam ser salvas.Peço perdão mais 1 vez sobre o assunto,mas é que ñ encontrei 1 janela sobre pedidos de oração ….Qualquer coisa meu e-mail esta ai Que a graça e a paz do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo .

  60. James Costa Moura Diz

    Ainda me resta dúvidas, pois muitos defensores ferrenhos do dízimo utilizam muito Malaquias 3.-12 para justificar.

  61. Reforma Já Diz

    Olá, a paz Vini!

    Convido o amigo a ler um TCC acadêmico/teológico sobre o “dízimo” que está postado no site [ http://www.reformaja.org ] no link “arquivos”: A sombra do Templo no Dízimo e na Igreja.

    Também acreditamos que o material produzido faça parte do vosso ambiente de estudo e análise. Por esta razão, leia a pesquisa até o fim se for possível, pois o desenvolvimento do texto é realmente desafiador.

    Um abraço!

  62. Felipe Diz

    E se eu entregar o dízimo como sendo o valor mínimo que eu possa contribuir?
    Digo, atualmente estou preparando as coisas para casar, então penso que estou em um momento díficil para dar muito mais. Na verdade, eu sempre poderei dar mais, e eu poderia dar tudo de coração, e deixar de casar, mas tenho crido que o Senhor me chama a amar minha noiva (visto que meu amor não é perfeito) e isso faz parte da glória de Deus em minha vida e aprendizado para conformação com Cristo.
    Talvez eu só deva orar mais e confiar em Deus, fazendo o que por Seu Espírito Ele colocar em meu coração.
    Alguém pode me ajudar? Um conselho bíblico, uma orientação. Tenho medo de estar sendo avarento em algum momento, e isso não só em relação ao dinheiro, mas a qualquer vaidade desse mundo, e isso é idolatria. Não quero deixar de amar o meu Deus (não sei o que está acontecendo comigo, mas estou com vontade de chorar no momento em que escrevo). Uma vez vi um video do John Piper em que ele disse algo como “os bens estão nos matando”. Eu temo isso na minha vida, pois desejo muito ver Cristo recebendo toda glória que pode receber dela.
    A paz aos irmãos, e que o Senhor seja louvado com sinceridade de coração. Bendito o Nome do Senhor. Amém.

    1. Vini Diz

      Não há problema nenhum se você propôs em seu coração dar com alegria no mínimo 10%. Contudo, exatamente quanto você deve dar é quanto você propôs em seu coração e está alegre em dar.

  63. Josué Madeira Diz

    Paz seja convosco
    Não sou dizimista, pois creio, com base nas escrituras que não devo seguir ensinamentos de enganos e também nos alerta para tomarmos cuidado com aqueles que fazem das escrituras, comércio. Digo isto, pois fico triste e me incomoda muito ver os pastores da minha igreja e de outras, também, ameaçando e amaldiçoando seus membros com Malaquias 3:10. As Escrituras nos mostra que “cada um contribua segundo propos em seu coração e conforme as suas posses”. Sendo assim, não deveriam empurrar, “goelha abaixo”, dos crentes, Malaquias 3:10. Deveriam, sim, ensinar conforme Paulo ensinou.

  64. Carlos Diz

    O dízimo é um dos assuntos que mais dividem as igrejas (que se dizem) de Cristo; acontece que não importa se você acredita na obrigatoriedade do dízimo ou não.
    Quando o Senhor voltar, pode ter certeza que não vai ser por 10% do seu ganho ou a falta dele que seremos salvos ou condenados. Esses debates só servem para dividir o corpo. Nada mais.

    1. Vini Diz

      Nunca vi uma denominação nascer por causa do dízimo.

  65. Carlos Alberto Bachtold Diz

    Amados,
    Em relação ao “dízimo”, lemos em ML. 3:10 que os dízimos deveriam ser levados à “casa do tesouro”, para que houvesse “mantimento na minha casa, diz o SENHOR…”. No Antigo Testamento o templo em Jerusalém era considerado a “casa de DEUS”, tanto que lemos no Salmo 122:1 –> “Alegrei-me quando me disseram: vamos à casa do SENHOR”. Entretanto, após a chegada de JESUS, cumprindo todas as exigências da Antiga Aliança (pois ele não veio abrogar, mas cumprir a lei), JESUS estabelece uma Nova Aliança no Seu sangue (leia-se Hebreus caps.7 a 10). Deixa de existir judeus e gentios e passa a existir “a Igreja”… ELE reconciliou ambos os povos (judeus e gentios) através da cruz, criando em si um “novo homem”, uma “nova raça” – se alguém está em CRISTO, nova criatura é…
    Na Igreja, cuja história começa em Atos dos apóstolos, não encontramos quaisquer menção de dízimos… Há, sim, a contribuição e as ofertas, pois TUDO que temos é do SENHOR, e nós somos apenas mordomos, devendo dispor de tudo (e não apenas de 10%) de acordo com a vontade do SENHOR. É importante ler-se a carta aos coríntios, onde Paulo dá orientações sobre a questão financeira. Lamentavelmente, entretanto, hoje as denominações ditas “evangélicas” têm adotado o mesmo sistema “romano” de culto, onde existem os “profissionais da fé” e os “membros de banco” ou os “clérigos” e os “leigos”… Tal prática é condenada pelas Escrituras, onde todos somos membros do Corpo de CRISTO – a Igreja, e onde todos somos também mordomos. Uns contribuem com mais, outros com menos… Mas não há um “percentual” estipulado para a Igreja… É importante entendermos os princípios que envolvem os dois concertos. Um no Monte Sinai e outro no Calvário. Um pelo sangue de bodes e animais nédios, e outro pelo sangue de JESUS.

