Joel Beeke – Como Fazer Uso dos Meios de Graça #Fiel2012

Joel Beeke fala sobre como fazer uso dos meios de graça para podermos nos aproximar de Cristo. Ele menciona como prática particular a leitura da Bíblia, a meditação nas Escrituras, a oração aliada à prática e a utilização de um diário espiritual. No âmbito corporativo (igreja), ele nos convida a fazermos melhor uso da pregação da Palavra, dos sacramentos e da comunhão dos santos. Por fim, no âmbito interpessoal, ele aplica tais questões numa vida de evangelismo e serviço cristão.

Índice das Pregações Ouça e baixe o áudio da mensagem  Adquira o DVD

Resumo

Exercita-te, pessoalmente, na piedade. […] Ninguém despreze a tua mocidade; pelo contrário, torna-te padrão dos fiéis, na palavra, no procedimento, no amor, na fé, na pureza. Até à minha chegada, aplica-te à leitura, à exortação, ao ensino. Não te faças negligente para com o dom que há em ti, o qual te foi concedido mediante profecia, com a imposição das mãos do presbitério. Medita estas coisas e nelas sê diligente, para que o teu progresso a todos seja manifesto. Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina. Continua nestes deveres; porque, fazendo assim, salvarás tanto a ti mesmo como aos teus ouvintes. (1 Tm 4.7.12-16)

Os meios da graça são frutos de uma noiva que deseja ter maior comunhão com seu Noivo e não de uma tentativa de sermos aceitos por Cristo. Somos aceitos com base em sua graça, e essa graça nos leva a buscarmos ativamente o Amado de nossas almas.

Consideraremos meios de graça como qualquer exercício pessoal através do qual Deus possa nos aproximar de Cristo. Quero destacar três âmbitos dos meios da graça: o particular, o corporativo e o interpessoal.

Meios particulares da graça

Ler as Escrituras

É nosso dever diário ler Palavra de Deus. Para o crente a bíblia é uma carta de amor que Deus o envia diariamente. Um puritano enumerou oito formas de lermos as Escrituras:

  1. Com diligência – como um homem cavando em busca de um tesouro;
  2. Com sabedoria – não ficar demasiado tempo em um só livro, etc;
  3. Com preparação – prepararmo-nos espiritualmente e logisticamente para ler a Palavra (buscar um local tranquilo, etc.);
  4. Com meditação – ler a bíblia, meditar e depois orar com base na meditação;
  5. Com conversas piedosas – conversar com outros sobre o que lemos;
  6. Com fé – fé é a chave. Outros livros podem informá-lo ou reforma-lo, mas só a bíblia pode transformá-lo.
  7. Com prática.
  8. Com oração.

A leitura da bíblia não só transforma você, mas impacta as pessoas a sua volta. Então, saiba que você não irá crescer muito em santidade e a sua vida não irá impactar outras pessoas se você não estiver diariamente buscando, amando, vivendo as Escrituras.

Meditar nas Escrituras

A diferença entre ler e meditar é na meditação você se concentra em um assunto ou texto específico. Os puritanos faziam muito isso, contudo a nossa geração perdeu essa prática. Os puritanos apresentavam sete passos para a meditação:

  1. Ore para que o Espírito Santo foque a sua mente na meditação;
  2. Leia uma parte das Escrituras e medite em um ou dois versículos ou em uma doutrina específica contida no texto.
  3. Memorize este versículo para ajuda-lo em sua meditação;
  4. Medite em tudo o que sabe sobre aquele verso, usando o livro da Escritura, o livro da Consciência e da Memória e o livro da Natureza e buscando aplicar tais coisas em sua vida.
  5. Estimule suas afeições enquanto medita, tais como amor, alegria, zelo.
  6. Faça uma resolução espiritual – os puritanos normalmente escreviam essa resolução em seus diários e oravam
  7. Termine sua meditação com ações de graças ou cantando os salmos, pois isto ajudará a memorizar a Palavra.

Oração e Prática

Os reformadores diziam “Orare et labutare” – ore e labute. Se você ora, mas não pratica, você está andando em círculos. A prática é importante, mas a oração deve ter prioridade. John Bunyan já dizia: “Você pode fazer mais do que orar depois de ter orado, mas você não pode fazer nada mais do que orar até ter orado”. Quanto mais oramos, mais saberemos quão pouco temos dessa graça. Por isso, priorize a oração; entregue a sua vida à oração.

Um dos nossos problemas, mesmo sendo reformados e conservadores em nossa teologia, é marginalizar a oração, tratando-a como um apêndice de um livro. Martinho Lutero em meio a suas ocupações disse: “Tenho tanto para fazer hoje que acho que passarei as primeiras três horas em oração”.

Quando você orar, a melhor maneira de orar a Deus é orar Palavra para Ele. Deus gosta de ouvir sua própria Palavra. Mostre para Ele as promessas e diga “Senhor, faça como dissestes”.

Manter um diário espiritual

Os puritanos mantinham um registro de suas alegrias e problemas espirituais e isso os encorajava a contemplar a ação de Deus em suas vidas.

Meios coorporativos da graça

Faça melhor uso da pregação

Os puritanos chamavam o Sabbath de o mercado da alma – assim como eles iam ao mercado para comprarem sua comida natural, eles, no domingo, alimentavam a sua alma. Um determinado puritano aconselhou inclusive sobre como ouvir sermões, dizendo: “antes de ir ao culto, vista a sua alma com oração; venha com um santo apetite; esteja atento a palavra pregada; receba-a com fé e mansidão; e, então, lute para mantê-la, meditando nela; ore sobre ela depois do fim do sermão.”

Além disso, precisamos conversar sobre o sermão com nossos irmãos e filhos.

Faça melhor uso dos sacramentos

Os sacramentos trazem a Palavra de forma mais sensorial. Não temos um Cristo melhor nos sacramentos do que na Palavra, mas muitas vezes percebemos a Cristo de forma mais clara.

Faça melhor uso da comunhão dos santos

Precisamos compartilhar nossas experiências espirituais uns com os outros. Aconselhar, exortar e edificar um aos outros. Cristãos mais maduros tem o dever de edificar cristãos mais novos. Você, provavelmente, se tornará semelhante aos amigos (e livros) com os quais você se associa.

Meios interpessoais da graça

Deveríamos nos ocupar com evangelismo e com o serviço cristão, sendo exemplares e fugindo do mundanismo.

Em todos esses meios de graça devemos buscar a Jesus Cristo. Toda a nossa santidade está em Cristo. E usamos esses meios de graça para nos preparar para o nosso casamento, onde o nosso Noivo nos tornará perfeitos e seremos totalmente santos, como uma Noiva sem mácula, nem ruga.

Por: Joel Beeke. Editora Fiel 2006 – 2012 © Todos os direitos reservados.

Resumo por: Voltemos ao Evangelho ©. Website: www.voltemosaoevangelho.com

Permissões do Resumo: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor e seu ministério, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

5 Comentários
  1. arisvaldo Diz

    Mensagem maravilhosa! Lembrei-me da leitura dos escritos de Dallas Willard, Richard Foster e outros sobre o tema das disciplinas espirituais.

  2. Francisco S Neto Diz

    Irmãos, vocês terão os vídeos das apresentações posteriormente? Para os que não puderam assistir ao vivo?
    Grato

  3. Paulo Diz

    como é o nome do puritano que escreveu o livro- Como ler a biblia?

  4. Sergio Mello Diz

    maravilha

Comentários estão fechados.