Orando o Pai Nosso: “E não nos deixes cair em tentação; mas livra-nos do mal”

 7. E não nos deixes cair em tentação; mas livra-nos do mal.

E, Senhor, uma vez que há em nós uma inclinação para desviar-nos de ti (Os 11.7), de tal modo que quando nossos pecados são perdoados, nós estamos prontos para cair na insensatez novamente (Sl 85.8), nós oramos para que tu não somente nos perdoes nossas dívidas, mas cuide de nós, para que nós não mais cometamos injustiça (Jó 34.32). Senhor, não nos deixes cair em tentação. Nós sabemos que ninguém ao ser tentado pode dizer que está sendo tentado por Deus, porque Deus mesmo a ninguém tenta (Tg 1.13); mas nós também sabemos que Deus pode fazer-nos abundar em toda graça (2Co 9.8), e nos guardar de tropeços, e nos apresentar imaculados (Jd 24). Nós, portanto, oramos para que tu nunca nos deixes andar na teimosia do nosso coração, seguindo os nossos próprios conselhos (Sl 81.12); pelo contrário, restrinja Satanás, aquele leão que ruge e anda em derredor procurando alguém para devorar (1Pe 5.8), e nos conceda que não ignoremos os desígnios dele (2Co 2.11). Ó, que Satanás não nos tenha para peneirar como trigo, e que nossa fé não desfaleça (Lc 22.31,32). Que aos mensageiros de Satanás não seja permitido nos esbofetear; mas, se eles o fizerem, que a tua graça nos baste, para que quando formos fracos, sejamos fortes (2Co 12.7,9-10), e sejamos mais do que vencedores por meio daquele que nos amou (Rm 8.37). E que o Deus da paz, em breve, esmague debaixo dos nossos pés a Satanás (Rm 16.20). E uma vez que a nossa luta não é contra o sangue e a carne, mas contra principados e potestades e contra os dominadores deste mundo tenebroso, que sejamos fortalecidos no Senhor e na força do seu poder (Ef 6.12,10).

Senhor, conceda-nos que nós nunca entremos em tentação (Mt 26.41); mas que, tendo orado, possamos pôr guarda (Ne 4.9); e que a tua sábia e boa providência de tal forma ordene todas as nossas preocupações e todos os eventos que dizem respeito a nós, que não nos sobrevenha tentação que não seja humana, e que nós jamais sejamos tentados além das nossas forças para discernir, resistir e vencer através da graça de Deus (1Co 10.13). Senhor, não ponha tropeços diante de nós, para que caiamos e pereçamos (Jr 6.21). Que nada seja um escândalo a nós (Rm 14.13); pelo contrário, dá-nos aquela grande paz que têm os que amam a tua lei; pois para eles não há tropeços (Sl 119.165).

E guia-nos, nós te rogamos, a toda a verdade (Jo 16.13); guia-nos na tua verdade e ensina-nos, pois tu és o Deus da nossa salvação. Faze-nos, SENHOR, conhecer os teus caminhos, ensina-nos as tuas veredas (Sl 25.4,5), as veredas da justiça; ó, guia-nos por aquelas veredas por amor do teu nome, para que sejamos levados para junto das águas de descanso (Sl 23.2,3).

E livra-nos do mal, nós te imploramos; guarda-nos, para que o Maligno não nos toque (1Jo 5.18), para que ele não semeie seus joios no campo dos nossos corações (Mt 13.25), para que nós não sejamos enganados pelas suas ciladas ou feridos pelos seus dardos inflamados (Ef 6.11,16); que a palavra de Deus permaneça em nós, para que nós possamos ser fortes e possamos vencer o Maligno (1Jo 2.14).

Livra-nos de toda coisa má, nós oramos, para que não façamos mal algum (2Co 13.7): ó, livra-nos de toda obra maligna (2Tm 4.18); salva-nos dos nossos pecados (Mt 1.21); redime-nos de toda iniquidade (Tt 2.14), especialmente do pecado que tenazmente nos assedia (Hb 12.1). Livra-nos da soberba (Jó 33.17); afasta de nós o caminho da falsidade (Sl 119.29); que nós não comamos das iguarias dos pecadores (Sl 141.4); inclina-nos o coração aos teus testemunhos e não à cobiça (Sl 119.36); e guarda-nos de falar irrefletidamente (Sl 106.33); mas, especialmente, da soberba guarda os teus servos, que ela não nos domine (Sl 19.13).

Preserva-nos, nós te pedimos, que nenhum mal nos suceda (Sl 91.10); e guarda-nos do mal, para que ele não nos fira (Sl 121.7). Ó Salvador dos que à tua destra buscam refúgio, mostra as maravilhas da tua bondade, e guarda-nos como a menina dos olhos, esconde-nos à sombra das tuas asas (Sl 17.7,8); guarda o teu depósito (2Tm 1.12). Tu que nos livraste, por favor, livra; e nós esperamos e oramos que tu nos livres novamente (2Co 1.10), nos livres de todos os nossos temores (Sl 34.4). Ó, faze-nos habitar seguros e concede-nos que possamos estar tranquilos e sem temor do mal (Pv 1.33). E traga-nos seguros, finalmente, ao teu santo monte, onde já não haverá espinho que pique, nem abrolho que cause dor (Ez 28.24), onde não se fará mal nem dano algum (Is 11.9).

Por: Matthew Henry. © 2016 Matthew Henry. Original: Pray the Bible

Tradução: André Aloísio Oliveira da Silva. © 2016 Ministério Fiel. Todos os direitos reservados. Website: MinisterioFiel.com.br. Original: Orando o Pai Nosso: “E não nos deixes cair em tentação; mas livra-nos do mal”

Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.

Comentários estão fechados.