    A suma de tudo, é que temos que servir ao SENHOR com tudo que temos e somos, e não apenas com um percentual de nosso salário… Por exemplo, se seguirmos a “lei” do dízimo, temos que dar o dízimo de tudo… Isso inclui 2:40hs do dia de 24hs. Quem o faz??

    No amor de CRISTO,
    Carlos.

  66. Irmão Leo Diz

    Graça e Paz

    Como vou dar com alegria, para sustentar aquilo que me entristece?

    Ver a ganância tomar conta e segar líderes que deveriam ser exemplo de renuncia a este mundo. Líderes que deveriam nos inspirar à viver em total devoção e apaixonados pela exaltação da pessoa de Cristo, estão na realidade exaltando o dinheiro com seu estilo de vida.
    Creio em 100% e não em dízimo. Glória a Deus pelo “Voltemos ao Evangelho”.
    Creio no controle soberano de Deus em fazer brotar um desejo puro, no coração dos tranformados

  67. Irmão Leo Diz

    Continuando…
    A obra de Deus é sustentada pelo ardente desejo de ver o nome de Jesus engrandecido entre todos os povos, e é Deus, quem coloca no coração dos ofertantes este desejo. Isto é dar com alegria! E com meu suor, participar do planejamento perfeito de um Deus que não falha é uma honra.

    Os pastores que não pregam o Evangelho Genuíno, nunca serão inspiração para seus ouvintes à ponto de serem exemplos de mentes transformadas pela Glória de Deus, por esta razão terão que obrigar, manipular e ameaçar as pessoas a darem dízimos dos salários como se fosse para a obra de Deus, quando no entanto, estão roubando para sustentar uma vida de luxúria. 

    Quando Jesus expôs os fariseus por que amavam ao dinheiro (Lucas 16:15) Disse-lhes: Vós sois os que vos justificais a vós mesmos diante dos homens, mas Deus conhece os vossos corações, porque, o que entre os homens é elevado, perante Deus é abominação.

    Até o ímpio pode ver que o dinheiro é mais desejável do que Cristo no meio evangélico.

    Sabemos que o dízimo é uma questão secundária, mas a idolatria não é, e vai precisar de um milagre de Deus para os líderes largarem este boneco de papel chamado dízimo.

  68. Fernando Fernandes Diz

    Eu particularmente sou dizimista, não por temer as maldições que porventura poderiam cair sobre mim se não ministrasse o dízimo, mas por entender que a igreja precisa de ser sustentada, e utilizar um parâmetro mensuravel para contribuições é algo que pessoalmente considero salutar.
    Por conhecimento de causa, fora raras exceções (como mostra ser a postura do autor do texto, que oferta 10% de seus ganhos), quem é contrário ao dízimo o faz por simples mesquinharia; incapazes de se desprenderem do dinheiro ofertam o mínimo necessário; A velha história do onde está seu tesouro ali está seu coração.
    Assim entendo que se uma norma não foi tacita ou explicitamente revogada por norma posterior ela continua válida, e pra mim é o caso do dízimo.
    Assim creio que o termo final seia mais ou menos assim:
    1. Se você membro é contra o dízimo por simples apego ao dinheiro, se converta.
    2. Se você pastor é a favor do dízimo pelo simples apego ao dinheiro, se converta.
    3. Se você entende que ministrar a Deus parte daquilo que percebeu é algo salutar à você e a sua igreja, não importa a nomenclatura, o que importa é a atitude de seu coração ao fazê-lo

