O Natal e o Nome do Menino

“Ela dará à luz um filho e lhe porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos pecados deles” (Mateus 1:21).

Não precisamos ir mais longe do que isso para entender o significado do Natal. Está tudo no nome do Menino.

De acordo com o relato acima do Evangelho de Mateus, o nome de Jesus Cristo foi dado pelo anjo Gabriel quando anunciou seu nascimento a José, desposado com a virgem Maria. Gabriel não somente disse que Maria estava grávida pelo Espírito Santo de Deus como orientou José a chamar o filho de “Jesus”.

A razão para este nome, cuja raiz em hebraico significa “salvar,” é que aquele menino, filho de Maria e Filho de Deus, haveria de salvar o seu povo dos seus pecados, conforme anunciou o anjo.

Não precisamos ir mais longe do que isso para entender o significado do Natal. Está tudo no nome do Menino. No nome dele, Jesus, temos a razão para seu nascimento, a sua identidade e a missão de sua vida. Em outras palavras, aquilo que o Natal realmente representa.

A razão do seu nascimento é simplesmente esta, que somos pecadores, estamos perdidos, não podemos resolver este problema por nós mesmos e precisamos desesperadamente de um Salvador, alguém que nos livre das consequências passadas, presentes e futuras dos nossos erros. Deus atendeu nossa necessidade escolhendo um homem como nós para ser nosso representante e Salvador, alguém que partilhasse da nossa humanidade e fosse um de nós. Esse homem nasceu há dois mil anos naquela manjedoura da cidade de Belém, num pais remoto, lá no Antigo Oriente. E ganhou o nome de Jesus por este motivo.

Sua missão era assumir nosso lugar como nosso representante diante de Deus e sofrer todas as consequências de nossos pecados, erros, iniqüidade, desvios e desobediências. Em vez de castigar-nos com a morte eterna, como merecemos, Deus faria com que ele a experimentasse em nosso lugar, que ele experimentasse toda dor e sofrimento conseqüentes dos nossos pecados. Essa missão foi revelada logo ao nascer pelo anjo Gabriel ao recitar seu nome a José: Jesus.

Para nos salvar de nossos pecados, ele teria de sofrer e morrer, ser sepultado, ficar sob o domínio da morte e desta forma pagar inteiramente nossa dívida para com Deus. Somente assim poderíamos ser salvos das consequências eternas de nossa desobediência. Mas, para que os benefícios de seu sofrimento e de sua morte pudessem ser transferidos a outros seres humanos, ele não poderia ter pecado ou culpa pois, senão, ao morrer, estaria simplesmente recebendo o salário do seu próprio pecado. Mas, se ele fosse inocente, sem pecado e perfeito, sua morte teria valor para os pecadores. Por este motivo, ele foi gerado pelo Espírito Santo no ventre de Maria, ainda virgem, Filho de Deus, sem pecado. O Salvador tinha que ser Deus e homem ao mesmo tempo.

Clique para baixar este texto

Quando um colunista, que objeta ao nascimento sobrenatural de Jesus, escreveu recentemente em um jornal de grande circulação de São Paulo que virgens não dão à luz todos os dias, ele estava mais certo do que pensava. Esse é o único caso. Jesus é único. Deus e homem numa só pessoa. Nem antes e nem depois dele virgens engravidam sobrenaturalmente. Da mesma forma que Deus não cria mundos todos os dias, também não gera salvadores de virgens cotidianamente. Pois nos basta este.

O famoso teólogo suíço Emil Brunner disse que todo homem tem um problema no passado, no presente e no futuro. No passado, culpa. No presente, medo. E no futuro, a morte. Jesus nos salva de todas estas consequências do pecado: nos perdoa da culpa de nossos erros passados, nos livra no presente do medo ao andar conosco e nos livrará da morte pois ressurgiu dos mortos e vive à direita de Deus. Um dia haverá de nos ressuscitar.

É isto que o Natal representa. É por isto que os cristãos o celebram com tanta gratidão e alegria. Nasceu o Salvador. Nasceu Jesus! Como este anúncio alegra o coração daqueles que têm culpa, sentem medo e sabem que vão morrer!

