Quanta Concordância Teológica é Necessária para os Cristãos Trabalharem Juntos no Ministério?

Quanta Concordância Teológica é Necessária para os Cristãos Trabalharem Juntos no Ministério?

1. Para trabalharem juntos em um contexto de ministério, os cristãos devem concordar acerca do evangelho. Como somos salvos? De que somos salvos? Qual é a base que nos torna justos diante de Deus? Se os cristãos discordam acerca do próprio evangelho, nenhuma cooperação verdadeira em questões de ministério é possível.

2. Além disso, a quantidade de concordância teológica que os cristãos devem ter para trabalhar juntos irá variar, a depender de que obra pretendem fazer. Para poderem estar na mesma igreja local, os cristãos precisam concordar acerca de questões como quem deve ser batizado e a forma bíblica de governo eclesiástico.

3. Ao mesmo tempo, há muitas maneiras pelas quais cristãos que não pertencem à mesma igreja podem, na prática, trabalhar juntos pelo bem da igreja em sentido mais amplo, o que inclui parcerias em trabalhos evangelísticos, pregar e ensinar nas igrejas uns dos outros, e assim por diante. Esse trabalho fora da igreja local exigirá menos concordância, sobretudo em questões periféricas. Por exemplo, não há razão que impeça batistas e presbiterianos de evangelizarem juntos.

Como Nós Determinamos Quais Doutrinas São Mais Importantes e Quais São menos Importantes?

A resposta a essa pergunta depende de quão próxima do evangelho uma doutrina está, e quanto efeito prático ela possui na vida cristã.

1. Doutrinas como a Trindade, a plena divindade e humanidade de Cristo, a justificação pela fé somente e a autoridade da Escritura estão todas intimamente ligadas ao evangelho. Sem elas, ou nós perdemos aspectos cruciais do evangelho, ou perdemos o próprio evangelho. Tais doutrinas, portanto, são da maior importância. Discordâncias nesses pontos dividem a igreja da não-igreja.

2. Doutrinas acerca de quem deve ser batizado e da forma bíblica de governo eclesiástico não estão tão proximamente relacionadas ao evangelho e, portanto, são menos centrais à fé. Ainda assim, tais doutrinas não estão totalmente desvinculadas do evangelho. Por exemplo, o batismo é um retrato do evangelho e define a membresia da igreja, o povo do evangelho. Outras questões teológicas, tais como nosso entendimento dos papéis do homem e da mulher no casamento e na igreja, têm grandes implicações práticas e são, assim, muito importantes, ainda que não estejam diretamente relacionadas ao evangelho. Discordâncias aqui podem dividir uma igreja de outra, como as diferenças entre uma igreja batista e uma presbiteriana. Mas tais diferenças não nos impedem de abraçar um ao outro como companheiros cristãos.

3. Algumas doutrinas, tais como o significado do milênio em Apocalipse 20, estão muito afastadas do evangelho e têm pequeno efeito prático na vida cristã. Isso não significa que tais doutrinas não tenham qualquer importância, mas discordâncias nesses pontos ainda possibilitam a cooperação entre cristãos no mais alto grau, isto é, eles podem compartilhar a membresia em uma mesma igreja local.

Extraído do site www.9marks.org. Copyright © 2013 9Marks. Usado com Permissão. Original: How much theological agreement is necessary in order for Christians to work together in ministry? e How do we determine which doctrines are more important and which are less important?

Tradução: Vinícius Silva Pimentel – Ministério Fiel © Todos os direitos reservados. Website: www.MinisterioFiel.com.br / www.VoltemosAoEvangelho.com. Original: Fazei discípulos de todas as nações!

Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

9marks-logo2

2 Comentários
  1. Matheus Diz

    Muito bom. E as doutrinas da graça, entra aonde ai?

  2. Reflexões Bíblicas Diz

    Acho interessante esta questão ser debatida, porém tenho uma questão que gostaria que fosse considerada. Por exemplo, foi falado na questão da cooperação na evangelização, certo. Agora penso: Duas pessoas de igrejas, denominações diferentes evangelizando numa área, quando for no momento, de uma pessoa ir assistir aos cultos, deve ir onde? À igreja onde não é tão profunda na disciplina ou para a outra que é mais prática neste aspecto?
    Já agora porque as mesmas igrejas não se juntam?
    Por vezes até possuem o mesmo nome ou referencial religioso?
    Isso é tudo muito bonito, mas é para muitos pastores que são convidados por exemplo para palestras. No dia-a-dia, e em campo as coisas são muito mais complicadas.
    Por vezes o que se chama de coisas superficiais, é que irão trazer graves problemas num trabalho em conjunto.

Comentários estão fechados.