  69. Rodolfo Belchior Diz

    Graça e paz,
     acredito que o debate sobre o dízimo seja muito complexo, porém gostaria de levantar apenas um questionamento sobre o texto citado de Túlio Cesar Costa Leite, que compara a atitude do dízimo com a da circunsição, relacionando à figura de Abraão, se o dízimo pode ser reinvindicado como acima da lei, bem como deveríamos circuncidar. Porém os apóstolos no Novo Testamento, em Atos em especial discutiram a questão da circunsição e deixaram bem claro quanto à não aplicação desta prática, porém não abordaram a questão do dízimo, daí me vem o questionamento: será que não estava posto o que Cristo declarou em dar a Deus o que é de Deus e a César o que é de César? O que é de Deus no contexto falado que era a questão da renda, dos impostos, ou seja, de finanças? Não era o dízimo? Assim não fica posto que tal prática não era aceita como correta e necessária como uma forma mínima de obediência a Deus? E mínima mesmo uma vez que a orientação é que o bom servo vai além das ordens de seu senhor? Acredito que caiba uma reflexão mais cautelosa quanto a questão do dízimo.

    1. Vinícius Musselman Pimentel Diz

      Paz Rodolfo,
      1) Abraão
      O argumento usado era: “o dízimo precede a lei e, portanto continua válido”. Para este argumento a resposta é: “a circuncisão também. Ela continua válida?”.
      Você apresentou o seguinte argumento (pelo que entendi): “tudo o que é estabelecido antes da lei, mas não é combatido no NT vigora”.
      Minha resposta é:
      Precisamos primeiro considerar que não existe o fator de exemplo em Abraão dando o dízimo. O NT não coloca essa atitude como exemplo a ser seguido em nenhum momento. Coloca a fé de Abraão como exemplo, mas não o dizimar.
      Então, todo argumento dizendo “Abraão deu, devemos dar” não encontra reflexo nenhum no NT.
      2) Deus e César
      Dar o que é de Deus para Deus não é o mesmo que dizimar. Podemos até considerar a questão de finanças, mas não vemos nenhum exemplo de dízimo no NT, só de ofertas. Então, o mais evidente é que dar ofertas voluntárias é a expressão de “dar o que é de Deus para Deus”.

      Sendo assim, permaneço nestes argumentos bíblicos.

    2. Jonathas Silva Diz

      Deus e César
      Dar a Deus o que é de Deus: é dar o que sempre lhe pertenceu o (temor, a Glória, o respeito e etc). cumprir todas as obrigações com o estado, não por medo de ser punido pelo seu representante(César) mas pelo temor à Deus. Deus não é dono de parte e sim de tudo…. o ensinamento de Jesus nessa passagem não é dízimo.

  70. Pr.Irio Diz

    Eu assisti o video do Pr. Piper e creio que tanto ele como o Rv. Hernandes dias lopes devem ser respeitados em suas posiçoes.
    Sinceramente, sem querer discutir a exegese dos textos, porque reconheço que não encontraremos base para dizer que o dizimo é mandamento para Igreja, mas apesar disso não creio que uma pessoa que dá um valor inferior a 10 por cento seja digna de nosso respeito!
    Uma pessoa assim não pode dizer que ama Deus sobre todas as coisas.
    Salvo, se esta pessoa estiver em grande necessidade. se for o caso, essa pessoa deveria estar sob o cuidado da Igreja.

  71. Eliezer Diz

    A minha pergunta é: entao quer dizer que existem textos da biblia que só é valido pro antigo testamento e que não são mais validos no novo? Existem textos que são inuteis para nós que estamos na nova aliança porque ele era apenas da antiga aliança? O que eu faço com esse texto que ta na biblia?

    … se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós uma bênção tal até que não haja lugar suficiente para a recolherdes.Malaquias 3:10.

    E essa profecia? O que eu faço com ela? O que eu faço com esse texto? Vou rabiscar ele da biblia entao ja que nao serve pra nada?

    se
    eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós uma bênção
    tal até que não haja lugar suficiente para a recolherdes.

    Malaquias 3:10
    se
    eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós uma bênção
    tal até que não haja lugar suficiente para a recolherdes.

    Malaquias 3:10

    1. Carlos Diz

      Você já reparou que Paulo falou abertamente que a Lei pela sua inutilidade e fraqueza foi substituída por um novo pacto? Paulo respondeu suas dúvidas…Leia seu novo testamento com atenção sem presuposições que isto ficará claro.abraço.

  72. Felipe Soldado de Cristo Diz

    Rapaz, eu sou presbiteriano, e gosto muito da igreja onde eu congrego, e gosto muito do meu pastor. Porém, ele é um ferrenho defensor do dizimo como obrigação, inclusive já pregou sermões e tudo falando sobre isso. Eu não tenho problema em pertencer á uma igreja que defende o dizimo, o problema é que ele as vezes prega defendendo essa prática.