Por Augustus Nicodemus Lopes | tempora-mores.blogspot.com

20 Comentários
  1. Isabel Ferraz Diz

    Gostei muito da mensagem. Fui convidada para gregar na igreja em que sou membro, estou orando pedindo a direção do Senhor para o que E´le quer para sua igreja na noite de 25 de dezembro. Estou lendo estudos mensagens cujo tema seja o nascimento de Jesus. A mensagem em questão é simples, direta e fala muito ao coração.
    Deus abençõe!

  2. Joabe Diz

    Tudo gira em torno da nossa sociedade consumista. Somos ensinados a DAR presentes, a RECEBÊ-LOS, a COBRÁ-LOS se for necessário. A elaborar listas de pedidos a um símbolo imaginário, a desmerecer o trabalho dos pais ao redor do ano, ao estresse gerado pelas reuniões e despesas extras. Tudo sob um disfarce de alegria, gratidão, amor e paz que dura apenas um dia. Depois vêm as contas do cartão de crédito, a realidade cruel e triste e a solidão.

    Leia mais:
    http://www.metanoiaindutiva.com/2011/12/natal-de-quem.html

  3. ivson kleber Diz

    muito bom o post, principalmente como disse nosso amigo Jesus ficou esquecido e lembra-se mais de dar presentes e do velho noel q nao existe esse conto mentiroso enchertado em nossa sociedade.

  4. tito monteiro Diz

    Eu não estava lá por ocasião do nascimento de JESUS, NÃO VÍ,mas creio que aconteceu.
    ELE orou por mim ,confere em João 17; eu não ví a sua ressureição mas creio que aconteceu – isso é fé.tito from brasília.

  5. tito monteiro Diz

    Tem certas declarações que este BEBE deu que me deixam intrigado. Uma delas está em Apocalipse 3.5 – Ele disse que nem Ele riscaria o meu nome do livro da vida,que segurança ter o nome escrito e ter a garantia de quem escreveu e não riscar.Confere.Outra; Eu sou bem-aventurado porque não ví e crí, Ele disse isso para Tomé e eu fui incluído, confere? Outra: Ele orando pelos discípulos em João 17,ele disse: Não só por esse,mas por aqueles que vierem a crer em mim por intermédio deles – novamente me vejo incluído nesta oração de longo alcance feita pelo então ex-BEBE e HOJE Rei das Nações, tá? Então confere. tito from brasília.

  6. JOSELUIZ Diz

    concordo com voce ,augustus, mas tbm gosraria de deixar um pedido,que nos lideres e bereanos,conhecedor da palavra ,que possamos mostrar a verdadeira palavra ,e a historia babilonica sobre ninrode ,arvores de natal etc…e como paulo possamos pregar a sua morte e ressureiçao ,porque ELE ESTA VIVO,PAZ

  7. Rogério Ferreira Diz

    Pr. Augustus,

    Acrescente-se a ressurreição no relato da Obra de Jesus Cristo: o irmão disse: “Para nos salvar de nossos pecados, ele teria de sofrer e morrer, ser sepultado, ficar sob o domínio da morte e desta forma pagar inteiramente nossa dívida para com Deus.”
    Acrescente-se a isso que Ele ressuscitou! Se Ele não ressuscitasse, estaríamos todos perdidos! Ele completou a obra e não permaneceu sob o domínio da morte! A morte não pôde segurá-lo! Deus seja eternamente louvado! A Ele toda Honra, toda Glória e Louvor!

  8. luiz carlos Diz

    nos cristoes muitas das vezes somos levados pelos ventos de doutrinas . o natal e uma delas . invençao satanica pra confudir os crentes ..esse natal mundano nao tem nada ver com, o nosso JESUS . ele nao disse para ninguem comemorar seu nacimento, que contraste mandou a gente celebrar sua morte e ressurreiçao. atraves, da santa ceia. dia vinte e cinco e pregado um outro evanglelho nao segundo cristo mais os catolicos. sai do meio dela povo meu.

    1. Vini Diz

      Então, segundo Rm 14 eu não tenho a liberdade cristã de considerar uma data mais especial que a outra?

    2. luiz carlos Diz

      e verdade temos liberdade crista sim mais nao e para pecar. idolatria e pecado papai noel e idolatrado e4ssa liberdade crista eu nao quero e nao devo.

