Jonathan Parnell – Dinheiro, Posses, e Deus Nunca te Deixará

Hebreus 13:5 é um versículo simples, mas o argumento é incrível. Os leitores da Escritura sabem que o amor ao dinheiro é perigoso (Mateus 6:24; Lucas 16:13; 1Timóteo 3:3; 1Timóteo 6:10; 2Timóteo 3:2), mas aqui o autor de Hebreus nos dá mais.
Os dois mandamentos nos versos 5a e 5b têm uma importante conexão. Ambas as ordens são positivas: “seja a vossa vida livre do amor ao dinheiro” e “contentai-vos com as coisas que tendes.” Podemos ver que o “amor ao dinheiro” faz paralelo com “o que você tem.” Portanto, as ordens de liberdade e contentamento são, de certa forma, relacionadas às suas posses.
Usando o Biblearc.com, representei a relação entre os versos 5a e 5b para serem uma progressão [P]. O mandamento de se manter livre do amor ao dinheiro (a possibilidade de ter mais) progride à ordem de contentar-se com o que temos agora.
Isso seria o suficiente para nós. Mas o autor vai adiante. Ele nos dá uma base para esta liberdade e contentamento.
Seja a vossa vida livre do amor ao dinheiro e contentai-vos com o que tendes, pois ele tem dito: “De maneira nenhuma te deixarei, nunca jamais te abandonarei.”
A ordem para que sejamos livres e contentes está baseada [G] na promessa de que Deus está sempre conosco. Neste ponto, vamos mais fundo neste texto para uma reflexão teológica.
A base de nossa libertação do amor ao dinheiro e nosso contentamento com o que temos é que Deus está sempre conosco (declarado negativamente na promessa “de maneira nenhuma te deixarei”).
Então como a presença de Deus está relacionada ao dinheiro ou às posses? Nós podemos ser livres de querer mais e ser felizes com o que temos porque temos Deus.
A libertação do amor ao dinheiro e o contentamento com o que temos têm sua base na realidade de que podemos sempre dizer que “temos patrimônio superior e durável” (Hebreus 10:34). O SENHOR é a nossa porção. Por causa da morte e da ressurreição de Jesus por nós e a obra despertadora do Espírito, Deus se tornou nosso tesouro. E ele que é o mais desejável nunca nos deixará. Ele nunca nos abandonará.
DOWNLOAD:

Por Jonathan Parnell. © Desiring God. Website:desiringGod.org
Tradução: voltemosaoevangelho.com
Permissões:
Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que adicione as informações supracitadas, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

6 Comentários
  1. Lunar Diz

    BENDITO SEJA DEUS, NO ALTO DE SUA GLÓRIA.
    O SENHOR TODO PODEROSO, FONTE E ORIGEM DE TODA VIDA, PROMETE E CUMPRE.
    GLÓRIA À DEUS, ONTEM, HOJE E PARA TODA A ETERNIDADE.
    Some-se a Hb 13.5 a palavra em Jo 15.16!
    Senhor, obrigado, por nos amar, por nos escolher.
    MIL VEZES GLÓRIA À DEUS.
    … e não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo ceifaremos, SE NÃO HOUVERMOS DESFALECIDO… Gl 6.9

  2. Diogo Carvalho Diz

    Amém!!! Que texto excelente!

    “Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom” (Mt 6.24).

    Tenho entendido que Deus usa alguns meios para nos disciplinar quanto ao perigo do amor ao dinheiro e quanto à dependência dele:

    O principal é o dízimo. Creio que esse mínimo de 10% é uma equação perfeita criada por Deus para nos condicionar à confiança nele e, ao mesmo tempo, ao desapego ao dinheiro. Entregar 10% me ajudarão a viver em liberdade quanto aos outros 90%. Se tudo é dEle, deveria ser simples para mim abrir mão de 10%. Por que muitas vezes não é?

    Outro sistema são os pagamentos de impostos, que, mesmo injustos e exorbitantes, devem ser observados pelos cristãos.

    Por último, o "não furtarás" também auxilia nessa santificação contra o amor ao dinheiro. Devemos aprender a nos contentar com o que temos: Deus é suficiente, de modo que não precisamos furtar para obter aquilo que Deus não nos deu. Aliás, isso já encerra a questão da pirataria.

    Por fim, ser livre do amor ao dinheiro é uma bênção espiritual infinitamente mais preciosa do que qualquer bênção material que possa advir da entrega do dízimo ou das ofertas.

    Só o cristão verdadeiro pode querer ser santo, inclusive nas finanças. Qualquer pessoa pode querer ser rica.

  3. Anonymous Diz

    Teologia… voltas e voltas para dizer exatamente o que já está escrito…

  4. (-V-) Diz

    Anônimo,

    E você acha que teologia é o que? Dar voltas e voltas para inventar algo que não está escrito?

  5. Vinícius Pimentel Diz

    A simplicidade desse texto torna ainda mais clara a sublime beleza da verdade bíblica. Excelente!!!

  6. Consultora Educacional Diz

    Gosto muito dos artigos de ótima qualidade do seu Blog. Quando for possível dá uma passadinha para ver nosso Curso de Informática Online. Daienne.

Comentários estão fechados.