  73. cleidson Diz

    muito bom Carlos seu ultimo parágrafo, para que as pessoas parem de murmurar e praticar mais e mais o evangelho. amémmmmmm……muito boa mesmo

  74. nalva Diz

    Essa questão do dizimo, assim como outras leis veterotestamentarias é assunto de muita discussão nos circulos religiosos.

    Particularmente creio que todas as leis do AT devem ser seguidas, com exceção daquelas que claramente no NT não são aplicáveis. Ex.:

    Leis civis: terminaram com o fim da nação de Israel como teocracia

    Leis cerimoniais: encontraram seu cumprimento em Cristo. Eram sombras da realidade que é Cristo.

    Leis de saude: Obviamente se aplica, pois os cristãos são o templo do Espírito Santo. Todo cuidado com higiene, alimentação são principios universais e atemporais. Creio que precisamos extrair o principio de cada lei. Estamos vivendo num momento diferente dos israelitas quando receberam as leis de Deus. Não estamos mais no deserto e não vivemos como escravos no passado, porém o principio por traz dessas leis permanecem.

    Leis morais: Tem que ver com o carater de Deus. São universais e atemporais.

    A questão da circuncisão: Claramente os apostolos rejeitaram-na no NT. A circuncisão identificava o povo de Israel como descendentes de Abraão na carne. Agora pela fé somos aceitos como filhos de Abraão. A circuncisão que vale é a do coração

    A questão do dizimo: Não posso invalidar um principio estabelecido por Deus baseado exclusivamente no argumento do silêncio. Sendo assim encontro o apóstolo Paulo argumentando a respeito de salario dos obreiros usando como base o lei de Deus dada a Moisés 1Co 9:6-14. Nos escritos de Paulo vemos claramente que ele afirma que os que pregam o evangelho que vivam do evangelho. Claro que em alguns lugares ele não usou desse direito em beneficio próprio, mas em outros sim 1Co 9:12,15; 2Co11:8. Ao olhar para as Escrituras como um TODO (2Tm 3:16-17) entendo que o dizimo continua para igreja cristã para manutenção do ministério de dedicação exclusiva.

    A questão da Lei: É fato que nos escritos de Paulo encontramos afirmações positivas e negativas referente a Lei. Sendo assim, após dedicar muitas horas de estudo sobre o assunto, vendo argumentos contra a continuidade da Lei e também argumentos a favor, entendo que a igreja gentilica foi enxertada na “oliveira israelita”. Sendo assim na nova aliança, onde a lei de Deus é impressa no coração (Hb 8:8-10) dos santos entendo que há leis que continuam e outras que cessaram e isso pode ser entendido a luz dos escritos dos apóstolos, inclusive Tiago, João, Pedro e não somente os escritos de Paulo.

    As leis que continuam devem agora ser praticadas de acordo com o ensino e exemplo de Cristo em sua obediencia, pois ele é o ministro de superiores promessas. Veja por exemplo o sermão do monte e também os debates de Cristo com os fariseus. Jesus não invalida a Lei, mas revela o que significa realmente obedecer a Deus e não a tradições humanas.

    Tanto é que quando Cristo deixou sua comissão aos discipulos, disse: “ensinando-os a obedecer a tudo…”

    Graça e paz a todos os irmãos. Que o Senhor ilumine nossas mentes sempre.

  75. Régis Assunção Diz

    Sejamos práticos aqui: alguém sabe de alguma igreja evangélica, além da Congregação Cristã, que não pregue dízimos? Se souberem, pelo amor de Deus, me digam.

    1. Vinicius Farias Albuquerque Diz

      Igreja de Jesus em Fortaleza

  76. Victor Hugo Paiva Diz

    As igrejas evangélicas pregam o dízimo, pois é o sustento da maioria delas, e isso é válido. Mas, concordando com o texto, o ideal é não dar tanta prioridade, nos dias de hoje, exatamente pelo motivo de escândalo. A pessoa não deve ser quase que obrigada a entregá-lo, senão estaríamos voltando à Lei (Colossenses 2.20-23). Quem realmente for salvo, dará, e com alegria, pelo espírito, e não porque será retaliada por Deus, ou não ganhará bençãos.

  77. Ricardo Nogueira Diz

    Espero que isso http://saibadaverdade.com/Dizimo.html possa esclarecer essa questão.

  78. Wallace Basto Diz

    “Qualquer ensinamento que não se enquadre nas Escrituras deve ser rejeitado, mesmo que faça chover milagres todos os dias” (Martinho Lutero).

  79. Paulo Machado Diz

    O sacerdócio Araônico é valido ainda hoje , ele existe nas igrejas atuais ? Essa ordenança são passadas ainda hoje para membros da igreja ?

Comentários estão fechados.