    3. Douglas Iran Diz

      Luis Carlos, onde você viu no texto algo sobre papai noel? Não li isso em nenhum comentário, exceto o seu. O texto deixa bem claro o real sentido do natal. Que Jesus não nasceu no dia 25 de dezembro todos sabemos (é bem provável que nem no mês de dezembro Ele tenha nascido), mas essa não é a questão aqui e sim de refletir acerca de seu nascimento e as consequências disso para a humanidade e já que o natal no seu real sentido trás essas reflexão à tona, por que não aproveitar o pretexto para divulgar textos como estes?

      Paz.

    4. luiz carlos Diz

      caro douglas me diga uma coisa pros mundanos natal sem papai noel e natal.e pra voce e a mesma coisa tambem. JESUS tem nascido todos dias nos coraçoes daqueles aceita ele como salvador, e permanesce. esse dia 25 e so gutonaria e bebedisse. comercio. enada mais. daqui ums dias vai ter crente comemorando carnaval santo. a paz.

    5. rita maia Diz

      Oi Vini, como perguntei em “redimindo o natal”, será que Paulo não está falando sobre dias e festas citados nas Escrituras, ordenanças para os judeus mas opções para os gentios?
      Será que ele se referia a misturar santo com o profano?

    6. Vini Diz

      Já respondi lá =)

      Mas colocarei como uma pergunta aqui:

      Quando Deus falou para Pedro comer os animais impuros ele estava misturando o santo com o profano?

    7. rita maia Diz

      Não.
      “puro e impuro” não é o mesmo que “santo e profano”.

    8. Vini Diz

      Por favor, diga-me qual a diferença =)

    9. rita maia Diz

      Desculpe, onde escrevi santo leia-se sagrado.
      Um animal pode ser puro ou impuro,
      nenhum animal é sagrado.
      Em Ez 44:23 é dito que os sacerdotes deveriam ensinar o povo de Israel a distinguir entre o sagrado e o profano conhecer a diferença entre o puro e o impuro.

    10. Vini Diz

      O paralelismo hebraico me leva a ver que Ezequiel considera como sinônimos. Mas entendi o que você quis dizer.

      Então, dia do ano está na categoria de puro ou de sagrado?

    11. rita maia Diz

      Oi.
      No meu entender um dia não é nem puro nem impuro.
      Mas podemos santifica-lo ou não (O SENHOR pediu que santificássemos o dia de descanso).

      Agora me vieram mais perguntas:
      Se formos evangelizar uma tribo nunca alcançada, devemos tornar sagrados os dias que eles guardam para seus demonios? Ou sacralizar suas festas, tornando-as “festas para Jesus”?
      O carnaval, podemos criar uma nova tradição para esses 4 dias?
      O que me preocupa são os acréscimos, parece um evangelho novo, de tolerância extrema… como todos os outros, com base bíblica.

      Estive um mês numa missão entre índios, onde os missionários oravam a “Tupã”… não questionei (quem sou eu?) mas nunca “engoli” isso direito…

    12. Vini Diz

      Rita,

      Não sei dar uma resposta que seja uma fórmula. Por um lado, vemos um rejeitar agressivo do mundo nos novos cristãos em Atos ao ponto de queimarem os livros. Isso é válido. Creio que o problema não esteja tanto em usar a data, mas o que sobra da comemoração pagã que pode vir a contrariar princípios Bíblicos.

      Quanto ao Natal ser comemorado em uma “data pagã” (o que nós concordamos que não existe, mas a pessoa que consagra para Deus ou para demônios) acho que hoje não tem qualquer significado para nossa geração. Fazemos no ia 25 por causa da tradição.

      Por exemplo, nos EUA o domingo é chamado “Sunday” que é dia do Sol, um nome pagão. A igreja deve sua data de culto? De forma nenhuma.
      No carnaval, hoje em dia, muitas igrejas fazem retiros. Isso não é sacralizar (guardar para o Senhor) uma data pagã? O intento é afastar principalmente o jovem do contexto mundano e promíscuo. Não acho inválido. Acho ruim quando transformam o retiro em um “carnaval gospel”, alimentando as paixões carnais dos jovens sob um contexto “gospel”.

      Creio que este assunto se encaixa nas questões secundárias que Paulo trata em Rm 14 ou quando fala sobre carne. É uma questão de consciência. Se alguém acha que estará pecando por comemorar o Natal no dia 25 (e isso Paulo chama de fé fraca), não comemore! Mas o cristão tem liberdade para consagrar qualquer dia adicional ao Senhor.

      Paz

Comentários estão fechados.